Archive for janeiro 7th, 2013

Audição: Novas Informações sôbre os Mecanismos da Recepção de Ondas de Som

segunda-feira, janeiro 7th, 2013

A salvação da Humanidade, a melhoria das condições de vida para todos os seres humanos, a nossa libertação desta detestável ditadura da ignorancia, dependem fatalmente da aceleração do nosso estudo dessa Natureza, buscando entender como ela funciona, a maior quantidade de informações possiveis sôbre cada fenômeno, cada objeto, cada evento natural, pois é a aprendiagem sôbre mecanismos e processos naturais que nos capacita a imitá-los com novos materiais e novas circunstancias, a misturá-los com outros mecanismos, e assim produzir tecnologia, o nosso contrôle sôbre o nosso mundo material. Noticias como esta são aqui registradas para cuidadoso estudo, e para serem comparadas, meditadas, tendo como parâmetro comparativo a fórmula universal da Matrix/DNA.

Science Daily

Mechanism of Hearing Is Similar to Car Battery, Researcher Learns

http://www.sciencedaily.com/releases/2013/01/130107145707.htm

Located within the antenna of a fruit fly, the auditory organ (pictured) is shown being activated in response to the fruit fly love song. The sodium pump is stained in green, while blue highlights nuclei and red stains the cytoskeletal protein, actin. (Credit: Image provided by Madhuparna Roy)

Located within the antenna of a fruit fly, the auditory organ (pictured) is shown being activated in response to the fruit fly love song. The sodium pump is stained in green, while blue highlights nuclei and red stains the cytoskeletal protein, actin. (Credit: Image provided by Madhuparna Roy)

PAPER : PNAS

Cell-type–specific roles of Na+/K+ ATPase subunits inDrosophila auditory mechanosensation

http://www.pnas.org/content/110/1/181.abstract

Purchase this Article – You may access this article (from the computer you are currently using) for 2 days for US$10.00

Abstract

Ion homeostasis is a fundamental cellular process particularly important in excitable cell activities such as hearing. It relies on the Na+/K+ ATPase (also referred to as the Na pump), which is composed of a catalytic α subunit and a β subunit required for its transport to the plasma membrane and for regulating its activity. We show that α and β subunits are expressed in Johnston’s organ (JO), the Drosophila auditory organ. We knocked down expression of α subunits (ATPα and α-like) and β subunits (nrv1, nrv2, and nrv3) individually in JO with UAS/Gal4-mediated RNAi. ATPα shows elevated expression in the ablumenal membrane of scolopale cells, which enwrap JO neuronal dendrites in endolymph-like compartments. Knocking down ATPα, but not α-like, in the entire JO or only in scolopale cells using specific drivers, resulted in complete deafness. Among β subunits, nrv2 is expressed in scolopale cells and nrv3 in JO neurons. Knocking down nrv2 in scolopale cells blocked Nrv2 expression, reduced ATPα expression in the scolopale cells, and caused almost complete deafness. Furthermore, knockdown of either nrv2 or ATPα specifically in scolopale cells causes abnormal, electron-dense material accumulation in the scolopale space. Similarly, nrv3 functions in JO but not in scolopale cells, suggesting neuron specificity that parallels nrv2 scolopale cell–specific support of the catalytic ATPα. Our studies provide an amenable model to investigate generation of endolymph-like extracellular compartments.

Auditory System of Fruit Flies -  Johnston’s organ

Auditory System of Fruit Flies - Johnston’s organ

Imagem URL:

http://neuro.bcm.edu/groveslab/?m=static&id=22

Consciência Cósmica como Oceano Infinito e Consciências Humanas como bôlhas na superficie

segunda-feira, janeiro 7th, 2013
Penso que somos como bôlhas de consciências - umas mais densas outras mais leves e luminosas -  num infinito oceano de Consciência Cósmica

Penso que somos como bôlhas de consciências - umas mais densas outras mais leves e luminosas - num infinito oceano de Consciência Cósmica

Esta imagem ( vista por acaso na Internet)  fica registrada como inspiração para um desenho futuro. Nossas ultimas descobertas sôbre as mais profundas fundações da matéria dêste Universo nos tem levado ao fenômeno das ondas de luz natural. No grafico aqui registrado sobre o spectrum electric-magnetic of light defendemos que qualquer onda de luz é a origem da fôrça que imprime a dinamica do ciclo vital na massa inerte. Então nos parece que o Big Bang funcionou (ou ainda funciona) como um vórtice ( ou muitos vórtices)  pipocando através de uma membrana do “nada” que separa universos ou mundos e que projetou uma onda de luz branca, a qual ainda continua a se expandir e é a responsavel pela expansão do Universo. Ou, se ainda continuam a pipocar tais vórtices, cada uma destas suas ondas resulta no distanciamento das galaxias entre si. Mas à medida que uma onda avança, cada uma de suas frequencias vai produzindo particulas fótons que pairam sobre as ondas, como bôlhas emergem e pairam na superficie das águas. Estes fótons se reumem num espaço acima das ondas, formando como espumas que vemos nas ondas do mar, e esta nova formação de espumas é justamente o nosso mundo material. A recente descoberta de que existe o inverso das ondas brancas de luz, ou seja, a luz negra, que faz o caminho contrário, retornando para formar os vórtices e desaparecendo para alem das membranas do nada, nos faz suspeitar que alem do nada existe uma fonte que se recicla, emitindo ondas le luz branca e sendo alimentada pelos fragmentos destas ondas que retornam.

Tudo isso é teórico, talvez esteja tudo errado, cabe-me agora “rezar” para conseguir os instrumentos cientificos  – como emissores de raios laser, etc. – e testar a teoria. Mas em paralelo a isto tudo nunca me esqueço que este mindo material produz auto-consciência, e portanto, alguma infinita consciência deve estar por traz  dos vórtices que emitem a luz branca, como algo que paira flutuando em toda parte. As bolhas nas imagens acima representariam porções de consciência que devem existir em cada fóton, e em cada pacote de fotons derivado do ajuntamento dêles, pacotes tais como nós, humanos. Resumindo: “Está ainda aí tudo por descobrir, temos muito trabalho à frente…”

E esta imagem tambem:

Fótons na forma de vórtices

Fótons na forma de vórtices