Archive for janeiro 12th, 2017

Um Anjo Guerreiro no Córtex Bombardeia o Demônio do Baixo Cérebro?!

quinta-feira, janeiro 12th, 2017

xxxx

Cortex (a esq) bombardeia brainstem (a dir) inibindo instintos

Cortex (a esq) bombardeia brainstem (a dir) inibindo instintos

Parece que eles continuam vencendo. Cada dia estão descobrindo novas evidencias para reforçar sua teoria: a de que não existe mente ou consciência, nem separada do cérebro, mas sim, o que existe, são meras reações químicas e impulsos elétricos no cérebro.

Acima da coluna espinhal, logo na nuca e dentro do cérebro, tem uma proeminência que algum cientista antigo denominou de ” Complexo Reptiliano”, ou Complexo R. Seria resquício do cérebro dos repteis que os humanos herdaram e a evolução ainda mantem. Se esta proeminência se expressar mais forte que outras partes do cérebro, um humano atua como um réptil, cometendo as coisas mais hediondas. Talvez como o individuo que atacou outro na Florida e comeu o rosto dele…

Mais modernamente, esta proeminência é denominada “brainstem”, ou “tronco cerebral”, se estou traduzindo corretamente. E sabe-se que ali esta a sede dos instintos, a maioria vinda do comportamento animal. Ela se expressa continuamente e é responsável pelo comportamento agressivo. Perante alguma ofensa, mesmo que apenas verbal, começamos a ter o sentimento agressivo, e isto vem do brainstem. Se o brainstem não sentir resistência do resto do cérebro ou não for por este inibido imediatamente, o sentimento torna-se ato agressivo de fato. O que descobriram agora é relativo a outra parte do cérebro, o chamado cortex pré-frontal, que fica no alto do cérebro. Ao receber o sinal de que o brainstem despertou o sentimento agressivo, ele se contrai e se prepara. Se o brainstem ficar só nisso e não prosseguir para a ação de violência, o cortex relaxa e volta ao normal. Mas se o brainstem iniciar a reação para violência, o cortex dispara um bombardeio de neurônios sobre o brainstem tentando neutraliza-lo. Se conseguir, o humano irado se contem e não agride. Isto é o que se observa ocorrendo na matéria do cérebro e pode-se ve-lo claramente na figura abaixo. Mas…, filosoficamente falando, sera só isso mesmo?

Onde, em que outra situação, a Natureza tem suas forcas fluindo numa direcao, e de repente surgem outras contrarias impedindo as primeiras de se moverem? Ok, acho que podemos detectar varias destas situações. Por exemplo, forma-se um tornado, indo numa direcao, aparece uma montanha, ou um vale, e o tornado morre.

Não, isto não serve, pois a montanha não é uma força que move vindo da direcao oposta. E a montanha não emite nenhuma força contraria ao tornado. Talvez duas nuvens vindas de direções opostas, quando provocam trovoes e relâmpagos? Acho que não, não tenho certeza, mas acho que todas as nuvens numa regiao devem moverem-se na mesma direcao. Bem, fica isto em aberto `a busca de tal situação para que possamos aceitar que a natureza tem capacidade para fazer isto por si mesma. Pois se estes cientistas com esta ideologia puramente materialista querem defende-la, tem que mostrarem que dentro do cérebro ocorrem apenas processos físicos/químicos naturais, caso contrario, se acreditam que esta situação dentro do cérebro ocorre pela primeira vez no Universo, estarão apelando para a magia, estão se desviando para o pensamento magico de todas as religiões.

Porque o cérebro animal puramente instintivo desenvolveu outra parte nele mesmo que o combate,… é uma questão que esta filosofia me plantou na cabeça agora e nunca vi antes sendo perguntada nem respondida. Para mim não faz sentido logico natural, se vamos reduzir o cérebro a eventos físico/químicos, naturais. Ok, mas os materialistas dizem que estas mudanças ocorrem por mutações genéticas as quais ocorrem por acaso nos erros nas duplicações do DNA. Se o erro produzir uma inovação que faca o individuo, ou a população, se adaptar melhor ao ambiente, a seleção natural vai fixar esta mutação definitivamente. Não cola. Para começar, enquanto não aprimorar-mos nossa visão ainda quase cega e nossos sensores poucos e primários, e ficar-mos apenas com estes instrumentos técnicos de pesquisa que são apenas extensões destes poucos sentidos, não podemos acreditar em nenhuma conclusão definitiva sobre o porque ocorrem estas mutações. Em segundo lugar, os primeiros indivíduos com esta mutação jamais seriam selecionados naturalmente pois este novo apêndice os enfraqueceu.

Enfim, eu não acredito ( pois um filosofo naturalista nunca acredita), mas prefiro apostar na teoria de que num animal ancestral começou a se expressar uma antiga propriedade da Natureza que esteve dormente desde os átomos que formaram o cepo primitivo comum, cuja propriedade hoje denominamos de consciência. E esta consciência tem uma força própria que pode atuar sobre a matéria cerebral. E seria esta consciência que dirigiria o cortex a bombardear o brainstem. Mas não tenho provas disso como eles não tem provas de sua teoria, estão fica teoria contra teoria em aberto, sem crendices. Esta notável descoberta sera’ excelente alimento para pensar muito e partir para mais pesquisas do fenômeno. Vamos ao artigo, e nossa pesquisa:

Neural Connection Keeps Instincts in Check

http://neurosciencenews.com/instinct-prefrontal-cortex-5889/

Pesquisa:

PAG

Cn3nucleus.png

Periaqueductal gray – Wikipedia

https://en.wikipedia.org/wiki/Periaqueductal_gray

The periaqueductal gray (PAG) (also known as the central gray) is the primary control center for descending pain modulation. It has enkephalin-producing cells that suppress pain. The periaqueductal grey matter is the grey matter located around the cerebral aqueduct within the tegmentum of the midbrain