Archive for março 29th, 2015

Cooperativismo Entre as Ovelhas Humanas: O Unico Caminho Para a Trascendencia da Humanidade

domingo, março 29th, 2015

O divulgado debate motivado por uma companhia de taxis americana – Uber – tem levado os debatedores há uma inquietante pergunta: porque os motoristas não se associam derrubando a companhia que leva a maior parte dos lucros?! Seguindo este artigo indico aqui varios links para o debate, mas isto vem a tocar num ponto crucial muito mais profundo sobre o inteiro estado existencial da Humanidade hoje e o que ela vai fazer de seu futuro.

90% ou mais da população humana está sendo torturada como nenhum animal antes o foi. Todos os dias são obrigados a levantar da cama cêdo e ao invés de escolher o que fazer do novo dia como os animais podem fazê-lo, são dirigidos como nos currais para passarem o tempo todo enquanto o Sol estiver a pino num local movendo o corpo mecanicamente e quando o Sol se põe, voltam para suas caixas de cimento chamadas de apartamento ou casa popular até repetirem tudo no dia seguinte. 90% dos humanos tornaram-se meras peças de uma máquina na qual o grande objetivo da evolução natural foi represado: a mente desse povo está aprisionada sem a liberdade de crescer pela indusão do conhecimento. E é claro, o mesmo roteiro quando foi repetido antes por muitas espécies vivas resultou na Natureza descartando-as para sempre. Mas existe ainda uma possibilidade de salvação para a Humanidade escravizada e condenada assim à sua extinção.

Este estado atual da Humanidade se deve ao fato de que o humano é herdeiro do animalismo dos animais o que determina as regras no mundo selvagem. Esta regra suprema é a divisão dos animais entre grandes predadores, médios predadores e as prêsas. Tal como nas selvas, a Humanidade está dividida entre 1% de grandes predadores, 5% de médios, e o restante na condição destas peças escravas. Portanto,  para que a Humanidade seguisse um roteiro novo, inédito, diferente de todos os animais, seria necessário que ela se distanciasse dessa herança animal, o que significaria a transcendência para uma nova espécie.

Isto significa que a Humanidade deveria terminar uma vez por todas com esta regra de divisão sustentada pela diferença de fôrça entre os seres vivos. Mas como fazê-lo? Obviamente não existiria como mudar os dois grupos de predadores convencendo-os a não usarem sua maior fôrça nas relações sociais. Sonhar com isto seria utopia.

Existe um fenômeno muito estranho nessa milenar divisão social. Me refiro à quantidade de fôrça das três classes sociais. Creio ser patente e evidente que a maior fôrça – quando analisamos o coletivo das classes sociais e não os seus indivíduos separados entre si – pertence à terceira classe baixa, dos 90%. Onde os indivíduos separados entre si são os mais fracos de todos. Esta maior fôrça nunca foi aplicada pelas prêsas e sempre foi cedida gratuitamente para os predadores se situarem como classe dominante. Porque esse fato ilógico, irracional, sempre aconteceu com os animais e está a se repetir com a espécie humana?!

Este questão me tem esquentado a cabeça desde minha juventude quando escapei da escravidão para viver isolado na selva com os animais inferiores, onde sempre fui o rei. Então meus olhos tem ido da observância das regras na selva à observância das regras na civilização humana e vice-versa. É fácil perceber que a causa fundamental que mantem as prêsas como vitimas na selva é a inexistência de uma linguagem para comunicação entre elas. Mas as prêsas humanas possuem esta nova propriedade da linguagem, então porque insistem em cederem sua força que se volta contra elas mesmas?!

Observo um rebanho de 300 antas ou capivaras pastando no vale à luz do sol. Pouco distante dali tem a colina, e no seu alto meia duzia de leões dormem preguiçosamente. Ou um bando de 100 macacos pequenos pulando e uivando em umas poucas arvores, até que meia duzia de grandes macacos chegam e fazem a carnificina canibalizando a própria espécie. Mas basta quando caminho uma centena de quilômetros para trocar meu ouro e pedras por suprimentos na aldeia, alcanço antes uma grande empresa mineradora. Observo dos muros algumas centenas de homens trabalhando de sol a sol retirando minério de ferro e trocando por dinheiro, quando então chegam meia duzia de gordos engravatados e se apoderam de quase todo aquele dinheiro. O significado final dos dois roteiros é o mesmo, trocam-se os cachorros mas a mesma coleira permanece. Em que consiste essa coleira que aprisiona e estupidifica as prêsas humanas? Não é a falta da linguagem. O que será então?!

Vamos nos ater às ovelhas, ou melhor, às antas, e vamos inquirir o que aconteceria se elas tivessem uma linguagem. Como sempre, dentre as ovelhas sempre emerge algumas com uma mutação cerebral que as incomoda sendo ovelhas e as incentiva a serem tambem predadoras. Um exemplo clássico disso na Humanidade foi o ex-presidente Lula. Então o que iria dizer uma anta mutada? -“Temos que arrumar um jeito de eliminar para sempre esse negócio de ser-mos assassinadas e comidas pelos leões. Alguma idéia?”

-” Bem… he… se parar-mos de ficar o tempo todo comendo, neste trabalho de transformar grama em carne, os leões seriam extintos, pois só teriam ossos ou nada de carne para comerem.”

– “Hummm… então a primeira idéia é boicote no trabalho, greve geral. Morreríamos todas antes dos leões. Qual a nossa vantagem? Nenhuma. Não aprovado. Outra idéia? ”

– “Poderíamos agarrar as maiores pedras possiveis  nas nossa bocas, subir mais alto na colina e jogar as pedras em cima deles quando estão dormindo?”

– “Hein?!… glup! E porque não? Voce é um gênio! Sim… pedras soltas de uma certa altura ganham muita força que acertando a cabeça de um lá embaixo pode mata-lo ou aleija-lo ao menos. mesmo que a colina seja muito inclinada, as pedras rolando na sua direção vai pega-los de surpresa e muitos vão rolar colina abaixo. Com a vantagem de que nunca irão se questionar como as pedras caíram e portanto não vão subir e nos achar lá. O que temos a perder? Como você teve essa idéia genial?!”

– “Lembrei-me da lenda de Prometeu e Sísifo. O Deus Jupiter condenou os dois irmãos a um castigo: teriam que rolar uma grande pedra redonda montanha acima até depositarem-na no pico, quando então terminaria o castigo. Mas todos os dias os dois irmãos madrugavam, começavam a rolar a pedra e quando o sol estava se pondo no entardecer ainda estavam no meio do caminho e tão exaustos que deixavam a pedra despencar para baixo,… para começar tudo no dia seguinte. isto simboliza o trabalho operário escravo, todos os dias levantando cêdo e sendo dirigido por outros a ir a um único caminho e tal. Sísifo era pacato, tipico exemplar do povo-massa, e nada reclamava, estava subjugado mentalmente ao castigo pela eternidade. Mas Prometeu era tendente a predador, guerreiro, rebelde e não se conformava com aquela situação. Então um dia quando começaram a rolar a pedra e antes de se cansarem, Prometeu deixou o itrmão sózinho segurando a p[edra e subiu a montanha de mãos livres. Chegou ao topo sorrateiramente e avistou o que havia no pico: o trono de Jupiter, com o deus ali sentado, e era tudo iluminado por várias tochas no chão. Sem Jupiter perceber, Prometeu pegou uma tocha e desceu. Com o fogo fêz o ferro, as ferramentas, a alavanca, e pôs facilmente a pedra no pico.  mas poderia ainda ter feito uma catapulta e acertado Jupiter na cabeça. Assim podemos fazer com os leões… mesmo que matemos um ou dois por dia… podemos elimina-los a todos.”

Transportando esta lição para a situação da Humanidade… tambem daria certo, mas muitas ovelhas morreriam o que impede que se decidam à união necessária para tal.  A solução para os 90% humanos seria o cooperativismo total no consumo e no trabalho boicotando totalmente em tudo, os 10%.

Eu nasci condenado a ser escravo, sem família, casa e fisicamente débil. E com outra deficiência: sem a menor tendencia a ser predador. Portanto nunca seria uma destas raríssimas excessões dentre os 90% que se tornaram tambem predadores. Mas nasci rebelde sem concordar com a condenação e escapei da senzala para o mato como fizeram alguns escravos negros.  Tambem não gostei da vida isolada na selva e procuro uma maneira de viver numa civilização de humanos sem escravo e nem predador. Sei que todo humano foi condenado antes de nascer a “produzir com o calejar de suas mãos o que consumir” e por isso estou conformado que devo trabalhar revolvendo a lama para não vampirizar a energia de outros da minha espécie.  Preciso de uma civilização de humanos exorcizados deste instinto animal de ser ou predador ou prêsa. Existiria uma unica maneira de obter tal civilização: imitando Prometeu.

Mas para o Prometeu moderno libertar-se a si e ao seu irmão, a tocha de  fogo é outra.  Diferente dos animais, os humanos conseguiram uma linguagem e uma conexão por comunicações. Porem justamente a linguagem foi apoderada pelos grandes predadores como principal arma para manter os seus escravos. Com a manipulação da linguagem criaram uma cultura que entorpece e desvia o cérebro dos escravos da realidade do mundo. Todos os fenômenos e eventos naturais foram maquiavélicamente transformados em palavras que descrevem falsamente todos os detalhes do mundo real e tais palavras com suas consequentes falsas imagens foram introduzidas nos cérebros escravos de maneira que possam ser manipulados.

Um dos exemplos foi a frase “a Terra é o centro do mundo e o Sol gira em torno dela”. Foi cunhada quando a simples estratégia denominada “religião” era suficiente. Mas como sempre, emergiu dentre as antas uma chamada Copérnico que subiu mais alto e descobriu que é o Sol que está parado e no centro. Quando a velha falsa frase deixou de produzir o efeito requerido pela cultura tradicional predadora, tiveram que rebuscar outra falsa, e surgiu a de que “a Terra como todos os demais astros surgiram pelo mero acaso de concentração de átomos pesados que flutuavam no espaço sideral”. Se a mentira de um deus protegendo a Humanidade dividida entre predadores e vitimas não funcionava mais, a mentira das origens por acasos leva a vitima a acreditar que é mera verruga inconguente que nada tem a fazer nesse imenso universo, um verme débil sem escolha, e nisso deve se conformar com sua situação de escravo na Terra. Mas…

A tocha de fogo do Prometeu moderno é a verdadeira e verídica cultura. É dar a cada fenômeno e evento do mundo real a sua palavra certa, o seu nome correto,  a sua definição exata. Por exemplo, no caso citado, os astros surgem formando sistemas naturais, e sistemas naturais, como nós humanos o somos, surgem criados por outro sistema previamente existente. A História natural universal é a mera história da evolução de um sistema natural que contem uma essência em código que nunca foi destruída antes… portanto, o humano como forma atual deste sistema será na forma desse código, jamais destruído. Ele é o Universo aqui e agora que adquiriu pernas e aprendeu a caminhar. E está aqui para evoluir, não para ficar eternamente repetindo o arrastar de uma pedra.

Assim na selva nasceu uma nova cultura reinterpretando diferente todos os fenômenos e eventos naturais. E foi sorrateiramente infiltrada na Humanidade através de um meio de linguagens chamado Internet, a qual nenhuma força na Terra poderá mais suprimir. A “Teoria da Matrix/DNA”, com seu sub-titulo “A Fórmula Universal da Matriz/DNA para todos os Sistemas Naturais e Ciclos Vitais” desmascara a Matrix dos Predadores que tem ludibriado e mantido os 90% numa escravidão virtual. Esta nova tocha de fogo tem a potencia necessária para libertar a Humanidade do jugo de seu passado animalesco e caminhar para sua transcendência a uma nova forma, digna de se elevar ao pico do Cosmos e finalmente elucidar o mistério do que ou quem ali está assentado no trono do mundo.  Prometeu deixou seu irmão sózinho com o fardo da pedra para se desviar da sina e subir ao pico, o que o fêz libertar seu irmão. Assim como deixei meus irmãos no trabalho forçado e me desviei para a selva. Mas tambem alcancei o pico e trouxe a tocha de fogo.  Que ilumina o mundo real eliminando as ilusões e este mundo real ensina o cooperativismo no trabalho e consumo mais o boicote aos predadores é a chave para a final exorcização do animal da alma da alma humana. Allelluya!

xxxx

Socialize Uber

Uber isn’t driving gender equality: Why its new hiring scheme is a road to nowhere

http://www.salon.com/2015/03/28/uber_isnt_driving_gender_equality_why_its_new_hiring_scheme_is_a_road_to_nowhere_partner/?utm_source=facebook&utm_medium=socialflow 

Could Uber be Collectivised?

http://futureconomy.com/could-uber-be-collectivised/

A forum for uber drivers

http://uberpeople.net/