Archive for dezembro 30th, 2013

Hipocampos e a mensagem da Matrix/DNA: Mais uma incrível descoberta sobre o cérebro nesta manhã!

segunda-feira, dezembro 30th, 2013

Mais uma incrível descoberta sobre o cérebro nesta manhã!

Um cavalo-marinho chamado László Seress, em 1980, expôs esta foto de um cientista hungaro ao lado de um cavalo-marinho, mostrando como cientistas se parecem com hipocampos…. Ei… está tudo errado! Eu quis dizer que “o neurocientista húngaro, László Seress em 1980 expôs uma foto do hipocampo mostrando como se parece com um cavalinho-marinho”.

Já dizia Pablo Neruda que “no hay camiño, el camiño se hace ao camiñar”. Brasileiros foram espojados da liberdade de criação, condicionados por uma dominação cultural colonialista que sempre pregou “escravos não tem que pensar, tem que trabalhar. Pensar deixa para nós…” Por isso, das centenas ou milhares de invenções registradas na organização internacional de patentes, nunca se vê nomes de brasileiros. Precisamos mudar isso, e urgente! Já sabemos o que aconteceu com os nativos desta terra que não se esforçaram para desenvolver sua tecnologia, quando aqui chegaram os brancos europeus com suas tecnologias de fuzis e canhões. Se o Brasil não tivesse como aliado os Estados Unidos, o qual pegaria em armas para defendê-lo caso atacado, algum Stalin, Hitler, ou Mao, já teria escravizado este pais. Que não se tenha duvidas disso, os recursos naturais existentes aqui praticamente sem defesa por uma população local débil, são de interesses vitais para aquelas nações. Precisamos mudar, recuperar, a mentalidade do brasileiro.

Por isso me esforço em gritar aos brasileiros que a criatividade é igualmente possível a todos os homens e mulheres da Terra, sendo seu unico e principal requisito, a observância da máxima de Neruda. A criação – como dizia Henry Ford – depende de 5% de inspiração e 95% de transpiração. Ou seja, não se tem que se perguntar o que vamos inventar, como pensar em inventar; tem-se simplesmente que arregaçar as mangas, botar a mão na massa, mexer e revirar os objetos, que disso surge um novo caminho, um novo objeto.

Prova disso é o resultado da minha atividade em mexer, remexer, misturar, tentar compor com novas diferentes conexões, os objetos definidos como “interpretações e conceitos humanos sobre os fenomenos naturais”. Disso criei cerca de 1.200 novas interpretações, novos conceitos. Mas eu não comecei querendo fazê-lo, pensando que poderia fazê-lo. Simplesmente, ao chegar na selva, me ajoelhei a beira do pântano e comecei a remexer a lama, olhando com um olho curioso com um primitivo pequeno microscópio enquanto o outro olho ficava vigiando se não vinha um jacaré-acanga de 5 metros, ou uma anaconda. Depois fui ficando cada vez mais curioso e tão distraído, vacilando na minha vigilância, que uma certa vez, cansado de tanto caminhar, parei para descansar e sentei num tronco caído, até que senti o tronco se mexendo debaixo da minha bunda, levantei rápido e ví que era uma jibóia… que media uns 39 metros deitada no chão mas depois mediu 45 metros quando a pendurei no varal e ela ficou esticada…

Bem… piadas a parte, quero anunciar que mais uma vez, a mexida ao acaso acabou numa nova invenção, justo a poucas horas atrás. Estou agora – nesta fase da evolução da cosmovisão da Matrix/DNA – focalizado nos fenômenos cérebro, luz natural e consciência, pois estas coisas parecem serem as ultimas ou próximas fronteiras do conhecimento sobre este nosso mundo material. Então ontem a noite me deparei com mais um interessante “scientific paper” publicado no Journal Neuron, da Universidade de Yale, sobre a anatomia e conexões internas de uma importante e central glândula do cérebro, chamada “hipocampo”. O hipocampo receceu este nome, “hipo”, que é uma palavra grega significando “cavalo”, porque sua forma é muito semelhante a forma do cavalo-marinho ( eu não sabia que no mar tem cavalos, aprendí mais uma nova, porem como tudo é possivel neste mundo louco, agora aceito se me disserem que tem cavalo surfista, cavalo submarino ou vacas flutuando no espaço sideral em órbita em volta da Terra, chamadas Luas-Vacas, eu aceito qualquer coisa). Mas acontece – outra coisa que eu não sabia – que o hipocampo existe em duplas, ou seja, são duas glandulas para cada cérebro, uma localizada no hemisfério esquerdo e a outra, no direito! Por outro lado, as neurociências estão cansadas de saber que o hipocampo tem funções relacionadas com a aprendizagem e memória. Ora,… curioso botei a imagem do cérebro com os dois cavalos marinhos sobre a mesa e fiquei olhando aquilo curioso, a cabeça fervendo com mil idéias ( os 5% de inspiração). A seguir botei tambem na mesa, ao lado do cérebro, outro papel com o desenho da fórmula da Matrix/DNA. meus olhos começaram a virar tão rápido de um desenho ao outro que em pouco tempo eu não via mais dois desenhos, apenas um, resultado da superposição dos dois. E de repente…”Heureka!!!”…

– “Deus é Grande! – murmurei aos meus botões… eu não sei se Deus tem algo a ver com cavalos marinhos, mas esta expressão sempre me escapa quando fico maravilhado descobrindo a incrivel sutilidade escondida por trás e por baixo dos fenomenos naturais. – “É claro que o hipocampo tinha que estar relacionado a memória e aprendizado! Pois ele é uma cópia biológica do nucleo da galaxia, a qual contem a memória inteira do sistema e ao reciclar os astros, dando vida a novos astros, solta-os a vagarem no espaço sideral, onde, se fossem inteligentes, estariam descobrindo o mundo e portanto…aprendendo! Mas tinha que ser assim, porque não pensei nisso antes?! O cérebro é uma nova evolucionaria arquitetura natural, o cérebro em si mesmo é um sistema natural, portanto ele foi montado pela mesma formula universal para todos os sistemas naturais, a fórmula da Matrix/DNA, cujas funções das peças são sempre as mesmas, seja na Terra ou no Céu! Que coisa incrível, fantástica! graças meu Deus por ter a oportunidade de estar existindo e ter a oportunidade de estar me maravilhando com essa obra fantastica de extraordinária inteligencia e engenharia que é essa Natureza!”

Para que algum possivel perdido leitor as veja e entenda o que estou querendo dizer, e seja onde estiver, pisque o olho na minha direção, num sinal de misterioso conluio e entendimento, sorrindo comigo, apreciando este momento de Nirvana, de descoberta que nos faz sentir estar tocando os pés do supremo mistério, exponho abaixo três figuras. Porque nos desenhos se vê tudo claramente. Ao se superporem, a folha de um desenho sobre a outra, os dois hipocampos na forma de objetos compridos e curvos, cabem direitinho em cima das duas hastes na forma de cabos compridos e curvos de uma secção do DNA! E ao mesmo tempo cabem direitinho em cima das duas hastes laterais do cone rotativo localizado no nucleo da galaxia! Claro! Os três foram desenhados pelo mesmo artista, e esse artista – já estou cansado de saber – apenas sabe fazer suas coisas aplicando sempre os mesmos traços, os mesmos métodos! Queres conhecer a mente e os pensamentos do artista? Observe a Sua Obra! Ela está aqui, na frente de seus olhos, ao nosso redor, nos envolvendo em seus braços por todos os lados, ela é a Natureza Universal! Não vá na conversa daqueles que dizem que recebem o conhecimento através de revelações gratuítas, sem fazer seu devido esfôrço, como enfrentar a selva bruta, ajoelhar-se humildemente à beira dos pantanos, onde os átomos das rochas sólidas se encontram com os átomos da água e começam a formar as primeiras moléculas já delineando o esboço da Vida!

Não existe perda de tempo e conhecimento inutil quando se trata de buscar conhecer cada detalhe da Natureza, seja em quimica, física, biologia ou mesmo da nova buracologia inventada pelo Stephen Hawking no seu estudo dos buracos negros. Pois quantos mais detalhes conheceres, mais pode mexe-los e remexe-los mentalmente, visualizando novos quadros do mundo. Como funciona o “mexer os objetos, misturá-los incansavelmente, que assim abrirão novos caminhos para novos objetos”? Como funciona o processo da mistura de elementos, primeiro ao simples sabor do acaso, depois tentando repetir e aprimorar as mais agradáveis e belas combinações que surgem? Mire-se no exemplo do que a Vida fêz com os elementos da Terra a 3,5 bilhões de anos atras, a qual selecionou naturalmente as melhores combinações, reproduziu-as cada vez sempre mais eficientes, estabelecendo este processo que Darwin descobriu tambem la na beira dos pantanos enquanto tinha tambem seus miolos cozinhados pelo calor da energia solar nos trópicos, e denominou o processo de “Evolução”, até o principio vital se sair com o primeiro sistema celular completo e funcional, uma cópia quase exata da galaxia que paira no céu.

Você está pensando o que?! Estás com esta atitude de humilde buscador do conhecimento, tocando as vestes da Inteligencia Suprema que está por trás desse mundo inteiro, e quando assim te comportas, esta Inteligencia se agrada de ti, abre seus braços e te acolhe, passando para ti um pouco de Sua Majestade, mais um naco da Grande Inteligencia, o pedacinho d’Ela que cabe no nosso pequenino cérebro, para que ele não exploda e se funda nossa cuca!

Sabendo agora que os dois hipocampos são a contraparte biológica de duas funções sistêmicas universais, que se encaixam em forma e funções na mesma região espacial que estão encaixados na contraparte sistêmica astronômica e na contraparte genética do DNA, (ufa… as vezes isto fica complicado!), fica mais fácil elaborar novas teorias do conhecimento do hipocampo, e quiça, o conhecimento mais detalhado do que é o hipocampo, pode nos levar a novas descobertas de mais detalhes ainda desconhecidos sobre sistemas astronomicos e sobre o próprio DNA. Basta para isso aplicar o método que venho aplicando desde cedo quando batí a minha primeira punhetada aplicando com violência os punhos no carrinho de bombeiros cujas cordas não o botava para funcionar. O método da anatomia comparada! Como humano sou gigante em relação a uma microscópica célula, então vejo-a de fora e de cima, assim apenas vejo com meu microscópio capenga do tempo do Linneu, a superfície da célula, enquanto seu interior permanece oculto e misterioso. Mas tambem como humano, sou uma minuscula bactéria dentro de uma gigantesca galaxia, posso vê-la de dentro para fora com minha luneta já esclerosada ainda do tempo do Galileu, enquanto a sua forma e superficie externa continua oculta e misteriosa. Ora,… sabendo que a Natureza não trai suas criaturas jogando dados da sorte com elas, levando-as à armadilhas mortais, sabendo que existe um unico e mesmo artista por trás de todas as arquiteturas naturais, portanto o que esta aqui embaixo tem que estar lá em cima, então basta pegar o conhecido exterior da célula aqui e transpô-lo para o desconhecido exterior da sua ancestral galaxia lá em cima para inferir como é e como funciona a parte dela que não posso ver por estar dentro dela, ao mesmo tempo que basta pegar o pouco conhecido interior da galaxia que posso ver daqui e transpô-lo para o interior da célula que não posso ver por estar fora dela e assim inferir o que é e como funciona o que está oculto nela… Estás vendo? É muito fácil romper as barreiras da ignorância e caminhar firme, forte de cabeça erguida para a frente, mandando aos diabos aqueles que sempre disseram aos nossos pais que eles seriam incapazes, inferiores, por serem brasileiros, de um pais de terceiro mundo, e eles vindos da iluminada Europa, seriam do primeiro mundo… Eu sou americano inclusive por juramento a bandeira americana, mas antes disso sou irmão na espécie humana, estou aí para somar, para caminhar-mos juntos resolvendo nossos comuns obstáculos, e não para humilhar ou tomar o que tens. A cosmovisão da Matrix/DNA está sussurrando aos meus ouvidos que todos os humanos, sem exceção de raça, cor, religião, situação politica ou econômica, são genes de uma nova transcendental arquitetura natural, por isso preciso mortalmente que todos sejam criativos, que ajuddem a empurrar esta Humanidade inteira para ferente, para os destinos mais sublimes que tenho certeza, nos aguardam no próximo futuro. Vamos dar as mãos aos necessitados para levanta-los e ajuda-los a caminhar, ao mesmo tempo que vamos tentar estimular os abastados que caminhem carregando a bandeira magistral da grande causa humana.

Na galaxia as duas hastes laterais do vortex rotativo central na verdade não existem como entidades materiais são apenas fôrças, campos magnéticos, esboços primitivamente evolucionários do que mais tarde ganharia consistência material na forma biológica das duas hastes laterais do DNA. O processo de auto-reciclagem dos sistemas astronomicos ( um sistema estelar ou galáctico se desfaz em nebulosa de poeira estelar, essa nebulosa rodopia sobre si mesma devido ao movimento rotativo do próprio Universo, criando um rodamoinho como eixo central, o qual capta, consolida e emite bolotas na forma de nos astros, novas estrelas, novo sistema astronomico), faz com que todas as informações de um sistema passe obrigatoriamente dentro do nucleo central, portanto o nucleo é a caixa da memória do sistema. No DNA, as quatro variáveis internas ( guanina, citosina, adenina,timina) não param quietas, mexendo na sopa citoplasmática sempre criando novas proteínas, novas informações, as quais passam obrigatoriamente para o grande açúcar estacionado na haste, o qual fixa-as como uma memória. Esta molécula de açúcar como memória fixa a forma do organismo, denominada “fenótipo”, para transmiti-la inteira e intacta à nova secção do DNA que se construirá a seguir neste eterno crescimento do DNA, enquanto os genes diferenciados pelas atividades das quatro bases determinam o genótipo e abre o organismo para novas mutações carregando assim para a frente a sua própria evolução. Precisamos agora relembrar o que esta ocorrendo nas hastes do DNA, o que se pode inferir das linhas de forças magnéticas do vortex galáctico, para aprender mais sobre o hipocampo. E depois que aprender mais sobre o hipocampo, retornar as hastes do DNA e as hastes do nucleo galático, para aprender mais sobre estes. O que importa agora é a descoberta de quem é e para o que veio fazer aqui esse dando de hipocampo com cara de cavalo marinho. Um abraço a todos meus abstratos e invisíveis amigos humanos que vão ler isto abstratamente apenas na minha fantasia porque acho que ninguem vai ter saco paras aguentar ler isto, mas seja como for, estou fazendo minha obrigação e cimprindo minha missão. Um brinde aos seus hipocampos fazendo cavalices no meio do seu cocuruto! Pois sua mente está avançando, criando seus caminhos, levando Neruda a mexer seu esqueleto lá onde está, pela satisfação por estares obedecendo a sua máxima.

A seguir temos as figuras da fórmula natural para sistemas naturais, uma figura de um esboço dos dois hipocampos situados no cérebro, e uma figura mostrando as duas hastes laterais do DNA . Temos então que imaginar dando uma torcida no circuito da formula para que o cone da F1 fique na base inferior. Feito isso temos que transpor mentalmente os dois hipocampos para cima das linhas laterias do cone. Temos que sobrepor as duas hastes do DNA sobre a figura dos dois hipocampos no cérebro. temos nestas três figuras, três importantes estágios da evolução do sistema universal, um a 10 bilhões de anos, outro a 3,5 bilhões e outro, o cérebro humano a talvez apenas 200 milhões de anos ( temos que colocar aí tambem o estagio que esta os nossos cérebros aqui e agora,  em pandarecos, mais biruta que o Mr. Bean, mas deixa isso prá lá) .  A partir dai começa a troca das características gerais e colheita dos resultados.

 

Fórmula da Matrix/DNA na Formação das Primeiras Galáxias e Astros Celestes.

Fórmula da Matrix/DNA na Formação das Primeiras Galáxias e Astros Celestes

 Hippocampus 1