Archive for dezembro 29th, 2013

A Formação Embrionária do Cérebro é Como Uma Sinfonia Em Três Movimentos… Que já Estava Escrita nas Estrêlas!

domingo, dezembro 29th, 2013

Imagine as origens de uma cidade como São Paulo. Ali chegam imigrantes de todas as partes, desde o Ceará, Bahia, Paraná, e também do Japão, da Itália, de Portugal, etc. No inicio todos estes povos fazem o mesmo modelo de casas já existentes no Brasil, a mesma cultura, a mesma alimentação, porque é pouca a variedade de materiais. Sómente depois, mais tarde, estas diferentes comunidades começam a trocar as casas por modelos de seus locais de origem, assim fazendo com alimentação, costumes, etc. Pois bem: é assim que se desenvolve o órgão mais importante do cérebro humano, o córtex central, centro do conhecimento, que define comportamentos, capacidades de percepção, assimilação, etc.  Pensávamos que – como acontece com o resto do corpo e mesmo com as outras áreas do cérebro – o neocortex estaria formado, finalizado, já no nascimento. Mas não! Cientistas descobriram que o neocortex tem uma segunda fase de formação que tem inicio na adolescência do individuo, quando entra em ação genes que praticamente separam o todo em regiões e ajudam a especialização de cada região para execução de diferentes tarefas, um processo que continua na fase adulta. 

É muito importante aos pais conhecerem esta informação para entenderem o que acontece na cabeça de seus filhos e assim saberem qual a época certa para ensinar isto ou aquilo. E muito curioso. Observe, por exemplo, como o desenvolvimento embrionário de um único cérebro humano imita fielmente a história da formação e desenvolvimento do cérebro biológico da espécie humana. No inicio desta História, e segundo a moderna teoria evolucionista, existia apenas um grupo de humanos primitivos na Africa. Começaram a emigrar para outros continentes, como Asia, Europa. Suspeito que quando chegavam nestes lugares, fossem quais fossem, procuravam fazer suas habitações no mesmo modêlo que faziam na Africa, considerando-se as diferenças e escassez de materiais, procuravam a mesma ou mais parecida alimentação, mantinham sua cultura, obviamente, já que não existia outra. Mas cada ambiente tem suas particulares especificas, a Europa é fria, a Asia tinha elefantes, etc. Estes detalhes dos ambientes foram modelando seus habitantes, transformando seus hábitos, até mesmo seus corpos, e por fim surgiu essa diversidade de povos que vemos hoje, diferenciados por suas regiões.

Pois é: Na Natureza, o que é verdade para a grande História Geral, é também verdade para cada pequena história individual. O processo da macro-evolução do cérebro da espécie humana é o mesmo processo do desenvolvimento a nível genético de um único cérebro individual. Aqui na teoria da Matrix/DNA tenho observado religiosamente este principio. Tenho repetido que não acredito que a Natureza jogue dados com suas criaturas, aprontando armadilhas para seus filhos caírem nelas; está fácil aprender qual o sentido da nossa existência, pois a maneira como a Natureza atua aqui, foi a maneira como ela formou este Universo e nós dentro dele. Ela não nos mostraria uma história falsa aqui, nos enganando. Tanto assim que vou projetando os pequenos conhecimentos que vou obtendo sôbre o aqui e agora para calcular como funciona o Cosmos e o que ocorreu no tempo passado para inferir como deve ter sido a História Natural Universal. E nesse trabalho descobri por exemplo que esta pequena história de um cérebro individual não apenas imita a Média História da Humanidade, mas vai mais fundo, imitando a História do desenvolvimento da Vida a nível universal. Pois se encontramos uma tribo original na Africa se espalhando e mantendo seus princípios nas novas terras, encontramos também uma arquitetura natural original no espaço celeste e formada pelos astros e estrêlas, se espalhando e mantendo seus princípios em cada planeta que alcançou.

Esta é nossa versão revelada no artigo contando a história de Luca, o “Last Universal Common Ancestor”. De certa forma, esta noticia sobre o cérebro humano é mais uma previsão acertada por minha teoria há 30 anos atras lá no meio da selva amazônica! Boa informativa leitura…   

Human brain development is a symphony in three movements

http://news.yale.edu/2013/12/26/human-brain-development-symphony-three-movements

By Bill Hathaway – December 26, 2013
O cérebro humano se forma e desenvolve com uma impressionante coreografia calibrada e marcada por distintos padrões de atividade dos genes em diferentes estágios desde o útero até a idade adulta – informaram pesquisadores da University of  Yale, no jornal Neuron.

A equipe da Yale conduziu uma analise de larga escala da atividade dos genes no neocortex cerebral – uma área do cérebro que governa a percepção, comportamentos e conhecimento – em diferentes estágios do desenvolvimento. A analise mostra a arquitetura geral das regiões do cérebro, que é formada nos primeiros seis meses depois da concepção por uma aceleração da atividade genética diferente para cada região do neocortex. Este rush é seguido por uma variedade de intermissões começando no terceiro semestre da gravidez. Durante este período, a maioria dos genes que estão ativos em especificas regiões do cérebro são paralisados – exceto os genes que desenvolvem conexões entre todas as regiões do neocortex. Então, no inicio da adolescência, a orquestra genética começa novamente e ajuda sutilmente a organizar e formar as regiões do neocortex que progressivamente executam tarefas mais especializadas, um processo que continua na fase adulta.

Esta analise é a primeira a mostrar este esquema tipo “ampulheta do tempo” do desenvolvimento do cérebro humano, com intervalos de calmaria na atividade genética entre elevados padrões de complexidade na expressão genética. “Intrigante – dizem os cientistas – é que alguns destes padrões de atividade genética que definem o esquema de ampulheta do tempo não foram observados no desenvolvimento de macacos, indicando que estes padrões executam uma regra na modelação das características especificas do desenvolvimento dos cérebros humanos. A descoberta enfatiza a importância da interação entre genes e meio-ambiente na fase infantil logo após o nascimento, quando a formação das conexões de sinapses entre as células do cérebro se tornam sincronizadas, e esta interação determina como as estruturas do cérebro serão usadas mais tarde na vida, disse Nenad Sestan, professor de neurobiologia do Instituto de Neurociências Yale’s Kavli  e autor supervisor da pesquisa. Por exemplo, disrupções de sincronização das conexões sinápticas durante os primeiros anos da infância tem sido implicadas no autismo.

Sestan disse que o cérebro humano é mais como uma vizinhança, a qual é melhor definida pela comunidade vivendo nela do que seus edificios. “O zoneamento do local pode ser construído rapidamente mas então tudo passa a ser mais lento,  o neocortex focaliza sómente no desenvolvimento de conexões, quase como uma rede elétrica”, disse Sestan. mais tarde quando estas regiões estão sincronizadas, as vizinhanças começam a definir distintas identidades funcionais, como o bairro dos italianos e o bairro dos chineses.”

( Mihovil Pletikos, Andre ́ M.M. Sousa, and Goran Sedmak of Yale are co-lead authors of the study. Other Yale authors are Kyle A. Meyer, Ying Zhu, Feng Cheng, Mingfeng Li and Yuka Imamura Kawasawa. The work was funded by the National Institute of Mental Health, the James S. McDonnell Foundation, and the Kavli Foundation.)

Mensagem da Matrix/DNA: A Nova Divisão Evolutiva Dentro da Espécie Humana

domingo, dezembro 29th, 2013

Terra e Lua vistas de Marte

 

This is an image of Earth and the Moon, acquired at 5:20 a.m. MST on 3 October 2007, at a range of 142 million kilometers, which gives the HiRISE image a scale of … ver mais em http://www.wired.com/wiredscience/?p=143131#comment-1180273571

Como os outros nos vêem…

Aqui está como os marcianos vêem A Terra (azul) e a Lua (amarela) desde Marte. Foto tirada pelo robot que está em Marte. Esta foto me fêz pensar o seguinte: “Supondo que existissem marcianos com o nível de conhecimentos da maioria do povo na Terra hoje ( esta maioria que sabe tudo o que a Globo decide o que devem saber, tudo sobre futebol, novelas, lutas violentas, celebretes, etc., mas nunca fotos como essa) e vissem de lá esta imagem, veriam como duas luas minguantes.Mas nunca poderiam imaginar o que existe na superfície da “lua minguante maior” ou seja, esta profusão de vida, cidades, faróis de carros no lado escuro, etc. Isto porque o cérebro deles seria limitado aos poucos e fracos sensores que possuíssem, como o nosso cérebro ainda é tão limitado quando se depara com qualquer objeto ou fenômeno natural. A mais moderna teoria cientifica sobre o Universo, chamada String Theory esta sugerindo que existem 11 dimensões na Natureza, mas nosso cérebro só capta geralmente 3, em poucas situações chega a captar 4. Como aqueles marcianos descreveriam suas crenças sobre essa imagem que estariam vendo? A mesma descrição de um humano comum hoje sobre a imagem da Lua que vê: “é uma bola branca pendurada no espaço, acho que coberta de gelo…só isso…” mas você conhecendo a Terra e sabendo de tudo que existe na sua superfície, iria ficar com pena de tanta ignorância dos marcianos. Pois assim tenho pena de mim mesmo. Eu não sei, não conheço a total realidade sequer de uma pedra que tenha em minhas mãos. Sei que se aprofundasse um a visão com um microscópio veria a pedra como um enxame de coisinhas (átomos, partículas) se movendo num imenso espaço vazio, uma imagem quase igual à que vejo quando olho para o céu noturno cheio de estrelas). O que mais existe na pedra atendendo as outras 7 ou 8 dimensões que não percebo? E quanto a um corpo humano? Talvez veria seu aspecto de átomos, partículas movendo-se, talvez com estas partículas formando um quadro inteligível como a teoria da aura que os misticos dizem ver… talvez veria no cérebro as sinapses entre neurônios se parecendo como relâmpagos contínuos mantendo uma nuvem iluminada parecendo uma espécie de plasma, e diria que no fim a mente é uma bolha de luz que se forma no imenso oceano de luz que enche o espaço deste Universo…
Enfim,… louco daquele que acredita em suas crenças, que ouve aqueles que dizem entender o mundo, que falaram ou ouviram as vozes de deuses e por isso podem contar como foi criado o mundo, etc., estes mentirosos que como o autor das fantasias de Harry Potter afirmam que os produtos de suas imaginações são verdades. E louco daquele que pára de se interessar em buscar cada vez mais o conhecimento sobre as coisas da Natureza, aquelas informações que uns poucos estão obtendo usando instrumentos que são extensões dos nossos sensores, como a NASA usando o robot em Marte. Loucos porque seus cérebros não são assim estimulados e direcionados a desenvolverem os sensores que estão faltando. Enquanto isso, americanos, russos e agora os chineses, que estão se informando sobre isso tudo, estão caminhando a frente, desenvolvendo seus cérebros. Qual vai ser o final desta história? Ora já temos exemplo na história passada. Com o tempo, e aos poucos, a espécie humana vai se dividindo em dois grupos, um com cérebro mais potente, outro com cérebro mais débil. No passado houve essa divisão na espécie dos macacos. os que estiveram desenvolvendo seus cérebros se transformaram em humanos, enquanto os preguiçosos hoje estão nas jaulas dos zoológicos fazendo macaquices para humanos rirem dêles. meu grito sempre será o mesmo: “Acordem brasileiros! Enquanto ainda é tempo! Não passem para seus filhos os vícios que tivestes, como perder tempo e desviar sua inteligencia devido a tv ligada em casa 24 horas por dia apenas para que os bonitinhos parasitas das emissoras ganhem dinheiro. Você está traindo seus filhos, sua família, a Natureza está avançando, evoluindo, se transformando, ela não pára e espera os lentos e preguiçosos, ela atropela e passa por cima. Não lute agora contra seus vícios, não force agora seu cérebro, não procure as informações sobre o mundo real, sobre a Natureza, que apenas podem serem obtidas pelo método cientifico e estão aí, livres, na Internet para quem quiser conhecê-las, não faça isso desde já… e não será outro o resultado senão os seus herdeiros de suas futuras gerações irem parar em jaulas fazendo humanicies para uma espécie muito superior rirem deles. Você sabe o que está se passando na cabeça dos poucos bilionários quando se unem numa mansão e observam uma tv ligada, o que o povão está vendo la fora, por exemplo uma partida de futebol? Eles esboçam um sorriso malicioso ao mesmo tempo que uma expressão de repugnância. E dizem ” vejam os “torcedores” de mentalidade de terceiro mundo, como abanam os rabos de contentamento quando um daqueles macacos analfabetos, de calção,  correndo na grama consegue dar um pontapé numa bola feita de couro de vaca e embirocar a bola dentro de um espaço feito com três paus atravessados! gritam “gooool”, como a zoeira da cachorrada latindo agora lá no jardim. Bem… não temos nada com isso, deixa-os fazem o que querem no domingo, desde que segunda-feira levantem de madrugada e passem o dia sem ver a luz do sol produzindo bastante, pois sempre 50% do seu trabalho vem para nossos bolsos. Por falar nisso, como sempre fazemos quando nos reunimos, vamos analisar a macro-economia e decidir o que vai fazer segunda-feira a mão invisível que controla o mercado e avida dos “torcedores”…

Não sei como e porque não reagem, não deixem de desperdiçarem seu tempo como torcedores, como traem seus filhos dessa maneira, e ainda passam este vicio para os filhos entregando-os de bandeja para os abutres! É a nova divisão dentro da espécie ocorrendo justo agora!

Ah… e tem outro detalhe muito importante. Em todo lugar tem os intermediários querendo faturar seu dinheiro, e assim acontece nas noticias cientificas que vem da mídia. Apenas as publicações em órgãos especializados de cada disciplina cientifica revelam o material confiável, denominado “papers” que são analisados por experts antes de serem publicados. Nas noticias da mídia tem que ter matéria atraentes ao publico e então inserem suas interpretações dos fenômenos naturais descobertos. Não acreditem nas interpretações, nas teorias, primeiro focalizem sua atenção no tato real. Existe hoje dois grupos interpretando os fatos reais, assim como os marcianos interpretariam a imagem acima. O grupo dos teóricos urbanos, acadêmicos, e o outro grupo, dos teóricos que são filósofos naturalistas vivendo isolados nas selvas. Sempre apresentam interpretações totalmente diferentes entre si, por isso, é aconselhável que leiam as duas interpretações. verás os prós e os contras ao mesmo tempo, o que lhe possibilitará fazer um balanço em obter sua terceira conclusão, a sua própria interpretação, mais confiável que as duas dos dos outros. A interpretação dos acadêmicos estão em toda a imprensa na Internet, nas revistas, nas tv’s, etc. Mas a interpretação dos selvagens naturalistas, existe uma só, por enquanto, feita por um único filósofo naturalista e se encontra no website http://theuniversalmatrix.com
Tenho a esperança que você conseguirá escapar dessa arapuca da cultura virtual tradicional que apanhou sua mente e o tem feito dançar no ritmo que eles querem, e tenho a esperança que um dia, no futuro distante, estaremos juntos em outra dimensão olhando para a Terra e vendo suas futuras gerações como a espécie superior, e ergueremos um brinde, cantando o seu sucesso nesta decisão agora,, ao invés de chorar-mos juntos o seu fracasso.