Archive for dezembro 2nd, 2013

Grande Intuição Neste Momento: The LightWaves-Photons Field e o “The Morelli’s Field” !!!

segunda-feira, dezembro 2nd, 2013

photons seen

Acho que todo mundo sabe da historia e alvoroço causado no mundo nas Ciências pela epopeia dos Higgs bosons. Bilhões de dólares gastos, milhares de cientistas envolvidos, a construção do super-tunel acelerador na Europa, tudo em busca de uma porcaria de uma particulazinha que pode ser pequena no tamanho, mas incomensurável no significado, por isso o maior nome de todos os tempos: A Partícula de Deus!

Protesto! Tomaram meu lugar! Eu pensava que eu sou a partícula de Deus! Mas não, é outra… Nem superar uma partícula eu consigo. Sou menos que uma particula…buáááááá….

Mais ou menos, e a grosso modo, para os tão leigos em Física quanto eu, a história pode ser resumida popularmente no seguinte:  Essa partícula foi teorizada, ou seja, imaginada sua existência quando um físico, de nome Higgs, achou que existe um campo quase etéreo que faz manifestar a massa no Universo, e desse campo tinha que emanar uma partícula, portanto, se fosse encontrada tal partícula, sua teoria estaria confirmada. E essa Higgs’ theory preenchia uma buraco ainda existente na grande Standard Theory da Física moderna que pretende explicar o Universo inteiro, desde suas origens. Por isso os cabras lá do CERN e a comunidade dos físicos estão comemorando o evento com tanto estardalhaço.

Ok. Pode ser que resolvemos o grande mistério da origem da massa, que dá consistência concreta aos objetos existentes no nosso mundo, nestas dimensões do Universo que podemos captar com nossos ainda grosseiros cinco sentidos. Mas… e as origens da outra metade da matéria, que se chama “energia”?! É sobre isso que tive agora  essa inicial intuição, a qual deverá ser desenvolvida e pensada à exaustão.

A formula da Matrix/DNA sugeriu uma coisa fantastica mostrando a tela onde aparece um espectro de uma onda eletromagnética (veja a figura abaixo):  ela diz que as diferentes sete frequências da onda de luz são a causa criadora da Vida, porque assim as ondas de luz imprimem a dinâmica do processo vital, ou melhor, do ciclo vital, à matéria inerte, à massa. Em outras palavras a onda de luz contem o código da vida, que, com a evolução, se tornou aqui o DNA. Na figura, a Matrix/DNA defende sua teoria de que todos os sistemas naturais são peças conectadas entre si pelo fio do ciclo vital. Então, existe uma fonte qualquer de ondas de luz, a qual é ao mesmo, uma fonte de um novo ciclo vital. No caso do ciclo vital do corpo humano, a fonte externa seriam os pais. Na luz, a onda começa na sua mais alta intensidade de vibração, o chamado “raio gama”, que é responsável pelo período de 9 meses de gestação do novo corpo. Por isso talvez existe a incrível aceleração de reprodução de células, formando a mórula, a blástula, e na continuidade, a grande velocidade com que os mais complexos órgãos do corpo vão tomando forma. A seguir, na luz, diminue um pouco a intensidade, vem o que se chama “Raio X”, que corresponde, no ciclo vital humano, à forma de bebê. E assim por diante.

 

Light - The Electric-Magnetic Spectrum by Matrix/DNA

Mas as ondas de luz se quebram formando também sua partícula, que é o fóton. Estas partículas, ainda segundo a Matrix/DNA é que entram nos átomos terrestres, assumem o comando de sua maquinaria, e os conduzem a formarem aminoacidos, depois as proteínas, a vida enfim. Mas para isso o fóton teria que ser energia e o pior, uma fonte de energia por si mesma, pois no seu trabalho ela consome energia como nos humanos, e nos somos fontes de energia quando imprimimos mais energia no mundo externo depois que se esgotou a reserva de energia da nossa refeição anterior. Ora, nada nem ninguém poderia produzir energia por si mesmo, isso seria milagre, e milagres não existem. Então como o fóton consegue ser uma permanente fonte de energia?

Solução: ora o foto também come. Ele também se alimenta, faz suas refeições. Mas onde ele obtêm, qual é o alimento dos fótons?!

Todo mundo já ouviu falar na “Cosmic Radiation Background”, o som de fundo que pervade o Universo e que parece ser o eco do Big Bang ate hoje, segundo as mais prováveis teorias na praça. Porem, na Matrix/DNA cosmovisão, esse som é devido a passagem e expansão de ondas de luz que continuam a ser emitidas pela fonte criadora do Universo, que, portanto, é uma fonte pulsante (lembre-se do som das ondas do mar?). Então, num nível mais profundo da matéria, existe esse oceano dessa substancia que chamamos de luz, movendo-se como as ondas das águas dos mares. E os fótons que dessas ondas surgem como a espuma que vemos nas ondas do mar, se alimentam… dessa substancia da luz original.

Então estamos no caminho oposto ao de Higgs. Ele tinha o campo, o field, faltava comprovar a existência da partícula produzida por esse campo. Nos temos a partícula, que é o fóton, falta comprovar o campo, o field, que produz essa partícula. Não sei nem como começar a fazer experiencias testando essa teoria que me despontou no cocuruto agora… mas vou pensar muito a respeito, pois, para mim, a coisa faz sentido. Talvez um dia, muito depois que eu morrer, construam algo como o super-túnel para buscar  este campo. Não vou reclamar se derem o nome a isso tudo de “The Morelli’s Field”.

(Obs.: Obviamente este artigo escrito na correria deve estar cheio de erros no aspecto técnico em relação a detalhes da Física e do Higgs, mas voltarei aqui com tempo para a devida pesquisa e consertar, melhorar o artigo. E para quem quer se lembrar do nosso gráfico sobre onda de luz, veja a figura a seguir:)

Fótons Realmente Vistos? Muitas Informações a Pesquisar Aqui

segunda-feira, dezembro 2nd, 2013

Photons Seen Without Being Destroyed For First Time Ever

http://www.huffingtonpost.com/2013/11/25/photons-seen-not-destroyed-first_n_4337029.html

HUFF POST SCIENCE

LiveScience  |  By Jesse Emspak – Posted: 11/25/2013 8:50 am EST

photons seen

Scientists have used a single atom trapped in an optical resonator to detect the presence of a reflected photon without destroying that packet of light. | MPQ, Quantum Dynamics Division