Sómente a Matriz/DNA poderia explicar os Saltos Evolutivos e a própria Evolução?

Imagine você num laboratório manipulando potássio, ferro, calcio, alguns gazes e tentando monta-los para construir uma arquitetura exatamente igual ao seu corpo. Seria possível fazê-lo mas depois de tudo montado terias deitada na prancheta uma coisa inerte como um cadáver. Precisarias insuflar energia para dar a partida inicial naquela  máquina mas seu corpo não pode emitir essa energia. Creio que se tentares usar todos os tipos de energia que temos, como a hidrostática, a atômica, etc. não iria adiantar.  Acredito que apenas uma forma de energia pode ligar e manter a sua cópia funcionando: a energia solar. Então você apanha uma quantidade de energia solar e a dirige de forma planejada e medida certa para dar essa partida como nós ligamos o plug do ventilador na tomada. Por fim a cópia de si mesmo sairia andando. Pois não foi isso que alguns simples compostos daqueles elementos fizeram na sôpa primordial quando inventaram a replicação de si mesmos? Não, certamente que não.

Diz a Academia que ao invés de montar cópias com elementos externos, como faz o DNA, os primeiros compostos orgânicos se duplicaram em si mesmos, crescendo, e depois se fragmentaram em pedaços, iguais à forma original. Eu não gosto dessa idéia e espero que possam provar isso na frente de meus olhos. Simplesmente porque nunca ví 6esse processo em nenhum lugar, e tôdas as formas de reprodução que conheço, seja no microsçopio ou macro nível, ela as acontecem como o DNA e animais fazem. Seria impossível a um corpo humano começar a agregar matéria a si mesmo de maneira que uma extensão conectada a êsse corpo começasse formando pés, pernas, bumbum e chegasse à cabeça, e depois se separasse em cópia. desta forma acredito que a teoria Acadêmica é uma viagem escorregando na maionése.

Portanto aquêle composto mineral e gasoso inicial não tinha todos os ingredientes necessários, e assim  como  para você criar uma cópia necessitas de um elemento que nem na Terra está ( o Sol e sua energia), também certamente algo externo á Terra mas presente com sua fôrça naquela sôpa foi necessário. Eu cheguei à conclusão que êsse algo nada mais foi que a própria essência do sistema constituido pelo Sol e a Terra, à qual denominei de a Matriz/DNA, e para mim êsse mistério foi resolvido. Mas… de onde veio essa essência, para que e porque ela existe? Porque esse afã em construir arquiteturas materiais cada vez mais complexas, sendo que essa tendencia é a responsavel criadora da minha existência? Responder essa questão é a meta que me mantem me esforçando e fazendo sacrificios para continuar vivendo. Tenho que perseguir essa ess6encia em tôdas suas manifestações na matéria porque apenas conhecendo seus detalhes, observando suas ações, terei a chance de finalmente conhecê-la por completo. Então assim se explica porque me dedico a exercícios como o abaixo que são colocados em textos e gravados aqui nêste website, pois estando na Internet alguém mais com a mesma meta poderia lê-los, interessar-se em ajuntar fôrças e idéias, e assim minhas cnaces seriam diplicadas. Se você é o “cara”, então leia, corrija, enriqueça, o texto a seguir:   

 A evolução era para ter parado muitas vêzes e só mesmo a presença de algo como a Matriz/DNA pode explicar o que a fêz seguir adiante. As partículas não tinham porque se constituirem em átomos, os corpos de massa sideral não tinham para que se constituirem em sistemas estelares, os répteis não tinham o porque de inventarem a engenharia de manter os ovos dentro do corpo. Temos que analizar caso por caso, exaustivamente, pois é a unica possibilidade que temos em mãos para observar a Matriz atuando, se transferindo de corpos simples e construindo corpos mais complexos. Primeiro foram os processos da evolução das particulas e átomos mas vamos deixar isso por enquanto. Pense como eram os corpos de matéria formados por agrupamentos de átomos no espaço, porções inicialmente com formas irregulares e dispersadas caóticamente e não tinham nenhum motivo em si mesmas para mudar aquêle estado. pela lógica o cosmos hoje seria nada mais que aquilo não havia fôrça com sentido para alterar aqu6ele estado mas mesmo assim aqu6eles corpos se dirigiram a formarem um sistema organizado quase perfeito que funciona como o mecanismo de um relógio. Todos os dias e a bilhões de anos o Sol continua queimando, irradiando energia, à sua volta corpos giram numa precisão e repetição mecanica extraordinaria. Como e porque uma máquina seria criada por porções de matéria separadas e sôltas no espaço? Mas vamos pular do espaço direto para um planeta, a Terra. Inicialmente uma esfera contendo rochas e de alguma forma nela tinha uma maior variedade de compostos atômicos aos quais denominamos ferro, níquel, cobalto, ouro… de alguma forma havia os gases oxig6enio e hidrogênio e deu certo que formaram uma composição especial que resultou na água. Mas o planeta não apenas girava sincronizado em volta da estr6ela, porem girava s6obre si mesmo e tanto no sentido horizontal como vertical e da combinação destes tres tipos de giros emergiram as propriedades do dia, da noite, das estações, as diferentes configurações e composiçõers de polos, oceanos e continentes. Tudo isso movia mas não por fôrças internas aos corpos e sim cada coisa era movida pela fôrça que emanava de corpos maiores. Não havia motivo para que alguma composição nova de ferro, potássio, sendo misturadas com gazes e sendo aquecidos pela energia solar se esforçasse para se transformar em algo novo nunca existente antes, que fôsse aquela microscópica porção de repente despertada para as benesses da liberdade e autinmia se livrando das perturbações que sentia causadas pelas fôrças emitidas pelos corpos macroscópicos. No entanto isso aconteceu e acabaram por inventar novos mecanismos e processos e arquiteturas que resultaram mais tarde numa novva forma de máquina, milhões de v6ezes mais complezxa que a maquina solar, como é a máquina do corpo animal.

Porque e para que uma microscópica composição de minerais e gazes aquecidos pela energia solar às vezes e outras enregeladas pela ausencia dessa energia iria se mover para buscar outra acomodação no seu ambiente? Não é lógico. Certamente não estava nestes elementos as fôrças que os levaram a emitir radiações de si mesmos na direção dos compostos separados e informes que estavam ao seu redor, selecionando uns e descartando a maioria dos outros, e ainda mais, atraindo-os para si, para crescerem, e depois se quebrarem em fragmentos iguais, o que resultaria em cópias e mais tarde no fenomeno da reprodução. Agregação de elementos separados já havia devido ao magnetismo e gravitação, mas seleção e montagem destes elementos segundo a sua própria configuração?

(estudo interrompido aqui para posterior continuação)

Tags: ,