A Luz Cosmica desaparecendo confirma o processo de reproducao genetica universal? Incrivel!

xxxx

Os modelos e a formula da Matrix/DNA tem me sugerido uma imagem para explicar a relacao da luz original que banha o Universo como tela de fundo, emitida com o Big Bang e ao se propagar mostra a face da formula para todos os sistemas naturais, inclusive a vida, com o mundo material que vivemos.

Para entender precisamos fazer uma rapida e sagaz operacao mental, usando como analogia o processo sobre a reproducao de corpos humanos, pois como deduzimos de toda essa cosmovisao, neste universe esta ocorrendo um processo natural de reproducao genetica da desconhecida coisa, ou ser, que o produziu. Quando um par dicotomico de humanos ( o casal masculino + feminino) vai se reproduzir, a forma humana se reduz nanotecnologicamente ao tamanho e simplicidade do genoma, e o lanca num outro universo fechado que e’ o ovulo. Neste microspico universe o genoma inicia suas operacoes num trabalho que parece ir no sentido evolutivo, ou seja, do simples para o complex, quando constroi o corpo igual ao da forma que se situa la’ fora num universo maior. Mas esta aparencia de trabalhar para a frente, construindo, so acontece quando o observador continua o tempo e o espaco imediato. No prazo mais longo, outro observador veria o contrario: o genoma era a forma do corpo e ele esta indo de volta, para traz, para voltar a ser a forma do corpo que o espera alem de seu pequeno univers ovular.

Este aspecto do retorno ao inves do avanco e’ muito importante para entender-mos o que esta acontecendo neste nosso universo a nivel macrocosmico. Nossos corpos fisicos sao formas materiais, estamos envolvidos num mundo material, mas nossos corpos sao sistemas naturais, e portanto, sao apenas uma forma provisoria do sistema natural universal que vem se desenvolvendo dentro desta dimensao material desde o Big Bang, o momento da fecundacao universal. A formula unica deste sistema universal e’ a Matrix/DNA, ela esta presente em todas as formas deste Sistema universal assim como o DNA esta aqui presente em todos os sistemas da forma biologica. Esta formula veio com a luz original, como um genoma de outro sistema, outra forma, existente alem do nosso pequeno universo material. Vindo da luz, quando o genoma se fragmenta em seus genes, ou suas particulas-informacao, eles se constituem em fotons, que sao as particulas da luz.

Ora, quando a luz emitida se propagou na substancia especial deste universo, ela gerou a energia pela friccao, e gerou a materia, ao decompor em blocos a substancia especial, que pode ser a misteriosa materia escura, formando a mistura de substancia especial+energia+fotons-informacao. Essa mistura ‘e escura e negativa em relacao `a claridade e positividade da luz original. estes blocos, cada qual banhado por uma faixa especifica do espectro da luz, tem uma forma especifica e uma funcao especifica, o que os vao tornar as partes que conectadas formam os sistemas naturais. Este e’ o nosso mundo material. No qual os genes fragmentados do genoma extra-universal estao retornando, estao reconstruindo a forma da especie do ser extra-universal. Estao retornando quando penasamos estar vendo evolucao e uma historia que aparentemente vai do passado na direcao do futuro. Mas assim funciona todo processo de reproducao, quando visto por um observador situado a nivel macrocosmico com sua ampla e astronomica escala de tempo e espaco.

Essa luz teria se expandido no espaco cuja substancia e’ a materia escura. Nessa expansao ela fricciona-se com essa substancia e essa friccao torna-se as formas de energia que conhecemos. Alem de separar porcoes de materia escura em aglomerados imitando cada uma de suas faixas vibratorias e de diferentes frequencias, essa friccao causa a perda de fotons que saem fora da substancia de luz, penetram a materia escura. Juntam-se  a estes “radicais livres fotonicos” a quantidade de fotons que surgem da fragmentacao no final da onda de luz. Todos estes fotons desgarrados tendem a se unirem e recomporem a onda de luz original de-tras-para-frente, ao reverso, cuja meta final seria atingir ou retornar a fonte emissora da luz, provavelmente situada antes e alem do Big Bang. Neste retorno os fotons seriam negativos, a energia por eles gerada nas friccoes seria energia negativa ou negra. Este mundo de fotons negativos, mais energia negativa e mais a materia escura ( que ja foi percebido pelos fisicos e tem avancada teorizacao a respeito), seria o nosso mundo material, pois para compor uma network conforme o codigo da formula da Matrix os fotons negativos penetram os eletrons dentro dos atomos assumindo a maquinaria dos atomos e conduzindo-os a combinacoes que montam os sistemas naturais, pontes necessarias evolutivas para o grande retorno, assim como as formas de morula, blastula, feto e embriao sao as pontes-sistemas necessarias para reproduzir a forma final da especie humana. Desde que, por outro lado, a cosmovisao esta’ sugerindo que neste universo esta ocorrendo um processo de reproducao genetica do elemento desconhecido que deflagrou o Big Bang, juntando-se os dois aspectos da teoria – a dos fotons recompondo a onda de luz e a reproducao genetica – percebemos que estamos no fim descrevendo o mero processo genetico da nossa propria criacao. Ou seja: quando o genoma dos pais e’ emitido pelos pais dentro de um universo ovular, os genes tentam refazer o caminho de volta para retornar a fonte de onde foram emitidos, pois reconstroem o mesmo corpo dos pais. esta e’ a sintese e o significado supremo de qualquer processo de reproducao genetica: Um corpo a ser reproduzido lanca de si sua essencia para o mundo externo, sua essencia trabalha para retornar a ser o corpo emissor. Captastes?

Agora, no artigo com link anexo, os astronomos anunciam que captaram o estranho fenomeno de que a luz do universe esta desaparecendo! Que hoje ela e’ apenas 80% do que era no inicio do universo. Sim, para nos da Matrix/DNA cosmovisao, pode-se dizer que ela esta desaparecendo,mas isto aparentemente, para um observador situado dentro do universo. Pois para um observador situado fora, com um horizonte tempo/especial muito maior, na verdade a luz nao esta desaparecendo, mas sim, se transformando. Tal como o genoma se transforma num ser, o qual, era justamente ele antes de ser emitido fora dele mesmo. Arre!…

Ou vamos colocar isto em outras palavras: Os corpos dos pais que vivem num macrouniverso se projetam na forma de genoma para dentro de um microscopico universo – um ovulo. A medida que o genoma vai construindo o feto, o embriao, na verdade esta havendo um retorno `a forma humana, pois de dentro do microuniverso ressurgira exatamente outro corpo na forma humana. Poderiamos dizer que o genoma desapareceu no microuniverso e dele surgiu um novo corpo? Nao, pois o genoma continua existindo no corpo reproduzido. Assim esta acontecendo com a luz cosmica emitida desde o Big Bang. Ela e’ o genoma. Entao, ao contrario do que os cientistas estao pensando, ela nao esta desaparecendo e sim se transformando em particulas ativas ( como o genoma dos pais se tornam particulas-genes ativos), para no final ressurgir nao apenas como ela penetrou neste universo, mas sim ressurgir na forma do corpo final que a emitiu. Fantastico! E simples demais.

Genial? No caso da reproducao universal, por conter o codigo da vida inclusive para construir auto-consciencia, a luz original e’ a essencia emitida pelo corpo criador. Matamos a grande charada? Obviamente nao, ao menos nao de todo, pois nosso pequenino e limitado cerebro seria incapaz de processar as informacoes da Verdade Ultima. Mas descobertas estranhas como a revelada no artigo abaixo, em que cientistas desconfiam que 80% da luz do universo desapareceu ( o que teria forcosamente de acontecer segundo a teoria da Matrix/DNA, pois a luz positiva branca vai se fragmentando em luz negativa negra a qual vai de volta recriando a luz positiva branca), faz-me ficar de orelha em pe’ e por atencao na busca de mais dados para ir testando tudo isso.

Cientistas dizem que 80% da luz do universo está desaparecida

 http://imagensdouniverso.blogspot.com/2014/07/cientistas-dizem-que-80-da-luz-do.html

De acordo com observações feitas pelo Telescópio Espacial Hubble, 80% da luz do universo está desaparecida. Os astrônomos estão completamente perplexos. “Nós ainda não sabemos ao certo o que isso significa, mas pelo menos uma coisa que pensávamos que sabíamos sobre o universo não é verdade”, diz um dos autores do novo estudo, David Weinberg, da Universidade Estadual de Ohio (EUA). O telescópio mostrou que os fios de hidrogênio que formam pontes entre as galáxias estão se iluminando muito, mas não podemos ver nem essa luz, nem a fontes de onde ela provém. Quando estes átomos de hidrogênio são atingidos por luz ultravioleta altamente energética, são transformados de eletricamente neutros em carregados com íons. Os astrônomos ficaram surpresos quando descobriram muito mais íons de hidrogênio do que poderia ser explicado pela luz ultravioleta conhecida no universo, que vem principalmente de quasares. A diferença é de deslumbrantes 400%. Os astrofísicos não sabem o que é responsável pelos efeitos observados. Eles só sabem que isso não corresponde a nossa compreensão do hidrogênio no universo, muito menos se encaixa com nossas simulações atuais. O mistério fica ainda mais estranho quando comparamos esses resultados no universo próximo e distante: esse descompasso só aparece nas partes do espaço mais perto de nós, o chamado universo próximo, relativamente bem estudado. Quando telescópios se concentram em galáxias a bilhões de anos-luz de distância (o que mostra aos astrônomos o que estava acontecendo quando o universo era jovem), a conta parece se equilibrar. O fato de que a contabilidade de luz necessária para ionizar o hidrogênio era correta no início do universo, mas cai muito no “presente”, intriga os cientistas. “Se contarmos as fontes conhecidas de fótons ionizantes, temos até cinco vezes menos do que precisamos. Faltam 80% dos fótons ionizantes”, diz outro coautor do estudo, da Universidade de Colorado (EUA), Benjamin Oppenheimer. A questão é: onde eles estão? De onde estão vindo, que não os estamos encontrando? “A possibilidade mais fascinante é que uma nova fonte exótica, que não quasares ou galáxias, é responsável pelos fótons que faltam”, sugere. Esta matéria exótica pode inclusive ser a misteriosa matéria escura, substância que mantém as galáxias juntas, mas que nunca foi vista diretamente. A luz faltando pode ser um produto desta matéria escura deteriorando ao longo do tempo.

Tags: , ,