Archive for julho 12th, 2018

Aberrações psicológicas humanas analisadas pela cosmovisão da Matrix/DNA

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/07/12/casal-e-detido-acusado-de-prender-gemeos-de-tres-anos-em-caixote-no-es.htm?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral

Espaço era pequeno e dividido em dois, para que as crianças não tivessem contato uma com a outra

Analise e solucoes baseada na cosmovisao da Matrix/DNA

O atraso da evolução biológica em certas linhagens genéticas revela essa ausência da empatia, pela qual outra genética mais evoluída com empatia teria a capacidade de sentir em si mesmo o que iria sentir estas crianças quando enjauladas. Mas não pode ser apenas o atraso evolutivo dessa raça, pois alguns animais irracionais nossos ancestrais já demonstram alguns exemplos de empatia. Isto significa que por algum motivo houve um atrofiamento e retrocesso evolutivo, e temos que procurar a resposta para melhorar a qualidade da humanidade. Assim, `a primeira vista, eu chutaria que a causa é a miséria física somada e causada pelo instinto predador da classe dominante nestes lugares. E mais o condicionamento religioso de uma religião que aceitava serem sacrificados os rebentos no altar dos sacrifícios aos deuses, o qual inconscientemente e’ projetado pela crença que é normal aos adultos e pais sacrificarem os filhos. em comportamentos castradores. Cinco seculos e 20 gerações dessa dominação e neste estado pode atrofiar propriedades biológicas e psíquicas que antes lutavam para se fixarem perpetuamente.
Resumo do que do leitor mais evoluído adota como atitude para erradicar este tipo de aberração:
1) Combate não-violento ao instinto predador da classe dominante do lugar;
2) Combate ao instinto de presa genético ( pelo qual as ovelhas saem correndo deixando para trás os filhotes a serem devorados pelos leões) explorado pelos predadores através de suas inventadas religiões para os pais e adultos entendam que não tem que se oferecer os mais novos a sacrifícios de nenhuma maneira;
3) Ensino aos pobres vivendo sob aquele ciclo eterno da miséria a se unirem em associações cooperativas de produção e consumo para boicotarem as fontes de renda e poder da classe dominante.
4) cientificamente fazendo o que estou fazendo: buscando mais conhecimento sobre a propriedade da empatia, da qual já detectei suas origens: ela vem do estado egoísta dos elementos de um sistema fechado egoísta ao se unirem altruisticamente para conservarem aquele estado.
5) Luta pelo controle de natalidade e planejamento dos nascimentos pela sociedade.

Livro: Vantagens de publicar como Amazon Kindle

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

Obtido em Quora:

https://pt.quora.com//translate_answer?source=question_prompt&translate_answer=28264023

Richard Muller 
Richard Muller, Prof of Physics UC Berkeley, author of “Now-The Physics of Time” (2016)

It’s very hard. Best is if you can find an agent. Don’t worry about the 15% agents will take; they earn it.

But what I strongly recommend is that you publish it on Amazon as a Kindle book. Typically, for a hardcover book, the publisher will give you 10% of the face price for the hardcover. That may be $2 to $3 per book. Publish it on Kindle, for $5, and you’ll get a similar amount of money per book!

You might be tempted to say, but if I put it on Kindle, nobody will market it! Nobody will pay for advertisements! That’s true, but for most books, until you hit the best-seller list, even your publisher will not spend money marketing.

I just put my novel The Sins of Jesus on Kindle, and it is selling far far better than it was last year when it was available only in paperback. Incidentally, even though I am a best-selling author in non-fiction, I could not find a major publisher willing to publish my novel.

xxxx

Sergio Correa de Siqueira, antigo quatro livros publicados, uns prêmios literários
Bons conselhos, mas que tal uns práticos de quem já passou por isto?

Você tem três opções para publicar:

Auto edição;

Co-edição;

Edição Comercial.

Na auto edição você paga pela edição dos seus livros, e é responsável pela venda, Não há nenhum demérito nisso, Manuel Bandeira começou assim, e mais muita gente boa.

Na co edição a editora arca com a maior parte dos exemplares, mas o autor deve se responsabilizar pela venda de 10, 20% dos exemplares. Editoras como a luso-brasileira Chiado e a brasileira Kazuá são bons exemplos.

Na edição comercial a editora arca com os custos e os riscos.

Comecei a escrever depois de aposentado, e, como Scarlett O’Hara, prometi: nunca pagarei para ser editado. Meu primeiro e meu terceiro livros foram editados por uma pequena editora (esqueça as grandes, elas nem vão ler seu original se você não tiver uma boa sinopse e um currículo literário), o segundo foi dirigido a uma editora alvo de porte médio bem escolhida, o quarto foi publicado por ter sido premiado. As desvantagens são: marketing deficiente, vendas à brasileira (meu único livro que vende bem é um paradidático vendido diretamente a escolas e Secretarias de Educação; boa grana mas desconhecimento nas livrarias). A vantagem é que sendo o mercado tão restrito e concorrido, ser escolhido afaga o ego.

Eu escolhi agir assim porque: a) passei quase trinta anos fora de casa e não tenho muitos amigos e conhecidos para irem a noites de autógrafos; aliás, hoje só autografo nas organizadas pelas editoras; b) não tenho lábia de vendedor, nem sei me auto promover.

Se você acha que consegue vender cem, duzentos exemplares, aconselho a co edição. Nestes exemplares você não vai ganhar muito – só empatar – mas o simples fato de vendê-los vai ajudar a promover os 800 restantes. Além disso, a Chiado e a Kazuá são rígidas na escolha de autores com potencial comercial, e ser aceito por elas já conta pontos em, seu favor. Eu sempre busco ser aprovado por eles em primeiro lugar, o que uso como barganha com editores comerciais.

Se você tem um milhão de amigos e é um galante pica doce nas cantadas, tente a auto publicação – inclusive, rende muito mais. Tenho um conhecido que consegue vender 1.000 exemplares, e ganhar mais do que eu vendendo 15.000.

Último conselho: entre em concursos, e acumule prêmios literários. Eles fazem o seu currículo e ajudam a vender, muito mais do que você pensa. Visite sempre o blog Blog Concursos Literários

E tenha o couro grosso. A proporção é de vinte “nãos” para um “sim”.

Aceitando a sugestão do Endrio Borges, uma auto promoção (foi ideia dele, eu sou modesto por natureza), meus livros publicados:

BESTIÁRIO AMOROSO e BLUE MOON (esgotados, como Regis Eco) – não baixem a cópia pirata, a 2a. edição já vem aí.

CATITA E OS BYTES PARALISANTES, 2a. Ed., infantil.

O GRANDE MASSACRE DAS VACAS, Prêmio CEPE Romance 2015, finalista Prêmio Oceanos 2017 (o 2o. maior em língua portuguesa).

À venda na Amazon (comprem lá, a gente ganha mais um pouquinho, e custa 1/4 da cópia impressa), na Cultura, Livrarias Curitiba, em Portugal na Bertrand e Wook, na Espanha na Casa del LIbro. (Não sou mercenário, mas obedeci ao Endrio, rsrsrs).

xxxx

Bem… o primeiro passo, naturalmente, é escrever. Para escrever há muitos conselhos… o mais importante é: tem de escrever.
Não interessa se não tem vontade ou inspiração. Se só tem meia hora antes de um compromisso. Tem-se de escrever! É neste aspecto que quero melhorar!!

E ler. Tanto dos outros – muito – como ler e reler o que escrevemos. Esta parte também pode ser muito aborrecida: ficamos com vontade de apagar tudo e recomeçar do principio!! Acontece… olhe, aconteceu a Eça de Queiroz – Wikipédia, a enciclopédia livre (com A tragédia da Rua das Flores, que depois tornaram-se n’Os Maias), portanto não é vergonha nem desastre, apenas trabalhoso! E aqui voltamos ao ponto anterior.

Bem, mas vamos supor que já passámos essa fase. Temos um texto, que relemos e gostámos e gostaríamos de publicar, como um livro.

Hoje em dia não nos podemos esquecer que um livro pode ser físico, digital ou ambos. Pode ser publicado por uma editora, ou pelo autor.

Para ser publicado por uma editora tem de arranjar uma editora que o aceite, sugira alterações, o publique. O bom é que a partir do momento que o livro seja aceite por uma editora o autor pode descansar… quer dizer, as alterações sugeridas (exigidas) podem doer. Mas o resto do processo é conduzido por professionais. Podem pedir-lhe a opinião, mas eles fazem o trabalho sem preocupações. O mau? Além das alterações (algumas até farão sentido) temos a pilha de cartas de rejeição que os bons autores do século passado guardavam. Um novo autor é sempre um risco grande. A menos que o texto em questão tenha ganho um prémio ou o próprio autor tenha algum factor de marketing (ser filha de um famoso ou sobrinha de um político) é muito, muito dificil. Mesmo que o livro seja razoavel.

O outro caminho tradicional é a auto-publicação. Manda-se editar, paginar, o design da capa e finalmente a impressão, tradicionalmente numa certa quantidade: as impressoras tradicionais só compensam a partir das centenas de livros.

Tudo isto representa… trabalho e dinheiro. E cada vez que decidimos algo fora da nossa área (que tipo de papel? de letra? capa dura?) corremos o risco de falhar, e falhar em grande! Mesmo que quem nos acompanhe nesse assunto seja um professional: podemos não nos ter explicado bem! Mas acima de tudo dinheiro.

E finalmente temos a auto-publicação com a Amazon. Desculpem se isto começar a parecer um anúncio. Mas, fiz uma pequena experiência, com um pequeno texto e correu mesmo bem.

Uso o Kindle, para ler: especialmente em inglês. Ao usarmos o Kindle (não é preciso o aparelho, basta a aplicação no computador ou isso) temos logo acesso a um mar de conselhos sobre edição e publicação.

O processo acaba por ter os mesmos passos:

  • escrever
  • editar
  • formatar/paginar
  • cover
  • preço/marketing

E encontra conselhos, livros de how to, grátis para todos eles.

Pode decidir o que quer fazer e o que quer delegar. Mas, seguindo os conselhos, e especialmente se estivermos a falar de uma versão digital, não é assim tão complicado. E pode-se sempre corrigir mais tarde, claro.

Mas o mais fantástico é:
pode disponibilizar uma versão física também. Embora aí a paginação dê algum trabalho, realmente. Mas, seguindo os templates fornecidos, e usando a experiência que teve ao tratar da versão digital, não é complicado.

E é fantástico esta possibilidade que existe hoje de criar um livro físico. As impressoras modernas têm essa capacidade, de imprimir um exemplar de um livro!! Não há portanto qualquer investimento, além do tempo, neste processo todo! E se quiser delegar qualquer parte, como a capa, num serviço, claro.

A minha experiência foi com um pequeno texto, em inglês.. que note-se que não domino bem. Portanto, a verdade é que não tinha intenção de criar um best seller, ou uma obra de arte… era mais para estar disponivel para alguém, do outro lado da Europa..

Mas a sensação que no dia seguinte aquilo estava dispinivel para alguém que o quisesse comprar, em qualquer parte do mundo… é indiscritivel. Claro, que se o original for em português pode demorar mais tempo.

Bem sei que o inglês pode ser uma barreira. Apesar que ler no Kindle ajuda (temos o dicionário sempre à mão). Acabei de ver e existem também livros e artigos sobre como publicar na Amazon em português. Embora esses não sejam grátis… mas também a começar num dolar e pouco não podemos dizer que sejam caros. (não, nenhum escrito por mim! Senão aconselhava-o!!)

Claro que algumas editoras tradicionais já terão impressoras modernas, que permitam tornar a auto publicação tão democrática como na Amazon.
Vou verificar.
Espero amanhã editar esta resposta! :)

xxxx

Você tem uma escolha básica para fazer: você quer que seja publicado por uma editora tradicional ou quer publicar por si mesmo?

Acho que os prós e os contras são algo como:

Editora tradicional

Prós para o autor

  • Não há um custo inicial pra você – a editora paga pela edição, design, e impressão.
  • Alguns acreditam que isso te legitima como escritor.
  • É a maneira mais fácil de ter seu livro em livrarias tradicionais (Embora brevemente).

Contras para o autor

  • É difícil ter seu livro publicado por uma editora, você pode precisar encontrar um agente primeiro. Você definitivamente terá que escrever um livro comercial porque a editora está tomando todo o risco.
  • Seus royalties serão baixos, e é improvável que você avance atualmente como um novo autor.
  • Você ainda terá que fazer a maior parte da publicidade.
  • Você perde o controle criativo de coisas como a capa, ilustrações, e até mesmo escolhas editoriais.
  • Pode levar anos para seu livro aparecer.
  • Seu livro pode ser colocado a um preço baixo e deixar de ser impresso rapidamente também.

Publicar por si só

Prós para o autor

  • O lucro é seu – normalmente para E-Books você receberá 70% das vendas na Amazon – pagamentos também são mais rápidos comparados com as editoras.
  • Você tem o controle, podendo escolher o título exato, fazer escolhas editoriais, tudo é sua escolha final.
  • É rápido – você pode ter o livro pronto o quão rápido você quiser – dentro de uma semana para um E-Book.
  • Você tem contrato direto com seu público, você pode se comunicar diretamente com eles via seu website e e-mail.
  • Seus livros ficam disponíveis quanto tempo você quiser.

Contras para o autor

  • A menos que você seja muito dedicado para fazer as coisas por si só – você precisará pagar especialistas para fazer algumas partes do trabalho pra você (normalmente a edição e o design na capa, no mínimo).
  • Se você vai laçar uma versão impressa, terá que pagar os custos de impressão. (Você pode contar no entanto com impressão por demanda como “CreateSpace”, onde os livros só são impressos se houver pedido dos clientes).
  • É mais difícil ter seus livros em livrarias tradicionais.

De fato, você não tem realmente que escolher; Se sua publicação própria começar vendendo bem, as editoras tradicionais podem se interessar e atrás de você. Então você estará numa posição de barganha bem mais forte do que se você fosse atrás deles.

xxxx

Introducao ao meu livro:

Os jovens que vivem no Ocidente e foram na escola ao menos ate o segundo grau, estao enfrentando a pior crise existencial da mente na historia da evolucao. Esta crise produz a falta daquela motivacao e energia em ter vontade de viver, trabalhar e progredir que caracterizou o comportamento de seus pais, a geracao que produziu esta enorme complexidade de tecnologia. Com a mente flutuando num vacuo escuro, podem vir a depressao, as drogas, os impulsos violentos e suicidas, se somados `a problemas financeiros. Ainda vemos muitos jovens agindo sensatamente, se esforcando nos estudos, procurando trabalhar, mas a forssa dessa motivacao nao vem deles e sim da insistencia dos pais. Mas a causa psicologica que moveu as geracoes anteriores no Ocidente foi principalmente a Biblia , e esta nao funciona mais para estes jovens. A interpretacao do mundo e da sua existencia nele, que a escola ensina, corroi a crenca na Biblia, o motivo religioso nao faz parte mais da sua geracao.

Todo individuo humano quando crianca tem amigos fantasmas com quem conversa e estabelece o mundo da magica aos objetos, transformando-os em brinquedos. Pois o que acontece a um elemento humano e’ projetado quando ele compoe um conjunto coletivo chamado “humanidade”, a qual tem a mesma historia de desenvolvimento mental. Desde que a humanidade ate as ultimas geracoes ainda estava na sua fase de infantilidade mental, e’ compreensivel que ela tenha tido seus amigos imaginarios e invisiveis com quem ela partilhou seus pensamentos e de onde obteve sus valores morais e motivacao para se comportar de uma maneira que a vida progrediu. Mas o conhecimento cientifico correspondeu a passagem da fase infantil para a adolescencia onde se comeca a cair na realidade da vida, a qual elimina os amigos invisiveis e a magica. Principalmente a consciencia ecologica denota esta passagem.

O conhecimento cientifico e seu produto, a tecnologia, e’ obtido na escola. Mas o curriculum escolar cometeu um erro gravissimo. Ele mentiu para os estudantes assim como os autores da Biblia e criadores do papai Noel mentiram para nossos antepassados. O que e’ biologica e evolucionariamente compreensivel: a adolescencia e puberdade nao e’ a entrada na realidade do mundo, mas sim numa fase de meia-realidade/meia ilusao. E’ notorio o estado mental dos jovens como desafiadores quase suicidas das forssas reais e uma certa arrogancia crendo numa visao do mundo que nao corresponde a realidade. O curriculum escolar e’ elaborado por adultos e suas interpretacoes do mundo, porem estes adultos individuais sao a humanidade em sua fase de adolescencia e puberdade.

Quando a escola mentiu aos estudantes, o que ela fez, na pratica? Ela encolheu a aura da imaginacao mistica no cerebro da crianca, destituiu-a da sua prazeirosa interpretação dos objetos e ambiente ao redor, e no seu lugar instalou “nada”, uma nova interpretacao mistica do mundo que e’ exatamente a oposta a interpretacao magica anterior, o que a caracteriza como a outra face da mesma moeda: a mistica. As erroneas interpretacoes da realidade. Nessa sua funcao de se desdobrar em tudo que seja oposto `a primeira onda mistica,  ela inverteu a motivacao para viver em nao-motivacao.

Mas o ensino escolar também não esta fornecendo essa motivação e energia para ter vontade de viver e progredir. De que adianta eu sacrificar tudo no trabalho buscando ser rico e poderoso, se a escola e a midia me mostram  as fotos de um mundo igual para todos os lados que comecou por acaso numa explosao e portanto vai a lugar nenhum? Que viemos de animais primos de macacos, que nao temos nenhnuma alma consciente, pois nossa mente nada mais e’ que mero produto desenvolvido pelo cerebro. E o pessoal da mudanca climatica jurando que teremos o mesmo fim dos dinossauros?

Mas, espere ai. As teorias gerais ensinadas na escola foram elaboradas por quase cegos ( so vemos e tateamos a face de objetos revelados por apenas uma das sete faixas da luz) e com um cerebrozinho tao diminuto com tao poucos e limitados sensores cerebrais, mais alguns grosseiros instrumentos cientificos, perante a incrivel dimensao deste Universo, que e’ certeza que este nosso cerebro nao poderia processar as informacoes da descricao do que o mundo realmente e’, o que realmente significa sua existencia nele.

Como estudante de escola esta’ ainda tudo ai’ para voce pegar firme e trabalhar buscando a motivacao e a energia necessaria para viver alegre, e quando voce estiver busvcando ela, ja’ a tera’ encontrado, pois voce nao vai estar motivado nesta busca? Vou mostrar aqui a voce como isso funcionou comigo a ponto de sozinho e nas piores condicoes de vida, descobrir que existe uma outra maneira de teorizar o significado da nossa existencia e deste mundo, uma nova cosmovisao nunca percebida por ninguem mais, nem as religioes e nem as escolas sabem dela.

Aposto que voce ja tem alguma ideia do que seja um gene. Ha 3,5 bilhoes de anos atras a natureza criou aqui esta extraordinaria obra de engenharia, algo que supera em muito os incriveis bits deste seu incrivel computador. E agora quando olhamos a Terra e nos perguntamos em que pe’ esta’ a evolucao natural aqui, qual o apice desta evolucao, qual a ultima mais complexa arquitetura natural aqui, e so temos uma resposta: a auto-consciencia… que emerge do cerebro humano. Naquela epoca a Natureza construiu os genes para construir o primeiro ser vivo, o primeiro sistema biologico funcional super-complexo: o sistrema celular. Agora a natureza esta criando outro sistema complexo e o que ela usa para faze-lo? Genes.

” Nao, voce nem n inguem pode afirmar isso, nem a neurologia que e’ a dona da area descobriu como surgem os pensamentos, a mente, do cerebro. Os genes criam o hardware, a magquina biologica, o cerebro, mas dai dizer que os genes criam a consciencia e’ um salto no escuro”.

” Voce nao esta entendendo. A Natureza criou genes moleculares para criar um novo sistema complexo. Agora ela criou uma mais complexa forma de genes para criar a consciencia; estes novos genes se chamam “humanos”. cada cabeça humana e’ um ovo onde fiunciona um gene distinto com uma informacao especifica, unica, intransferível, e indispensavel para uma das caracteristicas de uma auto-consciência planetária. E lembre-se: os genes que vieram no genoma de seus pais fizeram seu cerebro e depois subiram todos para este cérebro tornando-se apenas uma personalidade. Assim esta você indo constituir uma só personalidade, que poderíamos denominar de “a auto-consciência de Gaia”.

Mas eu vou trazer aqui uma biblioteca de fatos cientificos comprovados, outra maior de evidencias, e outra grande ainda com as predicoes que esta nova visao do mundo fez a mais de 30 anos atras e no meio da selva amazônica, já foram confirmadas pelas novas descobertas nestes 30 anos. Você vai compara-la com a cosmovisão ensinada na escola, vai ver que as duas estao firmadas nos mesmos fatos, porem o método diferente de conectar estes fatos mostra um m undo muito diferente, e com uma surpreendente motivação para você ter prazer na vida e lutar incansavelmente para ser bem suscedido.

The Oort Cloud: uma coroa esférica, na forma de bolha, envolvendo o Kuiper Belt e o disco plano do sistema solar

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

( Obs: nao confundir the Oort Cloud com o Kuiper Belt)

” The US  agency said: “While the planets of our solar system orbit in a flat plane, the Oort Cloud is believed to be a giant spherical shell surrounding the Sun, planets, and Kuiper Belt Objects.

“It is like a big, thick bubble around our solar system.

“The Oort Cloud’s icy bodies can be as large as mountains — and sometimes larger.”

Image result for oort cloud

 

xxxx

 

Wikipedia:

The Kuiper belt is distinct from the theoretical Oort cloud, which is a thousand times more distant and is mostly spherical. The objects within the Kuiper belt, together with the members of the scattered disc and any potential Hills cloud or Oort cloud objects, are collectively referred to as trans-Neptunian objects (TNOs).[12] Pluto is the largest and most massive member of the Kuiper belt, and the largest and the second-most-massive known TNO, surpassed only by Eris in the scattered disc.[nb 1]

Cometa em explosao?! E’ possivel, pela Matrix/DNA Theory

quinta-feira, julho 12th, 2018

xxxx

Foto de um cometa emitindo uma erupção? Explosões em cometas?

Comest PANSTARRS explodes in night sky

Comet PANSTARRS: Astronomer Michael Jager snapped this incredible photo

Cometa 16 vezes mais brilhante estará visível a olho nu em agosto

http://noticias.band.uol.com.br/ciencia-e-saude/noticias/100000923040/cometa-16-vezes-mais-brilhoso-estara%A1-visa%ADvel-a-olho-nu-em-agosto.html?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral

Louis Charles Morelli em julho, dia 12 de 18:

” Cometas – no corpo deste nosso ancestral sistema astronomico que produziu a vida aqui e dentro dele – são produzidos pela erupção de gigantescos vulcões em pulsares e tem como destino ( guiados pela espiral galáctica) o buraco negro no centro do sistema, onde vai influenciar na produção de um novo germe de astro sideral. Portanto a função dos cometas e’ idêntica a dos espermatozoides nos sistemas biológicos. Por isso também a coincidência de suas formas. Cometas que vagam no espaço como este entrando no sistema solar são espermatozoides mortos que não alcançaram seu destino, não fecundaram.” Bem… isto e’ o que sugerem os meus modelos astronômicos na Teoria geral da Matrix/DNA, e, claro, posso estar errado, apesar de já ter muitas evidencias e previsões acertadas. Mas como poderia ocorrer explosão dentro de um cometa? Tenho que investigar como a teoria acadêmica explica isso pois pelo que dizem da constituição interna, nada ha’ para explodir. Na minha teoria e’ possível ocorrer explosão pois a carga “genética” carregada no núcleo de cometas ( que são magmas vulcânicos) age como germes comendo a matéria envolvente e com isso gerando enorme pressão de gás interna.

xxxx

Sobre “comets explosion”( os academicos nada sabem sobre as causas das explosões, as teorias são muito incipientes):

EXPLODING COMET COULD HAVE BLOWN UP WITH CARBON MONOXIDE

Meu comentario postado na Wired em 7/12/18

The astronomical models of Matrix/DNA Theory explains why comets shows eruptions like volcanos: their nucleus are made off magma from giants and olds planets in shape of pulsars. Covered by star’s dusty this magma continuing its reactions, devouring the surround matter. it creates internal gas and pressure. But… The Matrix/DNA does not separates cosmological from biological evolution, where it gets data for its models, and this is weird for official academic astronomic theory…

  • O Universo como placenta de uma reprodução genética

    quinta-feira, julho 12th, 2018

    xxxx

    O que é este Universo?!

    Como ele surgiu, se é finito, ou o que ele é, se for infinito?

    Começando por uma simples curiosidade filosófica existencial, quando cheguei na selva amazônica, suspeitei que seria possível entender aquela biosfera observando como cada detalhe dela se relacionava com o resto total da biosfera. Assim eu desenharia estas linhas de conexão a partir, por exemplo de uma planta, um animal, a chuva, obtendo redes de conexões, pois a neurologia não estava tentando desvendar o segredo do cérebro aplicando o MRI para obter e registrar as sinapses e montar as redes de conexões neuroniais. Mas foi aquela biosfera primordial como na selva que acabou por produzir o cérebro humano, então aquela tinha que estar embutida neste, ou seja, o cérebro seria algo `a imagem e semelhança da biosfera.

    Logo percebi que cada detalhe era em si um sistema, a biosfera toda era um sistema composto de sub-sistemas. A palavra, o conceito de SISTEMA passou a ter grande importância para mim. Afinal, o primeiro ser vivo realmente completo, funcional, foi um sistema, um sistema celular. Não era o caso de teimar que uma vida só pode vir de outra vida ( onde estava a vida antes da primeira célula?), mas que um sistema natural só pode vir de outro sistema natural, me parecia obvio. Não tem como uma massa disforme e inerte criar um sistema funcional dentro de si se não tiver partículas agindo como informações de um prévio sistema.

    Haviam sistemas vivos e não-vivos compondo a biosfera. Os primeiros formados de matéria orgânica, os outros formados de matéria inorgânica. Não teria o primeiro sistema vivo, orgânico, vindo diretamente de um sistema não-vivo, inorgânico? Pode ser, se neste caso trabalhou também a evolução darwiniana, em que o não-vivo serviu de ancestral e se modificou pouco a pouco, gradualmente, na direcao da vida. Mas se foi assim a teoria da abiogenesis – pela qual a vida teria surgido de uma sopa de ingredientes inorgânicos, sem formarem sistema algum, sem previas informações para sistema – estaria com algum erro.

    Deixei essa questão no bolso e resolve arregaçar as mangas trabalhando no que meus pensamentos ordenava: aplique anatomia comparada entre sistemas vivos e não-vivos, para detectar semelhanças e diferenças, e tentar enxergar quais foram as transformações evolutivas darwinianas dos sistemas não vivos em sistemas vivos. Esse método foi surpreendentemente frutífero, a questão da abiogenesis foi solucionada e a biosfera terrestre me conduziu a conhecer seu passado ate chegar aos limites do… Big Bang. Eu tinha em mãos a Historia Universal, onde inclusive surgia uma causa para sua origem. E  o Quadro todo apontava nesta direcao:

    Este Universo – enquanto um super-aglomerado de aglomerados de galaxias e perceptíveis pelos nossos poucos e limitados sensores cerebrais – parece ser como a placenta formada de células ( as quais são as próprias galaxias como fosseis ainda funcionais de nossos ancestrais), no meio da qual se desenvolver um sistema natural, o qual imita as formas de morula, blastula, feto, etc, pois esse universal sistema natural foi um sistema atômico, depois adquiriu a forma de sistema astronomico, daqui evoluiu para um tipo de sistema astronomico que apresenta os princípios das propriedades vitais, que depois se nanotecnologizou – assim como um corpo adulto se colapsa e torna-se um minusculo genoma – e daqui se tornou um sistema biológico vivo, o qual agora esta criando uma nova forma que é o sistema-consciência… Ou seja, neste universo nada mais esta ocorrendo do que um mero processo de reprodução genética… a qual parece uma operação computacional.

    Bem,… nessa ideia eu nunca havia pensado antes. Mas os modelos teóricos e os cálculos foram elaborados com tanto trabalho, tanto zelo para não errar, pois a unica coisa que me movie era a busca de verdade sobre o que é esta existência. E afinal havia um parâmetro real, factual, natural, ocorrendo aqui e agora perante nossos olhos, que dava respaldo racional ao resultado final apontando pela investigação. No entanto, em primeiro lugar, tenho certeza absoluta que minha pequinês quando comparado as dimensões espaço temporais deste mundo, que meu diminuto cérebro com seus poucos e pobres sensores – inclusive a visão quase nada funciona pois só posso ver os objetos revelados por apenas uma das faixas das sete emanadas no espectro eletromagnético – essas limitações não podem nunca processar todas as informações que explicariam o quadro final deste mundo. Vou morrer sem conhecer a verdade e tenho que suportar essa tortura. Então, o modelo que elaborei sobre o Universo não pode estar completamente correto nem completo, e ainda, o que temos tem que ser testado `a luz de fatos, os quais, em sua maioria, ainda tem que serem descobertas, visualizados. Portanto, e por enquanto, só’ me resta uma coisa a fazer no sentido de dar prosseguimento a essa investigação: testar incansavelmente os cálculos e modelos teóricos contra todos os fatos novos que venham a ser conhecidos. O que é muito trabalho, pois apenas em termos de papers científicos, quase todos revelando ou sugerindo um fato novo, são publicados aos milhares todos os anos. Mas no meio deste árduo trabalho sempre encontramos algumas joias de algum pensador que teve a capacidade de explicar ou formular como palavras um fato melhor que eu fiz. Por exemplo, o texto abaixo obtido num artigo na Internet:

    ” Al respecto, el reconocido físico John Wheeler propuso que todo lo que pasa, desde la interacción de partículas hacia arriba, es en cierta forma computación.

    “Si uno mira las entrañas del Universo -la estructura de la materia en su escala más pequeña- se da cuenta que no son más que bits realizando operaciones digitales locales”, dice Seth Lloyd, del Instituto Tecnológico de Massachusetts.

    ( Minha observação: isto pode ser visto como computação, mas é também exatamente o que acontece em genética)

    Esto nos lleva al meollo del asunto. Si la realidad es sólo información, entonces nosotros no somos más o menos “reales” si estamos en una simulación o no. En cualquiera de los casos, información es todo lo que podemos ser.

    ( minha obs: Sim, a outra sugestão dos modelos e’ que somos 8 bilhões de genes semi-conscientes trabalhando na formação de um sistema consciente. E gene nada mais é que “uma informação”)

    Assim vou colhendo e registrando aqui estas joias que servem como mais argumentos a favor da teoria geral da Matrix/DNA.