O Olho Humano Interpretado pela Matrix/DNA

xxxx

(Artigo em construcao: Copiar e traduzir o artigo para interpreta-lo pela Matrix/DNA)

Como os Olhos Humanos Funcionam ( How the human eyes works)

https://www.livescience.com/3919-human-eye-works.html

Fromer explained that the retina is the innermost of three tissue layers that make up the eye. The outermost layer, called the sclera, is what gives most of the eyeball its white color. The cornea is also a part of the outer layer.

The middle layer between the retina and sclera is called the choroid. The choroid contains blood vessels that supply the retina with nutrients and oxygen and remove its waste products.

Embedded in the retina are millions of light sensitive cells, which come in two main varieties: rods and cones.

Rods are used for monochrome vision in poor light, while cones are used for color and for the detection of fine detail. Cones are packed into a part of the retina directly behind the retina called the fovea, which is responsible for sharp central vision.

When light strikes either the rods or the cones of the retina, it’s converted into an electric signal that is relayed to the brain via the optic nerve. The brain then translates the electrical signals into the images a person sees, Fromer said.

Matrix/DNA: Observar como a anatomia da visao imita a formula Matrix/DNA. Na retina tem dois tipos de celulas que sao sensiveis `a luz: as rods (hastes) e a cones. Rods entram em atividade para a chamada visao monocromica em pouca ou rara luz, enquanto as cones sao ativadas em forte luz normal para ver os detalhes. Quando a luz externa chega nas rods e cones da retina, ela e’ convertida em sinais eletricos ( guardar isso para a categoria Luz) que e’ emitida para dentro do cerebro por dentro do nervo otico. O cerebro entao decodifica os sinais eletricos transformando-os nas imagens que vemos. Indo para a formula, nos temos nesta o cone central e as duas hastes ligadas a ele, uma que parte dele e outra que chega a ele. Entao as celulas cone sao o F1 da formula e isto significa que as cones, e apenas elas, transformam a luz que chega em sinais eletricos, pois o cone de F1 na formula sempre faz isso: transforma o material decadente que chega nele , reciclando-o e enviando-o para ser refeito na forma do Sistema de onde ele veio. Nao sei se os oftalmologistas e outros especialistas da visao sabem disso, o que e’ muito importante para se tratar os defeitos da visao. A haste que parte e que corresponde de F2 a F4 “viaja” no quase escuro, pois na formula, as formas do corpo que viaja dentro da haste esquerda nao emitem luz (lua, planeta, pulsar). No olho, este fluxo de F2 para F4 se torna sinais eletricos. Heeeeeeiiiii…!!! Acabei de descobrir mais um fator que faz com que o nosso cerebro esquerdo esteja dominando sobre o direito: as informacoes visuais que captamos atraves da visao entram no hemisferio esquerdo e se chegam ou nao ao espelho luminosos que e’ F6, nao importa, sao informacoes que passam a maior parte de seu tempo de vida dentro do cerebro sendo processadas apenas pelo lado esquerdo! Decididamente, o0 direito nao foi feito para ajudar o humano neste seu mundo, ele e’ um fluxo de saida, uma porta aberta, um elo, para uma dimensao mais luminosa a nos paralela.

Mas surge aqui esta questao: sera que a imagem refletida dentro do cerebro se de pelas propriedades estelares de F6?! Quando F6 deve produzir sua luz propria ( talvez devido a convergencia e acumulo de biofotons), e quando estamos falando de luz que entra na visao, torna-se pensavel que F6 atue como um espelho, pois e’ luz (interna) recebendo luz (externa). O problema e’ que ainda nao identifiquei no cerebro qual o elemento que representa F6. Mas devo lembrar que nao se deve sobrepor a formula na sua posicao vertical sobre o cerebro que esta na posicao vertical normal humana, e sim, deve-se sobrepo-la horizontalmente como um meridiano da circunferencia cerebral que permanence na posicao vertical. Assim, a abertura entre os dois lados do cerebro, na posicao normal vertical, para a formula nao tem topo e base vertical, mas sim serve para ver as duas faces da formula quando ela esta deitada ( ou seja, posicao horizontal).

A retina aprenta-se como um ponto central que tem duas hastes para um lado e mais duas hastes para o outro lado. As duas hastes que descrevemos acima e que vao para dentro do cerebro estao opostas as duas hastes que do outro lado formam o olho, e estas hastes sao a cornea, sclera, e cloroid, a qual consiste no vaso sanguineo que corre no olho trazendo nutrients e levando o seu lixo, exatamente o que tambem fazem as hastes na formula. Pela primeira vez vejo a formula da Matrix assim, dupla ou duplicada, enquanto mantem apenas um nucleo. Nao sabia disso – que ela tem tambem esta propriedade – e isso abre novas pesquisas, faz rever o que foi pensado, terei que fazer um novo desenho da formula, etc.

E uma nova informacao captada aqui e’ muito importante: a formula faz a luz se transformar, ou se codificar, em sinais eletricos! Raios, o que significa isto? pensando bem isto ja estava previsto mas entao, nao seria uma transformacao ou decodificacao. Pois sinais eletricos deve significar eletrons em movimento, e eletrons sao veiculos dos fotons, e’ como se os sinais eletricos se parecam com carros passando numa avenida e tendo como motoristas, os fotons. os quais sao as particulas da luz. Devem ser as particulas da luz externa que entra no olho. Entao no olho a luz e’ decomposta em seus framentos, seus building blocks, carregados pelo nervo otico, ate chegarem ao element na parte posterior do cerebro onde os fotons se juntam novamente, reconstruindo a luz eszterna. E a luz externa, quando entrou no olho, trazia em si uma especie de holograma dos objetos refletidos, assim como conseguimos impregnar uma fita cinametografica com imagens/hologramas de objetos reais. Mas… raios, se eu estou num ambiente como um escritorio iluminado por ula lampada e olho para o espaco vazio sendo atravessado pela luz nao consigo imaginas como essa luz esta carregando imagens, ou hologramas dos objetos do escritorio. Entao a luz bate no computador, nao o atravessa e reorna para o espaco. Mas quando ela bateu no computador ela extraiu dele sua aparencia e quando eu boto na cara no meio disso tudo, meus olhos capturam ela luz retornando ao espaco, e tenho a capacidade de ver a aparencia do computador, ou um holograma do computador! A luz seria entao um oceano de uma substancia holografica, homogenea, que ao atravessar a dark matter cria bolhas dentro das quais ficam aprisionados porcoes da substancia holografica misturadas com dark matter, e dessa mistura surge massa e energia, ou seja, materia, e cada bolha, cada porcao dessa materia se tornam objetos, na forma de objetos, gasosos, liquidos ou solidos. Rompe-se a bolha, os objetos estao livres no espaco mas dentro do oceano holografico. E a substancia holografica em torno dos objetos e’ modelada pelos objetos, na forma de hologramas, os quais sao captados pela nossa visao. Sabendo-se que estes hologramas se tornam visiveis dentro do cerebro humano, suspeita-se que de alguma forma dentro do cerebro humano exista uma porcao desse oceano holografico que denominamos de luz. Sera isto a consciencia?!      

Tags: , ,