Archive for novembro 27th, 2013

Questão: “O Trabalho Produtivo Obrigatório” versus “O Tempo e Método para Evolução da Auto-Consciência em Todo Ser Humano”. Um dos Assuntos mais Importantes para a Humanidade

quarta-feira, novembro 27th, 2013

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=551466904935969&set=a.160124877403509.40503.106680532747944&type=1&theater

The Zeitgeist Movement Global

Incrível, mas este assunto me esta levando a descobrir de onde veio e o que é estas coisas que chamamos de amor e porque o bem deve sempre vencer om mal…

Não tem como escapar disto: Antes de cada ser humano nascer já havia uma sentença, uma especie de condenação, sobre sua vida, decretada pela Natureza, seja pelo jeito insensível dela ser, ou seja por uma causa alheia a Ela – como a interferência de forças supernaturais, talvez deuses conscientes ou não, talvez possíveis nossos espíritos vivendo em outras dimensões – ou talvez por algum erro de nossos ancestrais – sejam estes ancestrais os átomos, as galaxias, ou as bactérias – o fato e que esta condenação faz parte inexorável do ser vivo, não tem como ignora-la e não tem argumento contra. “Es filho da Necessidade, e deveras comer o teu pão, fazer a tua casa, ter a sua roupa, tudo o que consumires, com o suor de teu rosto, a tortura de seu corpo no trabalho obrigatório, realmente produtivo com tuas próprias mãos!” ( É por saber disso, que obtenho de repente um alento de energia e venço a preguiça, o desconforto, pego meu casaco e saio no tempo frio, chuvoso no meio da noite, para trabalhar, transportando as pessoas que estão trabalhando nos serviços públicos, nos restaurantes, nos hospitais para o trabalho ou para casa: eu tenho que fazer isto mesmo que eu tenha dinheiro no banco para ficar em casa alguns anos, pois se eu na o produzir o que consumo, alguém outro meu irmão ou minha irma, humanos, serão sobrecarregados e alem de produzirem o que consomem, terão que produzir o que consumo. Pois nada cai do céu de graça! E eu posso ser errado como for, mas isto, de ser um parasita, um predador, de outro ser humano… jamais!)

Apenas a habilidade de certas especies, como as abelhas, as formigas, os humanos, em organizarem-se em sociedades, e o gênio cientifico e tecnológico dos humanos, podem amenizar os efeitos desagradáveis desta condenação, porque dois humanos juntos, ou um humano com instrumentos que sejam extensões de seu corpo, podem produzir três ou mais quantidades de algum produto para consumo, enquanto, no mesmo período de tempo e com mais tortura física, um só e separado, e sem ferramentas,  só pode produzir uma quantidade. isto chama-se “sinergia”, e o método para obtê-lo melhor chama-se “cooperativismo”.

A Historia do Universo, na versa-o em que interpretei os mapas da formula da Matrix/DNA, sugere que esta condenação já existia para as primeiras partículas de matéria surgidas logo apos o Big Bang. E a maneira como esta versão da Historia explica, da para captar-mos um sentido logico e racional no porque tem que existir esta condenação, como um mal necessário, para nossa própria salvação de nos mesmos. Pois no principio era o caos – tanto diz isso a Ciência Oficial quanto varias religiões, inclusive a Bíblia. Ao calcular esta Historia em cima dos mapas da Matrix/DNA percebi que o quadro final sugerido por ela, do que deve ter se passado nas origens do Universo, coincidia com uma teoria brilhante elaborada por um gênio da Física e que ganhou o Premio Nobel por isso, chamado Hideki Yukawa, onde ele tenta explicar como funciona o mecanismo que mantem as parti culas pro tons e nêutrons ligados dentro dos nucelos dos átomos, e que da consistência a este mundo material – a chamada teoria da cola nuclear. Vindos por caminhos tao diferentes ( Hideki vindo dos ambientes acadêmicos universitários e eu vindo da selva amazônica!) chegamos os dois a mesma Roma (todos os caminhos – inteligentes – levavam a Roma), frente a frente, com o mesmo quadro, a mesma cena.

Vórtices fantasmagóricos pipocavam neste espaço-tempo onde hoje esta o Universo, pareciam bolhas, existiam por alguns milionésimos de segundo e desapareciam. Se não houvesse esta condenação, o Universo não existiria, muito menos nos, como veremos a seguir. Pois o Universo teria sido apenas um mero projeto, sem sair da folha de papel, e teria ficado patinando naquele estado de bolhas contendo vortices aparecendo e desaparecendo infinitamente. Assim não conseguiam se fixarem para se tornarem matéria.

Mas tinham um segredo, importantissimo. Eram divididos em dois grupos, duas especies, ao mesmo tempo simétricos e assimétricos entre si. Eram – os dois grandes grupos – simétricos entre si porque tinham a mesma forma, as mesmas propriedades, assim como dizemos que homens e mulheres são simétricos entre si porque possuem a mesma forma humana, e possuem a mesma essência de onde emana suas propriedades como sistemas que aso, sendo essa essência o DNA. Mas os dois grupos de vórtices eram assimétricos entre si, ou seja, um exatamente oposto ao outro, nas tendencias, nas direções, nos movimentos, nas intenções, nos objetivos.  Em genética, mais tarde essa dualidade aparece com os nomes de fenótipo (simetria) e genótipo ( resultado das operações entre genes com tendencias assimétricas). Desta maneira, enquanto um grupo ( vamos chama-lo de grupo A) surgia como um ponto pequenino, que se expandia como uma espiral enchendo-se de energia, ate tornar-se como uma bolha e arrebentar, explodir, por excesso de energia, em 17 milionésimos de segundos, ou seja, para nos, um vapt-vupt! O outro grupo, chamado grupo B. era exatamente o contrario: surgia como uma bolha que dentro tinha uma espiral, grande, mas como acontece quando soltamos um balão cheio de ar com o bico aberto no ar e ele rodopia esvaziando rapidamente, os grandes vértices se encolhiam chegando ao tamanho do ponto e desapareciam por falta de energia. Um morria por excesso, o outro morria por falta. Assim nunca teríamos um Universo manifestado materialmente. E esta situação foi repetida em todos os estados do Universo, seja quando ele era apenas uma nebulosa de átomos, ou como é agora um conglomerado de aglomerados de galaxias, e repetida notadamente no aspecto sexual dos humanos: a menstruação nas mulheres e a ejaculação livre nos homens não produzem bebes. Se assim continuar pela vida toda um homem ou uma mulher, não se fixa uma população da especie.

Assim a cena naquele tempo para um hipotético observador seria o céu resplandecendo de estrelas cadentes, pontos luminosos que surgem parece que do nada e se movem rapidamente deixando um rastro desaparecendo assim como surgiram. Mas como eram muitos elementos brilhantes ao mesmo tempo e alta movimentação, trombavam-se um com outros, esquentando o Universo pela friccao, e isso foi interpretado como “no Principio era o Caos”. A mesma coisa acontece nas origens dos sistemas sociais dos seres vivos, onde os elementos mais brigam entre si, disputando território, fêmeas, alimentos, do que se reúnem pacificamente.

Os vórtices-bolhas não surgiam sem uma causa, e esta causa só poderia ser a de tentar ampliar seus tempos de existência aqui, fixarem-se permanentemente. E por algum motivo o espaço e tempo nesta região onde esta o Universo se expandia ( na nossa teoria sobre a luz original inicial emitida pelo Big bang penetrando a dark matter existe uma boa explicação do porque ocorria esta expansão). Esta expansão possibilitava que os vórtices-bolhas desenhassem sua trajetória no espaço mais completas, sem trombar com suas congeneres, e com isso, diminuindo as fricções, diminuía a temperatura geral, o que significa que os movimentos tornam-se mais lentos. E então começou a acontecer algo inusitado: antes de morrerem, dois vórtices contrários entre si se juntavam, formando um só, e se fixavam por mais tempo, ampliando seu período de existência. É o que Hideki teorizou do que acontece no núcleo dos átomos. E aqui começamos a entender porque existem hoje homens e mulheres e porque um precisa do outro! Um próton é uma parti cula carregada de energia, enquanto a seu lado tem um nêutron, outra partícula, quase sem energia, a maior parte sendo massa. Então o proto emite um sinal, que leva parte do excesso de sua energia, na direção do nêutron, que o absorve. Ao fazer isto o próton tende a se estabilizar perdendo o excesso e o nêutron tende a se estabilizar corrigindo sua falta de energia. Mas os dois não conseguiriam parar essa tendencia e o próton iria se esvaziar ate desaparecer, transferindo toda a energia ao nêutron que iria se encher ate arrebentar. Acontece que quando chega a um certo ponto, o próton não é mais um próton, torna-se um nêutron, enquanto o nêutron não é mais um nêutron, tornando-se um próton. Agora a coisa se inverteu. O que era nêutron e tornou-se próton vai explodir por excesso, mas antes disso acontecer ele devolve o sinal carregando energia ( cujo nome é Pion). Este equilíbrio se fixa, forma-se os nucleos de atomos, e grassas a isso existe a matéria e existimos nos. Tanto é que se fosse colocado uma lamina entre todos os prótons e nêutrons em todos os núcleos de átomos, o Universo desapareceria no Nada imediatamente!

Fantástico, não é? E lindo de morrer! Ha mais coisas neste mundo do que poderíamos imaginar.

O motivo que fazia os vortices-bolhas se entrechocarem eram seus movimentos com direções opostas, sua assimetria, pois se todos seguissem a mesma direção, teríamos uma caravana de indivíduos caminhando paralelamente, lado a lado, ate morrerem, e novamente, nunca haveria um Universo.  Enquanto num grupo, todos giravam da esquerda para a direita (spin right), no outro grupo todos giravam da direita para a esquerda ( spin left).  Esta oposição entre eles era devido a suas sete propriedades, que na Fisica chamamos de forças naturais brutas. Então estas sete forças brutas eram dividias em dois grupos exatamente opostos entre si: se um tinha a tendencia a expansão (balão vazio se encendo), o outro tinha tendencia a contração (balão cheio se esvaziando). Isso, com a evolução, veio parar nos seres humanos na forma de tendencias dos caráteres. A divisão ente egoismo (balão em contração), e tendencia a altruísmo ( balão em expansão). A tendencia do macho em aventurar-se no desconhecido ( expansão) e a tendencia da fêmea em construir e se afixar no nucleo familiar domestico (contração).  Com isto você pode melhor entender quando houve os cientistas falando daquelas forças naturais. Nos atomos a forca de expansão é a forca nuclear fraca e a forca de contração é a forca nuclear forte. Na minha interpretação da formula da Matrix/DNA, tenho suspeitado que a forca gravitacional, que puxa tudo para a Terra ou mantem funcionando o nosso sistema solar,  é o aspecto “tendencia a contração”. Mas se existe a forca gravitacional assim, então tem que existir sua contraria, e qual seria ela? Esta força ainda desconhecida que esta fazendo o Universo se expandir? Na minha teoria. a força de expansão é causada pela luz original emitida pela mesma fonte que produziu o Big Bang, a qual se expande penetrando uma certa substancia que preenche o espaço, que pode ser uma especie de éter ou então o que estamos descobrindo agora, essa tal de matéria e energia escura. Na minha teoria. essa luz dividida em frequências de diferentes vibrações, quando avança, separa essa substancia espacial em por coes, cada qual numa diferente vibração. Mas tudo o que avança, retorna, então, ao alcançar o estado da ultima onda, ela retorna ao Big Bang na forma de energia escura, luz negra, ou negativa. Mas cada porcão ficou numa diferente vibração e com o retorno, todas as porcões tendem a se recomporem como uma só novamente, porem fazem isto primeiro atraindo as porcões vizinhas na onda onda inicial, e essa atracão entre vibrações vizinhas é que fazem o sol atrair planetas na sua orbita, a terra atrais matria ao seu núcleo, etc, ou seja, a forca gravitacional.

Alem das tendencias opostas de movimentos e direções, cada vórtice-bolha tambem apresentava um extremo da s outras cinco forcas naturais, por exemplo, se uma tendia a movimento retilineo uniforme, a outra tendia a movimento curvelineo acelerado, e assim por diante. Esta oposição em tudo faziam-nas se entrechocarem violentamente, como inimigas entre si, era um estado de guerra permanente, no incio, pois ambas tinham a mesma forca final, e ninguem ganhava nenhuma guerra. mas as guerras vão instalando o caos nos dois lados, a todo o ambiente, prejudicando os dois lados, que vão enfraquecendo, ficando moribundos, e assim, menos propensos a violência. passam a ter a ter vontade de fugir das batalhas. Começam a entender que estão perdendo, ambos estão perdendo. As batalhas começam a rarear, os contendores começam a se fitarem, exaustos, com cara feia um para o outro, mas vendo o outro moribundo, se arrastando, assim como a si próprio, e aqui começa a nascer o que denominamos “empatia”. Seja como for, num belo dia caíram tanto que caíram lado a lado e se esperneando para se levantarem, se misturaram e descobriram que se levantaram apoiando no outro. Isto é lindo! Parece-me que estou vendo os dois, spins right and left, naquela situação, e torna-se impossível evitar que meus olhos comecem a ficarem molhados…

Homem e mulher! Condenados pela Natureza a serem escravos do trabalho, … para prenderem a se amarem! Sem esta condenação… suprema, eterna, não teríamos chegado onde estamos, sem sociedades, sem amores, sema as alegrias destes amores. Bendita seja a inteligencia que nos condenou desta maneira!

( Epa… o telefone toca, clientes me chamando ao trabalho, tenho que parar isso aqui agora, para voltar e terminar depois. Nem vai dar tempo para corrigir os erros deste teclado faltando metade das teclas e que só fala inglês sem acentos. Mas se alguem estiver lendo, acho que vai ter bom assunto em que pensar e talvez ate vá ao meu Facebook deixar sugestões para abrilhantar este artigo. Ba noite…)

Ah… enquanto isso temos que ler as centenas de comentarios no facebook com link acima para saber o que o povo pensa a respeito do dito pelo grande Fuller)