Analizando o Instinto predador no humano (1)

xxxxx

https://www.youtube.com/watch?v=pOH5SWK6Mcc&feature=youtu.be

No video, no momento aos 31:01′ – vamos tentar analizar um texto de um dos personagens para ver se extraimos alguma aprendizagem dele sobre a vida pratica:

Diz uma proprietária de uma cobertura no Rio de Janeiro, mãe ao lado de seu filho, para o reporter:

  • ” … então morar neste triplex de cobertura e’ um privilegio especial pois além das outras vantagens eu posso ver do mais alto o nascer e o pôr do sol, a maior área do mar e das ilhas…” – diz a mãe. ( Na selva dentre os animais irracionais, as feras grande predadoras tem por instinto apos a colheita de presas feita e o estômago cheio, subirem `a colina de onde podem descansar mas vigiar todo seu território la’ embaixo, os campos verdes onde suas presas trabalham transformando grama em carne suculenta, e de onde ficam ouvindo o uivar dos médios predadores – lobos, coiotes – que rondam além dos limites do território, pois sabem que se atacarem o rebanho as feras os trucidam, e assim servem de capatazes, pois as presas não escapam com medo deles. Para mim cada detalhe da vida e comportamento dos predadores humanos que vivem nestas coberturas, sao identicos aos detalhes apresentados pelas feras irracionais.
  • O filho diz: “… Era o sonho da minha mãe e ela fez por este sonho se tornar realidade. Ela conseguiu se conectar com o magnetismo da vida e aproveitar o que a Natureza oferece. Eu tenho consciência de que o que se aproveita na Natureza – que e’ isso que se faz – a Natureza está disposta a tudo, ela oferece muitas coisas boas e muita gente fica so no sonho, pensando nas consequencias, e no fim não realiza os sonhos, a questão e’ que nem todo mundo tem a sensibilidade para aproveitar o máximo do possível o que a vida nos oferece, a questao e’ de cada um ter a sensibilidade para aproveita-la,…”

Esta e’ uma amostragem de como funciona o instinto do predador irracional transformado na psique humana. Uma primeira nota clara e’ que ele acredita que o sentido da sua vida e’ o de se aproveitar das benesses que a natureza esta lhe oferecendo. Exatamente o que todos os animais irracionais – seja predador ou presa – fazem exclusivamente de sua vida. Os empregados humanos e as presas na selva são ofertas disponíveis na natureza `a sua disposição para serem aproveitados. E uma amostra do que esse estado mental produz de fato está no outro video onde um taxista faz um teste deixando uma nota de R$ 50,00 no banco traseiro: 2 pessoas recolhidas num ambiente de classe media alta como estes edificios de triplex pegaram e levaram o dinheiro silenciosamente, enquanto três pessoas recolhidas em bairros pobres e com aparência de pobres pegaram no dinheiro e entregaram-no ao motorista. Esta ai a questao de se ter a sensibilidade para se aproveitar do que a natureza oferece ou não ter essa sensibilidade.

Mas dizer que a natureza e’ dadivosa e existe para nos servir e’ uma grande alienação da realidade do que e’ a natureza, uma mentira absurda. A primeira condição antes mesmo do humano nascer, para ter direito `a vida, e’ ter que trabalhar com as próprias mãos e tortura e suor do corpo para produzir o que vai consumir. Claro, nada de bom cai do céu de graça e a natureza não nos oferece as coisas prontas, o prato cheio `a mesa, a casa onde morar, o carro para se mover. Tendo isto em mente desde jovem calculei que na vida consumiria cerca de 40 toneladas de alimento, no minimo uma pequena casa, 3.000 kilos de algodao para roupas, etc., e nunca me furtei de trabalhar calejando as mãos para produzir isto mesmo depois de ter diploma universitário ou quando estava com boas economias nos bancos. Eu não posso aceitar que uma jovem ou uma criança de 12 anos deixem de estudar sua lição do dia para fazerem 12 horas de trabalho duro para eu tomar delas a parte maior que consumo e ainda vai pagar minhas extravagâncias. Não posso aceitar que a mãe de duas ou quatro crianças deixe a casa dela para vir esfregar o chão da minha casa e ainda ter  a falta de escrupulo de pagar a ela 10% do valor que eu recebo com minha ocupação no ar condicionado. Não posso aceitar que o pai trabalhador trabalhe três vezes mais que requer a natureza para levar para a casa uma miseria que manterá seus filhos na miséria. Nao sou bactéria parasita ou fera carnivora predadora, tenho o corpo ainda animal mas uma mente que cada vez mais me distancia destes animais e por isso tenho repugnância da dita “esperteza felina” que alguns humanos se gabam sem a qual ninguém se enriquece do trabalho real produtivo,  mais que os vizinhos, pois que todos trabalham. Como estes indivíduos tem a coragem de mentirem escondendo esta espécie de maldição proferida pela natureza contra todo humano antes de nascer e’ coisa que nao consigo digerir. A única solução e’ boicota-los economicamente como sempre procurei fazer: so trabalho para mim, alguém da minha família ou qualquer outro trabalho apenas se for entre sócios. Antes de cair na escravidão prefiro me suicidar me preparando antes para matar tambem. Quem livra a humanidade de uma fera predadora faz um benefício `a humanidade.

Por isso na minha conversa com pobres digo: ” Os que exploram o seu trabalho e invadem todas as terras nao tem o menor escrúpulo em se aproveitar na hora toda oportunidade que a natureza oferece de agarrar o que ‘e bom, o que e’ vantajoso para se ter uma vida boa. Este negocio de ficar se perguntando se fazer isto ou aquilo e’ certo ou errado, e geralmente pensando que tem um Deus invisível assistindo o que você vai fazer so’ existe na cabeça dos pobres. Eu não sei se existe algum tipo de Deus assistindo-nos, mas se você acredita que sim eu pergunto: “Se você faz o que Deus quer e aprova, porque Deus não te protege dos assaltos destes que fazem o que Deus não aprova?” Das duas uma: ou você faz o que eles fazem e dê a sua mulher e filhos uma vida digna de ser vivida e esquece essa metafísica de Deus, ou então esse Deus não aprova que você não está se defendendo dos assaltos.” 

  • ” Uai… mas como vou me defender desses assaltos, como você diz, dos politicos corruptos, dos banqueiros agiotas, dos ladrões dos nossos minérios, etc.?”
  • ” Exato, aí está o que você está fazendo que eu, se fosse Deus não aprovaria: o seu extremo egoísmo que leva a este individualismo que te torna incapaz de chegar aos outros assaltados da sua classe social e se oferecer para ajuda-lo a se defender. Não se esqueça que vocês, da sua classe social, são em muito maior número que os assaltantes, portanto voces tem o poder para se defenderem, Deus, a natureza, ou seja la’ o que for, deu esta dádiva para você, e você não a aceita, não a assume, porque você tem ruindade em si para com seus irmãos de família, de profissão, de classe social. Assim Deus te abandonou e não está te assistindo e por isso nao esta te protegendo.”  

O que ele diz, está certo ou errado? Bem… certo ou errado em relacao a que? Se esta certo ou errado depende dessa questao relativistica.

Pensando nisso, vou tentar identificar ao que de fato ele está se referindo quando expressa sua personalidade. Então vejo dois fatos principais: a natureza e o resto dos seres humanos, que e’ quem ele está falando.

Quanto `a sua definição da relacao natureza/humanos acho que ele esta certo. No principio a natureza neste planeta era muito caótica e estéril (lembre a imagem de outros planetas sem vida), e depois quando ela criou os animais havia um meio-ambiente com alguns poucos locais quase paradisíacos para a existencia deles, e a maioria de locais sofriveis para a vida humana. Não sabemos onde e como a aquela natureza de paisagem esteril e tempestuosa conseguiu que suas forssas e elementos produzissem estes paraisos, a vida com sua enorme diversidade, ao mesmo tempo que produziu seres vivos em ambientes torturantes nos quais estes seres foram torturados e mesmo assim, atuando com um desejo irracional para sobreviver na tortura.

Com isso ja’ vamos percebendo que nao temos o conhecimento do que e’ natureza e como e porque ela fez aqui o que fez. Por exemplo, porque criar a felicidade de um lado e a tortura em outro? Porque ela tem essa dupla face de aplicar o bem ao mesmo tempo e na mesma medida que aplica o mal?

E com isso ja’ percebemos que o “filho” cometeu erros crassos ou omissoes cegas na sua definicao da natureza. Ele apenas mencionou a face natural da alegria que oferta dadivas e omitiu, se cegou, para a outra meia-face que so oferece dores e miseria. Pelo que ele disse, ele cre que a face boa tem um “magnetismo da vida”, e quem se conecta com esse magnetismo e’ agraciado com os privilégios. Claro esta que estamos perante uma criacao imaginaria metafisica, um atestado numa crenca de fe, e nao um ato racional. Ele sera incapaz de mostrar e provar esse “magnetismo da vida”, muito menos explicar de onde viria da natureza esse magnetismo, e seu dizer poderia sugerir que “na outra meia-face da vida, a do “mal”, nao existe esse magnetismo da vida”.

 

Tags: , ,