Archive for fevereiro, 2015

A Minha Fórmula Explica Porque os Micro-Organismos são mais Poderosos e Importantes para a Vida na Terra do Que Animais e Humanos.

sábado, fevereiro 28th, 2015

xxxx

Bactérias, fungos, viruses… brincam com a Vida como se fossem mágicos, tamanha a sua capacidade de façanhas com o código genético. Mas porque isso? De todas as visões de mundo existentes, de todos os conhecimentos das disciplinas cientificas, apenas a fórmula da Matrix/DNA e sua consequente descrição da História Natural, pode fornecer uma explicação racional. Acontece que o nosso ancestral não-vivo que paira no Cosmos, apesar de ser muito mais simples do que qualquer das criaturas vivas na Terra, contem portas abertas para uma infinita possibilidade de criatividade, e como esse ancestral se transmite por “genes” sub-microscópicos e espalhados nas escalas de tempo e espaço astronômicas, é através dos mais primitivos e microscópicos organismos vivos que essas portas podem serem aproveitadas e transpassadas para ambientes locupletos de diversificação. O que não acontece com as plantas, animais, que já são muito grandes e cegos para tal nível sub-microscópico e para o uso das forças ali reinantes.

Lynn Margullis

 

Uma das maiores biólogas de todos os tempos – na minha humilde e isolada opinião – foi Lynn Margullis. Fico embevecido e ainda abismado com sua teoria simbiôntica, pois ela anteviu uma incrível engenharia sutil na natureza que só pude ver e entender melhor quando descobri a fórmula e o mundo da Matrix.  Ela entendeu como ninguem a exuberância da criatividade evolucionaria no meio das bactérias, fungos e protistas, a ponto de que ela se ria quando ouvia os arautos do apocalipse e ecologistas falando sobre as ações no meio ambiente de humanos, grandes animais e plantas daninhas.

Mais de 90 porcento da matéria orgânica e viva na Terra consiste dos invisíveis microorganismos e viruses”… ela gostava de relembrar-nos. “Raios, o numero de células bacterianas em nossos corpos é 10 vezes mais do que o numero de células humanas!”… completava ela.

Dizer que a Humanidade pode afogar todos os seres vivos  numa atmosfera poluída de gás carbônico é risível, pois se as bactéria e fungos quiserem mesmo, em poucos dias elas produzem tanto oxigênio que preenche toda a atmosfera e manda o gás carbônico para  o espaço sideral… ou não?… Acho que elas nunca vão nos salvar desta maneira pois elas podem sobreviver na poluição durante o tempo que podemos ser exterminados… e só depois elas podem resolver entrarem em ação.

bactérias e protistas podem fazer coisas jamais sonhadas por pobres animais e seus descendentes ditos superiores, como nós: formar gigantes supercolonias como um tapete revestindo todo o fundo oceânico ou a crosta dos continentes, reproduzirem-se assexuadamente ou meramente trocando genes entre si, comumente incorporando DNA de diferentes espécies inteiras, se fundirem formando novos seres simbióticos – a lista de seus poderes é interminável e estonteante. Microorganismos tem mudado a face da Terra, demolindo pedras, rochas e montanhas, até mesmo dando a origem ao oxigênio que nós respiramos.

“Comparado com este poder e diversidade Margullis costumava dizer – pandas e ursos polares são meros epifenômenos, interessantes e admiráveis, porem, talvez, nada realmente significantes”.

Então, a evolução biológica na Terra tem funcionado como uma espécie de funil, onde a base larga do funil seria o inicio dos tempos da Vida aqui, e depois as possibilidades vão se estreitando, até chegar aos grandes animais, o bico do funil. mas para os desavisados que quando olham a  superfície da terra só prestam atenção no que seus olhos veem e se esquecem do que não estão vendo, este roteiro para ter sido o contrario. Afinal… um macaco é muito mais complexo do que uma bactéria, então sua maior quantidade de informações incorporadas em seu corpo deve logicamente lhe possibilitar maior diversidade criativa, mais plasticidade, mais chances de transformações, de criações de novos apêndices, eta. E o que dizer desta superfície transformada pela espécie humana em estradas de asfalto, cidades de concreto, maquinas de ferro, cursos de rios desviados e lagos gigantes criados para hidrelétricas, etc?

Hummm… nossa vida está por um fio. bastaria o ebola ter se imprimido um pouquinho mais de fôrça e teria varrido a espécie humana da Terra com toda sua maquinaria e cimento para toda a eternidade. A fôrça ainda está com os “baixinhos”, meu irmão. Basta um fungo querer formar uma real supercolonia e verás as gigantes sequoias e castanheiras tombando uma por uma, e como não comemos fungos… by-by… humanos, vacas e ursos polares.

A imensa maioria das informações naturais não estão em nenhum corpo vivo, mas ainda livres no ar. A superfície da Terra é continuamente bombardeada pelas partículas vindas de uma estrela próxima de nós e pela radiação cósmica permeando toda a galáxia. Cada partícula na forma de fóton é como um disquete ou chips registrando uma informação especifica. E os baixinhos que ainda são dos tempos primitivos destas estrelas, planetas e galaxias, deitam e rolam no meio desse oceano de informações. Enquanto nós – pacotes de informações que se acham importantes e nem sequer captam aquelas microscópicas e antigas informações – não tem um infinitésima parte das informações do Universo. Aí está o problema.

É certo que o avento da auto-consciência humana criou uma grande diversidade de apetrechos que quase cobrem a Terra hoje. Mas este advento apenas ocorreu porque os sistemas biológicos evoluídos a partir das bactérias se tornaram aparelhos específicos para captarem um novo tipo de informação – que também está espalhada em todo o espaço sideral  que as bactérias não podem captar porque não possuem os devidos receptores. nós também temos o poder e a criatividade para deitar e rolar mexendo e brincando e criando com estes novos níveis de informação.

Em todo o caso – e este agora é o final objetivo deste artigo – nós ainda somos sistemas biológicos e dependemos mortalmente do que decidem fazer os micro-organismos com os níveis de informação atuantes nas nossas bases, debaixo das solas de nossos pés. Nossa superior captação e camada de superior informação ainda é muito tênue, a caminho de uma futura e poderosa evolução… se nos permitirem avançar… os baixinhos. Por isso é preciso que os humanos aprendam logo a entender este mundo pela face da Matrix/DNA, pois apenas ela é a unica porta aberta no nossa mente hoje capaz de procurar, sentir, capturar e finalmente controlar aquelas primitivas e microscópicas informações que auferem o gigantesco poder aos micro-organismos. Enquanto temos tempo ainda de fazê-lo.

A Quimica e o Significado dos Anticoncepcionais: Enganando a Pituitária

sábado, fevereiro 28th, 2015

xxxx

Esta matéria fica registrada para mais profundo estudo baseado na fórmula e método evolutivo da Matrix/DNA. (Tradução em andamento)

http://www.compoundchem.com/2015/02/03/oral-contraceptives/

xxxx

xxx

 

“E a bandida ainda a persegue” – Cartão postal humorístico do século XIX, em que uma mulher briga com a cegonha pelo direito de contracepção. ( Wikipedia)

You may have read in the news over the past few days about the passing of Carl Djerassi, the chemist (and later, novelist) who is best known for his discovery of the first oral contraceptive. 

Você pode ter lido nas noticias dos ultimos dias sobre o falecimento de Carl Djerassi, o quimico ( e mais tarde, um novelista) que é mais conhecido pela sua descoberta do  primeiro anticoncepcional oral.

This discovery led to something of a social revolution, putting the power of contraception firmly in the hands of women, as well as changing sexual attitudes. This graphic looks at the some of the common chemicals used in oral contraceptives, and how they work.

Esta descoberta levou a algo como uma revolução social, pondo o poder da contracepção firmemente nas mãos das mulheres, tanto quanto mudando as atitudes e comportamentos  sexuais. Este gráfico mostra alguns dos mais comuns compostos químicos usados nos anticoncepcionais oral, e como eles funcionam.

Before the advent of oral contraceptives, it was already well known that sex hormone levels could suppress or prevent ovulation.

Antes do advento dos anticoncepcionais oral, já era bem conhecido que os níveis de hormônios sexuais poderiam suprimir ou evitar a ovulação.

Further research showed that injected doses of the natural hormone progesterone, the primary progestogen, was linked with suppressed ovulation.

Posteriores pesquisas mostraram que doses injetáveis do hormônio natural chamado progesterona, o primeiro progesterone, estava relacionado com a diminuição da ovulação.

However, the issue was that progesterone was very poorly absorbed when taken orally, meaning it wasn’t practical to use it in a formulation as a contraceptive pill.

This changed with Djessari’s discovery. In 1951, he discovered the synthetic progestogen, norethindrone, a discovery which paved the way for a number of other synthetic progestogens and estrogens. The first oral contraceptive to obtain approval was Enovid, a mixture of the compounds norethynodrel and mestranol, in 1961, and several other brands soon followed. Despite this, contraceptive pills were still restricted in terms of who had access to them; in several US states, unmarried women were prohibited from using them until the early 1970s.

How, then, do oral contraceptives exert their effects? They come two different types: progestogen-only pills (also known as the mini pill), or the combined pill, which contains both an estrogen and a progestogen. Both of these types act as contraceptives in a similar manner, though there are some differences.

Primarily, both types of oral contraceptive prevent pregnancy by affecting hormone levels. Ovulation is usually triggered by a peak in estrogen in the body during the menstrual cycle, usually around 14 days in. This peak causes the release of hormones from the pituitary gland, luteinising hormone (LH) and follicle stimulating hormone (FSH), which prompt the ovaries to produce an egg. Taking oral contraceptives containing synthetic estrogens can help keep estrogen levels in the body stable; without this peak in estrogen levels, ovulation does not take place.

Progestogens can also exert this effect in some cases, but they also have other effects which can inhibit pregnancy. Their constant levels in the body as a result of oral contraceptives prevents the thickening of the uterus wall, making it difficult for any eggs that are produced to attach. They also thicken the cervical mucus, making it difficult for sperm to reach the uterus. Ovulation whilst taking oral contraceptives is rare, but if it does occur, these additional mechanisms still make it difficult for pregnancy to occur.

Since their introduction, oral contraceptives have continued to develop. Medical concerns related to the levels of estrogens in the pills led to a gradual reduction of the dosage, and the levels used today are notably lower than those used when they were first made available. They have also been linked to positive health effects, such as a decreased incidence of ovarian cancer.

If taken correctly, the efficacy of oral contraceptives in preventing pregnancy is stated to be 99.9%. They are used by more than 100 million women worldwide, and society’s attitudes towards sex and pregnancy have been heavily influenced by their use since Djerassi’s discovery of norethindrone. It’s something of a oversight for science that, as a consequence of his death, he will never receive a Nobel prize for his society-changing work, as the prizes are not awarded posthumously.

 

 

Mitocondrias e a Síntese de ATP: Pesquisa pela Matrix/DNA

sábado, fevereiro 28th, 2015

xxxx

http://www2.mrc-lmb.cam.ac.uk/achievements/lmb-nobel-prizes/1997-john-walker/

Mitocondria e a produção de ATP

 

The synthase produces ATP in our mitochondria.

( Tradução em andamento)

Energy Conversion in Cells

Conversão de Energia nas Células  ( Quando a energia dos alimentos vegetais vem primeiro da energia solar e minerais e é convertida em energia para os corpos animais… é isso mesmo?)

1997 Chemistry Prize – John Walker

“for their elucidation of the enzymatic mechanism underlying the synthesis of adenosine triphosphate (ATP)”

“pela sua elucidação do mecanismo enzimático que subjaz a síntese de trifosfato adenosina, o ATP”

John Walker

ATP – adenosine triphosphate – provides the fuel for life in all organisms from bacteria and fungi to plants and man. It captures the energy in foodstuffs and uses it in building cellular components such as DNA and proteins, in muscle contraction, in transmission of nerve messages and in many other processes.

ATP – trifosfato de adenosina – fornece o combustível para a vida em todos os organismos, de bactérias a fungos a plantas e animais. Ela captura a energia dos alimentos e a usa para construir os componentes celulares tais como DNA e proteínas, para as contrações musculares, para a transmissão de mensagens pelos nervos e para muitos outros processos.

In the late 1970s, John Walker began his studies of ATP synthase, a molecular machine that is the key enzyme in cellular energy conversion.

Nos ultimos anos dos 1970s, John Walker começou seus estudos sobre a síntese do ATP, uma maquinaria molecular que é uma enzima importante na conversão de energia celular.

He realised that a detailed knowledge was required in order to understand how it works.

Ele percebeu que um conhecimento detalhado era requerido para entender como ela funciona.

Therefore, he isolated the molecular machine involved in the production of ATP from the mitochondria, the power-houses in our cells.

Sendo assim, êle isolou a máquina molecular involvida na produção do ATP pelas mitocondrias, as casas-de-fôrça em nossas células. ( Que devem corresponder às usinas hidrelétricas tirando energia da água e tornando-a na eletricidade que alimenta nossas casas.  Se for assim, eu tenho 2,3 trilhões de micro-usinas elétricas no meu corpo. Quando eu começar a ficar duro de novo, vou começar a vender algumas… a uns 2 doláres cada uma. Queres comprar?)

He characterised its many component parts and showed how it is constructed from them. This work led to the realisation that the machine is driven by a mechanical rotary mechanism, a new principle in enzyme function. This discovery opened up new areas of chemical research as well as providing the basis for biomedical applications for the benefit of mankind.

The study of the process of energy conversion in biology continued at the MRC Mitochondrial Biology Unit. Here, John Walker and other researchers focused on understanding the biochemical and biological processes which occur in mitochondria, studying energy conversion in man and its involvement in human conditions such as aging, obesity and neuromuscular and neurodegenerative diseases, with the aim of eventually producing new therapies.

John shared the Nobel Prize with Paul Boyer from the University of California, Los Angeles, and Jens Skou from Aarhus University.

xxxx

Pesquisa tendo como base a fórmula da Matrix/DNA:

1) Comparar com o outro  artigo sobre ATP

Astronomos Continuam a Mistificar e Antropomorfizar os Céus: Vês Buracos Negros Neste Quadro?!

quarta-feira, fevereiro 25th, 2015

xxxx

A noticia das imagens do maior e mais brilhante nucleo de uma galaxia visto até hoje insiste em falar mais sobre um buraco negro que não é visto na imagem do que na própria imagem em si. Isto tambem acontecia quando antigos viam relampagos e ouviam trovões e ao invés de tentar pensar no fenômeno e tentar elucida-lo racionalmente, imediatamente suas mentes eram desviadas para a fantasia de deuses irados portando chicotes de raios.  Assim, o caos e sua violência reinante na biosfera onde vive e se educou o Homem, é transplantado mentalmente para interpretar imagens tranquilas e harmoniosas de um Cosmos que existe sob o estado de ordem. Isso é antropomorfizar ou seja, projetar o Humano onde ele não existe. Até quando, meu honorável Lorde Pink Unicorn?

Ancient quasar with massive black hole found at cosmic dawn

http://astronomynow.com/2015/02/25/ancient-quasar-at-cosmic-dawn-found-with-massive-black-hole/

Artist's impression of a quasar, a brilliant lighthouse in the early universe with a luminosity trillions of times that of our own Sun powered by a supermassive black hole. Image credit: ESO/M. Kornmesser

Artist’s impression of a quasar. Image credit: ESO/M. Kornmesser

And my comment about:

Sorry, but, there is no black holes and I am waiting the scientific proof. Look to that luminous central sphere… How could someone imagining a black hole inside it ?! In that place there is merely a single spiral vortex created by stellar/galactic dust from dyed galaxies and everything else is explained by the Matrix/DNA astronomical model. Only time will  be the judge about which theory is the right one.

Como entender o que é esta essência/fôrça/principio vital denominada “Matrix/DNA”

quarta-feira, fevereiro 25th, 2015

A Terra primitiva: sem “vida” na superfície, porem, com vulcões revelando vida primitiva no interior.

Abrimos os olhos e vemos rocha, mar, vento, sol, lua, estrêlas e vemos tambem corpos  moventes, vivos. De imediato uma evidente diferença salta aos olhos:  a grande diferença entre as rochas, os mares, as montanhas, ou seja, todas estas coisas pertencentes a um planeta considerado “não-vivo”, o qual está dentro de um sistema solar, de uma galaxia, de  um universo, tambem considerados por nós como “não-vivos”,  e os corpos a que chamamos de “vivos”. Um sente o mundo externo e o outro não, um consegue a prazerosa façanha de se colocar em equilíbrio e conforto termodinâmico enquanto o outro é sempre um desesperado filho das necessidades, um come o outro não… A primeira impressão é que são duas realidades, duas origens diferentes entre si mas dentro de uma grande e unica maior realidade.

E então há 30 anos atrás no meio da selva eu me perguntava: “Raios! O que é que  existe no meio dessa realidade ultima universal que gerou esse bifurcamento na matéria separando-a em porções de matéria formando corpos vivos e porções formando corpos não-vivos?!”

Como, de onde surgiu, estes corpos vivos, pululando na superfície de planetas?!

Sete anos depois de muito abaixar os olhos para observar a biosfera na superfície deste planeta e levanta-los para observar o deslumbrante céu estrelado noturno eu concluí por uma solução: “Nunca houve tal bifurcamento. Não faz sentido falar em vivos ou não-vivos, em mundo inorgânico e mundo orgânico. A confusão estava nas cabeças humanas e não lá fora, na Natureza. A Natureza não joga dados com suas criaturas, Ela não nos engana. Se você quiser saber como Ela fêz uma coisa a bilhões de anos atrás, procure aqui e agora e encontre onde Ela está fazendo a mesma coisa, pois Ela não usa um método na calada da noite e nas brumas do passado e outro método perante seus olhos.  Se queres saber, por exemplo, como Ela criou esse enorme coletivo de seres vivos, observe como ela cria um único individuo desse coletivo aqui e agora. Ora, um corpo vivo é criado a partir do que existe no núcleo, no centro, de dois outros corpos vivos já existentes. Assim um homem e uma mulher geram um novo baby. Então, para criar o coletivo, as primeiras formas de vida, temos que procurar qual os corpos existentes naquela época que fizeram o papel de homem e mulher, qual a substancia que havia nos núcleos destes corpos. E assim encontramos os dois – a Terra e o Sol – e encontramos a substancia – a Matrix/DNA. Essa substancia veio do  Sol para a superfície da Terra na forma de energia e fótons onde se encontrou com a energia e fótons irradiados do núcleo terrestre. A sua mãe Natureza – se você a ouvir com respeito e amor à sua mãe, nunca despreza-la e desviar-se dela, sempre te ensinará fielmente a ganhar todos os jogos das vida e chegar ao cheque-mate.

Claro que as duas teorias até agora feitas pelos homens não explicam nada, são infantilmente absurdas, pois os homens se desviaram, desprezaram, feriram sua própria mãe. Crer que aqui veio  uma super-entidade mágica criando estes corpos vivos já prontos por mágica, ou crer que o DNA surgiu por simples acidentes ao  sabor de um super-acaso tambem mágico é infantilidade mental que não resiste ao  menor raciocínio lógico. Mas então  permanece a questão: os corpos vivos existem no  meio de um mundo dominado por corpos não-vivos, a simples lógica mostra que o mundo não vivo é o suporte físico para os  corpos vivos, portanto, o mundo não-vivo  existia antes do surgimento dos corpos vivos… em outras palavras… os corpos vivos surgiram desde e dentro  de um mundo onde existiam apenas  os corpos não-vivos. A maioria das nossas coletadas informações e evidencias ditas cientificas corroboram esta conclusão. Mas como poderia um mundo não-vivo produzir corpos vivos?!

Olhe para o solo, as rochas, as montanhas, os desertos… Olhe para os águas dos rios, dos mares, das chuvas, correndo no meio destas rochas e desertos nus. Olhe para atmosfera de gazes mil, para o espaço sideral de bilhões de pontos luminosos, e a estrela mais luminosa amarela que é o Sol… e procure como tudo isto, ou qualquer destas coisas não-vivas, pôde produzir estes corpos vivos, que seja a menor e mais simples bactéria?

De onde, porque, como… o seu corpo vivo veio parar aqui e existe aqui no meio deste mundo não-vivo?!

Eu acho que o  maior mistério de todos os tempos que o mundo colocou para a mente ainda infantil humana resolver… não é mistério nenhum. A não ser que essa mente se desviou da sua Natureza e esteja raciocinando de um modo não-natural; aí sim, surge o mistério que não existe para forçar esta mente a retornar na sua sintonia com o seu natural. Pois o meu corpo vivo surgiu de outro corpo vivo. êste outro  corpo vivo surgiu de um mais antigo corpo vivo. E este tambem… Quem tem autoridade para dizer que algum corpo vivo nesta retornável e lógica ancestralidade,  surgiu de um corpo ou mundo não-vivo?! Quebraria toda a mais simples lógica do  raciocínio… sem apresentar provas, sem mostrar onde, como, e porque tal coisa, tal aberração lógica, teria  acontecido.

A solução  é simples: não existe esta divisão entre corpos vivos e  não-vivos. O nosso problema está  na  invenção  de  uma palavra: Vida. Inventaram uma palavra. Há pouco tempo atrás a NASA lançou um desafio para quem conseguisse uma definição exata e mundialmente aceita para esta palavra… e nenhuma definição satisfez. Claro… esta palavra está locupleta de conceitos equivocados. Um  grande problema nesta  palavra é que “vida” é aplicada a um corpo que é um sistema completo e  funcional para diferenciar este corpo não estes sistemas naturais completos  e funcionais, mas de peças, partes, de sistemas. Aí é  claro, imediatamente surgem diferenças  gritantes. Comparar o figado de uma vaca com um cavalo inteiro vai mostrar um mundo de  diferenças, as quais vão cair por terras em sua maioria ao  comparar-se vacas e cavalos, sistemas contra sistemas.

Tanto os deístas  quanto  os materialistas científicos cometeram este colossal equivoco: comparar os corpos vivos que vemos aqui com um planeta onde eles surgiram,… aí é claro que existem tantas diferenças colossais que para explicar a ligação entre o planeta e os vivos arrastando-se em sua  superfície, só mesmo  o apelo a fantasias mágicas.

Foi isto que me consumiu os pensamentos por seis ou sete anos isolado na selva com os olhos ora vendo aquela exuberância de flora e faunas vivas e ora aquele exuberante céu noturno  estrelado pululando de corpos luminosos e seus planetas, e me levou a uma intuição inevitável:  se eu disser que  esta galaxia é não-viva, terei que dizer que aquele crocodilo tambem é não-vivo; se eu disser que aquela capivara que o crocodilo está se preparando para correr atras é viva, então tenho  que dizer que  esta galaxia tambem é viva. O fato de que me parece absurdo e estranho dizer que a galaxia é viva decorre do absurdo ao se dizer que o crocodilo é vivo. E vice-versa. Preciso  aplicar uma cirurgia dolorosa  no meu cérebro, extirpar este tumor que  foi sendo alimentado por esta cultura milenar equivocada humana, a qual conectou meus neurônios de maneira toda errada, e descobrir como o crocodilo enquanto  um sistema é herdeiro genético dessa galaxia como um sistema. Pois diga-se vivo ou não-vivo – não importa – o fato é que meu corpo-sistema só pode ter vindo  de outro corpo-sistema, e este de um anterior corpo sistema… até o universo inteiro tem que ser um corpo-sistema  vindo de um ex-universo corpo sistema… Doa o que doer… mas essa cirurgia tem que ser feita se eu quiser sobreviver como espécie me reconectando com este planeta porque voltei a  entende-lo de fato.

Assim surgiu os desenhos da galaxia como sistema… glup… meio-vivo, meio-não vivo, ou melhor:  como sistema natural e funcional, sem essa de qualifica-lo como meio-vivo ou não meio-vivo, isto são palavras criadas por humanos, não pela Natureza.

A alguns dias depois que um espermatozóide “explode” num espalhafatoso “big bang” quando subitamente se rompe seu envelope de membrana no centro de um óvulo, surge uma bolota massiva chamada blástula. São milhares ou milhões de células que já  começam a se diferenciarem revelando regiões de bolotas menores diferenciadas entre si… e esta imagem lembra a imagem das galaxias formando o Universo. É difícil imaginar e aceitar que no meio daquela bolota existe uma força/essência/ principio, microscópico, invisível a olho nu, que vai dirigir tudo dentro da bolota e dali tirar um corpo humano como um magico tura um coelho de uma cartola!

O que eu fiz, então, por simples raciocínio lógico, foi procurar no meio desta bolota universal  de galaxias onde está ou estava a força/essência/principio que dirigiu as coisas na superfície árida e nua da Terra e dali tirou essa biosfera como um mágico tira um coelho da cartola.

Foi fácil encontrar o elemento misterioso, o mais difícil e parece impossível, irrealizável, é fazer com que meus irmãos de espécie parem na louca correria que estão para repensar suas crenças construídas em cima de culturas milenares misticas e equivocadas, e vejam o elemento misterioso, sendo  que ainda não inventei o tipo de microscópio eletrônico que possibilita ao olho nu vê-lo, como vemos o DNA na bolota da blástula.

Mendel descreveu quase tudo o que faz o DNA tendo morrido sem nunca ter visto um, nem sequer imaginado sua existência. Muito tempo antes dele um filósofo naturalista grego  chamado Temístocles imaginou a existência do átomo quando nem lentes de óculos existiam ainda. Crick e Watson descreveram o código genético sendo que até hoje não vimos esse  código. Muitos modelos teóricos  do átomo foram feitos descrevendo átomos que nunca haviam sido vistos. Mas uma inteligencia sadia não precisa destes olhos limitados para perceber que uma coisa existe:  basta a ela raciocinar um pouco, porem raciocinar com a razão pura e verdadeira que a Natureza construiu, e não com raciocínios que negam essa própria Natureza. O meu corpo, vivo ou não, surgiu de uma bolota porque ali havia um elemento invisível, uma fôrça natural, um elemento obreiro, construindo uma obra. Disso todos temos  certeza agora. Então porque falta a  certeza que a Vida surgiu neste planeta porque no meio desta bolota planetária havia um elemento invisível, obreiro, construindo sua obra?!

Porque buscar esta solução descabida denominada de “teoria da abiogênese” ?!  Onde átomos teriam, pela primeira vez no Universo, deixado deformar apenas rochas, águas e ventos e estrelas, e  de repente se conectaram de maneira diferente formando moléculas que seguiram a tendencia dos cristais de se duplicarem para adquirirem propriedades como auto-reprodução?! Não podem ser cristais se auto-reproduzindo,pois cristais são pedaços, partes de um sistema. O que se reproduzia era o sistema inteiro… senão jamais teria aparecido aqui um sistema auto-reprodutor.  Essa mania de comparar um corpo humano  completo com apenas um figado de um macaco… jamis vai mostrar as semelhanças e o trabalho do obreiro  genético.

Não existe outra alternativa possível. Meu corpo veio de  uma bolota blastulenta porque ali havia uma fôrça/essência/principio vital  invisível mas ativo; portanto a vida surgiu dentro desta bolota galáctica porque ali havia uma fôrça/essência/principio vital invisível mas ativo.

Bem vindo ao novo mundo onde o DNA tem  um ancestral vindo das galaxias e quiça, vindo do alem das origens do Universo. Esse ancestral chama-se “The Matrix/DNA”. Não só descobrimos sua existência em decorrência das evidencias ao seu redor, como já elaboramos um modelo-foto de sua anatomia, sua face, seu “corpo” como  sistema completo e funcional. Ainda não podemos mostra-lo ao olho nu ou através de instrumentos científicos, apesar de que talvez já tambem o estejamos fazendo, se a nossa suspeita e modelo de como funciona uma onda de luz e bate exatamente com nossos cálculos de como deve ter sido a primeira forma dessa Matrix neste Universo, for confirmada nas próximas experiências/descobertas cientificas. A coisa está difícil ainda de captar porque estamos falando aqui dos ancestrais dos genes, os quais eram fótons, partículas da luz, de difícil alcance  para nós no atual estagio atrasado da nossa tecnologia cientifica.

Mas porque perder tempo agora com este assunto tão abstrato? Hummm… Temístocles jamais poderia imaginar que aquilo que ele começou  perceber e trazer para a Humanidade como assunto de debates – o átomo- acabaria por dar a vitória na segunda guerra mundial aos Estados Unidos. Não porque Temístocles começou a construção teórica da bomba atômica, mas sim porque… conhecer é poder! E continuar nesta louca correria que todos estão envolvidos hoje vai certamente cada vez mais nos distanciar da nossa Natureza… até o ponto em que Ela resolva fazer conosco o que fez com os dinossauros e está fazendo com todos os outros grandes predadores que saíram de seus caminhos. É total burrice correr para lugar nenhum. É preciso um norte, um guia, no qual nos mirar-mos para planejar por onde vamos caminhar. É preciso retornar a nossa sintonia nos sincronizando com o ritmo e desígnios da nossa Natureza. É preciso parar para se lembrar que naquela bolota chamada blástula existe uma incrível e universal força natural revelando que a Natureza tem em si uma coisa que dirige todo o mundo ao nosso redor e nós dentro dele, um principio vital, e temos de conhece-lo, temos que tê-lo como nosso guia… se nossa espécie quiser salvar-se, se nós queremos que nossos herdeiros cantem o nosso sucesso ao invés de chorarem amargamente o nosso fracasso. Dê sua atenção à Matrix/DNA  enquanto tens ainda a oportunidade de fazê-lo. Assim como foi sua obra o elemento invisível que construiu o corpo de seu filho a partir de uma pequena bolota, assim tambem o mesmo elemento é a obra da Natureza que está construindo o próximo meio-ambiente em que vamos viver. Um elemento que tem uma força tal que derrubará todos os arranha-céus e grandes cidades que estás a construir, se estas coisas não se encaixarem na obra da Matrix/DNA.

 

 

Cérebros: Novas Informações e estado da Neurociência no Brasil

sexta-feira, fevereiro 20th, 2015

xxx

Ligado no cérebro

http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2015/02/ligado-no-cerebro/view

 

Raios! Desconfio que esse repolho foi adubado com suplemento proteico para atletas Hiper Whey!

terça-feira, fevereiro 17th, 2015

xxxx

Raios! Desconfio que esse repolho foi adubado com o suplemento proteico para atletas Hiper Whey

heaviest cabbage weighed 57.61 kg (127 lb)

 The Guinness world record for the heaviest cabbage weighed 57.61 kg (127 lb) and was presented at the Alaska State Fair by Steven Hubacek.
http://factnact.blogspot.com.br/2014/03/heaviest-cabbage-weighed-5761-kg-127-lb.html

Mas quem vai comer este repolho? Nem eu, nem você… esse é só para ursos:

 Image result for record cabbage

Expelled – A Agressiva Ideologia da Academia Cientifica – Veja Vídeo

segunda-feira, fevereiro 16th, 2015

Minha final impressão ao ver este vídeo é a lembrança de como funciona duas gangs de traficantes disputando um território: a escola, os colégios, as universidades. Cada gang vende um droga diferente da outra: se uma vende crack, a outra vende heroína. Estas duas drogas aqui – o deísmo e o ateísmo – são desejadas, necessárias e consumidas por todos os estudantes, que por serem mentes ainda infantis, necessitam alimentarem suas inevitáveis imaginações com fantasias mentais, e os traficantes sabendo disso, fornecem as drogas para estas fantasias.

Esta disputa de território entre humanos vem da herança dos instintos animais predadores, os quais são notoriamente disputadores de territórios. Lembre-se que, por exemplo, os lobos se unem em gangs e assumem a propriedade de um vasto território, que pode chegar a 200 milhas de extensão, e atacam em massa quem quer que invada esse território.

A cabeça dos seres humanos está sendo o palco de uma nova investida da evolução natural, a qual pode não ser apenas um processo de evolução, mas simples passos dentro de um processo maior: o de reprodução de uma possível e desconhecida fonte geradora de universos. Assim como todo feto humano no estagio intra-uterino aos 6 ou 7 meses aumenta o desenvolvimento de seu cérebro e começa a apresentar sinais do fenômeno conhecido como “auto-consciência” – o qual existia em seus pais e estava inativo nos genes nos 6 ou 7 meses anteriores – tambem o sistema natural que vem se desenvolvendo desde o Big Bang quando chega á forma humana começa a apresentar o mesmo fenômeno da auto-consciência , o qual, por dedução lógica, existia no elemento misterioso que gera universos e deve ter existido inativo na Matrix/DNA universal durante os 13 ou 14 bilhões de anos cosmológicos anteriores. O cérebro humano vem com uma capacidade instalada ociosa para ser ocupada por essa “mente e suas informações”, e como esta mente é lenta em se implantar, a capacidade ociosa tem que gerar fantasias para não se atrofiar ou ser suprimida por desuso. A criança muito nova ainda cria para si própria estas fantasias, geralmente crendo em amigos invisíveis com quem conversa e brinca. Mas a vida real começa a dilapidar estas fantasias então estes cérebros precisam de novas fantasias. Os vendedores de drogas alucinógenas sabem disso e se aproveitam para satisfazer essa necessidade com suas drogas que permitem ao imaturo ser a viver viajando mentalmente em reinos imaginários. As religiões deistas e os outros lados dessa mesma moeda – as religiões anti-deístas – são drogas que não vem na forma de pó, comprimidos, fumos ou bebidas, mas de interpretações falsas dos adultos sobre os fenômenos naturais e a realidade do mundo em si mesma, num conjunto denominado “cultura”. Desta forma o ato de predação, que se transformou dos animais inferiores ao homem da forma canibal para a forma de escravidão com o sugamento da energia no trabalho manual produtivo, torna grandes manadas de ovelhas humanas totalmente alienadas e submissas sem se despertarem para o fato de que possuem o poder para transformar as regras brutas da primitiva natureza caótica em regras ordeiras num estado em que não exista os horrores desta dicotomia entre predadores e vitimas.

 

O processo de aniquilamento e libertação destas drogas é lento, contado na grandeza dos tempos astronômicos, como é lento para os humanos a instalação, desenvolvmento e autonomia dessa auto-consciência universal. E p processo se dá de forma gradual, sendo que a cada nova idade da ghumanidade uma nova droga cultural é inventada, criando um sistema social, construindo uma civilização, a qual sempre rui e de suas cinzas surge outra menos animalesca, menos caótica. Assim, dos regimes e suas drogas como as monarquias e tiranias baseadas no deísmo, se levantam regimes modernos baseados em drogas anti-deístas, as quais tem por fundamento a propaganda da existencia mistica de um “acaso absoluto” que poderia produzir alguma coisa a partir do NADA.

Infelizmente chego então a conclusão que a minha obra, a visão do mundo denominada “Matrix/DNA” , é tambem a invenção de uma nova droga que conduz mentes a uma nova fantasia da imaginação. Da mesma maneira que os predadores estabelecidos em conflito hoje, os deístas e os anti-deístas, são uma máscara oculta dos traficantes de drogas considerados criminosos e disputam acirradamente o dinheiro produzido pelas presas, eu me torno um aspirante a novo predador traficante visando abocanhar tambem parte desse dinheiro. Então, se isto me incomoda e fere minha crença ética e moral, porque não elimino esta invenção e procuro outra ocupação menos criminosa? É justamente por acreditar que o processo de limpeza das fantasias mentais a nivel do inconsciente coletivo humano é muito lento, em tempos astronomicos e tem que ser uma evolução gradual, onde drogas mais perigosas vão sendo substituidas por drogas menos perigosas, cujas fantasias são menores que as anteriores porque interpretam menos erradamente o mundo real. Em outras palavras, é um mal necessário e que precisa vir rápido antes que as drogas mais potentes existentes dominem todas as mentes de forma irreversível.

O autor do Video, Ben Stein, é um conhecido predador e parasita da minha particular “desclasse social”. Ele nasceu em berço de casa própria, de família já altamente predadora ( o pai trabalhava pata o presidente Nixon), nunca teve que produzir com as próprias mãos uma grama sequer das 40 toneladas de vegetais que todo ser humano come durante uma vida, nunca teve que fazer buraco, cimento e assentar um tijolo para ter as casas que ocupou, portanto comeu os vegetais que eu fui torturado para produzir e de mim foram extorquidos, morou nas casa que construí e de mim foram roubadas pois nunca pude ocupar casa nenhuma como minha propriedade. Depois ele conseguiu fazer o que sempre foi meu sonho e nunca poderia te-lo conseguido: estudar por 16 ou 20 anos em prédios não feitos por suas mãos e sendo alimentados com todos seus funcionários por gente como eu, chamados de escolas, colégios, universidades. E foi determinado pela sua gang a ser mais um dos ideólogos mantenedores da fabricação da sua droga de dominação, estudando e se especializando em advocacia para defender as leis que eles mesmos criaram, para manter e lutar como vigilante o status da sua droga que é uma religião deísta que suporta sua pregação de sistema social, politico e econômico. Seu principal opositor, chamado Richard Dawkins tem a mesma história de vida com a diferença de que – talvez por raízes de família, não conseguiu alimentar suas elevadas ambições materiais e egocêntricas – decidiu vender a outra droga concorrente. Assim, este é um duelo entre grandes predadores… do  meu particular ponto de vista de rebelde não-submisso e autodidata vindo da minha andarilha e escravizada desclasse social. Cada qual tem sua opinião forjada pela sua privada experiencia de vida… e logicamente todas nossas opiniões humanas ainda são equivocadas. Existirá uma final opinião correta quando um único humano viver as 8 bilhões diferentes experiencias de vida neste planeta e mais as quintilhões experiencias dos seres inteligentes vivendo em outros rincões dese Universo. . .

Meu comentario enviado para:

http://designinteligente.blogspot.com.br/2009/09/expelled-com-legendas-em-portugues.html

Tanto o ID quanto o darwinismo estão certos e errados ao mesmo tempo. O darwinismo está certo ao explicar todas as espécies biológicas existentes como produto de transformação e aumento de complexidade ao longo de muito tempo mas está errado ao crer na origem da vida, que esta seria prevista no calculo das probabilidades, que as mutações responsáveis pelo aumento da complexidade se dão por erros ou acaso, que os 3 mecanismos VSI – Variation, Selection,Inheritance, – sejam suficientes para produzir as espécies existentes hoje. E cientificamente não se pode dizer que exista no Universo um processo de evolução.

O ID está certo ao sugerir que houve um prévio designer para os sistemas biológicos, mas está totalmente errado ao crer que este designer tenha surgido de fora da longa cadeia natural de causas e efeitos que começou nos princípios deste Universo, em crer que este designer seja sobrenatural, em “afirmar” que tanto o designer quanto o método aplicado neste desenvolvimento tenham sido inteligentes. E está muito mais errado ainda ao sugerir que este designer seria um Deus sugerido por antigos escribas humanos.

Estas frases acima são de autoria do autor de um novo método de investigação cujos resultados estão reunidos na teoria “A Matriz Universal dos Sistemas naturais e Ciclos Vitais”. Primeiro, a anatomia comparada entre todos os sistemas naturais conhecidos projetou um desenho do que seria o elo entre a Evolução Cosmológica e a Evolução Biológica. Segundo, este elo foi identificado com um modelo teórico do que deve ser o building block dos sistemas atômicos e astronômicos. Terceiro, este mesmo building block foi identificado como sendo um trio lateral de nucleotídeos, ou seja, a unidade fundamental de informação do DNA. Isto significa que o DNA teve um antepassado surgindo nos princípios do Universo, tendo passado e evoluído pelos átomos, as galaxias e chegando aos sistemas biológicos. Por isso recebeu o nome de “Matrix/DNA”. Mas a busca humana não tem por enquanto a menor condição de ultrapassar as fronteiras materiais naturais deste Universo para ver de onde vem essa Matrix/DNA, qual o método aplicado na inserção dela aqui e nestes tempos, e o que ou quem a inseriu, se natural ou não, se inteligente ou não.

Portanto, a julgar por esta nova teoria, as duas facções conflitantes e suas duas visões de mundo carecem de racionalidade e expressam a infância mental do coletivo inconsciente humano. Se os dois querem espaços na formação cultural dos jovens que chegam aos bancos escolares, o terceiro partido, os agnósticos tambem tem direito a ele.

Comentario enviado para:

 

 

Itens notáveis:

1)

” Newton era a Fisica, tudo se explicava por ele. mesmo quando começaram a aparecer problemas que não se encaixavam em sua grande teoria, nunca se pensou que o problema estaria na teoria e sim dos fatos. Até que por acaso surgiu a teoria da relatividade que “consertava” aqueles problemas e a fisica newtoniana teve que perceber que havia uma verdade maior que ela. Newton lidou com o nosso sistema solar, mas não existe como conhecer este sem considerar a nossa galaxia, pois ela influencia ele.

Estamos na época em que Darwin é a evolução biológica, tudo se explica por ele, mesmo quando se acumulam problemas que não se encaixam em sua teoria, nunca ninguem pensou que o problema estaria na teoria e sim nos fatos. Até que por acaso surgiu a teoria da Matrix/DNA que “conserta” estes problemas e a teoria Darwiniana terá que perceber que existe uma verdade maior que ela. Darwin lidou apenas com a evolução biológica, e não tem como se conhecer esta sem considerar a evolução cosmológica,pois esta influencia aquela.

2)

A frase  “A Grande Causa da Humanidade”, e a visão do mundo por trás do propósito “Para o bem da Humanidade”, jamais pode ditar regras e nortear politicas. Hitler foi levado por idéias como a evolução darwinista a buscar uma seleção das raças tendo como a sua raça sendo selecionada e com isso acreditava piamente que estava fazendo algo para “o bem da Humanidade”. Chegou ao ponto de mandar matar todos os defeituosos fisicos e outras raças consideradas inferiores e sem conserto. Argumentos para a “eugenia” eram muito convincentes,por exemplo: “Enquanto a seleção natural favorecendo os fortes e descartando os fracos tem levado a vida na Terra á evolução das espécies e a chegar ao Homem, nós humanos com nossos programas sociais e melindres zelosos temos feito tudo para manter vivos, sustentar com nosso trabalho, grandes quantidades desses que a Natureza sempre têve que descartar se quis continuar a evolução”.

Eu mesmo percebo agora que quando sou radical  sou movido por idéias fora da minha visão do mundo, como a de que “nascí condenado por predadores humanos a ser escravo vampirizado na minha energia a vida tôda e não vou procriar para não abastecer este regime com carne frêsca.” Tudo bem que eu adote esta idéia para modelar o meu comportamento, pois a realidade é essa mesmo e não tem como mistifica-la. Mas não devo divulga-la com a certeza intima de que isto se deve aplicar a todos os pobres do planeta. Pois a minha visão do  mundo, a Teoria da Matrix/DNA está sugerindo que os 8 bilhões de humanos são 8 bilhões de pedaços errados em que foi repartido um todo errado e essa divisão é lógica porque coloca os 8 bilhões vendo e sendo vitima dos resultados da atuação dos outros 7,99 bilhões de pedaços errados, uma oportunidade para o todo que estava totalmente errado perceber e odiar o erro em si mesmo, experimentando ele mesmo os resultados nefastos de sua obra. Ora, para que alguns pedaços errados sejam vitimas de outros pedaços errados e tenham a oportunidade de experimentar seu próprio erro é preciso que sejam mais fracos, defeituosos, o que confere mais fôrça ao elemento corretor. E se todo mundo seguir a risca o mesmo que fiz, se eu conseguisse tornar esta uma regra geral para toda a espécie, como os 8 bilhões de pedaços errados seriam consertados?

Então esta a grande descoberta do dia que nunca mais deverá ser esquecida quando eu estiver lendo ou debatendo as injustiças dos predadores e a indisciplina das presas: Não acreditar que eu descobri qual a grande causa da Humanidade, não ser radical tentando impor as regras que essa causa imaginada sugere, mas deixar que a Natureza continue a tratar de presas e predadores no campo fisico da economia, politica, organização social; apenas sempre insistir na mensagem intelectual e transcendental da Matrix/DNA que visa elevar o desenvolvimento cientifico e tecnológico da Humanidade ao mesmo tempo que esta humanidade misre-se no exemplo da genética para lidar com o mundo externo.

xxxx

Bern Stein mostra que ninguem sabe como a vida começou pois falta o elemento que combinou os ingredientes e nas exatas proporções que produziu as 250 proteinas iniciais. A unica alternativa apontada pelos materialistas é a teoria dos relampagos fornecendo a energia que teria feito isso,  teoria que,  como Stein afirma, não é algo cientifico.

Então os deístas como Stein se aproveitam deste mistério e imediatamente insinuam que apenas um inteligente designer poderia ter feito isso.

No meio destas duas visões do mundo surge a teoria da Matrix/DNA sugerindo a anatomia de um elo evolucionário entre a vida que surgiu aqui e o meio ambiente astronomico que circundava e continha esse local onde a vida surgiu. Ou seja, um elo evolucionário entre a evolução do mundo inorgânico que veio desde o Big Bang até momentos antes das origens da vida e a evolução posterior da própria vida. Porem o principal nesta sugestão é que o mesmo elemento apontado como dirigente da evolução cosmológica – uma fórmula natural tambem apresentada pela teoria da Matrix/DNA – é justamente o ancestral do elemento que se tornou a essência da evolução da vida, ou seja, o DNA. Com isso o DNA seria o produto final aqui e agora de um mesmo e único elemento dirigente de toda a evolução universal.

Mas a teoria da Matrix/DNA é puramente naturalista, ou seja, ela aborda a Natureza em toda sua grandeza universal, mas ao chegar às fronteiras ultimas do Universo no seu espaço e tempo, ela pára. Como ela vinha agarrada nos calcanhares desse elemento dirigente de toda essa evolução, e esse elemento parece continuar para alem desta fronteira, ela o perde ali e fica sem saber qual sua procedência, se de origem meramente casuística, ou origem inteligente, ou ainda qualquer outra origem inimaginável. Ela fica com uma quase certeza sobre a fonte dessa essência da evolução, da vida e da auto-consciência: deve ser um sistema natural, não mágico mas tambem que não aplica um método inteligente, porem esta fonte deve ter auto-consciência.

A diferença com as duas visões predominantes agora é que a teoria da Matrix/DNA não aponta um relâmpago nem uma entidade sobrenatural mágica, mas sim uma fórmula que pode ser buscada e testada cientificamente.

xxxxx

 

Aviso aos Físicos: O Excesso de Física Leva à Loucura. Veja Vídeo Aqui

segunda-feira, fevereiro 16th, 2015

Richard Dawkins Knows Nothing About Nothing?

https://www.youtube.com/watch?v=v34QjYPuiEA

Meu comentario explicando a versão da Matrix, publicado em:

http://designinteligente.blogspot.com.br/2013/08/dawkins-nada-confuso.html#comment-form

 

O problema dos ateus é o mesmo dos deístas…  é apenas uma palavra que nada significa: “origens”. Alguem alguma vez na vida viu a “origem”de alguma coisa? Ou seja, algo que comprovadamente nunca existiu antes em lugar e tempo nenhum surgindo perante seus olhos, ou mesmo que seja perante os olhos de mil gerações? Me apontem pelo menos uma. Tudo é produzido pelas transformações ou convergências de fôrças e elementos já existentes antes, isso é o que pode ser cientificamente comprovado. E este universo, assim como esta vida, não podem ter surgido ou se transformado de um NADA que não possuía nenhuma fôrça, nenhum elemento, assim como não pode ser o resultado da transformação de algum Deus Mágico nem a magia pode ter alguma fôrça ou elemento em si mesma.  Por causa desta nefasta palavra que logo conduz a imaginação humana aos reinos dos pensamentos mágicos, alguem precisa inventar soluções inexistentes, tais como deuses mágicos e nada mágicos. Falar ou pensar em origens de universos ou origens da vida é uma absurda aberração contra a racionalidade. A unica visão do mundo que não precisa de “origens” pra explicar as existências de universos e da vida é “A Matriz Universal dos Sistemas Naturais e Ciclos Vitais”, como explica seu website.

Publicado em Youtube:

 

The problem of atheists is the same for deists … it’s just a word that means nothing: “origins”. Anyone have ever seen the “origin” of something? That is, something that never existed before proven in any place and time appearing before their eyes, or even if it is in the eyes of a thousand generations? Please,  point at least one. Everything is produced by transformations or convergence of forces and before existing elements, this is what can be scientifically proven. And this universe, and this life, may not have arisen from a NOTHING that had no forces, no elements, and can not be the result of the transformation of a Magic God or some magics  that may have no some force or element in itself. Because of this ominous word that soon leads the human imagination to the realms of magical thinking, someone needs to invent nonexistent solutions, such as magic gods and magical nothing. Talking or thinking about origins of universes or origins of life is an absurd aberration against rationality. The only worldview  that does not need “origins” to explain the existence of universes and life is “The Universal Matrix of Natural Systems and Vital Cycles”, as explains their website.  But, then, they are agnostics.

Neuro Channel e o Congresso Mundial do Cérebro em Julho, no Rio

sábado, fevereiro 14th, 2015

xxxx

America Latina recebe pela primeira vez o 9o. Congresso Mundial do Cérebro. 
Acontece de 7 a 11 de julho de 2015 no Rio de Janeiro.
Discussões de alto nível.

http://ibro2015.org/ – IBRO – International Brain Research Organization

NeuroChannel:

https://www.youtube.com/channel/UC87YjLmOyCwN-V39gA9YytQ

10 Primeiro video: Apresentação

Ligado no cérebro

O NeuroChannel conta com entrevistas com cientistas brasileiros e estrangeiros de renome, que abordam, de forma descontraída, interessantes questões da neurociência. (imagem: divulgação NeuroChannel)

2) Segundo vídeo:

BrainStorm – What makes the human brain so special? – Suzana Herculano-Houzel

O principal tópico é a constatação que o cérebro consome 25% das proteínas, ou 25% da energia do corpo, então isto significaria que nossos ancestrais tiveram que descobrir uma maneira de obter mais energia dos alimentos e esta solução  foi o cozimento. Esta simples técnica teria sido a responsável pela notável diferença entre o cérebro humano e os dos demais animais.

Meu comentário postado no Youtube:

Louis Charles Morelli – Feb, 14, 2015

Foi a descoberta do cozimento de alimentos que aumentou o cortex ou foi o aumento do cortex que levou à descoberta do cozimento? Como encontrar a verdade neste evento a 2 milhões de anos atrás? A teoria apresentada no vídeo é racional, e pode ser a verdade mas não exite comprovação cientifica ainda e existem outras teorias.

Por exemplo, a Teoria da Matrix/DNA sugere que o fenômeno cerebral humano se deve ao simples caminhar da evolução que tende a construir o cérebro biológico como um sistema no mesmo modelo da fórmula natural que construiu todos os outros sistemas naturais existentes. Esta fórmula sugere que a maior integração e comunicação entre os hemisférios direito e esquerdo funcionou como um ato bissexual reprodutivo gerando um terceiro “filho”, o qual é o neocortex. E depois de “nascido”, o cortex-filho tende a crescer e se complexificar, como acontecem com todos os filhos de quaisquer sistemas biológicos.

Mas qual teria sido a causa estimuladora dessa maior conexão entre H.E. e H.D.? Foi a caverna que uniu mais os primatas onde conviviam todas as faixas etárias com os mais fortes repartindo cuidados/alimentos com filhotes e velhos e levou à formação da família. Então qual foi mais importante nesta evolução: o advento da família ou do cozimento dos alimentos? Qual veio primeiro? Esta  é uma nova pesquisa a fazer. Outra pesquisa é discernir como o cérebro está se modelando como sistema pela fórmula da Matrix/DNA, que pode ser vista em: A Matriz Universal dos Sistemas Naturais e Ciclos Vitais.

3) Terceiro Video:

BrainStorm – How do we perceive the world around us? / Como percebemos o mundo? – Kia Nobre

Meu comentário postado no Youtube:

Louis Charles Morelli – Feb, 14, 2015

Para desvendar os circuitos no interior do cérebro que ativam as percepções será preciso que os neurocientistas primeiro, aprendam o que é um sistema natural completo, pois o cérebro só pode ser entendido quando observado como sistema; segundo, que considerem a descoberta da fórmula divulgada como “A Matriz Universal de Todos os Sistemas Naturais e Ciclos Vitais”, pois os circuitos formados pelas sinapses são todos reproduções daquele template de circuito sistêmico. Tendo-se a “foto” do circuito é possível identificar todos os sub-circuitos que formam os pensamentos e demais atividades do cérebro.

As percepções do mundo externo surgiram quando nossos ancestrais sistemas fechados em si mesmos se tornaram sistemas abertos e biológicos, os quais não podiam mais se isolarem do mundo e auto-reciclarem sua energia, portanto sujeitos a agressões externas e necessitários de alimento. A abstrata “percepção intelectual” é a busca no meio externo das informações que faltam ao cérebro, e à sua cria, a mente, para se formarem como sistemas completos e autônomos.

4) Quarto video:

BrainStorm – Abrindo a cabeça / Opening the head – Paulo Niemeyer

Meu comentário postado no Youtube:

Louis Charles Morelli – Feb, 14, 2015

20 years studying?! Lol! That’s explains why all neurosurgeons gets retirement before the first job… Congratulations to these great heroes!

5) Quinto video:

IBRO 2015 – Programa nº 01 / Program # 01

Meu comentário postado no Youtube:

Louis Charles Morelli – Feb, 14, 2015

Os USA perceberam no ano passado que a nova corrida na competição entre nações está nas pesquisas do cérebro, com Obama oferecendo lilhões de dolares para quem tiver projetos de pesquisa ( a Russia estava fazendo isso). E o govêrno/inteligência do Brasil vai mais uma vez ficar dormindo no ponto sem embarcar nessa tambem? O que a Dilma tem feito nessa área e como o govêrno vai estar presente neste evento tambem oferecendo atrativos para pesquisadores. Qual o apoio o govêrno está dando para este evento de suma importancia? Apesar de leigo na área posso suspeitar que o subito interesse no cérebro se dá porque doenças mentais e crimes consomem fortunas dos erários publicos, o poder militar tem enorme interesse no conhecimento/manipulação do cérebro humano, alem do entendimento do cérebro estar na base do desenvolvimento de computadores e informatica, etc. Já perderam os bondes na corrida espacial, na ciencia do DNA, etc…