Livro: Vantagens de publicar como Amazon Kindle

xxxx

Obtido em Quora:

https://pt.quora.com//translate_answer?source=question_prompt&translate_answer=28264023

Richard Muller 
Richard Muller, Prof of Physics UC Berkeley, author of “Now-The Physics of Time” (2016)

It’s very hard. Best is if you can find an agent. Don’t worry about the 15% agents will take; they earn it.

But what I strongly recommend is that you publish it on Amazon as a Kindle book. Typically, for a hardcover book, the publisher will give you 10% of the face price for the hardcover. That may be $2 to $3 per book. Publish it on Kindle, for $5, and you’ll get a similar amount of money per book!

You might be tempted to say, but if I put it on Kindle, nobody will market it! Nobody will pay for advertisements! That’s true, but for most books, until you hit the best-seller list, even your publisher will not spend money marketing.

I just put my novel The Sins of Jesus on Kindle, and it is selling far far better than it was last year when it was available only in paperback. Incidentally, even though I am a best-selling author in non-fiction, I could not find a major publisher willing to publish my novel.

xxxx

Sergio Correa de Siqueira, antigo quatro livros publicados, uns prêmios literários
Bons conselhos, mas que tal uns práticos de quem já passou por isto?

Você tem três opções para publicar:

Auto edição;

Co-edição;

Edição Comercial.

Na auto edição você paga pela edição dos seus livros, e é responsável pela venda, Não há nenhum demérito nisso, Manuel Bandeira começou assim, e mais muita gente boa.

Na co edição a editora arca com a maior parte dos exemplares, mas o autor deve se responsabilizar pela venda de 10, 20% dos exemplares. Editoras como a luso-brasileira Chiado e a brasileira Kazuá são bons exemplos.

Na edição comercial a editora arca com os custos e os riscos.

Comecei a escrever depois de aposentado, e, como Scarlett O’Hara, prometi: nunca pagarei para ser editado. Meu primeiro e meu terceiro livros foram editados por uma pequena editora (esqueça as grandes, elas nem vão ler seu original se você não tiver uma boa sinopse e um currículo literário), o segundo foi dirigido a uma editora alvo de porte médio bem escolhida, o quarto foi publicado por ter sido premiado. As desvantagens são: marketing deficiente, vendas à brasileira (meu único livro que vende bem é um paradidático vendido diretamente a escolas e Secretarias de Educação; boa grana mas desconhecimento nas livrarias). A vantagem é que sendo o mercado tão restrito e concorrido, ser escolhido afaga o ego.

Eu escolhi agir assim porque: a) passei quase trinta anos fora de casa e não tenho muitos amigos e conhecidos para irem a noites de autógrafos; aliás, hoje só autografo nas organizadas pelas editoras; b) não tenho lábia de vendedor, nem sei me auto promover.

Se você acha que consegue vender cem, duzentos exemplares, aconselho a co edição. Nestes exemplares você não vai ganhar muito – só empatar – mas o simples fato de vendê-los vai ajudar a promover os 800 restantes. Além disso, a Chiado e a Kazuá são rígidas na escolha de autores com potencial comercial, e ser aceito por elas já conta pontos em, seu favor. Eu sempre busco ser aprovado por eles em primeiro lugar, o que uso como barganha com editores comerciais.

Se você tem um milhão de amigos e é um galante pica doce nas cantadas, tente a auto publicação – inclusive, rende muito mais. Tenho um conhecido que consegue vender 1.000 exemplares, e ganhar mais do que eu vendendo 15.000.

Último conselho: entre em concursos, e acumule prêmios literários. Eles fazem o seu currículo e ajudam a vender, muito mais do que você pensa. Visite sempre o blog Blog Concursos Literários

E tenha o couro grosso. A proporção é de vinte “nãos” para um “sim”.

Aceitando a sugestão do Endrio Borges, uma auto promoção (foi ideia dele, eu sou modesto por natureza), meus livros publicados:

BESTIÁRIO AMOROSO e BLUE MOON (esgotados, como Regis Eco) – não baixem a cópia pirata, a 2a. edição já vem aí.

CATITA E OS BYTES PARALISANTES, 2a. Ed., infantil.

O GRANDE MASSACRE DAS VACAS, Prêmio CEPE Romance 2015, finalista Prêmio Oceanos 2017 (o 2o. maior em língua portuguesa).

À venda na Amazon (comprem lá, a gente ganha mais um pouquinho, e custa 1/4 da cópia impressa), na Cultura, Livrarias Curitiba, em Portugal na Bertrand e Wook, na Espanha na Casa del LIbro. (Não sou mercenário, mas obedeci ao Endrio, rsrsrs).

xxxx

Bem… o primeiro passo, naturalmente, é escrever. Para escrever há muitos conselhos… o mais importante é: tem de escrever.
Não interessa se não tem vontade ou inspiração. Se só tem meia hora antes de um compromisso. Tem-se de escrever! É neste aspecto que quero melhorar!!

E ler. Tanto dos outros – muito – como ler e reler o que escrevemos. Esta parte também pode ser muito aborrecida: ficamos com vontade de apagar tudo e recomeçar do principio!! Acontece… olhe, aconteceu a Eça de Queiroz – Wikipédia, a enciclopédia livre (com A tragédia da Rua das Flores, que depois tornaram-se n’Os Maias), portanto não é vergonha nem desastre, apenas trabalhoso! E aqui voltamos ao ponto anterior.

Bem, mas vamos supor que já passámos essa fase. Temos um texto, que relemos e gostámos e gostaríamos de publicar, como um livro.

Hoje em dia não nos podemos esquecer que um livro pode ser físico, digital ou ambos. Pode ser publicado por uma editora, ou pelo autor.

Para ser publicado por uma editora tem de arranjar uma editora que o aceite, sugira alterações, o publique. O bom é que a partir do momento que o livro seja aceite por uma editora o autor pode descansar… quer dizer, as alterações sugeridas (exigidas) podem doer. Mas o resto do processo é conduzido por professionais. Podem pedir-lhe a opinião, mas eles fazem o trabalho sem preocupações. O mau? Além das alterações (algumas até farão sentido) temos a pilha de cartas de rejeição que os bons autores do século passado guardavam. Um novo autor é sempre um risco grande. A menos que o texto em questão tenha ganho um prémio ou o próprio autor tenha algum factor de marketing (ser filha de um famoso ou sobrinha de um político) é muito, muito dificil. Mesmo que o livro seja razoavel.

O outro caminho tradicional é a auto-publicação. Manda-se editar, paginar, o design da capa e finalmente a impressão, tradicionalmente numa certa quantidade: as impressoras tradicionais só compensam a partir das centenas de livros.

Tudo isto representa… trabalho e dinheiro. E cada vez que decidimos algo fora da nossa área (que tipo de papel? de letra? capa dura?) corremos o risco de falhar, e falhar em grande! Mesmo que quem nos acompanhe nesse assunto seja um professional: podemos não nos ter explicado bem! Mas acima de tudo dinheiro.

E finalmente temos a auto-publicação com a Amazon. Desculpem se isto começar a parecer um anúncio. Mas, fiz uma pequena experiência, com um pequeno texto e correu mesmo bem.

Uso o Kindle, para ler: especialmente em inglês. Ao usarmos o Kindle (não é preciso o aparelho, basta a aplicação no computador ou isso) temos logo acesso a um mar de conselhos sobre edição e publicação.

O processo acaba por ter os mesmos passos:

  • escrever
  • editar
  • formatar/paginar
  • cover
  • preço/marketing

E encontra conselhos, livros de how to, grátis para todos eles.

Pode decidir o que quer fazer e o que quer delegar. Mas, seguindo os conselhos, e especialmente se estivermos a falar de uma versão digital, não é assim tão complicado. E pode-se sempre corrigir mais tarde, claro.

Mas o mais fantástico é:
pode disponibilizar uma versão física também. Embora aí a paginação dê algum trabalho, realmente. Mas, seguindo os templates fornecidos, e usando a experiência que teve ao tratar da versão digital, não é complicado.

E é fantástico esta possibilidade que existe hoje de criar um livro físico. As impressoras modernas têm essa capacidade, de imprimir um exemplar de um livro!! Não há portanto qualquer investimento, além do tempo, neste processo todo! E se quiser delegar qualquer parte, como a capa, num serviço, claro.

A minha experiência foi com um pequeno texto, em inglês.. que note-se que não domino bem. Portanto, a verdade é que não tinha intenção de criar um best seller, ou uma obra de arte… era mais para estar disponivel para alguém, do outro lado da Europa..

Mas a sensação que no dia seguinte aquilo estava dispinivel para alguém que o quisesse comprar, em qualquer parte do mundo… é indiscritivel. Claro, que se o original for em português pode demorar mais tempo.

Bem sei que o inglês pode ser uma barreira. Apesar que ler no Kindle ajuda (temos o dicionário sempre à mão). Acabei de ver e existem também livros e artigos sobre como publicar na Amazon em português. Embora esses não sejam grátis… mas também a começar num dolar e pouco não podemos dizer que sejam caros. (não, nenhum escrito por mim! Senão aconselhava-o!!)

Claro que algumas editoras tradicionais já terão impressoras modernas, que permitam tornar a auto publicação tão democrática como na Amazon.
Vou verificar.
Espero amanhã editar esta resposta! :)

xxxx

Você tem uma escolha básica para fazer: você quer que seja publicado por uma editora tradicional ou quer publicar por si mesmo?

Acho que os prós e os contras são algo como:

Editora tradicional

Prós para o autor

  • Não há um custo inicial pra você – a editora paga pela edição, design, e impressão.
  • Alguns acreditam que isso te legitima como escritor.
  • É a maneira mais fácil de ter seu livro em livrarias tradicionais (Embora brevemente).

Contras para o autor

  • É difícil ter seu livro publicado por uma editora, você pode precisar encontrar um agente primeiro. Você definitivamente terá que escrever um livro comercial porque a editora está tomando todo o risco.
  • Seus royalties serão baixos, e é improvável que você avance atualmente como um novo autor.
  • Você ainda terá que fazer a maior parte da publicidade.
  • Você perde o controle criativo de coisas como a capa, ilustrações, e até mesmo escolhas editoriais.
  • Pode levar anos para seu livro aparecer.
  • Seu livro pode ser colocado a um preço baixo e deixar de ser impresso rapidamente também.

Publicar por si só

Prós para o autor

  • O lucro é seu – normalmente para E-Books você receberá 70% das vendas na Amazon – pagamentos também são mais rápidos comparados com as editoras.
  • Você tem o controle, podendo escolher o título exato, fazer escolhas editoriais, tudo é sua escolha final.
  • É rápido – você pode ter o livro pronto o quão rápido você quiser – dentro de uma semana para um E-Book.
  • Você tem contrato direto com seu público, você pode se comunicar diretamente com eles via seu website e e-mail.
  • Seus livros ficam disponíveis quanto tempo você quiser.

Contras para o autor

  • A menos que você seja muito dedicado para fazer as coisas por si só – você precisará pagar especialistas para fazer algumas partes do trabalho pra você (normalmente a edição e o design na capa, no mínimo).
  • Se você vai laçar uma versão impressa, terá que pagar os custos de impressão. (Você pode contar no entanto com impressão por demanda como “CreateSpace”, onde os livros só são impressos se houver pedido dos clientes).
  • É mais difícil ter seus livros em livrarias tradicionais.

De fato, você não tem realmente que escolher; Se sua publicação própria começar vendendo bem, as editoras tradicionais podem se interessar e atrás de você. Então você estará numa posição de barganha bem mais forte do que se você fosse atrás deles.

xxxx

Introducao ao meu livro:

Os jovens que vivem no Ocidente e foram na escola ao menos ate o segundo grau, estao enfrentando a pior crise existencial da mente na historia da evolucao. Esta crise produz a falta daquela motivacao e energia em ter vontade de viver, trabalhar e progredir que caracterizou o comportamento de seus pais, a geracao que produziu esta enorme complexidade de tecnologia. Com a mente flutuando num vacuo escuro, podem vir a depressao, as drogas, os impulsos violentos e suicidas, se somados `a problemas financeiros. Ainda vemos muitos jovens agindo sensatamente, se esforcando nos estudos, procurando trabalhar, mas a forssa dessa motivacao nao vem deles e sim da insistencia dos pais. Mas a causa psicologica que moveu as geracoes anteriores no Ocidente foi principalmente a Biblia , e esta nao funciona mais para estes jovens. A interpretacao do mundo e da sua existencia nele, que a escola ensina, corroi a crenca na Biblia, o motivo religioso nao faz parte mais da sua geracao.

Todo individuo humano quando crianca tem amigos fantasmas com quem conversa e estabelece o mundo da magica aos objetos, transformando-os em brinquedos. Pois o que acontece a um elemento humano e’ projetado quando ele compoe um conjunto coletivo chamado “humanidade”, a qual tem a mesma historia de desenvolvimento mental. Desde que a humanidade ate as ultimas geracoes ainda estava na sua fase de infantilidade mental, e’ compreensivel que ela tenha tido seus amigos imaginarios e invisiveis com quem ela partilhou seus pensamentos e de onde obteve sus valores morais e motivacao para se comportar de uma maneira que a vida progrediu. Mas o conhecimento cientifico correspondeu a passagem da fase infantil para a adolescencia onde se comeca a cair na realidade da vida, a qual elimina os amigos invisiveis e a magica. Principalmente a consciencia ecologica denota esta passagem.

O conhecimento cientifico e seu produto, a tecnologia, e’ obtido na escola. Mas o curriculum escolar cometeu um erro gravissimo. Ele mentiu para os estudantes assim como os autores da Biblia e criadores do papai Noel mentiram para nossos antepassados. O que e’ biologica e evolucionariamente compreensivel: a adolescencia e puberdade nao e’ a entrada na realidade do mundo, mas sim numa fase de meia-realidade/meia ilusao. E’ notorio o estado mental dos jovens como desafiadores quase suicidas das forssas reais e uma certa arrogancia crendo numa visao do mundo que nao corresponde a realidade. O curriculum escolar e’ elaborado por adultos e suas interpretacoes do mundo, porem estes adultos individuais sao a humanidade em sua fase de adolescencia e puberdade.

Quando a escola mentiu aos estudantes, o que ela fez, na pratica? Ela encolheu a aura da imaginacao mistica no cerebro da crianca, destituiu-a da sua prazeirosa interpretação dos objetos e ambiente ao redor, e no seu lugar instalou “nada”, uma nova interpretacao mistica do mundo que e’ exatamente a oposta a interpretacao magica anterior, o que a caracteriza como a outra face da mesma moeda: a mistica. As erroneas interpretacoes da realidade. Nessa sua funcao de se desdobrar em tudo que seja oposto `a primeira onda mistica,  ela inverteu a motivacao para viver em nao-motivacao.

Mas o ensino escolar também não esta fornecendo essa motivação e energia para ter vontade de viver e progredir. De que adianta eu sacrificar tudo no trabalho buscando ser rico e poderoso, se a escola e a midia me mostram  as fotos de um mundo igual para todos os lados que comecou por acaso numa explosao e portanto vai a lugar nenhum? Que viemos de animais primos de macacos, que nao temos nenhnuma alma consciente, pois nossa mente nada mais e’ que mero produto desenvolvido pelo cerebro. E o pessoal da mudanca climatica jurando que teremos o mesmo fim dos dinossauros?

Mas, espere ai. As teorias gerais ensinadas na escola foram elaboradas por quase cegos ( so vemos e tateamos a face de objetos revelados por apenas uma das sete faixas da luz) e com um cerebrozinho tao diminuto com tao poucos e limitados sensores cerebrais, mais alguns grosseiros instrumentos cientificos, perante a incrivel dimensao deste Universo, que e’ certeza que este nosso cerebro nao poderia processar as informacoes da descricao do que o mundo realmente e’, o que realmente significa sua existencia nele.

Como estudante de escola esta’ ainda tudo ai’ para voce pegar firme e trabalhar buscando a motivacao e a energia necessaria para viver alegre, e quando voce estiver busvcando ela, ja’ a tera’ encontrado, pois voce nao vai estar motivado nesta busca? Vou mostrar aqui a voce como isso funcionou comigo a ponto de sozinho e nas piores condicoes de vida, descobrir que existe uma outra maneira de teorizar o significado da nossa existencia e deste mundo, uma nova cosmovisao nunca percebida por ninguem mais, nem as religioes e nem as escolas sabem dela.

Aposto que voce ja tem alguma ideia do que seja um gene. Ha 3,5 bilhoes de anos atras a natureza criou aqui esta extraordinaria obra de engenharia, algo que supera em muito os incriveis bits deste seu incrivel computador. E agora quando olhamos a Terra e nos perguntamos em que pe’ esta’ a evolucao natural aqui, qual o apice desta evolucao, qual a ultima mais complexa arquitetura natural aqui, e so temos uma resposta: a auto-consciencia… que emerge do cerebro humano. Naquela epoca a Natureza construiu os genes para construir o primeiro ser vivo, o primeiro sistema biologico funcional super-complexo: o sistrema celular. Agora a natureza esta criando outro sistema complexo e o que ela usa para faze-lo? Genes.

” Nao, voce nem n inguem pode afirmar isso, nem a neurologia que e’ a dona da area descobriu como surgem os pensamentos, a mente, do cerebro. Os genes criam o hardware, a magquina biologica, o cerebro, mas dai dizer que os genes criam a consciencia e’ um salto no escuro”.

” Voce nao esta entendendo. A Natureza criou genes moleculares para criar um novo sistema complexo. Agora ela criou uma mais complexa forma de genes para criar a consciencia; estes novos genes se chamam “humanos”. cada cabeça humana e’ um ovo onde fiunciona um gene distinto com uma informacao especifica, unica, intransferível, e indispensavel para uma das caracteristicas de uma auto-consciência planetária. E lembre-se: os genes que vieram no genoma de seus pais fizeram seu cerebro e depois subiram todos para este cérebro tornando-se apenas uma personalidade. Assim esta você indo constituir uma só personalidade, que poderíamos denominar de “a auto-consciência de Gaia”.

Mas eu vou trazer aqui uma biblioteca de fatos cientificos comprovados, outra maior de evidencias, e outra grande ainda com as predicoes que esta nova visao do mundo fez a mais de 30 anos atras e no meio da selva amazônica, já foram confirmadas pelas novas descobertas nestes 30 anos. Você vai compara-la com a cosmovisão ensinada na escola, vai ver que as duas estao firmadas nos mesmos fatos, porem o método diferente de conectar estes fatos mostra um m undo muito diferente, e com uma surpreendente motivação para você ter prazer na vida e lutar incansavelmente para ser bem suscedido.

Tags: