Porque genes de virus estão conquistando os emprêgos dos genes humanos!

Virus & Cometas: Mais indícios para a Matriz/DNA

Cyanophages, cianobacterial virus, são importantes agentes na horizontal transferência de genes entre diferentes espécies de cianobactérias da flora/fauna marinha, os organismos que fazem fotosíntese predominantes nos oceanos. Êste fenômeno de horizontal transferência de genes entre espécies diferentes é pouco entendido mas muito importante nas nossas vidas, e com a maneira popular como explicamos aqui, tôdo mundo pode entender rápido. 

Vertical transferência de genes é o processo normal: pais passam seus genes para os filhos. Mas existe tambem a horizontal transferência de genes: invasores de corpos maiores alcançam o DNA dêstes e adicionam seus genes, ou absorvem genes, talvez. Assim acaba ocorrendo uma grande salada de espécies diferentes compartilhando, trocando genes. Acho que muitas mutações genéticas e muitas doenças hereditárias tem a horizontal transferência de genes como causa, por isso precisamos estudar êste tema com carinho.

Qual seria a fôrça, ou fôrças, da Natureza que provoca êsse fenômeno, ou ao menos que abre oportunidades para isso ocorrer? Existiria algum objetivo maior – da Vida em si mesma, ou de algo mais contido na Vida – por trás dêste fenômeno? O DNA demonstra que faz muitas coisas para se proteger e manter rigorosamente seu código, criando inclusive duas membranas celulares (a nuclear e a celular) como muralhas fortificadas para se proteger contra invasores. Portanto se essa invasão ocorre é porque existem fôrças mais poderosas que a fôrça do DNA. Ou então porque os invasores usam da inteligência e mandaram um presente de grego, um Cavalo de Tróia, que engana o DNA. Na verdade ocorrem as duas coisas: existe uma fôrça mais poderosa, que é a Matriz, e ela utiliza aqui o ardil do “spaghetti”.  

A Teoria da Matriz/DNA diz que sim, que é a Matriz/DNA Universal quem está por trás disso e explica porque. Para entender melhor precisamos ter a figura do software da Matriz que veio do céu, na memória:

DIAGRAMA-SOFTWARE DA MATRIZ/DNA – SISTEMA FECHADO

Os bits-informação (fótons) emitidos pela matéria de um sistema astronomico envelhecido são como os radicais livres e são dispersos no tempo e no espaço. Mas se dois bits que eram vizinhos antes, no circuito de informações de um sistema astronomico, se encontram, digamos, na superficie de um planeta, ocorre a união automática. É como se dois amigos  chineses da mesma cidade imigram separadamente para New York e um dia se encontram. Assim se formam os bairros com diferenças de etnias, como o bairro dos chineses, dos italianos, dos hispanos, etc. Mas se um italiano for morar no bairro chinês que só comia macarrão do tipo miojo e começar a oferecer spaghetti, a população local, com o tempo, pode incorporar o spaghetti em sua cultura. Assim faz um virus carregando genes sofisticados para fotossíntese quando chega na colonia de genes de uma bactéria fazendo sofregamente uma fotossíntese rudimentar. O DNA local, com o tempo, incorpora os genes diferentes e melhores do virus para fotossíntese.

Qual a vantagem disso para a Matriz Universal?

Ora, os bits-informação que vieram da astronomia para a superficie da Terra, eram como genes não-vivos, semi-biológicos, de LUCA – the Last Universal Common Ancestor  de todos os sistemas biológicos, porque LUCA foi o sistema astronomico mais evoluído que existia. E LUCA veio à Terra como um Deus caído, por ter sucumbido às tentações da matéria em que seu aspecto feminino, massa, tem como supremo objetivo o equilibrio termodinâmico (todo cientista sabe disso), e seu aspecto masculino, energia, tem como supremo objetivo o frenesí e ficção obtidos pelas mais longas aventuras nas mais elevadas velocidades. Por isso mulheres apreciam a segurança e conforto de mansões com marido e filhos enquanto homens apreciam aventuras de conquista e sexo. Constituíram assim um sistema fechado em si mesmo, extremamente egoísta, cortando relações com tudo o mais existente no mundo, fechando as portas à sua Evolução.    Mas além e maior que as galáxias existe o Universo, o qual dispõe de um recurso: degeneração, que causa a morte, segundo principio da termodinamica medido pela entropia, a conhecida Lei de Claudius. O que deveria ser um moto perpétuo eterno foi fragmentado em seus bits e canalizados para um novo mundo, mas foram separados, para vizinhos anteriores caírem em diferentes lugares e em diferentes épocas.  Para chineses em New York não chegarem juntos e no mesmo local e construírem um sistema social e uma cidade igualzinha à da China, pois o super-direitista Presidente Bush não admitiria uma cidade comunista dentro dos EUA, certo? Assim o sistema foi reaberto e a espontânea associação ou aproximação entre os genes semi-vivos foi formando tribos ecléticas, sociedades, miscigenação de raças, gerando novos tipos de circuitos diferentes daquele pecaminoso ancestral.

Ora, já detectamos que o trecho do circuito de LUCA, referente à Função 5, que tinha como ferramenta o cometa, aqui no mundo dos micro-organismos se tornou os virus. Os primeiros só continham uma haste do código genético, denominado RNA. Justamente porque o cometa apenas expressa as informações da meia-face esquerda da Matriz, aquela cujo trecho de circuito vai de F2 a F5 ( observe o diagrama acima). Ora, o cometa é lançado do pulsar, ou seja, F5 é lançado de F4. Justamente F4 é quem tem o potencial latente para transformar-se em, construir, a estrêla. Se você fôr um especialista em construção de usina que produz a luz solar, ninguem melhor do que você será capaz de desenvolver usos uteis dessa luz, dessa energia. Usos úteis como a fotossíntese, que é captação e transformação de energia solar. Isso é em que consite os genes especiais do virus: engenheiros de usinas de energia. Quando se misturam com a comunidade local de engenheiros menos especializados de uma bactéria, facilmente deslocam estas de seus emprêgos, pois o patrão DNA quer a melhor usina que êles sabem fazer. Se as bactérias soubessem o que vai lhes acontecer, resistiriam à tentação mandando o spaghetti para o inferno e continuariam com o miojo. Ou seja, suas usinas mais simples.

Esta é uma maneira de usar uma analogia para explicar por que acontece a horizontal transferência de genes entre diferentes espécies e dentro do contexto da cosmovisão da teoria da Matriz/DNA.

E agora vamos ao artigo que me inspirou a escrever êste pois tem algo mais  importante nêle.

PLOS BIOLOGY JOURNAL

Prevalence and Evolution of Core Photosystem II Genes in Marine Cyanobacterial Viruses and Their Hosts

http://www.plosbiology.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pbio.0040234

“Cyanophages (cyanobacterial viruses) are important agents of  horizontal gene transfer among marine cyanobacteria, the numerically dominant photosynthetic organisms in the oceans. Some cyanophage genomes carry and express host-like photosynthesis genes, presumably to augment the host photosynthetic machinery during infection. To study the prevalence and evolutionary dynamics of this phenomenon, 33 cultured…”

O artigo diz: Alguns cyanophage genomes carregam e expressam genes parecidos com os genes da bactéria hospedeira dedicados à maquinaria fotosintética, presumivelmente para otimizar a maquinaria da hospedeira durante a infecção. Êste é o problema da Ciência sem o conhecimento da  Matriz/DNA: coisas inexplicáveis acontecem, mas como não podemos ficar sem opinar uma explicação, precipitamo-nos a divulgar uma explicação que se melhor pensada, não faz sentido. Você acha mesmo que aquêle mero punhado de átomos que é um virus, arranjado como se fôsse uma ilha ( o RNA ou DNA) cercado de água salôba (citoplasma), contendo ao longe uma muralha protetora circular ou pentagonal (membrana feita com proteina), e nada mais…, estaria por aí se dando ao trabalho de carregar um fardo que ele não usa? Porque e para que possuem genes para fazer fotosíntese, se, pelo que sei, virus não faz fotosíntese?! – só mesmo a Matriz/DNA explica isso). E como um punhado de átomos pode prever o futuro,  como pode saber que a bactéria faz fotosíntese, e como pode entender de fotosíntese melhor que a bacéria? Seria o mesmo caso do fazendeiro que planta milho para alimentar porco para comer o porco quando tiver gordo! Ora… tenha a santa paciência! Êsse amigo biólogo quando explica ao filho que Papai Noel existe e vai dar um presente de natal, não está mentindo: êle se esqueceu que Papai Noel não existe.

A explicação do porque os genes da fotosíntese estão no genoma do vírus está explicada acima. Vírus não tem a menor idéia de que êles transportam engenheiros e ainda mais, os melhores engenheiros em usinas de energia. São os engenheiros da Matriz. Os mesmos que conseguiram fazer obras belas e fantásticas como uma Marylin Monroe, um Albert Einstein, ou mais ainda, a cozinheira idosa e gorducha do restaurante que frequento, uma santa e heróica criatura!

No entanto… a Matriz ainda é apenas uma teoria na cabeça de um maluco… não acredite em mim, tenha a explicação como possibilidade apenas, por enquanto. Mas também não precisa me condenar, não é …? Afinal, além de agora você entender o que é “horizontal gene transfer” = chineses largando o miojo para comer spaghetti - você tambem sabe que os biólogos estão acreditando em coisas mais malucas que eu. Abraços…

Louis Morelli

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks

Tags: , , , , , , , , , , ,


U.S.A: Copyright Washington n. 000998487/2001-02-20 | Brasil: Reg. Dir. Autorais - Brasília n. 106.158/11-12-1995 | Louis Charles Morelli