Archive for julho 18th, 2016

Ateísmo Surgindo Numa Criança: Doutrinação?

segunda-feira, julho 18th, 2016

xxxxx

O vídeo abaixo trata do depoimento de uma criança de 8 anos sobre uma visão de mundo existente em outras mentes adultas humanas e chamada de ateísmo. E por algum motivo ( doutrinação, ou mutação genético-neuronial, etc.) ela pensa já ter decidido ser uma visão de mundo correta. Isto incomoda a visão de mundo chamada de Matrix/DNA, a qual ‘e minha preferida porem não aceita como Verdade Ultima, e por isso publiquei nos comentários do vídeo o seguinte post abaixo. A seguir exponho o link para outro vídeo como exemplo de como esta doutrinação se faz via Internet e tambem, a seguir, meu comentário publicado:

Post de Luois Morelli: 18/07/2016
Acredita na Ciência?! Mas a ciência apenas lida com os fatos que ela pode lidar ate agora, e ela mostra, comprova, estes fatos. E quando a Ciência lidou com a tal poeira que fez o mundo?! Quantos estudantes a Ciência levou ate aquele evento e provou que ele de fato aconteceu?
 
E’ triste ver uma mente ainda tao infantil, ingenua, de um ser já lastimável que foi produzido por esta biosfera caótica, condenada antes de nascer a morrer um dia… a um tipo de vida absurdo, sendo conduzida por adultos a aceitar sua debilidade e submeter-se ao mundo e sua existência como lhe foi imposta. Ela diz: “Eu vou morrer ( isto e’ fato comprovado cientificamente) – e tudo vai se acabar para mim – dizem os adultos meus sacerdotes (os quais nunca poderiam dizer isso enquanto a neurologia não explicar o que e’ a consciência e não explicar como os neurônios estão relacionados a mente e explicarem os milhões de fatos ocorridos no âmbito da parapsicologia, pois isto não e’ fato cientifico, isto e’ a “teoria” deles).
 
Deixem a mente das crianças livres. Livrem-nas da doutrinação mistica religiosa, porem nada ponham em seu lugar, nenhuma outra doutrinação, pois nenhum humano sabe nada e não tem autoridade para drogar suas mentes. Acreditar na Ciência e’ acreditar nos poucos fatos e limitados ao nosso imediatismo ambiente, a Ciência humana nunca saiu daqui para trazer alguma confirmação do que existe ou não existe em tempos e espaços alem de nossos ridículos horizontes. Ela esta acreditando em teorias cientificas, as quais existem apenas na mente de humanos e não na Ciência. Quem a enganou desta maneira?
 
Nos temos inimigos mortais. O maior terrorista e’ a forca que degenera corpos-sistemas levando-os a morte. Nos temos que investigar este inimigo incansavelmente para ir expulsando-o do nosso território, aumentando a nossa longevidade. Temos os inimigos que produzem este corpo débil, os que destroem nossos ambientes, etc. Nos temos que conduzir estes nossos corpos `a transcendência para uma forma cada vez mais eficiente e poderosa. Mas um deísta ou um ateísta se tornam inúteis nestas batalhas, porque se desviam para outros caminhos e aceitam passivamente a ação destes inimigos.
 
Teacher! Live our kids alone! – já dizia Pink Floyd, referindo-se a liberdade de cada um em elaborar sua própria visão do mundo.
xxxx
E um video exemplar de como esta sendo administrada esta doutrinacao via Internet: ( a seguir meu comentario postado no Youtube.

Por que sou ateu?

Louis Charles Morelli

Você deve saber que os fanáticos ateus de Mao invadem as propriedades e matam os monges do Tibet alegando que a religião deles e’ opio do povo. Stalin, outro ateu, fez o mesmo. Então, se você quer realmente um compromisso com a evolução da Humanidade, não fomente o ateísmo porque existem mentes fracas mas que podem tornarem-se ditadoras, usarem seus argumentos para as justificativas mórbidas deles e você não terá controle sobre eles.
E pare de usar o método cientifico, e seu nome mais arrogante – Ciência – como muleta para o ateísmo. A Ciência lida com fatos, mostra fatos e não tem opinião, principalmente sobre o espaço e o tempo que ela não alcançou ainda, mas sobre os quais a crença ateísta se fundamenta. Que a evolução seja um processo cego, que a admirável complexidade construída por partículas fundamentais,sejam meros produtos de uma sucessão fortuita de acasos, e’ uma valida teoria, porem ainda e’ uma “teoria”. Todas as teorias foram remendadas, modificadas, completadas, portanto, acreditar no estado atual de uma teoria, e disseminar esta crença, e’ o que as religiões misticas tem feito. E teoria não e’ um fato demonstrado cientificamente.
Você acredita na “gravidade”? Então o que você entende por gravidade? Se todas as forças naturais são dicotômicas – todas tem sua anti – qual e’ a anti-gravidade? Esta força que esta fazendo o Universo se expandir, ao invés de se contrair, como teria feito a gravidade? De que e’ composta a gravidade? Porque ainda não demonstraram sua partícula fundamental, teórica, o graviton?
Mas não use esta palavra intelectualmente elegante para impressionar-se a si mesmo, pois o que existe e todo humano, todo mistico religiosos sabe, ‘e que o que estiver solto no ar acima da Terra vai cair no solo. Se nenhum religioso e’ louco para saltar no ar, porque estas usando um argumento sem sentido? Como a gravidade se torna uma extensão dos campos eletromagnéticos dos corpos? Qual a ação da gravidade nos outros estados de densidade da matéria, como nos vários estados previstos pela String Theory e suas 11 dimensões?
Quando Newton teve a sua grande ideia da “gravidade”, ele o fez ao abandonar o chamado de descartes para a omnisciência, o inteiro conhecimento do todo, e admitiu que ele ignorava qual era o componente central de seu sistema – gravitação.
Acreditam em Deus e nada entendem de Deus, como acreditamos em gravidade mas não sabemos o que ela e’. Vamos aceitar a existência das forças de atracão e repulsão, mas dai transformar um conjunto teórico sobre estas forças com o nome de gravidade em ferramenta do acaso absoluto e’ perda do controle mental, porque a mecânica celeste de fantastica eficiente engenharia sugere que a fonte da gravidade pode ser qualquer outra coisa, menos o acaso. Algo contendo em si um principio de ordem e previsibilidade esta’ por trás da força gravitacional. Obviamente. E obviamente este algo esta acima das galaxias, onde a gravidade foi introduzida. E qualquer assunto relacionado ao “alem das galaxias” escapa totalmente ao nosso conhecimento, tudo o que se afira sobre aquele dimensão sera’ artigo de fê. Então a evolução cega, a complexidade produzida pelo acaso, tem que ser um estado de fê, mistico, religioso.
Você sabia da teoria que defende existirem seis faixas de orbitas em volta de uma estrela porque esta força que chamam de gravidade nada mais e’ que a força das ondas de luz emitidas pelas estrelas? E que estas ondas imitam as faixas de frequência vibracionais das ondas de luz, que cada planeta tem sua especifica medida vibracional, e por isso os planetas se movem dentro destas faixas especificas que coincidem com sua vibração? E que a Ciência ainda não tem como derrubar esta teoria? Mas ai a partícula fundamental seria o fóton ( este sim, já detectado) e não o graviton.
Eu prefiro a visão de mundo denominada Matrix/DNA Theory porque ela tem acertado mais que todas as outras, nas suas previsões. E esta teoria sugere que a enorme complexidade de hoje evoluída a partir da singularidade inicial o foi porque existe uma formula natural inserida nesta longa cadeia de causas e efeitos que vem rolando a 13,7 bilhões de anos. Mas desconhece-se a origem desta formula. Apenas se sugere que os sensores do cérebro humano não podem capta-la e portanto não pode processar esta informação e portanto ACREDITAR EM QUALQUER VISÃO DE MUNDO E’ IRRACIONAL. Seja deísta, ateísta ou outro diabo qualquer inventado pelos pequeninos e limitados cérebros humanos.
Devemos sim, criticar e não participar de maneira nenhuma destas organizações, mafias, religiosas. Mas o método correto e responsável de minar seus alicerces e’ investir mais na busca cientifica e mostrar os fatos reais. Eles por si só vão desmascarar as mentiras de hoje. E vão nos encaminhar para o caminho correto, a Verdade correta, que deve ser uma alternativa diferente da dicotomia “existe Deus, não existe existe Deus”. O que existe de fato nosso cérebro ainda não pode processar.

Luz tem Interacoes com a Materia que sao discriminadas pelos instrumentos eletronicos, como previu a Matrix/DNA

segunda-feira, julho 18th, 2016

xxxx

… from a theoretical standpoint, “Most light-matter interaction processes are ‘forbidden’ by electronic selection rules, which limits the number of transitions between energy levels we have access to,” Soljačić explains.

For example, spectrograms, which are used to analyze the elemental composition of materials, show a few bright lines against a mostly dark background. The bright lines represent the specific “allowed” energy level transitions in the atoms of that element that can be accompanied by the release of a photon (a particle of light). In the dark regions, which make up most of the spectrum, emission at those energy levels is “forbidden.”

Read more at: http://phys.org/news/2016-07-realms-light-matter-interaction.html#jCp

Study opens new realms of light-matter interaction

July 15, 2016 by David L. Chandler

Matrix/DNA: A Matrix/DNA sugere que os sistemas naturais ditos inanimados ou não-vivos executam funções mecânicas que se tornaram, com a evolução, as propriedades vitais. Então ela sugere um novo e diferente modelo teórico para sistemas atômicos e astronômicos, nos quais, as ocultas funções biológicas aparecem e podem serem identificadas. Esta sugestão e’ totalmente estranha ao mundo intelectual acadêmico moderno, cujos cérebros não conseguem processar o significado disso e seus efeitos no mundo real. Mas isto acontece porque as ciências tem focalizado e percebido apenas os aspectos mecânicos e eletromagnéticos destes sistemas, e esta percepção limitada cresce devido o feed-back proporcionado pelos instrumentos científicos que são meras extensões dos sensores cerebrais. Assim, os instrumentos científicos reforçam a crença em que o mundo real contem apenas o que se percebe, e as características biológicas – que não são mecânicas nem eletromagnéticas – não são admitidas por este mode de ver o mundo.

Mas o esforço das pesquisas vão aprimorando tanto os sensores cerebrais como suas extensões tecnológicas e com isso vão entrando nas faixas das dimensões indivisíveis e adivinhando ou descobrindo novos fenômenos. Estes novos fenômenos vão, por sua vez, confirmando os modelos teóricos da Matrix/DNA.

Trechos do artigo dignos de nota:

With this new study, Kaminer says, “we demonstrate theoretically that these constraints can be lifted” using confined waves within atomically thin, 2-D materials. “We show that some of the transitions which normally take the age of the universe to happen could be made to happen within nanoseconds. Because of this, many of the dark regions of a spectrogram become bright once an atom is placed near a 2-D material.”

Electrons in an atom have discrete energy levels, and when they hop from one level to another they give off a photon of light, a process called spontaneous emission. But the atom itself is much smaller than the wavelength of the light that gets emitted—about 1/1,000 to 1/10,000 as big—substantially impairing the interactions between the two.

The trick is, in effect, to “shrink” the light so it better matches the scale of the atom, as the researchers show in their study. The key to enabling a whole range of interactions, specifically transitions in atomic states that relate to absorbing or emitting light, is the use of a two-dimensional material called graphene, in which light can interact with matter in the form of plasmons, a type of electromagnetic oscillation in the material.

Pesquisa:

Plasmons:

https://en.wikipedia.org/wiki/Plasmon

In physics, a plasmon is a quantum of plasma oscillation. As light consists of photons, the plasma oscillation consists of plasmons. The plasmon can be considered as a quasiparticle since it arises from the quantization of plasma oscillations, just like phonons are quantizations of mechanical vibrations. Thus, plasmons are collective (a discrete number) oscillations of the free electron gas density. For example, at optical frequencies, plasmons can couple with a photon to create another quasiparticle called a plasmon polariton.