Archive for dezembro 10th, 2013

Sinal na Tailândia de que o Embrião da Consciência Cósmica esta Acelerando seu Nascimento na Especie Humana?

terça-feira, dezembro 10th, 2013

Isto é incrível novidade! Enquanto as heranças genéticas dos animais ainda dominam a maior parte dos seres humanos, causando esta divisão entre predadores e presas, ou seja, patrões e empregados, dentre o grande numero de presas surgem os aspirantes a serem predadores, os quais são rapidamente utilizados pelos predadores já estabelecidos como seus capatazes, os cães que vigiam o rebanho. Geralmente estes aspirantes capatazes se tornam os batalhões de policias de choques, ou chefes de seções internas nas industrias, ou escolhidos para serem os políticos do sistema, etc. Mas as heranças genéticas animalescas tendem a ceder ao domínio do que surgiu e esta nascendo na especie humana, que é a denominada “auto-consciência”. No seu reino, no seu domínio, não existe mais predadores nem presas e forma-se uma especie de sistema social socialista cooperativista ( não confundir com comunismo, o qual é outra maneira de expressar dos predadores dominarem). O processo de transformação é lento, mas quando acontece um sinal como esse da Tailândia, passamos a suspeitar que o processo esta se adiantando e se acelerando. Realmente surpreendente, pois os batalhões de choque reúnem os mais extremados representantes do reino animal, porem, este batalhão da Tailândia esta sugerindo que ate mesmo aqui a evolução esta penetrando. Oxalá que sim! Veja noticia e video em:

Police in Thailand Lay Down Weapons and Join with Protestors

Read more http://www.trueactivist.com/police-in-thailand-lay-down-weapons-and-join-with-protestors/

Cristão-Judaísmo Usando Ciências para Defender sua Teoria

terça-feira, dezembro 10th, 2013

Has Science Discovered God?

http://jesusonline.com/truth/god/more/science-christianity/?gclid=COOEv7305bsCFXPNOgod31wAqA#.UsjBH_RDvSh

What are these stunning discoveries that have scientists suddenly speaking of God? Three revolutionary discoveries from the fields of astronomy and molecular biology stand out:

1. The universe had a beginning

2. The universe is just right for life

3. DNA coding reveals intelligence

1. The universe had a beginning (One-Time Beginning)

In the early 20th century, astronomer Edwin Hubble discovered the universe is expanding. Rewinding the process mathematically, he calculated that everything in the universe, including matter, energy, space and even time itself, actually had a beginning.

( Nota da Matrix/DNA:  Hubble preferiu se apoiar numa invenção humana – a matematica- ao invés de observar e buscar no mundo real o apoio para uma operação mental ao descobrir um novo fenômeno real – que o Universo está se expandindo. Suponhamos que de repente vemos uma pedra se expandindo. Primeiramente, vamos querer saber a causa da expansão ou a origem da pedra? Obviamente vamos analizar a causa da expansão, vamos decompor a pedra em seus elementos constituintes, e suponhamos que não encontremos nada mais do que os normais constituintes de pedras. Acho que Hubble seguiu este caminho e até aqui não aplicou matematica alguma. Ele tinha em mãos, a matéria, energia, conceitos como tempo e espaço. Então começou a calcular as interações entre estes constituintes, e para isso tem que usar os conhecimentos da Fisica. Ora a Fisica sugere racionalmente que um corpo só pode ampliar seu volume se diminuir sua densidade. Não existe como um corpo isolado, tal como se pensa ser o Universo, criar matéria do nada para essa expansão. A não ser que o corpo não seja isolado, e algo externo esta insuflando matéria nêle.  Se o corpo está diminuindo sua densidade, pode-se calcular lógicamente que ao se regredir em seu passado vamos encontrando-o cada vez menor e mais denso. Continuando essa regressão, apenas no nivel mental, chegariamos a um ponto final, limite, ou não chegariamos a ele, sendo infinita a regressão? Não tem como saber, nunca tivemos tal coisa em mãos, nunca vimos nada parecido. Mas Hubble disse que usando a matematica chegou a um ponto em que o corpo termina, ou seja, teve um inicio. Primeiro eu teria que analisar este exercicio matematico, antes de qualquer julgamento sobre sua conclusão. E enquanto não o fizer, só me resta respeitar sua conclusão, tê-la sob observação, mas sem acreditar nela, pois não procurei se existem ou não, erros na matematica aplicada.

Mas existe uma outra maneira de analizar a pedra em expansão. Sabendo de seus constituintes e tendo a certeza que não se vai encontrar nada desconhecido, desviamos o olhar da pedra e fixamos o olhar na natureza à volta. Tentamos buscar na memória os fatos conhecidos no maior espaço e período de tempo possível. Nunca vimos uma pedra na terra se expandindo sem estar entrando algo nela. A pedra é um meteórito, veio do espaço? Sim, temos que abri-la e procurar os ingredientes. Nada de estranho encontrado, resta o exercício mental, mas fixo na Natureza. A pedra faz parte do planeta que se formou numa poeira estelar, a qual pode ter vindo, ou da morte de outra estrela ou da primitiva galaxia que já possuis estrelas, pois alguns elementos da pedra foram formados por estrelas. Estrelas se expandem por si próprias? Tudo indica que sim, e tambem se contraem. Mas isso é causado por reações nucleares, e a pedra não tem reações nucleares.  Voltamos a estaca zero e desistimos de buscar a causa, mas para nossa sorte, não existe pedra se expandindo por si só, foi tudo um exercício mental. Nosso problema é a expansão do Universo. Existe como decompo-lo em seus elementos constituintes? Claro que não. Existe como recorrer a fatos conhecidos reais para calcular de onde o Universo veio? Claro que não.  Então vamos desistir do problema? Ainda não, pois não terminamos de procurar na Natureza. Resta uma pergunta: “Existe algo observável na Natureza que se expande”  Muitas coisas: um rio ao receber água do mar, uma montanha ao ser atingida por um meteórito, o gaz ao se aquecer, … O gaz ao se aquecer… diminui em densidade. Seria o Universo uma bolha de gás contendo algumas partículas denominadas galaxias, e estaria esta bolha sob alta temperatura? É possível, porque não? Porque há regiões que não tem gás. Então outra substancia com propriedades parecidas com a do gaz, como talvez um éter, ou dark matter, e preenchendo os espaços que pensamos estarem vazios? Pode ser, mas qual a diferença entre esta pergunta e a pergunta se não existiria um Deus onipresente em todos os espaços, invisível, que estaria se expandindo? Vamos sempre caindo no reino da fantasia metafisica.

Mas não desistimos ainda, continuemos procurando na natureza. Tem algo mais que se expande por si mesmo? Tem. Um corpo vivo. O humano por exemplo, começa como minuscula célula, aumenta para mórula, depois para blástula… Porque o Universo não estaria se expandindo pela ação de uma genética invisível e desconhecida a nós? Isso não é metafisica como o éter. Sabemos que existe a genética. O Universo como um corpo vivo? Não necessariamente: enquanto o embrião expande, o involucro externo se expande, seja um ovo ou um útero.  O Universo pode ser, ou o embrião, ou o ovo. Mas não se vê nenhum embrião interno, a não ser que galaxias sejam como células de um embrião. É possível? Acho que não: teriam que serem galaxias vivas, e parece não ser este o caso. Mas o embrião teria que ser uma arquitetura mais evoluída que tudo o mais existindo no espaço do Universo. Mais que humanos. Teria algo assim? Parece que sim: auto-consciência. Um embrião constituído de auto-consciência? Só se os genes trabalhando essa genética forem ou serem primitivamente auto-conscientes, assim como as células são primitivamente vivas. Os humanos se encaixam no perfil. E nada impede que no Universo existam muitas outras formas de genes auto-conscientes…

Esta hipótese esta superando todos os obstáculos, ao menos, racionalmente. Vou ficar com ela, enquanto não aparecer outra melhor. E então, o Universo teve um inicio a partir do Nada? Não. Todo ovo veio de um sistema natural e pelo processo genético. Esta deve ser a base para calculares o que existia antes do momento inicial do Universo, sabendo que este momento inicial não é uma origem, mas sim uma reprodução. E porque não ficar com a resposta do Hubble? A matemática reduz demasiado a fantasia ao real, tão demasiado que ela reduz tudo à fria física e não detecta os elementos organizados biologicamente, não detecta a vida. Temos que fazer um esforço para reduzir nossas fantasias infantis, mas a Vida não é uma fantasia, é um fenômeno real.

Algum erro neste raciocinio, alem do evidente salto no vazio dado pela preferencia do autor? Existe outra maneira de prosseguir isto sem sua interrupção por uma preferencia pessoal?

XXXXXXX

Shockwaves rang loudly throughout the scientific community. Many scientists, including Einstein, reacted negatively. In what Einstein later called “the biggest blunder of my life,” he fudged the equations to avoid the implication of a beginning.

Perhaps the most vocal adversary of a beginning to the universe was British astronomer Sir Fred Hoyle, who sarcastically nicknamed the creation event a “big bang.” He stubbornly held to his steady state theory that the universe has always existed. So did Einstein and other scientists until the evidence for a beginning became overwhelming. The “elephant in the room” (Ver isto no Google search) implication of a beginning is that something or Someone beyond scientific investigation must have started it all.

Finally, in 1992, COBE satellite experiments proved that the universe really did have a one-time beginning in an incredible flash of light and energy. [4]

( Ver isto: 4 – George Smoot and Keay Davidson, Wrinkles in Time (New York: Avon, 1993), 241.)

Although some scientists called it the moment of creation, most preferred referring to it as the “big bang.”

Astronomer Robert Jastrow tries to help us imagine how it all began. “The picture suggests the explosion of a cosmic hydrogen bomb. The instant in which the cosmic bomb exploded marked the birth of the Universe.” [5] ( Ver isto:  Robert Jastrow, God and the Astronomers, (London: W. W. Norton, 1992), 13.)

Matrix/DNA : 

Ovos e úteros têm um momento inicial a a partir do Nada? Não existe como responder esta questão sem que em nossa mente surja o conhecimento do passado de qualquer ovo ou útero. E não há outra conclusão que a de responder que ” a resposta se perde numa longa história de transformações e evolução. O que se sabe de comprovado aqui e agora é que todo ovo e útero existe porque foi reproduzido igual ou com alguma mutação para o mais complexo de outro que existia ou continua existindo.  Quanto ao Universo, teve um momento inicial? Não sabemos nada, mas nada mesmo, sôbre o momento antes de um momento inicial. Diferente de ovos na Terra, não conhecemos nenhuma história de transformações e evolução antes de um Universo que tambem não sabemos como é, o que é. A pergunta não faz sentido, principalmente quando ela trás em si a implicação de que no momento interior era o Nada. Nunca ninguém viu o Nada e nem alguma coisa despontando do Nada. Se a pergunta não faz sentido, muito menos qualquer resposta. Nesse item, a unica coisa sensata que resta à Humanidade é: “Continuemos trabalhando duro e com coragem, desenvolvendo mais a nossa tecnologia, para cada vez mais nos aprofundar-mos no espaço sideral. Não temos outra alternativa sensata.”

Mas… nossa mente, nossa natureza, aprecia ter fantasias, amigos invisiveis imaginários com quem falar, transformar todos os objetos ao redor em objetos de brinquedo. Esse comportamento do individuo-criança é imitado no comportamento da auto-consciência infantil. É imperativo que acreditemos, por enquanto, numa fantasia. Porem a maior maturidade racional está sempre nos aconselhando a diminuir o tamanho da nossa fantasia, substituindo-a aos poucos pelos fatos do mundo real. Então, sobre a existência do mundo real, somos divididos em dois grupos conhecidos, com fantasias diferentes: para um grupo, o mundo real teve um inicio a partir do Nada. Se alinham neste grupo certas religiões como a judaica-cristã e intelectuais ateus modernos, travestidos de cientistas, encabeçados por Lawrence Krauss ( The Universe from Nothing); para o outro grupo, o mundo seria infinitamente eterno.  Nunca viram nada eterno, muito menos o infinito, são meras construções mentais do cérebro humano.

Agora surge uma terceira alternativa, a Matrix/DNA. Ela é o mais extremado esforço na tentativa de diminuir o tamanho das nossas fantasias. E isto se faz, como vimos acima, substituindo pedaços da fantasia por fatos comprovados do mundo real. Então a estratégia da Matrix/DNA, para construir suas fantasias menores, é procurar aqui e agora no mundo real se existe um fato real, natural, que serviria de parâmetro para explicar a questão. Esta estratégia tem conduzido a Matrix/DNA a fantasiar o Universo desconhecido como sendo meramente o palco de um processo de reprodução no modelo genético de algo desconhecido que gerou o Universo. Em outras palavras, nessa fantasia produzida por um exercício mental de anatomia comparada e projeção do conhecido para calcular o desconhecido, chega à teoria do Ôvo Cósmico. Por isso a resposta à pergunta ” O Universo teve um momento inicial, a partir do Nada?” é simplesmente, “Não! Teve antes uma história de transformações e evolução. Temos que procurar conhecer esta história”

Everything from Nothing (Parei aqui)

Science is unable to tell us what or who caused the universe to begin. But some believe it clearly points to a Creator. “British theorist, Edward Milne, wrote a mathematical treatise on relativity which concluded by saying, ‘As to the first cause of the Universe, in the context of expansion, that is left for the reader to insert, but our picture is incomplete without Him.’” [6]

Another British scientist, Edmund Whittaker attributed the beginning of our universe to“Divine will constituting Nature from nothingness.” [7]

Many scientists were struck by the parallel of a one-time creation event from nothing with the biblical creation account in Genesis 1:1. [8] Prior to this discovery, many scientists regarded the biblical account of creation from nothing as unscientific.

Although he called himself an agnostic, Jastrow was compelled by the evidence to admit,“Now we see how the astronomical evidence leads to a biblical view of the origin of the world.” [9]

Another agnostic, George Smoot, the Nobel Prize winning scientist in charge of the COBE experiment, also admits to the parallel. “There is no doubt that a parallel exists between the big bang as an event and the Christian notion of creation from nothing.”[10]

Scientists who used to scoff at the Bible as a book of fairy tales, are now admitting that the biblical concept of creation from nothing has been right all along.

Cosmologists, who specialize in the study of the universe and its origins, soon realized that a chance cosmic explosion could never bring about life any more than a nuclear bomb would—unless it was precisely engineered to do so. And that meant a designer must have planned it. They began using words like, “Super-intellect,” “Creator,” and even “Supreme Being” to describe this designer. Let’s look at why.