Archive for janeiro 17th, 2015

Os Brasileiros e a Divulgação/Interesse de Ciencia e Tecnologia: PDF

sábado, janeiro 17th, 2015

xxxx

http://www.mct.gov.br/upd_blob/0013/13511.pdf

Percepção Pública da Ciência e Tecnologia

Departamento de Popularização e Difusão da C&T
Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social
Ministério da Ciência e Tecnologia

Educação no Brasil: Assunto Sério e Triste. Como Consertar?

sábado, janeiro 17th, 2015

xxxx

Enem: por que tantos zeros na prova de redação?

http://abecedario.blogfolha.uol.com.br/2015/01/15/enem-por-que-tantos-zeros-na-prova-de-redacao/#comentarios

 

xxxx

Meu comentário postado no artigo: 

Os brasileiros caíram numa armadilha do destino, e se não acordarem a tempo, não existirá retorno. Enquanto europeus nativos, primitivos, enfrentaram dificuldades para sobrevivência e foram obrigados a se concentrarem nos fenômenos naturais, fatos e eventos reais, exercitando o cérebro na busca de soluções, os nativos brasileiros saíram da selva e caíram num mundo tecnologizado pelos europeus onde tudo é mais fácil e já está pronto. Não houve o passo natural exigido pela evolução do cérebro. Um cérebro não exercitado na juventude de um pessoa ou de um povo, quando adulto não tem mais jeito. Junte-se a isso a colonização portuguesa que por 500 anos tem mantido o Brasil como sua fazenda e o povo como escravos agricultores ou nos serviços brutos, e para manter assim não pode permitir que esse povo aprenda a pensar e criar. Os jovens caem nessa porque se não houver o carrasco da necessidade empurrando para a ação, não resistem à preguiça mental.

xxxx

Willians Bru

Eu que já prestei na vida muitos vestibulares e esse ano acompanhei um filho em alguns, observei que muitos estudantes usaram o tempo mínimo pra se fazer a prova. Abria-se o portão e lá vinha uma leva de estudantes pra fora dos locais de prova. Como professor, sei bem que embora se tente conciliar o tempo da prova com sua dificuldade e necessidade, NUNCA em minha vida vi uma prova cujo tempo era folgado, pelo contrário, pra se fazê-la de forma completa (ou quase), usaria sim todo o tempo disponível. Repetiu-se no ENEM um fenômeno comum, já conhecido dos docentes: o aluno faz um mínimo que sabe, chuta um monte de questões, e nem se dedica muito às demais, e tb nem à redação! Parecem estar alheios às consequências de não aprender, não estudar, não se dedicar. Reproduzem no ENEM o que já estão acostumados a fazer no dia-dia de sala..

Minha resposta a Willian Bru: 

Exames de conhecimento onde se apresentam alternativas para a resposta é um absurdo. Cada questão tem apenas uma resposta possível e o estudante tem que sabe-la e escreve-la, explica-la. Cada questão deve ser seguida com o espaço em branco a ser preenchido pelo estudante. Ou sabe ou não sabe e volta para a escola para saber. Estes educadores aceitando esse método absurdo não estão comprometidos com a responsabilidade exigida pela educação.Vão pagar o árduo preço de envelhecerem vendo esse pais cada vez mais regredindo na evolução cientifica, tecnológica, social e econômica, em relação ao primeiro mundo.