A realidade da dimensão quântica versus a ilusão da realidade humana, resolvida pela Matrix/DNA

xxxx

Esta formula resolve muitos mistérios não resolvidos pela Ciência Acadêmica. Vamos ver um exemplo:

A Ciência acadêmica, na sua teoria mais profunda, esta teorizando que a nossa realidade não existe, é pura ilusão. Isto porque o vácuo revela que a ultima instancia da realidade é uma espuma quântica que se torna duas partículas fundamentais que se auto-aniquilam continuamente. Isto significa que a realidade verdadeira, ultima, na base ou alicerce da nossa ilusória realidade, é aquela espuma de energia que não existe, porque a energia que esta na espuma é “emprestada do futuro”. Então o mundo não existe no passado e no presente, o que serve de base para o mundo é o futuro, o qual, todo sabemos, não existe ainda, também.

Os físicos encontraram uma boa analogia para explicar isto: uma conta no banco. Suponha uma conta que agora não tem fundos. O dono da conta emite um cheque, sem fundo. Mas o banco confia no cliente, pois ele sempre pagou seus débitos. Então o banco paga o cheque com um dinheiro que a conta não tem (nem o banco tem, ele pegou o dinheiro de outro cliente que tem saldo médio). Não tem dinheiro no deposito mas dinheiro apareceu. Como o banco espera receber no futuro, diremos que a conta obteve um dinheiro do futuro. De fato no outro dia o cliente vem com dinheiro real e paga o debito, alias, vem com mais dinheiro, e fica com saldo. No dia seguinte o cliente emite outro cheque maior que o saldo e fica com debito. No final do mês ou do ano o banco calcula o balanco médio e conclui que a conta não tem saldo médio, ou seja, o valor da conta é zero.

Assim é a base, o alicerce da nossa realidade: é o zero, nada. Isto é a espuma quântica. Num momento ela se apresenta, e vamos chama-la de conta bancaria. Quando ela foi aberta, o cliente depositou cem dólares. A conta agora tem uma substancia real, que e um dinheiro, os cem dólares. Na nossa espuma quântica os cem dólares representa quando a espuma se tornou uma partícula, positiva, digamos um quark down. Mais dinheiro vai transformar este quark down digamos, num elétron negativo, o qual é o veiculo carregador da energia da nossa realidade. A espuma continua existindo ou se tornou uma partícula? Ora, a espuma na verdade não existe com substancia nenhuma real, como uma conta bancaria com saldo médio zero e algo abstrato, apenas existe nos papeis do banco, mas os papeis mentem, porque os papeis tem substancia zero. Quando o cliente volta e retira os cem dólares, representa que a partícula quark down sumiu, ou melhor, ela voltou a ser a espuma; ficou apenas a conta bancaria que é zero. No outro dia o cliente emite um cheque de cem dólares e o banco cobre o cheque. Agora temos uma conta bancaria com saldo médio negativo, em debito. No mundo quantico isto representa que a espuma novamente se transformou, mas agora numa particula positiva, que e a oposta do eletron, e a chamamos de positron.

Positron é a particula do que Dirac descobriu neste universo, a anti-matéria. Se uma particula eletron, matéria, se tocar numa particula positron, anti-matéria, as duas se aniquilam imediatamente, desaparecem, no seu lugar fica o que parece ser apenas luz, mas na nossa linguagem é a espuma quantica. Ou havia na conta bancaria um saldo de cem dólares e o cliente sacou cem dólares ficando a conta a zero, ou havia um debito de cem dólares e o cliente os pagou, ficando a conta a zero. Ficou a espuma quantica, eletron e positron não existem mais.

Mas… então nos acreditamos que existe a nossa realidade. Nos vemos e tocamos matéria, temos certeza que ela existe. Os fisicos dizem que não, é impossivel, pois a espuma quantica fica eternamente patinando sem sair do lugar. No momento que a espuma quantica existe, só existe ela no mundo, nada mais, nenhuma particula, ela é a substancia do “nada” que preenche o mundo todo. Mas então ela se torna uma particula e esta particula surge com um movimento rotatório, digamos, girando para a esquerda, spin left, e a este movimento convenhamos chamar de “positivo”. Nesse momento a espuma quantica é apenas isso, uma particula. Esta particula enche o Universo, o mundo todo, ela é tudo o que existe, nada mais existe alem dela, e enquanto ela existe nada mais nunca existira, então ela é a substancia do nada agora. Acontece que o movimento de giro vai enfraquecendo, desacelerando sua velocidade, até chegar a zero, e quando chega a zero, a particula positiva deixou de existir, se transformou na espuma quantica novamente. No momento seguinte, a espuma se torna uma particula, agora girando a direita, spin right. A qual vai desacelerar e voltar a desaparecer, ser zero, ser a espuma quantica.

Podemos dizer que o nada existe, mas ele pode existir em três estados diferentes, um de cada vez, estes estados são alternados entre si. A santíssima trindade, ou a manifestação abstrata ou do pai, ou do filho, ou do espirito santo. Em cada momento só pode se expressar um, nunca dois ou os três ao mesmo tempo. Quando um fala, os outros dois não apenas se calam, mas desaparecem da cena. O que fala, sempre esta falando sozinho.

Falando para quem, então? Se é o filho que esta’ falando, ele não esta’ falando para o pai nem para o espirito santo ( a particula positiva não esta’ girando para a assistência da espuma quantica nem para assistência da particula negativa), o filho esta’ falando para nos, para nossa realidade que acreditamos existir, que na verdade, não existe. Não existe, não existimos, mas estamos ouvindo. O mundo material não existe alem da espuma quantica, mas o seu giro seja para a direita ou para a esquerda, ou sua inercia, tem que serem giros e inercia em relação a alguma outra coisa, se não, nem os giros, nem a inercia podem existir. Esta outra coisa, a que assiste um destes três estados, é a nossa realidade material. Que não existe. Como?!

Aqui encontrei uma solução, mas a qual só foi possível depois que consegui a formula da Matrix/DNA.

Os fisicos dizem que a nossa realidade é uma ilusão, não pode existir, ela é o “leftover”, e sem muta certeza sobre a definição desta palavra em inglês, vou traduzi-la para “resto”. Seria o resto que fica de cada um dos três estados quanticos? Mas seria um resto apenas existente no futuro, nunca no passado nem no presente, pois o que existiu no passado foi uma das duas partículas ou a espuma, e o que existe no presente ou é uma das duas particulas ou a espuma. O resto é o dinheiro emprestado pelo banco que cobriu o debito, mas um dinheiro que o banco tambem não tem, o chamado empréstimo a futuro.

No entanto, contrariando o resultado final logico da equação logica dos fisicos, os humanos provam que o resto existe, e existe aqui e agora, como existiu no passado com certeza vai existir no futuro, ao menos no futuro próximo milionésimo de segundo. Os fisicos estão com um serio problema com os humanos. Os humanos são a prova de que algo na sua equação esta’ errado, ou então, que sua equação esta’ incompleta, faltando alguma coisa que eles não conhecem. E os humanos estão com um serio problema com os fisicos, pois os fisicos provam que existe alguma coisa que os humanos não conhecem, a qual, é a realidade real…

Mas a formula sugere uma solução: tanto os fisicos quanto os humanos estão 100% certos. E ao mesmo tempo, ambos estão 100% errados.

O segredo  começa a ser resolvido na função 4 da formula. Ali, o fluxo de informações que corre no circuito esférico ( na realidade e` espiralado, girante como uma particula) chega e se divide em dois fluxos. Um fluxo continua perfazendo a esfera, o outro, como uma emissão de um ramo lateral, ao invés de seguir a direção curva da esfera, adquire a direção de uma reta rumo ao centro da esfera, onde tudo começa e tudo termina. O ramo lateral consiste em metade da energia do fluxo esquerdo, que vinha crescendo depois de ter nascido em F1. Quando o fluxo se divide, outra coisa acontece: se ele tinha nascido em F1 com um potencial de 50% de energia mais 50% de massa, ao subir pelo circuito esquerdo, a sua energia vai crescendo enquanto sua massa vai diminuindo, o que significa que massa esta sendo transformada em energia pela formula E=mc2. No seu estado astronomico da formula, isto significa que o núcleo energético de um astro esta crescendo porque esta “comendo” as camadas de massa da periferia, as placas tectônicas, até quando a energia “come” tudo e o astro se torna uma estrela, supernova. No seu estado de “corpo ou sistema humano” esta fase é a que vai do nascimento de um baby que vai crescendo até a fase que adquire o ultimo aparato para sua reprodução sexual, o que eu poderia chamar de “explode num supernovo adulto”.

No momento que o fluxo se divide, o ramo lateral se dirige ao núcleo que não existe mais, assim como a partícula positiva se dirige a espuma quântica que não existe mais, porem vai existir no momento futuro seguinte, quando a particula se transforma na espuma. Assim o ramo lateral se transforma no núcleo que não existia. Mas ele faz isso porque, enquanto ela estava viajando de F4 para F1, o ramo esférico produzia a massa resultante da estrela, suas cinzas, ou poeira, e direcionou esta poeira justamente para o local onde existia o núcleo. Quando o bólido do fluxo lateral chega junto com a poeira no mesmo ponto, renasce o núcleo. Particula positiva se encontrou com negativa, matéria com antimatéria, as duas se auto-aniquilaram, já não existe mais ramo esférico nem lateral, matéria e anti-matéria se tornaram espuma quantica que parece ondas de luz, ramo esférico e lateral se tornaram o vórtice nuclear.

Então, na verdade, o lançamento do ramo lateral tinha um proposito para o futuro, o de reproduzir o sistema. E isto se chama “perpetuação da especie”. o que acontece na verdade, no fritar dos ovos, é um exemplar processo de reprodução sexual a nível eletromagnético atômico, e a nível mecânico astronômico, e ainda a nível biológico humano.

Os físicos fizeram uma analogia entre a nossa realidade e a conta bancaria para concluírem que a nossa realidade não existe, porque é um empréstimo do futuro para ser pago no futuro. Aqui nos descobrimos que a tanto a nossa realidade quanto a realidade quantica têm um mecanismo chamado de “perpetuação da especie”, o qual é acionado para funcionar agora, mas sabendo-se que não vai receber pagamento agora, pois a perpetuação é um projeto para garantir a existência no futuro, portanto estas realidades estão pagando ao futuro desde já. O futuro mesmo não existia mas ele é criado e garantido pelo pagamento antecipado, pelo mecanismo da perpetuação. Ótimo, essa providencia torna nossa realidade realmente real, não é mais uma ilusão.

A humanidade e uma realidade material, mas ela e o leftover da espuma quantica. Ela não é nenhum dos três estados da santíssima trindade. Ela não é a espuma quantica, não é a particula positiva, nem é a particula negativa. A realidade real, fundamental do mundo é um dos três estados, e a humanidade não é nenhum destes estados, então ela não é a realidade fundamental do mundo. Ela é um empréstimo do futuro. O resto. Ela é um conceito abstrato: perpetuação da especie. Mas observando a formula, nota-se que em nenhum momento ela é “perpetuação de si mesma”: Num momento, ou ela é  o fluxo que sobe pela esquerda (girando para a direita, quark up) ou o fluxo que desce pela esquerda ( girando para a direita, quark down), o qual só existe porque deixou de existir o fluxo da esquerda e o nucleo, ou é o nucleo ( a espuma quantica, que só existe quando não existem nem o fluxo da direita, nem o da esquerda.

E então?

Não esta solucionada a briga entre fisicos e humanos? Existem duas dimensões diferentes e separadas entre si. Uma dimensão é constituída pelos três estados quanticos. A outra dimensão é constituída por matéria, energia mais massa. Separadas porque a dimensão da matéria não é produto da transformação da dimensão quantica, nem a dimensão quântica e produto da transformação da dimensão material. Separadas porque não existem trocas entre as duas dimensões.

Nas duas dimensões existem três estados. Na dimensão material também, ou só existe a energia devorando massa, energia e massa girando para a direita, que significa massa diminuindo, não existe nem o seu contrario, a face direita, onde massa devora energia, a energia e massa gira para a esquerda, nem existe um núcleo.

Nas duas dimensões, cada estado se transforma num estado seguinte. Porem num estado seguinte que só existe na sua dimensão. Não tem como um estado da realidade quântica se tornar um estado da realidade humana, nem vice-versa.

Mas as duas dimensões existem ao mesmo tempo, e a prova e que uma pode ver, assistir a outra, sem poderem se tocarem. Pois os físicos viram, assistem, a dimensão quântica e se esta tivesse olhos, poderia também assistir a existência da realidade humana, sem poder toca-la.

A humanidade existe porque cada individuo se reproduz, assim ela se perpetua, fixando sua existência real. Mas a humanidade em si, se reproduz? Não porque para haver reprodução tem que ter dois elementos, o masculino e o feminino, o positivo e o negativo,  o fluxo crescente ou seu anti, o fluxo decrescente, e nada é conhecido como o anti da humanidade.

A solução do mistério esta no ramo lateral, a função reprodutora, responsável pela perpetuação do sistema.

Mas temos que notar que enquanto existe o momento do ramo lateral, quando ele esta indo de F4 para F1, esta existindo tambem o momento do ramo esférico direito. E que depois os dois se fundem, na forma de nucleo. Vamos então agora a dimensão quantica para ver se isto acontece? Estaria também a realidade quântica sendo perpetuada devido a um mecanismo reprodutivo da perpetuação?!

Recapitulando: num momento existe apenas a espuma quântica, na qual se nota que existe um movimento, uma especie de vibração que nos transmite a aparência de ondas continuas. Seja como for, deste movimento resulta que a espuma se torna diferente, uma partícula com aparência de matéria.

Saindo da espuma quântica e indo para a formula, sentimos que a espuma deve ser o momento de F1, do nucleo, o qual e composto de 50% massa e mais 50% energia, então suspeitamos que neste momento a espuma quantica também seja  composta de dois elementos, desconhecidos ainda. Da espuma emerge uma particula fundamental, enquanto da formula em F1 emerge um corpo, seja um astro, um baby humano, e ou talvez um elétron atômico. F1, o núcleo deixou de existir, então suspeitamos que na dimensão quantica, a espuma deixou de existir. Como a particula emergida da espuma é a totalidade, é nada, da mesma forma que a espuma é o nada da totalidade, diremos que a particula nada mais e que a própria espuma, num estado diferente. Na formula, quando o fluxo chega em F4, supomos que a particula atingiu sua máxima capacidade de giro, sua máxima velocidade. Na formula, o fluxo esquerdo desaparece e se divide em dois fluxos com movimentos diferentes. Na dimensão quantica teorizamos que a partícula spin left volta a ser espuma quantica. Ela não e divide em duas coisas diferentes. Ou talvez… sim.

Na formula, vemos que F4 e F1 ao oposto. F1 exerce a função reprodutora feminina. F4 exerce a função reprodutora masculina. Mas homem e mulher sao dois sexos diferentes, porem, de uma mesma e unica especie, uma mesma forma. a pequena diferença de forma entre homem e mulher se deve ao fato que seu ancestral comum, uma célula hermafrodita, continha os dois, e depois separou-os. Na formula, hermafrodita, os dois eram o mesmo, eram apenas um, em cada momento. Nunca existem os dois ao mesmo tempo. Mesmo assim, a formula se perpetua, se auto-recicla, se reproduz. Mas a formula e abstrata. Quando se torna célula, sua contraparte real, material, os dois se fixam existindo ambos no mesmo momento.

Voltando a dimensão quantica, ela foi a primeira realidade a existir. Lembre-se o que os físicos aprenderam: a nossa realidade e o leftover, o resto. Um produto lateral, subsequente? Apenas abstratamente, pois não existem trocas entre a dimensão quantica e a dimensão material. Uma não pode ser produzida pela outra, e vice-versa.

A formula, quando estava no estado astronômico, antes de seu leftover existir – o estado ou vida biológica – era hermafrodita, porem, os dois opostos não existiam num mesmo momento. Era um corpo sob evolução e depois involução, carregando dentro de si em estado apenas potencial, o masculino e o feminino, mas dentro do corpo, este estado masculino e feminino nunca se fundiam.  Quando o sistema astronômico se tornou ( sem desaparecer) um sistema celular, continuou sendo hermafrodita, porem aqui os dois opostos se fundem.

Então? Na dimensão quantica tambem existe  auto-perpetuação? Existe tal mecanismo? A história, o enredo da nossa dimensão esta sugerindo que não, não precisa existir. Tal como o sistema astronômico não produz em si, a fusão do masculino com o feminino, e o sistema astronômico existia antes da célula, e o sistema astronômico é a espuma de fundo externa a célula,  a dimensão quantica não precisa ter este mecanismo de auto-perpetuação.

Talvez aqui jaz a diferença fundamental que separa as duas realidades.

Mas a dimensão quântica esta perpetuada, ela executa o fluxo esférico. Ela tambem ou é o nucleo, F1, ou a face esquerda (de F1 a F4), ou e a face direita ( de F4 a F7). Como a particula spin right se torna espuma quantica? Como a face direita se torna metade do núcleo? Se a espuma e metade, qual e a outra metade? Ou a espuma e dois em um, o resultado da fusão da spin left com a spin right?

Quando matéria se encontra com antimatéria, as duas desaparecem, resta a luz. A espuma quantica é um campo, o campo da luz?

A nossa realidade, no seu principio, era matéria distribuída de forma caótica, aleatória. Diz a formula da Matrix/DNA que nessa matéria caótica surgiu uma onda de luz trazendo um código, a formula para um sistema natural. Essa fórmula na luz, ou essa formula de luz, organizou parte dessa matéria num sistema, o sistema cresceu, se multiplicou, se diversificou, e aqui estamos nos, como uma forma desse sistema, e o nosso mundo externo, composto de regiões com matéria caótica e regiões com outras formas do sistema.

Vamos supor que essa luz que surgiu na matéria caótica, nada mais, nada menos, seja a luz que surgiu do encontro entre matéria e antimatéria num dado ponto do espaço?

Mas se essa luz era a espuma quantica, então…

Mas a espuma quantica continua compondo a dimensão quantica, ela não emigrou para a nossa realidade material. Sempre pensamos que as duas realidades estão completamente separadas entre si.

Ora, existe uma outra situação onde um elemento, uma força, que existe num sistema, o qual existe num dado momento, e nada mais existe alem dele, se torna a mesma forca existente em outro sistema, que exista no momento seguinte, depois que o sistema anterior desapareceu. De maneira que nunca os dois sistemas existem ao mesmo tempo, o que significa que os dois sistemas são totalmente separados entre si. E’ justamente a força da perpetuação, o ramo lateral F5, na formula. O genoma no corpo humano. O qual nada mais é que DNA. DNA nada mais é que a formula. A formula nada mais é que luz. A luz é suspeita de ter vindo da dimensão quântica sem no entanto ter deixado a dimensão quantica. O genoma humano sai do corpo humano, no momento da reprodução, mas continua no mesmo corpo humano. O genoma deste corpo humano sempre existiu no seu passado, existe no presente, e sempre existira no seu futuro. No entanto teve um momento que ele saiu deste corpo humano, e quando ele saiu, nunca mais voltou a este corpo humano.

O genoma que saiu do corpo humano e nunca mais retornou, foi constituir um leftover daquele corpo humano. O resto. um novo corpo, um novo sistema, um novo estado da realidade humana.

Então chegamos a solução final do mistério todo. A espuma, ou luz, da dimensão quântica, sempre existiu no seu passado, existe no presente, e sempre existira na sua totalidade, no seu futuro. Mas saiu uma parte dela, saiu da dimensão quantica. Não era “parte” dela, porque ela continua na sua totalidade na dimensão quântica. O que saiu foi uma reflexo que reproduziu sua imagem num espelho, e neste espelho, o reflexo se materializou, criou vida própria, uma vida diferente da que conhecia no estado quântico, porque o ambiente do estado quantico não é um espelho.

Nos, humanos, somos aqui a dimensão quantica. A nossa realidade, inclusive nossos corpos, são a substância, a matéria de um espelho. Então os fisicos tem razão: a imagem num espelho não é um objeto real. E’ uma ilusão de ótica, de tato, etc.

Mas… espera ai… não resolvemos inteiramente o mistério. De onde surgiu o espelho? A substancia que compõe o espelho? Certamente não veio da unica realidade que existia, que era o nada, apenas um dos três estados da dimensão quantica. Então de onde veio o espelho?! A matéria caótica que existia em “no principio era o caos”?

Raios!

A minha teoria esta igual a Bíblia e sua religião, um ciclo vicioso, onde a evidencia para a teoria não é um fato, e sim a própria teoria.

Vamos puxar um outro aspecto da teoria.

Ela diz que no principio, nesta região do espaço onde hoje se assenta o universo material, só existia a dark matter. Com o Big Bang, uma onda de lux veio de fora desta região do espaço. Essa onda de luz se propagou no meio da dark matter. Ao passar, a luz gera uma fricção, um atrito com a dark matter. Esta friccao se materializa na forma de energia material. Esta’ criada a energia, tal como a conhecemos.

Ok. Sabemos que o universo material é composto de apenas três elementos elementos: massa, ou dark matter ( ou campo de higgs, ou éter, como queira), e energia, e luz. Sabemos de onde veio a energia e a luz. A luz veio da dimensão quântica, e criou a energia.

Mas e a dark matter?

Insolvível?

Vamos aceitar por ora uma solução provisoria: o Nada é composto por dois elementos: a dimensão quantica e a dark matter. E’ assim hoje, sempre foi assim, até o infinito. E dai? Qual o problema nessa definição do Nada?

  1. ” O problema – respondeu alguém- e que esta faltando Deus nessa definição…”
  2. ” Não necessariamente – respondi eu. Considere que a formula em forma de luz foi o genoma de Deus… que flutua no meio da espuma quântica, é esse genoma que causa aquela vibração e ondulação que os físicos viram.  Então, a espuma quântica é o involucro membranoso espermático que contem o genoma. A dark matter é a placenta no corpo de Deus que envolve a formula que esta na espuma quântica. Agora… noves fora = zero. Tira para um lado, a luz, mais a dimensão quantica, mais a dark matter e do outro lado, sobra zero. Se você quer dar um nome a esse zero, se você quer acreditar que esse zero é algo e tem uma personalidade, magica e toda poderosa, e o nome que você escolhe para esse zero é Deus… para mim não tem problema algum, você é livre para acreditar no que quiser, e talvez sua crença tenha fundamento, o que me importa é que, racionalmente, ninguém pode dizer que esta faltando Deus na minha definição. O zero é nada nesta nossa realidade, neste nosso mundo, você diz que  Deus não e deste mundo, você disse que Deus para este mundo é zero”

Bem… acabamos de dar um belo e exaustivo passeio, por outros mundos, ao menos, mentais. O que eu extraio de todas estas conjecturas é algo que me agrada. Vi aqui que é possível existir a dimensão quantica separada da nossa realidade mesmo que a nossa realidade seja uma ilusão produzida pela dimensão quantica… a qual nada produz fora dela, portanto não poderia ter produzido a nossa realidade. Mas produziu. O paradoxo é resolvido pela formula, quando nos revela o mecanismo do ramo lateral. O mecanismo da perpetuação das especies biológicas e o mesmo mecanismo da perpetuação da nossa realidade. Como uma realidade que não deveria existir, se torna existente de fato, e em paralelo a realidade que sempre existiu de fato.

Agora posso voltar aos debates na Internet e enfrentar esse pessoal que quando o tema se torna complicado, me vem com esse quebra-gelo de que a nossa realidade é uma ilusão, então não adianta discutir nada, estamos debatendo inutilidade, tchau… Sim, a mente humana tem um limite de esforço e resistência, e quando ela chega no seu limite, simplesmente sai correndo, foge do campo real dizendo que esta’ sindo for da ilusão. Agora posso segurar este que foge e lhe explicar que a ilusão tem uma explicação, que não é ilusão. O problema e que para explicar isso teria que copiar e colar este texto todo. E ai o cara não vai ler… nem eu terei saco para voltar aqui e ler tudo outra vez…

Consegui solucionar o mundo, mas não encontrei a solução para resolver o problema da mente do meu companheiro de conversa, assim a solução do mundo fica inútil. Só rindo de mim mesmo. Qua-qua-qua-qua….

( lembrete para a Matrix/DNA: esta tese foi inspirada ao assistir o vídeo…

https://www.youtube.com/watch?v=KFS4oiVDeBI

Tags: , ,