RNAs Auto-replicadores e a Controversia entre a Teoria Academica e Teoria da Matrix/DNA

xxxx

RNAs copiadores reforçam ideia de como a vida na Terra começou

http://www.universoracionalista.org/rnas-copiadores-reforcam-ideia-de-como-a-vida-na-terra-comecou/

Meu comentário postado no artigo ( aguardando moderação)

Louis Morelli – (NOV)11/06/2016

O método de investigação da Matrix/DNA Theory esta sugerindo uma diferente versão para este tópico. E nunca foi encontrado nada no mundo capaz de auto-copiar com 100% de exatidão, então esta ideia é metafisica e porque forçar em sua busca e não revisar sua teoria?
Seja como for, o mecanismo da replicação tem que ter vindo de um mecanismo mais simples do estado do mundo físico momentos antes da origem da da matéria orgânica. Isto é racionalismo, pois do contrario teria que se acreditar que a matéria orgânica e aqui na Terra inventou do nada pela primeira vez no Universo este mecanismo. Então de onde veio, quais eram as forças naturais e elementos que executavam esse mecanismo mais simples? Assim trabalha a Matrix/DNA Theory, levantando questões racionais e buscando suas respostas racionais, dentro da logica natural conhecida. E nos encontramos uma resposta racional.

O RNA é a contraparte na forma biológica de uma função dos sistemas naturais que já haviam se apresentado nas formas eletromagnéticas, mecânicas, etc. como átomos, galaxias,etc. Na formula geral para sistemas naturais, o RNA foi identificado como executor da Função 5, ou seja, a função da reprodução destes sistemas. Na forma mecânica de sistemas como é a forma astronômica, a auto-replicação era mais simples, um simples processo de auto-reciclagem, onde o sistema tem que “morrer”, se desfazer, e de sua matéria ele se reconstrói. Isto é replicação ou reprodução menos evoluída, mais simples. Então sua contraparte biológica – o RNA – jamais poderia se auto-replicar, pois para isso depende da presença de outras funções sistêmicas, e neste caso, proteínas e talvez enzimas fossem suficientes. mas isto implica que RNA e proteínas surgiram separadamente, na mesma época e lugar.

Esta implicação vai contra o que se acredita na ciência acadêmica com tendencia ateísta, pois implicaria também na conclusão de que houve não-reducionismo da complexidade a um cepo único primitivo comum. Erra também o pessoal que defende o deísmo acenando com a ideia de irredutível complexidade. Porem, o problema é que a teoria acadêmica ainda acredita que o cepo primitivo comum (LUCA) existiu na Terra, quando na verdade, a Terra era uma parte deste cepo, pois ele compreende o sistema astronomico dentro do qual a vida surgiu (veja seu modelo teórico em meu website). E tanto RNA como proteínas são redutivos a um cepo localizado no espaço sideral. Nunca vão conseguir Um RNA que se auto-replique sozinho e por si só, a não ser que alguma elaboração sintética artificial o faça. Para entender isto sera bom ver a formula para sistemas no meu website ( proteínas são pedaços do circuito esférico do sistema).

xxxx

 

Tags: