Double-slit experiment:A Forca da Mente Movendo Objetos?

Hoje estou lendo coisas relacionadas ao “experimento da dupla fenda”, o qual, segundo me parece, originou esta ideia maluca no mundo da quantica de que a nossa mente pode dirigir o comportamento de particulas. E devo registrar este tema para voltar nele e por tudo o que ja’ tenho achado a respeito, quando vendo-o sob o ponto de vista da Matriz.

Va’ em wikipedia e veja o titulo “double-slit experiment” (nao sei se tem traducao). Ali fala sobre a inseparabilidade (nao e’ possivel separar) os aspectos de onda e de particula num feiche de luz: a luz se comporta como senso particula e onda ao mesmo tempo ( o que tem tirado o sono de muitos pensadores:como isto e’ possivel?!!!). Mas observando o modelo de LUCA, parece-me que nao existe problema nenhum aqui. A Matriz dis que “onda” e’ o aspecto material do fenomeno denominado “tempo”. E particula e’ aspecto material do mesmo fenomeno “corpo situado no espaco”. Entao…

Olhando para um ser humano, digamos, o adulto “Marcos”, e’ racional separar num lado a sua idade, e no outro lado, o seu corpo no estado e forma em que se encontra agora? Nao!

Marcos carrega a marca do tempo e a marca do espaco. Se nao carregasse a marca do tempo, Marcos adulto, com 30 anos de idade, deveria ter a mesma forma do bebe recem-nascido, do momento em que ele veio `a luz.

Entao, se marcos atravessar uma fenda, ele fez atravessar seu aspecto tempo e espaco, pela mesma fenda. Mas dizem que observando a luz atravessar a fenda, apenas se ve um aspecto da luz, nao se sabe qual. E nao observando o evento, a luz atravessa duas fendas ao mesmo tempo. Claro, preciso voltar a estudar este assunto e ver se e’ isso mesmo.

Porque, se Marcos fosse uma luz e nao um ser humano, ao ser observado por nos, pu passaria apenas seu aspecto “idade” numa fenda, ou apenas seu aspecto “corpo” numa outra fenda?! E se nao observassemos, Marcos se dividiria: seu aspecto “idade” passaria numa fenda ao mesmo tempo que seu corpo passaria em outra…

Coisa de louco… para nos deixar meio loucos…nao e’?

 Por hora estou com uma hipotese-imagem na cabeca: antes do principio, existia uma luz, inerte, nao existia os aspectos onda e particula, nao existia a divisao entre idade e corpo, ou entre materia e anti-materia. Mas a luz se moveu e quando ela sai da inercia, quando ela se move, so’ o faz dividida em si mesma, entre o eterno dualismo que aparece em tudo neste mundo. Mas se os dois “opostos” se amalgamam, termina o movimento e retorna a luz inerte. Tal como se fizermos um atomo de antimateria igual a um atomo existente de materia, e fizermos os dois se tocarem, ambos desaparecem e no seu lugar surge apenas “luz”.

Dai vamos longe: existiria Deus, simplesmente. Mas Deus se move, e assim ele desaparece, dando lugar a um dual: o bem e o mal… assim faria sentido aquela frase: nao comeis a fruta do mundo dual, voce ira’ flutuar entre o bem e o mal… permanecei aqui na eternidade sem conhecimento, como luz, simplesmente…

Religiao `a parte, precisamos traduzir tudo isto para a realidade do universo vivo, como sugere a Matriz. Teria a vida (o universo), sido gerado pelo movimento da nao-vida, e essa tal de nao-vida seria algo superior `a vida?

Este tema esta’ apenas no inicio. Temos que desenvolver isto. 

Tags: