Matrix/DNA divulgacao: Importante regra quando apresenta a teoria: Evitar falar em evidencias ou tentar corrigir cerebros?

xxxxx

Raios! Mais um pepino e dos grandes, aparentemente insoluveis. Os cerebros das pessoas normais tem um defeito de configuracao, e o pior, eles sao inconscientes sobre isso e resistem em aceitar/entender este efeito. Pesquisa tecnica revelou que quando apresentamos uma nova ideia que vem com uma suposicao de um desconhecido fenomeno da Natureza, se incluir-mos na apresentacao o relato de mais evidencias, condenamos a apresentacao, porque as evidencias vao afastar os ouvintes do objetivo da apresentacao. Claro, isto esta totalmente contra a logica racional, Portanto e’ um defeito profundo do cerebro, talvez causado geneticamente ou por insistencia da cultura milenar. E como tenho o habito de inserir evidencias no meio do meu discurso, estou inutilizando meu trabalho!

Um fator a pensar e’ que os pesquisadores classificam as evidencias intermediarias como “fracas evidencias”. E as fracas evidencias, ao inves de reforcar a apresentacao, desviam os ouvintes do assunto, levando-os a rejeitarem a proposta. Entao penso que ao apresentar uma visao de um mundo ou caracteristica do mundo real que e’ desconhecida, nunca sequer imaginada, ja existe de antemao a tendencia a rejeita-la. E as evidencias sugeridas para reenforcar a proposta sao mentalmente adicionadas a previa rejeicao, levando a total rejeicao. Mas tambem penso que a previa rejeicao, ou a predisposicao a rejeicao da visao de mundo pela Matrix/DNA e’ causada pelas interpretacoes erradas que a cultura milenar enfiou no cerebro e deturpou as configuracoes neuroniais, resultando em crencas irracionais ou anti-logicas.

Entao, agora, me vem uma estrategia: antes de apresentar as minhas evidencias – as quais fazem meu texto ter varias frases: a primeira, introdutoria, chocante, por exemplo, “atomos e galaxias tambem tem DNA”, a ultima sendo, ” e apresento a seguir a formula desse DNA nos atomos e galaxias”, e sendo as frases intemediarias como ” o codigo genetico nao foi  inventado pela material estupida deste planeta, ele e’ mera evolucao de uma evolucao que vem desde o Big Bang”…  devo omitir as frases intermediarias. Diz o resultado da pesquisa tecnica que desta maneira as pessoas tendem a aceitar melhor a proposicao. E’ contra-intuitivo, irracional, mas devo experimentat isto. Talvez nao seja tao ilogico se nos lembrar-mos dos danosos efeitos das equivocadas interpretacoes inoculadas nos cerebros pela cultura predadora milenar.

Em Segundo lugar, me vem outra estrategia, que e’ a de questionar antes as crencas do ouvinte e apresentar sua ilogicidade, para minar esse mecanismo de auto-defesa. Ou seja, desconstruir a cultura reinante.

O importante estudo – que deve ser aqui traduzido para melhor memorizar e refletir o assunto – esta no link: 

https://www.sciencedaily.com/releases/2011/03/110307124530.htm?utm_medium=cpc&utm_campaign=ScienceDaily_TMD_1&utm_source=TMD

Weak supporting evidence can undermine belief in an outcome

Fracas evidencias como reforco podem diminuir a crenca numa proposta.

New research shows that people who receive weak but supportive evidence about a proposition are less optimistic about the outcome than people who receive no evidence at all. The “weak evidence effect” could be a useful tool in communications, from marketing to political discourse.

Nova pesquisa mostra que peassoas que recebem fracas evidencias como suporte sobre uma proposicao sao menos otimistas sobre o que vem a seguir do que pessoas que nao recebem evidencias. O “efeito da fraca evidencia” poderia ser uma ferramenta util em comunicacoes – como apresentacao da minha visao de mundo – desde o marketing ate discursos politicos.

Experiments by Brown University psychologists have produced positive evidence that people often think about positive evidence the wrong way — if it is weak. Defying logic, people given weak evidence can regard predictions supported by that evidence as less likely than if they aren’t given the evidence at all.

Experiencias realizadas por psicologos da Brown University tem produzido positivas evidencias de que as pessoas frequentemente pensam a respeito de evidencias positivas de maneira errada – se estas evidencias forem fracas, ou seja, sem serem comprovadas no momento da apresentacao. Desafiando a logica, pessoas a quem sao dadas fracas evidencias podem considerar predicoes suportadas por estas evidencias como menos verdadeiras do que se a elas nao fossem dadas nenhuma evidencia.    

( continuar traducao)

Tags: , ,