Archive for dezembro, 2016

Alexis Carrel Diz que essa Civilização Indesejada foi Construída pela Ciência. A Matrix/DNA Discorda

sexta-feira, dezembro 30th, 2016

xxxx

O texto copiado abaixo, do grande filósofo Alexis Carrel, me deixou desconfortavel, pois me parece fora de foco. Vamos ao texto e depois `a nossa opinião:

Alexis Carrel

França
28 Jun 1873 // 5 Nov 1944
Cirurgião/Fisiologista/Biólogo

Civilização Construída ao Acaso

A civilização moderna encontra-se em má posição porque não nos convém. Foi construída sem conhecimento da nossa verdadeira natureza. Deve-se ao capricho das descobertas científicas, do apetite dos homens, das suas ilusões, das suas teorias e dos seus desejos. Apesar de ter sido edificada por nós, não foi feita à nossa medida.
Na verdade, é evidente que a ciência não seguiu nenhum plano. Desenvolveu-se ao acaso, com o nascimento de alguns homens de génio, a forma do seu espírito e o caminho que tomou a sua curiosidade. Não se inspirou de modo nenhum no desejo de melhorar o estado dos seres humanos. As descobertas produziram-se ao sabor da intuição dos cientistas e das circunstâncias mais ou menos fortuitas das suas carreiras.
Se Galileu, Newton ou Lavoisier tivessem aplicado os poderes do seu espírito ao estudo do corpo e da consciência, talvez o nosso mundo fosse diferente do que é hoje. Os cientistas ignoram para onde vão. São guiados pelo acaso, por raciocínios subtis, por uma espécie de clarividência. Cada um deles é um mundo à parte, governado pelas suas próprias leis. De tempos a tempos, certas coisas, obscuras para os outros, tornam-se claras para eles. Em geral, as descobertas são feitas sem nenhuma revisão das consequências. Mas a forma da nossa civilização resultou dessas consequências.Alexis Carrel, in ‘O Homem esse Desconhecido’

xxxx
E a sugestão que extraio vendo o mundo pela perspectiva da Matrix/DNA:
Primeiro, existem muitas evidências para que as grandes descobertas científicas nao tenham sido produtos do acaso. Para a maioria delas existem relatos de acontecimentos paralelos em várias partes do globo em que outras pessoas estavam buscando na mesma direcao. Por exemplo, eu descobri a (teoria da…) formula da Matrix/DNA na selva, por volta de 1980. Sem publicá-la em lugar algum ( apenas registrando os direitos autorais no Brasil em 1990 e nos USA em 2000), dois irmãos estavam pesquisando e planejando o filme Matrix. E nesse tempo surgiram teorias relacionadas a uma matriz universal em vários paises, basta ver quantos websites existem no Internet. Pode-se notar facilmente que nenhum autor conhecia as teorias dos outros.
Mas assim foi com Einstein e a Luz, com Darwin e a Evolução, etc. Até o avião, surgiu quase ao mesmo tempo com Santos Dumont na França e com os dois irmãos nos USA. Portanto a teoria de que existe uma especie de inconsciente coletivo que conduz os cérebros `a evolução simultânea, ou que o cérebro humano sempre vai alcançar novos conhecimentos `a medida que sua configuração neuronal vai se complexificando – e isto em termos de população e nao de indivíduos isolados – não pode ser descartada.
Segundo, a Ciencia nao constroi civilizacoes. Quem constrói civilizações sao humanos, usando ou nao a seu bel prazer os conhecimentos científicos e suas tecnologias `a disposição.  E nestes humanos que construiram civilizacoes existiu uma carga genética herdada dos ancestrais animais. Os animais nao construíram as regras sociais, de poder, nas selvas ou desertos, mas assimilaram o que a Natureza tinha construído. E tanto na selva, como nos ares e nos mares, vemos a divisão social em três classes, determinadas pela força bruta dos agentes sociais: a) os grandes predadores; b) os medios predadores; c) as presas. Ora, todas as civilizacoes humanas, desde o escambo ao feudalismo ao comunismo ao capitalismo como a civilização moderna imita o mesmo figurino. Todas sao divididas entre a classe alta dos aristocratas, a classe média, e a classe dos pobres, C. Nossa civilização moderna esta assim nao por acaso, ela foi determinada assim pela Natureza.
Se ela está indesejada, nao nos convém, e’ porque ou somos da classe media ou da classe C. Claro, para os aristocratas ela esta otima. Mas se ate os animais, o ambiente produzia os seres vivos, com o emergir do homem, este passou a produzir o meio-ambiente. As selvas deram lugar a cidades, fazendas. A seguir, este novo ambiente produzido pelo homem das primeiras gerações, produziu os humanos das gerações seguintes. Enfim, o ambiente produz o homem que produz o ambiente que produz o homem…
Ora, quando o homem produziu seu ambiente poderíamos dizer que agora as civilizações não sao mais determinadas pela Natureza e sim construídas pelo homem. Mas foi a ciência que produziu esta civilização? Nao. As tribos começaram  serem formadas com usos e costumes que se tornaram regras mas ditadas pelos humanos mais fortes atraves de uma criacao muito sutil, gerada pela evolução do cérebro: a cultura. Sentados a beira do fogo para conversarem, era o mais forte que falava mais alto e falava mais e ninguém ousava contrariá-lo, como hoje ninguém contraria o chefe numa reunião no trabalho. O mais forte interpretou o mundo a sua maneira, de forma que lhe era conveniente para manter e melhorar sua condição de vida, inventou deuses fortes a sua imagem e semelhança, e o resultado hoje observável e’ que ele conservou, imitou autenticamente o mesmo sistema da selva. Porque? Porque ele tinha em si a carga genetica tendente ao instinto de predador, inclusive, em relacao a sua própria espécie. Então, voltamos ao início, ficando com a impressão que a natureza – que criou essa garga genetica – continua determinando os modelos de civilizacao.
Se o grande predador utilizou e aplicou as benesse de poder oferecidas pelas ciências, foi simplesmente por causa da força bruta, de seu poder, pois tudo o que e’ produzido pela humanidade e’ abocanhado por ele.
Esta tragédia foi um mal necessário. Imaginemos que is humanos que nascem com o instinto para se conformarem como presa, com a ajuda do novo intelecto, observassem que sua união pode desbancar a aristocracia. E que realmente a desbancassem e assim teriam o poder sobre as ciências e seus produtos. Ao invés da civilização moderna fazer o que está fazendo, continuando a ser progressista por causa das descobertas cientificas e suas tecnologias, ela estaria caminhando para se assentar de uma maneira auto-sustentável e continuar a conservar este estado eternamente… enquanto as mudanças do planeta nao a dizimasse. Pois os predadores continuam o progresso porque eles sao insaciáveis, em termos de territórios e quantidades de ovelhas em seus territórios, em termos de luxúria no descanso, etc. E a grande massa de presas tende ao equilibrio eterno, portanto, os avancos das ciencias seriam interrompidas e combatidas, quando se conseguisse instalar uma civilização no modelo do ” Admiravel Mundo Novo”, de Huxley.
Nossa civilização moderna – desculpe senhor Carrel – nao e’ produto do acaso e nem da ciência, mas sim da Natureza. Se a Natureza e’ produto do acaso, isto ninguém pode saber por enquanto…

Bing Chines Aponta Diferentes Links para Meu Website

sexta-feira, dezembro 30th, 2016

xxxxx

Digitar no Google (ou Bing?) o endereco do Bing Chines e outros paises, e pesquisar sobre meu website, pois sai diferentes coisas do Google

http://www.bing.com/search?q=http%3a%2f%2ftheuniversalmatrix.com&qs=n&sp=-1&pq=http%3a%2f%2ftheuniversalmatrix.com&sc=0-29&sk=&cvid=7D30B8A171324F6EB76DEC282A2DBE19&first=30&FORM=PORE

xxxx

Alguns exemplos do que saiu no Bing Chines:

A matriz dos sistemas naturais ( criado no blogspot em agosto,2011)

http://theuniversalmatrix.blogspot.com/

xxxx

Biologia e a Matriz ( este site foi criado em 2006!)

friday, february 03, 2006

http://biologymatrix.blogspot.com/

xxxx

A  Matriz e Nanotecnologia ( 

FRIDAY, OCTOBER 28, 2005

http://matriznanotec.blogspot.com/

xxxx

 

O Novo Modelo Teorico Atomico Sugerido pela Matrix/DNA Theory

sexta-feira, dezembro 30th, 2016

xxxx

Em outra parte deste website, explico como a Matrix/DNA ve o atomo, bastante diferente de todos os modelos conhecidos. Enquanto o átomo nos modelos conhecidos (ditos científicos, como o de Rosemberg,de Bohr, ou o modelo quântico) sao inanimados, sem vida, o modelo da Matrix/DNA e’ um sistema natural construido pela formula da Matrix, e se nos chamamos um ser humano de “sistema vivo” então temos que dizer o mesmo do átomo, apesar de que este apresenta um tipo de vida muito primitivo, rudimentar.

Agora me deparo com uma pergunta no YahooAnswers que me fez pensar mais no modelo e perceber coisas que nao havia percebido. Estas coisas estão na minha resposta àquela pergunta, copiada a seguir:

Why does an electron inside an atom not fall into the nucleus?

category: Science & Mathematics Physics

Some Atom’s orbitals

TheUniversalMatrix  TheUniversalMatrix · 12/30/2016

Why our heart does not fall into the stomach? Why Earth does not fall into the Sun? Why the eyes does not fall into the brain? Answer: because the space between them is not empty. The space can be fulfilled with meat, fat,blood, or with non-visible gravitational force, or electromagnetic force… be sure the space inside atoms are fulfilled by some force.

But, my Matrix/DNA Theory would ask you: ” Why a human at adult shape can not fall into its own teenager shape? What separates the adult from the teenager is only time, and time is not a substance filling space. The answer is that atom is a system. And systems are built by the process of life’s cycles. If you could fix the seven shapes of a human body during its lifetime, you would get a new system, the familiar system. Systems are formed by those seven different shapes fixed at the same momentum, keeping the dynamic link of time among them. See my avatar, showing how the building block of galaxies are formed by same life cycle of human beings. of course: galaxies are our ancestrals, like reptiles and bacteria…
So, the atom has a nucleus and seven orbitals. Each orbital is a shape of the system during its lifetime. Electrons are merely the energy that express an orbital. That’s why we didn’t know if electron is particle or wave. It is the energy of the orbital.
So, atom is our ancestral system, but, so primitive that it does not express all organs, all parts at same time. When you see an atom with two electrons/two orbitals is like you see walking in the street only a stomach and a heart of a human body. The others parts of a human body system are not expressed. Atoms are our ancestrals, they are alive, in their primitive way. But… remember that Matrix/DNA Theory is a new world view being tested against facts (http://theuniversalmatrix.com)

Your human actual shape is your self momentum/vibrational state. It is different of yours past baby systemic state, teenager state, etc. That’s why in the first answer above the commenter told that the reason is that the electron vibrates in different scale.

xxxx

E por ser importante ( toca no tema “vibração dos corpos”), copio outra resposta aqui:

ElizabethElizabeth · 17 hours ago

Let’s imagine that you have a guitar and when you pluck one of the strings, you hear a particular note. If you do it again, guess what? You hear the same note. The point I’m making is that the guitar string cannot vibrate in any old way. It can only vibrate in a set pattern determined by its physical properties. If you shorten the string length it’ll produce a higher note. If you lengthen it, it’ll produce a lower note. If you apply more tension to it, it’ll produce a higher note. And so on …

An electron behaves in a similar way to a string. It is not a particle like a little sphere but a fuzzy object described by probabilities. And those probabilities are described by a wave equation. So what happens in an atom is that you have an electron described by a probability wave. Because of the dimensions of the atom, the forces acting on the electron from other electrons and from the nucleus itself, the electron probability wave can’t vibrate in any old way. Like the guitar string it can only vibrate in certain ways.

So let’s imagine an electron as a wave. To be in the nucleus the wave would have to be smaller than the nucleus. It would have to be unchanging so the electron probability of being inside the nucleus would be 100%. And what you find is that this would mean that the electron wave has to vibrate in a way that isn’t allowed by the physical system, in a similar way to you tightening a guitar string and finding the note gets much lower … that’s not allowed!

And if you do the maths very carefully and look at the ways in which electron waves ARE allowed to vibrate then you find you get interesting 3D shapes. Some are shaped like spheres (the probability of finding the electron on that sphere is high), some are shaped like dumbbells, some are close to the nucleus, some are further away … these are the electron orbitals of an atom that allow chemical bonds (s-orbitals, p-orbitals, etc).

So, the reason electrons don’t fall into the nucleus is because they act like waves and can only ‘vibrate’ in particular ways, none of which allow them to be inside the nucleus!

The Overview Effect: A Visão da Terra Pelos Astronautas no Espaco

sexta-feira, dezembro 30th, 2016

xxxx

Quando pela primeira vez na história da humanidade, humanos astronautas viram a Terra desde o espaco, tiveram como uma experiencia transcendental, uma súbita mutacao mental. Passamos milhares de anos vendo o ceu desde a perspectiva da Terra e era inevitável que tivéssemos construído nossa visão cerebral como a Terra sendo um solo plano sem fim, e acima dele, o ceu. Subito esta visão cai por terra, e a perspectiva muda para a nocao de que nos estamos no céu e o céu está todo a nossa volta, acima, e mesmo embaixo de nos. Mas o maior foco do vidente está numa pergunta: como a vida existe nesta esfera solitária movente no espaço, e ao menos por aqui, apenas existe nela?!

Este video deveria ser traduzido em todos os idiomas e mostrado em todas as escolas. Surtiria mais efeito que todas as palavras faladas e escritas sobre ecologia e sustentabilidade.

https://vimeo.com/planetarycollective/overview

Crescente Isolação Social: Oportunidade para a Matrix/DNA

segunda-feira, dezembro 26th, 2016

xxxx

Baseado no artigo:

How Social Isolation Is Killing Us

http://www.nytimes.com/2016/12/22/upshot/how-social-isolation-is-killing-us.html?smid=pl-share&_r=0

Isolamento social (solidão) e’ uma epidemia crescente – a qual está sendo conhecida como tendo influência doentias em termos físicos,mental e emocional. Desde 1980, a porcentagem de Americanos adultos que dizem viverem solitários tem dobrado de 20 para 40% da populacao.

Penso que faltou a eles exercitarem e cultivarem a atividade mental na aprendizagem certa, ou seja, relacionada com a busca de informações amplas do mundo real. Completa isso a grande dose de egoismo que ainda mantem a especie humana. Com isso nao descobriram e nao alimentaram um ideal supremo, que nunca tera alcancado seu ultimo limite em vida.

A visão de mundo da Matrix/DNA fornece essa causa suprema,alem de inibir o egoismo. Portanto, devemos ler e pesquisar este artigo e assuntos relacionados.

 

Descoberto Grande Diversidade de DNA no Cerebro: Seria Esta a Plataforma para a Auto-Consciencia?

domingo, dezembro 25th, 2016

xxxx

Sempre se acreditou que cada ser vivo possui um único tipo de DNA, o mesmo em todas as células. Descobre-se agora que ao menos no cerebro, as células neuroniais possuem muitos diferentes tipos de DNA! E’ uma grande diversificação, assim como a vida se diversificou em miríades de formas a partir de um unico cepo primitivo comum.

Observando esta descoberta pela ótica da formula da Matrix/DNA, membro-me que  a evolução caminha por ciclos ou ondas. Quando a especie que esta’ no topo evolucionario chega ao seu limite de complexidade possível, ela decai, gera o caos e renasce de suas cinzas diferenciada em muitas cópias diferentes entre si. Depois estas cópias se amalgamam formando um único elemento novamente, o qual representa a ordem que se levanta do caos, porém mais complexo que o ancestral. E’ como um leque que se abre num lugar simples e se fecha num lugar variado. A grande diversificação de sistemas biológicos – por exemplo – e’ produto da queda desta galáxia na forma de biosfera caótica. Ora, o cerebro humano produziu um novo tipo de sistema natural, que e’ a mente, ou auto-consciencia. Sera’ esta o novo elemento-síntese resultante daquela diversificação?

The brain’s stunning genomic diversity revealed

http://medicalxpress.com/news/2016-09-brain-stunning-genomic-diversity-revealed.html

Medical Press – September 12, 2016

Artigo copiado para traduzir quando tiver tempo:

Our brains contain a surprising diversity of DNA. Even though we are taught that every cell in our body has the same DNA, in fact most cells in the brain have changes to their DNA that make each neuron a little different. (read more)

Genes Salteadores Liquidam Óvulos e Diminuem a Fertilidade

domingo, dezembro 25th, 2016

xxxx

Este artigo exprime um processo natural importante além de trazer novas importantes informações, tais como transposons, os genes salteadores. A cópia de um segmento do DNA pode ser comparada a uma pilha de folhas de um livro que inserimos numa maquina copiadora. A máquina tem que produzir as cópias na sequência certa para que se possa ler e entender o material. Se a maquina nao tiver este controle, folhas podem saltar de uma posição para outra, tornando quase impossível ler o material. isto e’ o que fazem os genes salteadores, pulando para diferentes posicoes e atrapalhando a reprodução do DNA, células e ate’ a reproducao de seres vivos que podem nascerem defeituosos.

Estes genes sao responsáveis pela liquidação de grande parte dos óvulos produzidos no nascer da fêmea. Se eles aumentarem muito e atuarem livremente, a femea pode ficar esteril. Porém, por outro lado, grande quantidade de óvulos aumenta a possibilidade de ovulos defeituosos serem escolhidos numa reproducao, rsultando em seres defeituosos. Os genes salteadores eliminam muitos destes ovulos defeituosos. Então, suspeita-se que eles na verdade seriam uma bênção dissimulada.

Observando o processo pela ótica da fórmula da Matrix/DNA, parece-me que tudo isso ocorre devido ao decaimento pela entropia na face esquerda da matrix.

Copio o artigo para traduzi-lo quando tempo tiver.

 

Fertility: Sacrificing eggs for the greater good

http://medicalxpress.com/news/2014-05-fertility-sacrificing-eggs-greater-good.html

Medical Press – May 29, 2014

A woman’s supply of eggs is a precious commodity because only a few hundred mature eggs can be produced throughout her lifetime and each must be as free as possible from genetic damage. Part of egg production involves a winnowing of the egg supply during fetal development, childhood and into adulthood down from a large starting pool. New research by Carnegie’s Alex Bortvin and postdoctoral fellow Safia Malki have gained new insights into the earliest stages of egg selection, which may have broad implications for women’s health and fertility. The work is reported in the early on-line edition of Developmental Cell.

Bortvin’s team discovered that the fetal egg die-off is connected to segments of the egg’s DNA known as transposable elements or “jumping genes.” As developing eggs gain the ability to guide embryo development, transposons gain the ability to start moving. These ancient virus-like genes begin to leapfrog around the egg’s DNA, thereby producing new mutations, just as transposon movement causes color mutations in ears of corn. A transposable element named LINE1 is the most likely to become activated in mammalian eggs.

Jumping genes can be particularly destructive in sperm and eggs, since much of their is an essential part of the recipe for developing a healthy baby. Think of the genome of an egg or sperm as a stack of papers being photocopied. In order to be read and understood, they have to come out of the copier in the same order they went into it. But jumping genes are like pages that insert themselves at random into the stack, making the reading process difficult or even impossible.

Prior studies by Bortvin and others showed that male germ cells quash the movement of transposons, minimizing mutations and ensuring high levels of sperm production. In contrast, Bortvin and Malki discovered that female mice allow transposon movement to take place, but then get rid off immature eggs harboring the highest number of mutations before the female mouse is even born. The team proposes that this purging process allows for the selective survival of immature eggs whose genetic material has acquired relatively few new mutations.

Bortvin’s group also discovered that the process of immature egg purging must be finely balanced. Overly stringent surveillance could result in excessive egg purging, too few surviving eggs, and premature loss of fertility. Surveillance that is not stringent enough, on the other hand, would allow eggs with a lot of jumping gene-related errors to survive, and lead to a high level of birth defects, such as those caused by an incorrect number of chromosomes in the offspring.

“Our findings suggest that the ovary of a newborn girl already contains both ‘good’ eggs and those destined to give rise to Down syndrome or miscarriages,” Bortvin said. “Further study may show that these ‘good’ cells are ovulated first and the abnormal ones usually come later.”

Importantly, Bortvin and Malki discovered that a drug AZT, which inhibits multiplication of AIDS-causing HIV virus in humans, also alters jumping gene activity in immature eggs. In particular, it is effective against LINE1 transposons. This discovery raises the possibility that the number and quality of immature eggs might be enhanced by drug treatment.

Finally, Bortvin and Malki’s work raises the question of whether this immature egg purge is actually a blessing in disguise. Despite their destructive power, are also the source of serendipitous genetic novelty that can make species stronger and better suited for survival over time. By allowing just the right amount of beneficial -generated genetic variation, female mammals are giving their offspring and species the best chance of thriving in an uncertain, dangerous world

Mensagem de Natal do Descobridor da Matrix/DNA

sábado, dezembro 24th, 2016

xxxx

Mensagem inspirada no seguinte post no Facebook:

Cristina Santos – 12/23/2016

Olho para o resultado dos meus doces de Natal, e sinto empatia com aquela malta revolucionaria que acha que a quadra só gera desperdício………..

E minha resposta/mensagem:

Muito bom, a percepção da Cristina! Sinal de que sua consciência está saindo do estágio embrionário e começando a abrir os olhos. Por meu lado, minha consciência ainda está no estágio fetal, porque ela nao consegue abrir seu “terceiro olho” nem para ver a forma de seu corpo e de que substância e’ feita… ai,…ai,… A dicotomia bonito/feio nos atrai para o bonito, o qual e’ geralmente supérfluo, ou seja, canaliza a energia humana gasta na sua produção para um buraco negro sem fundo, quando a existência atual de bilhões de humanos sendo torturados devido a escassez de producao orientada para eles, mostra esta insensibilidade dos abastados. Ao inves de seleccionar esta dicotomia, devemos selecionar a do “util ou inutil” para a grande causa da humanidade. Mas se você fizer assim, como geralmente faço, vão sempre te chamar de ” um chato de galocha”… Que seja… o que me interessa e’ estar em paz com meu feto de consciência que carrego dentro desta cabeca-ovo..

A Crença dos Acadêmicos Nao Bate com as Evidências na Natureza

sábado, dezembro 24th, 2016

xxxx

É sempre pouco a pouco. Foi pouco a pouco que você foi formado, cresceu, aprendeu e suas formas físicas mudaram. E’ pouco a pouco que a natureza cria novos universos, semeia a vida em novos planetas. Não existem origens súbitas, espontâneas, nem de mundos nem da vida. É pouco a pouco que você encontra o seu propósito. E’ pouco a pouco que o propósito do universo e da vida se revela. É pouco a pouco que você pode se perder completamente. É pouco a pouco que está se formando nosso embrião de auto-consciência, rumo a se tornar cósmica. É pouco a pouco que você constrói um relacionamento. É pouco a pouco que se forma bons e maus hábitos. É no pouco que o grande é forjado. Não existe atalho para a excelência.

Os filósofos gregos quebraram a cara quando acreditaram na geração espontânea da vida. Bastaria deixar um trapo sujo num canto e a vida aparecia. Mas agora os acadêmicos modernos estão crendo em geracao espontanea e súbita de universos, atraves de explosivos Big Bangs, e crendo em origens da vida por acaso! Pior, creem que a evolução ocorre por um erro de transcrição do DNA, ocorrendo uma mutação ao acaso, transformando répteis em mamíferos!

Voce nao saiu da forma de baby para a forma de crianca num relampago! Foi pouco a pouco. Tanto que não e’ possível se estabelecer uma data  fixa para esta mudança.

Este e mais uma motivo, mais uma evidência, para eu preferir apostar na teoria evolutiva da Matrix/DNA. Ela sugere que todas as arquiteturas naturais foram construidas e transformadas pouco a pouco, e explica como.

O Esperimento do Paraiso dos Ratos Tornando-se seu Apocalipse… Vai se Aplicar `a Especie Humana?

sexta-feira, dezembro 23rd, 2016

xxxx

Em 1972, o pesquisador de comportamento animal, John Calhoun, construiu um paraiso para ratos, com bonitas paisagens e alimento gratuito `a vontade. Ele introduziu 8 ratos no paraiso. Dois anos mais tarde os ratos transformaram o paraíso no seu próprio apocalipse, indo `a extinção. O artigo da’ suas explicações do porque isso aconteceu. E a grande questão surge: os humanos serão extintos pelos mesmos motivos? Pois para as causas que o autor e todos os outros estudiosos depois dele encontraram, nao apresentaram as soluções.

O artigo original em inglês está traduzido no website:

http://misteriosdomundo.org/sera-esse-o-fim-da-humanidade/

 

Mas tendo a visão de mundo da Matrix/DNA, nos temos mais explicações, que o autor e os estudiosos nunca pensaram. E temos sugestoes como solucoes. Uma parte da nossa abordagem está escrita no comentario que postei no artigo – as pressas – e que copiei abaixo:

How Mice Turned Their Private Paradise Into A Terrifying Dystopia

http://io9.gizmodo.com/how-rats-turned-their-private-paradise-into-a-terrifyin-1687584457?utm_medium=sharefromsite&utm_source=io9_facebook

Introduction: In 1972, animal behaviorist John Calhoun built a mouse paradise with beautiful buildings and limitless food. He introduced eight mice to the population. Two years later, the mice had created their own apocalypse.

E meu comentario:

Three very important lessons here: 1) Evolution turning back, from complexity (eggs in=mammals), toward singularity (eggs out, abandoning the young = reptiles); 2) The fair distribution problem reveals the division into predators/preys inside one species, which is mimicked by all humans’ social systems; 3) The tendencies towards to be opened system ( which is an opened door to evolution) and the tendency to be a closed system ( which closes the door to evolution and leads to extinction).

Darwinian theory does not explain why natural selection did not work at the transformation from reptile to mammal, and this experiment is more one evidence that there are more mechanisms than we know driving evolution. Only Matrix/DNA Theory has a rational explanation: its astronomical model shows that this transformation happens obligatory to all natural systems because it is encrypted into the formula for systems. Galaxies already has the two mechanisms, first eggs out and then, it becomes eggs in – in relation to the birth and development of astronomic bodies.

When a species super-specialises in a way of living, having satisfied all needs, becomes conservative, extremely selfish and this is the road to closed systems. If we go to Huxleyan “The Brave new World”, under the Orwellyan “Big Brother” we will kill this embryo of consciousness that we are nurturing and stopping all curiosity, mental evolution,etc. The most urge we have now is exorcising from our genetics the animals’ instinct inheritance for to be predator and prey. All social systems mimics the rules of the jungle (big predators=high class, medium predators=class media, and prey=low class).