Evolução Se Propaga Como Ondas: Visão Que Facilita Entender o Mundo

Muitas pessoas reagem com surprêsa achando que estou louco quando digo, por exemplo, que o Universo é uma produção genética, ou que átomos e galáxias apresentam também um código ancestral do DNA. Ou quando solicito a alguém apresentar um unico fato real que disprove que o corpo humano é feito á imagem e semelhança do processo pelo qual o Universo foi feito e ainda se expande. Parece não adiantar eu estar acumulando a cada dia uma montanha de evidências que suportam esta teoria e continuar desafiando quem encontre um unico fato real que faça desmoronar o edifício dessa cosmovisão. Mas não falo por mim e sim sou mensageiro dos resultados de um método de investigação.

A forma atual do moderno intelecto humano foi gerada pelas recentes descobertas das Ciências Naturais, a qual foi desviada do objetivo de seus fundadores no Iluminismo, que era a busca do conhecimento real e total, devido à hegemonia da Física e sua aliada, a Matemática, sôbre o método reducionista. A Física reduz a Natureza ao seu esqueleto mecânico e a Matemática veste a Natureza com uma mente complexa que ela não possui. No corpo humano, entre o esqueleto e a mente complexa há a parte mole, carnal, sob as leis biológicas. A Natureza não possui uma camada mental para construir suas coisas matemáticamente, mas ela também não apresenta apenas o esqueleto mecânico estrutural, pois suas arquiteturas, de átomos a galaxias, são revestidas de uma parte mole, camadas primitivas de leis e regras biológicas. É esta face da Natureza, a nível cosmológico, que a Física e a matemática não podem captar. Por isto, estudantes, intelectuais e cientistas modernos se surpreendem e não aceitam os paralelismos que meus modêlos estão sugerindo, entre a Natureza enquanto Universo, e a Vida como a conhecemos na Terra.

Mas existe uma maneira de explicar levando-os a entender que a evolução (êste processo, no que todos concordamos, que teria iniciado como uma extrema simplicidade e desde então, caminhando para uma crescente complexidade) começou como um pequeno ponto que ao mover-se entre as dimensões do tempo e espaço desenha uma trajetória igual á que uma pedra atirada a um lago desenha em suas águas. Como nossos sentidos são limitados e vemos o efeito na água em apenas duas dimensões, nos parece que as ondas são apenas concêntricas, quando na verdade, o efeito é uma espiral. A pedra continua afundando, deslocando água abaixo, portanto formando uma espiral, mas quem olha de cima não vê a espiral, apenas ondas na superfície. Novas ondas são formadas porque a ultima onda empurra a água para a frente, e quando uma nova onda avança, ela está atingindo um novo território que não foi alcançado pelas ondas anteriores, e nêste novo espaço sempre haverá ciscos, objetos flutuantes, e inclusive temperaturas, densidades, que nunca existiram para as ondas anteriores. Mas a forma de onda parece saltar as linhas divisórias, passando para a onda seguinte, e vai absorvendo as novidades em cada novo território transmitindo-as também, ou não. Assim se propaga a evolução.

Por isso o mundo apresenta padrões repetitivos em todos seus niveis de grandeza, por exemplo, o fato de que um microscópico sistema atômico ser esférico e se constituir de um núcleo e corpos girando à sua volta ser um padrão bem próximo do sistema estelar com um unico núcleo e corpos orbitando à sua volta. Por isso estão descobrindo estes padrões em todos os lugares e começando a entender que o mundo é formado por fractais, formas idênticas que se repetem infinitamente. Por isso estamos descobrindo que o DNA é apenas mais um fractal formado a partir de seus ancestrais existentes antes mesmo da origem da vida nêste planeta.

Mas isso é muito fácil entender. Quando uma onda, a ultima formada, completa sua frequência e período, atinge seu limite, mas a fôrça do evento inicial continua a propagar-se, a nova onda será de qualquer maneira gerada pela onda anterior, e como tal, repetirá sua forma e suas propriedades. Nunca ocorreu de uma nova onda ser diferente das anteriores, digo por exemplo, sendo quadrada. O novo território trará novidades que fará da nova onda uma diferença em relação a tôdas as anteriores, mas estas novidades serão incorporadas apenas depois que uma certa extensão inicial se estruturou copiando os detalhes relativos às ondas, e copiando-os da onda anterior.

É nesta primeira metade de cada onda que o padrão, o fractal se repete na íntegra. Da metade seguinte até seu ultimo limite podem surgir pequeninas variações. Sabendo-se disso devemos entender que a origem e formação de qualquer nova arquitetura natural deverá repetir inicialmente o mesmo processo da origem de tôdas as arquiteturas anteriores, sendo que o posterior desenvolvimento da ultima arquitetura – digamos, o ser vivo – apresentará resquícios do método do desenvolvimento da primeira arquitetura – digamos, o Universo.

Já houve uma teoria que foi forte na sua época sugerindo que durante a embriogênese, o corpo humano repetiria as formas das espécies de animais que o retrocederam na evolução: inicialmente parece um sapinho, um peixe, depois um animal quadrupede e por fim se diferencia tomando a forma humana. Mas se reparar-mos bem, antes da forma do sapinho houveram as formas de célula unica inicial, de mórula, blastula, as quais, são semelhantes às formas do átomo inicial, da nebulosa de átomos e depois do conglomerado de galaxias. Para mim aquela teoria é totalmente lógica, mas A Física e a Matemática deturparam tanto a visão da Natureza que os intelectos doutrinados por elas correram a ridicularizar seu autor.

Se queres conhecer a história do Universo, mas isto é impossivel porque o tempo passado foi muito longo e o espaço muito extenso, volte-se para dentro de seu corpo e conheça sua história. O Universo não é mágico. Êle não pode criar novas informações fundamentais do nada. A complexidade não é resultado de novas informações fundamentais que nunca teriam existido, mas sim de informações parciais e temporárias resultantes da mistura e inter-relações das informações fundamentais, o que se denomina “fuzzy logic”. Portanto, se o Universo gera novos corpos dentro de si mesmo, só pode fazê-lo pela unica maneira para a qual ele tem as informações, ou seja, do jeito que êle foi feito. Por isso somos feitos por um processo que é à imagem e semelhança do processo pelo qual o Universo foi feito. Vejamos êste processo:

Cena 1 – A Hístória do Corpo Humano:  O instante inicial de um corpo humano dá-se com uma explosão – quando rompe o invólucro espermático no centro do óvulo.

Cena 2 – A História do Universo: O instante inicial do Universo deu-se com o Big Bang. As causas e o evento em si ainda não são compreendidos. Mas nosso entendimento da evolução se propagando por ondas nos autoriza a projetar as causas e eventos do corpo humano para calcular  a história do Universo. Foi nessa tentativa que elaboramos as sub-teorias da existência de um fractal denominado Matriz/DNA, da existência de LUCA, um elo evolucionário entre os sistemas astronomicos e celulares, etc.     

Entendendo a evolução como ondas que se propagam da mesma maneira que as ondas se formam na água pela intrusão de uma pedra ajuda-se a esclarecer muitas coisas. Por exemplo, temos na teoria da evolução um problema ainda não resolvido de se encontrar os elos exatos entre diferentes espécies. Êste problema atinge seu clímax quando chegamos ao ponto de acreditar que não existe um elo evolucionário entre o estado do mundo a 4 bilhões de anos atrás e o primeiro sistema celular que surgiu nos seguintes 500 milhões de anos. Assim a História Universal foi dividida por essa cosmovisão dominada pela Física e a Matemática entre dois blocos de histórias sem nenhuma conexão entre eles: quando digo que elaborei um modêlo teórico do elo entre a Evolução Cosmológica, cujo tôpo evolucionário foi o sistema galactico e a Evolução Biológica, cujo primeiro exemplar finalizado foi o sistema celular, me olham como se eu tivesse falando o idioma marciano.

A diferença principal entre ondas concêntricas e ondas em espiral é que na espiral vemos como uma linha continua que conecta tôdas as ondas dentro de um unico todo. É nesta parte da linha oculta conectando e formando cada nova onda e que não vemos na superficie – onde estão ocultos os elos evolucionarios. Não existem quebras no fluir da evolução e sim apenas uma história unica, contínua.

É preciso conhecer ainda mais duas importantes sugestões que vejo interpretando os resultantes modêlos. Primeiro, que a evolução, desde o Big Bang até o homem, foi a evolução de um unico elemento, um unico corpo, um unico sistema natural. Êle começou nêste universo numa forma não material de vórtices quântico – e como mostro em outro artigo, qualquer vórtice natural é um sistema e apresenta tôdas as propeiredades da vida em forma bruta, extremamente simples, assim como a configuração inicial do que mais tarde viria a se expressar como nosso DNA. A partir dêles a evolução venho transformando 6este sistema em átomos, galáxias, sistemas célulares, onde o sistema inicial se encontra muito mais complexo. essa transformação de formas parece obedecer a mesma lei que transforma nosso corpo humano: o ciclo vital. A aparição da organização biológica e do fenomeno mental deve ser devido à expressão de genes retrógrados como aquêles que fazem aparecer bigode no jovem.

Portanto, não se trata da evolução do Universo enquanto aglomerado de galaxias. As galaxias ficaram para trás como nossos ancestrais biológicos. O que carrega a evolução é o corpo dentro do que denominamos universo, o sistema que vem se transformando e chega hoje ao seu tôpo na forma de auto-consciência. Vendo assim, desta forma, fica mais fácil entender a analogia com as ondas na água, porque a história da embriogênese do corpo humano repete as formas cosmológicas de átomos a galáxias e depois continua pelas formas de peixe, de mamíferos inferiores, até chegar á nossa forma humana final. Como fica fácil entender porque digo que o DNA é apenas a ultima forma evolucionaria de uma matriz universal que foi um DNA primitivo como essência de átomos e galaxias. Como fica fácil entender porque a Física não nos conduziu ainda a entender o mundo do passado, pois ela se restringe á mecânica do esqueleto e não capta a cobertura de leis biológicas que vem se expressando através dos tempos revelando que êste é um mundo vivo, gerado genéticamente como nosso corpo humano foi gerado genéticamente pelos nossos pais. E fica fácil entender que a Matemática não é o único e nem o mais importante dos vários idiomas falados pela Natureza.

Tags: , , , , ,