Archive for abril 22nd, 2017

Como Compor a Força dos Sistemas Naturais?

sábado, abril 22nd, 2017

xxxx

Observo um senhor bastante idoso, caminhando com dificuldade, o corpo desajeitado. Da’ para entender o porque, em termos de energia. Em todo sistema – vemos isto claramente na formula dos sistemas – a energia tem inicio, cresce, amadurece, degenera e cai. Mas isso acontece também com pedras, rochas, pedaços de minério. Todos irradiam sua energia ate se desfazerem em pó, pura massa.

Então qual a diferença entre um sistema e um objeto inerte, inanimado? Não é a energia.

Mas a energia produzida em F1 é diferente da energia num minério. Qualquer energia que conseguimos usar como eletricidade, nunca vai conduzir um objeto a viver o roteiro do ciclo vital…

Bem,… na verdade a natureza fez isso quando, com apenas uma forma de astro, transformou-o nas outras seis formas. Este astro inicial não era animado, não era sistema. Então essa energia vital, veio de fora dele?

Bem,… ele era composto de pequenos sistemas, os átomos. os quais continham a energia vital.

A questão é: qual o mecanismo que faz uma colonia massificada de indivíduos tornar-se um sistema cuja configuração é igual a configuração do individuo? Assim como uma aglomeração de seres unicelulares formaram os sistemas multicelulares.

Muitos fractais de mesmo tamanho, conectados entre si, geram-se como um fractal maior?

Num ser unicelular temos o lisossomo, que é função 7. Quando os unicelulares se tornam um multicelular, o lisossomo se torna um figado, na função 7. No figado continua a mesma função básica sistêmica, porem muda os materiais, a forma, e torna-se mais complexo realizando sub-funções. Então, este mecanismo que transforma o conglomerado de pequenos fractais num grande fractal, faz com que de uma região do pequeno fractal, e de uma de suas partes, se estenda uma força carregando as informações desta parte para modelar a massa mais externa do aglomerado, produzindo a mesma parte, maior e mais complexa.

Bem, ai já estamos abordando a diferenciação celular, cujo mecanismo os cientistas ainda não conhecem.

O que interessa aqui é que a força que corre nos circuitos dos sistemas não é uma energia simples, conhecida. Senão, bastaria pegar os materiais, a formula, eletricidade, e fazer um motor perpetuo, uma galaxia em miniatura, ate um ser vivo. Mas Stanley&Wilson fizeram isso com imitando a atmosfera primordial e dando descargas elétricas, conseguindo apenas aminoacidos sem vida, sem darem o segundo passo vital. O problema esta na energia que sai do buraco negro em F1.

A teoria geral da Matrix/DNA a todo momento indica que nos circuitos correm fótons que tem em si registrados as informações. Estes fótons são carregados, ou carregam, a energia interna dos circuitos. Então a resposta seria a luz.

O método para obter a energia vital seria aplicar as setes frequências da luz ( ou da onda universal de radiação) nos elétrons, na sequencia exata da formula. Mas como fazer isto? E como saber qual fóton ou qual onda de luz vem de qual sistema para se fazer um sistema previsto?

Isso teremos que resolver, porem não tem como pesquisar e avançar sem ter um laboratorio. A força que corre nos circuitos dos sistemas naturais… é da maior importância.