Estas ouvindo vozes de extra-terrestres, ou som do celular tocando desligado? Esquecendo nomes e faces? Veja porque.

xxxx

How your mind protects you against hallucinations

http://www.sciencemag.org/news/2017/08/how-your-mind-protects-you-against-hallucinations

Há mais de 300 anos, o filósofo René Descartes fez uma pergunta perturbadora: se nossos sentidos nem sempre podem ser confiáveis, como podemos separar a ilusão da realidade? Um dos exemplos de ilusão dos sentidos esta’ ocorrendo com a moderna mania de fixação no celular ao ponto de `as vezes uma pessoa pegar rápido o celular jurando que ele tocou ou vibrou, para ver que esta’ desligado. Já me ocorreu algo parecido. Num vilarejo na selva eu gostava de estar na casa de uma família amiga e ficar ouvindo sempre uma mesma musica a que eles eram fanáticos, tanto que já estavam pulverizando o disco. Pois num certo dia sorri ao ouvir a musica ainda na rua para saber, quando entrei na casa, que a musica não estava tocando. As asneiras que fazemos devido as distrações são outros exemplos de como estamos agindo diferentes dos animais que nunca tem ilusão, pois eles tem que serem extremamente práticos na vida e atenciosos exclusivamente ao aqui e agora, senão, não sobrevivem. Para nossa sorte, esta’ vindo ao nosso socorro, e ensinando-nos o que fazer, os cientistas da Universidade de Yale, que publicaram o artigo na Science Magazine, do qual forneço o link abaixo, sob o titulo ” How your mind protects you against hallucinations”, ou, “Como sua mente protege você contra alucinações”.

O filosofo Demócrito estava obcecado por astronomia e num dia caminhando naquelas ruas sem asfalto e esburacadas de Atenas na frente de duas donzelas do palácio, caiu num buraco de dois metros! E elas riram a valer: “Esse ai’ anda com a cabeça tao fixada no céu que não enxerga um buraco deste tamanho na frente de seus pês…”.

Quando eu trabalhava no Metro de São Paulo tinha um ticket permanente para passar nas catracas 50 vezes ao dia, e me peguei chegando apartamento cansado e com a cabeça pensando ainda no trabalho, e tentando enfiar o ticket no buraco da fechadura da porta, ao invés da chave! E ainda quase dei um chute na porta teimosa que estava demorando para abrir e atrapalhando minha vida. Minha sorte e’ que nenhuma das vezes que fui com o ticket na fechadura coincidiu com os dias que eu errava o andar, errava a porta e enfiava a chave no buraco dos vizinhos. Sem contar trapalhadas comuns como encher a escova com pasta de dentes e mete-la nos cabelos pensando que tinha ido ali para pentear.

Estas distrações nos fazem rir mas são problemas sérios. Pessoas morrem por entrar na porta aberta de elevador que não esta no andar, outras tantas estão sendo atropeladas ao andarem nas calcadas com a cabeça e os olhos atentos ao que ocorre nas nuvens cibernéticas do Facebook sem perceber que esta’ entrando na rua. Mas para nosso bem, os cientistas estão pesquisando este problema munidos de raio X e filmando cérebros nestes momentos de distrações, alucinações, e estão nos trazendo conselhos para curar-nos. Ainda bem, porque, como na semana passada a tv americana ficou passando o dia todo a cena de uma mulher que vinha olhando no celular e não viu uma placa de ferro de meio metro de altura de um alçapão levantado, atropelou a placa e caiu no porão do restaurante quebrando a cabeça e o resto dos ossos. Como denunciou a sociedade protetora dos animais, isto não pode acontecer porque a mulher invadiu a privacidade dos ratões que almoçavam no porão do restaurante. Apresentaram um documento assinado por 50 ratos exigindo da mulher defunta uma indenização de uma tonelada de queijo.

A pior tragedia decorrente de alucinações, ao meu ver, vem das religiões. Uma criança doutrinada com insistência pelos pais, avos e pastores se torna a maior inimiga de si mesma ao se sujeitarem a vida toda a serem escravos voluntários a salários de miséria e nada fazerem contra os vampiros predadores que estão sugando suas energias e seus direitos de propriedades neste planeta, porque acredita que isso é uma realidade não feita pelos predadores, mas por algum deus magico e tao pequeno que anda de planeta em planeta conversando com os viventes para se livrarem de erros possíveis devido falhas nas Suas próprias Leis e no seus mundos feitos com tantos defeitos. Quando trabalhava de táxi e era hora de levar os crentes `as igrejas para mim era uma tortura de tanto ouvir dentro do carro coisas como: ” E’ Deus que desistiu de operar nele pelos seus pecados e agora o demônio ta’ tomando conta dele, por isso ele ta tendo tanto azar  que nem pode pagar o aluguel e vai expulso da casa…”. ” Esta’ vendo? Oh Deus glorioso, pai da misericórdia, ele falou na minha cabeça para chamar a Uber antes de terminar o culto porque ia faltar carros para tanta gente…” O Deus da igreja de todos providencia táxi para ela deixando outros evangélicos que as vezes tinham mais necessidade de chegar em casa rápido, sem táxi.

Numa elogiável experiencia feita por cientistas da Universidade de Yale, descobriram ao observar nos cérebros as diferenças de regiões ativadas por sinapses entre pessoas saudáveis com pé no chão e pessoas entrando no rol dos neuróticos perigosos a si mesmos por causa destas alucinações. Pela natureza pratica do cérebro que veio do treino árduo na luta pela sobrevivência dos animais – nossos ancestrais – ele tem a capacidade de controlar a realidade constantemente ao fazer-se questionar a todo momento sobre nossas crenças metafisicas e as equivocadas expectativas que elas produzem. As distrações e alucinações ocorrem quando esta verificação interna falha, porque as pessoas fecharam questão em crenças sobre equívocos de como funciona a realidade devido ao desconhecimento das causas desta realidade, uma descoberta que não apenas vai ajudar os que acreditam que estão sendo práticos na vida mas não estão,  como devera’ apontar para melhores tratamentos para neuroses, depressões, esquizofrenia e outros distúrbios psiquiátricos, tao comuns hoje em dia.

Muitas vezes a realidade não esta ocorrendo como nossos olhos estão vendo ou estamos ouvindo. Por exemplo, nesta crise que afeta o Brasil, as pessoas doutrinadas pela televisão para serem desviadas dos verdadeiros causadores da crise expondo os políticos corruptos como bodes expiatórios, recebem as contas de internet, telefone, reclamam que estão demasiadas caras e imediatamente xingam os políticos e saem a procurar movimentos de protestos de rua, quando na verdade nenhum politico esta’ levando o dinheiro no roubo daquelas contas, e sim os grupos aristocráticos que meteram as mãos nas ondas magnéticas que fluem livres no ar e que por direito de sócios-proprietários do ar nesta nação, pertencia ao povo brasileiro. O povo inteiro vem em desabalada carreira crendo numa mentira ( o que são os 50 milhões de reais do Cunha, ou os 500.000,00 reais na mala do Temer, perto dos 250 bilhooooeeeesss de reais do Carlos Slim obtidos como dono das ondas magnéticas do ar e emissor daquelas notas de conta a pagar?), que a realidade bate em seus narizes mas se comportam coando agulhas e deixando passar camelos. As contas são reais, estão na frente de seus olhos, mas as interpretações sobre as contas estão totalmente erradas, devido a pregação e insistência em mentiras ter feito o cérebro perder a capacidade herdada dos menos burros animais irracionais. O resultado desta alucinação coletiva é que vão passar a vida sendo privados das coisas que eles e seus filhos necessitam ao invés de reagirem praticamente, aplicando os recursos que estão `a disposição deles.

Em um experimento desenvolvido na Universidade de Yale, por exemplo, os pesquisadores mostraram repetidamente, aos voluntários, uma imagem acompanhada de um som. Quando os cientistas apresentaram a image sem o som, os participantes ainda “ouviram” quando a imagem apareceu. E’ do tipo de alucinação que sentimos o telefone vibrar ou tocar estando desligado.

Um brasileiro recém chegado nos Estados Unidos caminhava numa rua pensando no Brasil que não atravessou para o outro lado porque viu sem ver de verdade que na frente tinha uma mulher varrendo a calcada com o portão aberto e um enorme cachorro ao lado. O cachorro meteu=lhe os dentes nos calcanhares das calcas e ele, com o outro pé deu-lhe um chute que o cachorro saiu gritando. A mulher furiosa gritando: ” Stupid asshole, you hit my dog!”quando o brasileiro respondeu: ” Seu dog inhéck inhéck my pernék!”. Este um exemplo claro do efeito da alucinação estando fora da realidade `a nossa volta do brasileiro somado ao desconhecimento do mundo real pelo fato dele estar num lugar de língua inglesa sem falar inglês.

Estes exemplos sugerem que as alucinações surgem quando o cérebro dá mais peso às suas expectativas e crenças sobre o mundo, do que à evidência sensorial que recebem do tato, visão, audição, diz o autor do estudo e o psiquiatra de Yale, Philip Corlett. Para repetir estas experiencias, Powers e colegas decidiram aplicar uma versão do experimento a quatro grupos diferentes: pessoas saudáveis, pessoas com psicose que não ouvem vozes, pessoas com esquizofrenia, e as pessoas — como os psíquicos auto-descritos como médiuns — que regularmente ouvem vozes, mas não as acham perturbadoras.

Os pesquisadores treinaram todos para associarem uma cena na tela com um tom de 1 kilohertz há 1 segundo de comprimento. Os participantes foram instruídos a pressionar um botão quando  ouviam aumentando ou diminuindo ou ate’ desligando o som.  Usando scanners de imagem de ressonância magnética, os pesquisadores capturaram os erros e os instantes da atividade cerebral dos participantes ao fazerem suas escolhas, e assim conseguiram mapear no cérebro as regiões que atuam nestes casos. Dentre outras coisas, descobriram que as pessoas que ouvem as vozes, cometeram mais erros, foram mais propensas a “acreditar” nas alucinações auditivas. E nos seus cérebros não foram atividades as regiões ativadas nas pessoas normais, racionais, saudáveis. Crenças em fantasias e realidades distorcidas, desligaram para sempre partes importantes do cérebro. E por minha conta, levantei a teoria de que a propriedade inata observada nas crianças que conversam com amigos fantasmas imaginados, voltaram a ocupar o cérebro naquelas regiões alteradas. Pena que os evangélicos no meu táxi não sabem nem iriam acreditar nisso… não acreditam na realidade quando não lhes convêm e nem convém ao Edir Macedo, pois como ele iria sustentar seus iates?

Isso foi exatamente o que eles encontraram: tanto os esquizofrênicos quanto os psíquicos foram quase cinco vezes mais propensos a dizer que ouviram o tom quando não existia tom nenhum, que as pessoas  saudáveis, informaram os pesquisadores hoje na Science.

Mas onde estas interpretações equivocadas da realidade realmente prejudicam a humanidade inteira, é no campo das diferentes visões de mundo. Por exemplo a maioria dos cientistas doutrinados pelo curriculum escolar exclusivamente materialista e que presta culto no altar do novo deus magico denominado de Acaso Absoluto, não mais procuram no lugar certo as causas das mutações genéticas, nem as maléficas quanto as beneficiarias, pois a doutrina lhes botou na cabeça que a evolução de aplica inicialmente ao ocorrer uma mutação por acaso, sendo que algumas fazem populações se tornarem mais adaptáveis ao ambiente, as quais reproduzem mais, e acabam se tornando uma nova especie enquanto os outros sem mutação foram para a extinção. Tudo começa por uma mutação ocorrida num acidente devido a um erro de transcrição no DNA, acreditam piamente eles. Pois a minha visão de mundo que me foi ensinada pela selva bruta onde seus elementos são descendentes genuínos dos que foram testemunhas nas origens da vida, esta’ sugerindo muito pelo contrario. Como pode ser por acaso uma mutação que produz um efeito que já existia inclusive nas galaxias e nos átomos? Ora, um evento que se repete não é por acaso e sim, a regra. Mas isto esta ocorrendo também por que nos estudantes esta ocorrendo o efeito alucinatório exatamente ao contrario do encontrado pela equipe de Yale: aplicando apenas o método reducionista nos últimos 200 anos, e não o método sistêmico que apliquei, eles se esquecem também de prestar atenção nos horizontes invisíveis mais amplos, que pela lei natural da hierarquia entre os sistemas naturais, átomos e sistemas astronômicos ao nosso redor influenciam inclusive causando mutações genéticas. Estes deixam passam apenas as agulhas e coam os camelos.

Por exemplo, a mutação genética que ocorreu no tempo dos dinossauros. Os dinossauros cometeram o mesmo erro de todas as famílias de nababos aristocráticos: se super-especializaram num modo de vida confortável, dominaram o território e todas suas presas, foram aumentando a gula de maneira que se tornaram maiores que as arvores, comeram tudo e num só jantar devoravam varias arvores com todos os macacos e bichos-preguiça nelas pendurados. Claro, mudaram o ambiente de tal maneira que arvores não nasciam porque não tinha sementes, presas não geravam porque não haviam pais, e então criaram os desertos e neles se enterraram. Os ricos aristocratas humanos sabem disso mas estão tao viciados que se mentem a si mesmos para não mudarem sua trajetória dinossáurica suicida, inventando a historia que veio um grande meteorito gigante do céu para acabar com os seus camaradas mafiosos dinossauros. Mas quem ficou em maus lençóis foi a evolução natural pois os repteis a traíram. Eles deviam terem evoluídos para mamíferos e não se desviarem para engordarem como gigantes que se agarraram a unhas e dentes em conservar seu poder interrompendo sua evolução que implica em mudanças. Acreditaram na alucinação de um mundo eterno sem evolução? Porque os nossos psiquiatras de hoje não estavam la’ para botarem os dinossauros deitados no divã e contarem seus traumas de infância para a analise psicológica que curaria sua alucinação?

Então a evolução natural descartou os dinossauros e voltou seus olhos procurando algum réptil que teria permanecido pequeno, por ser mais humilde e menos guloso. E encontrou o cianodonte, um reptil meio redondinho que mais parece um porquinho. feliz da vida a evolucao natural foi `a galaxia buscar o mecanismo que faz os germes de astros dentro de ovos com casca de poeira estelar congelada, que foram botados fora pelo vortice nuclear, ficarem sem poder escapar de dentro do sistema e assim retornarem `a orbita de alguma estrela aconchegante, nutridora e protetora, como ovos mantido dentro ate o nascimento do baby astronomico. Com esse mecanismo inserido na genetica do cianodonte pelo metodo de espalhar os fotons galacticos com estas informacoes no ar em volta destes animais, causou0se a mutacao que ja estava programda com informacao para fazer aquele reptil de repente descobrir o amor maternal e ao inves de continuar botando seus ovos fora abandonando a prole `a propria sorte, comecou a segura-los dentro o qunato possivel para amadurecem mais… ate que este desenvolvimento chegou ao ponto da prole so nascer ja fora dos ovos… e …. Halleluya!, estavam inventados os mamiferos!

Mutação por acaso dizem os cientistas materialistas reducionistas. Olham com olhos previamente intencionados para as galaxias e não veem seus predicados, com isso quando se baixam para ver os microscópicos detalhes aqui não percebem o gigante celeste que esta por trás das mutações, obedecendo o caminhar de um universo que foi desde o inicio tunelado por leis para gerar a vida e a consciencia.

Então estamos mal. Tem muita fora da realidade, muitos malucos por ai, uns com alucinações vendo coisas no mundo invisível distante que não existem atuando aqui, e outros vendo alucinações aqui porque não veem coisas reais do mundo distante que estão atuando aqui. Claro que eu e todos tambem tem algum tipo de alucinacao porque não conhecemos ainda muitos segredos do mundo real, mas sao alucinacoes que podem prejudicar apenas a nos mesmos, como quando  sai’ na rua para ir `a escola correndo so’ de cuecas porque esqueci as calcas, ou quando desembesto escrevendo um livro ao inves do curto artigo exigido pelos leitores de hoje. Um brinde aos pesquisadores da Yale, uma promessa de que estas falhas cerebrais possam serem curadas.