Teoria da Consciência pela Matrix/DNA. Em sua atual forma provisoria na data de 21/01/19

xxxx

A-consciencia-universal-e-sua-cria-no-cerebro-humano

A-consciência-universal-e-sua-cria-no-cérebro-humano

Apesar de ser feita com uma substancia plasmática abstrata ainda aos nossos sensores, a consciência humana nada mais é que mero produto da evolução universal, uma nova forma do sistema universal que vai se formando com uma anatomia e nova forma imitando ou projetando-se como a anatomia e forma do circuito sistêmico do cérebro humano. Numa dimensão mistica poderíamos dizer que a consciência humana é uma filha do filho de Deus. Esse filho de Deus é o aspecto “software” que flui no meio do aspecto hardware, a carne.

Desde o inicio deste Universo – quer seja a interpretação do Big Bang a 13,8 bilhões de anos atras, ou quer tenha sido de outro modo – iniciou-se a gestação e crescimento evolutivo do que se tornou a consciência do próprio Universo. Este processo de gestação obedece ao mesmo mecanismo do processo de crescimento do corpo humano efetuado pelo principio do ciclo vital. Se hoje emergiu aqui neste planeta estes fetos de auto-consciência dentro dos cérebros humanos é porque a consciência do Universo já atingiu sua maturidade sexual e esta’ se reproduzindo, suas crias sendo ainda meros fetos.

O processo da evolução natural foi bem imitado pela intuição humana quando criou o computador, o qual é uma tentativa de reprodução com materiais grosseiros como ferro, plástico, cobre, do cérebro humano e sua “mente”. E relembrando a historia das origens e evolução do computador vamos retornar ao tempo do ábaco, depois se lembrando de como este se tornou aquelas maquinas de calcular movidas manualmente a manivela, em seguida vieram as maquinas de calcular a eletricidade, as tais eletrônicas, mas ate ai se desenvolveu apenas o aspecto hardware, enquanto o software ainda não existia dentro da maquina, existia apenas como a mente dos humanos fora da maquina. Sempre avançando em tornar o hardware cada vez mais uma copia mais fiel do cérebro, desenvolvendo memoria, processamento, e algumas peças imitando a função das glândulas como amígdalas, hipocampo –  inconscientemente o homem criava os caminhos de circuitos de energia que imitam os circuitos de sinapses, mesmo que ele ainda não tinha o MRI e não sabia da existência das sinapses. Mas assim ele foi reproduzindo a sua mente numa forma tecnológica, foi enfiando uma copia da sua mente, na forma de circuitos de energia num chip cada vez menor, dentro da maquina. Tal como a consciência ainda não madura do Universo faz hoje enfiando-se na maquina do cérebro humano. E em muitos outros tipos de hardwares que estão com as capacidades de cérebro que podem existir neste mundo afora. Os biólogos são unanimes em aformarem que no DNA existe um “comando de instruções”, caracterizado por sinais emitidos em conjuntos de genes, etc. Este comando de instruções em todos os sistemas naturais surgem quando um sistema se completa e a soma das informações de todas as partes são somadas as conexões entre as partes disso tudo resultando uma especie de identidade abstrata do sistema, e se o sistema e puramente mecânico como foram átomos e galaxias, essa entidade tem como busca suprema o equilíbrio interno termodinâmico. Se o sistema é vivo, biológico, mas ainda com o software sofrível sendo dominado pelas forças da matéria em seu corpo, que impedem a manifestação e evolução do feto de consciência que ele carrega, ele tem como meta suprema o mesmo bem-estar termodinâmico construindo para si uma vila paradisíaca com uma mansão e todo serviço sendo feito por escravos.

Assim o filho de Deus vai amadurecendo, envelhecendo e saindo de seu corpo-hardware universal vai voltando para o reino de seu pai o que se efetivara quando ele morrer para este mundo, o que significa, pela perspectiva de quem esta no reino de Deus, o rompimento definitivo do cordão umbilical. Morre um velho, na perspectiva de quem esta do lado de cá, e nasce um novo rebento, na perspectiva de quem esta do lado de la. Quando o velho morre deixa aqui toda uma população de genes formando seu filho, o qual sera o neto de Deus.

Isto e’ o que somos hoje, nos, os humanos: 8 bilhões de genes semi-conscientes, cada um contendo uma informação unica e especifica, construindo um feto de auto-consciência. Mas estamos construindo apenas uma parte dela, talvez a parte do nariz ou seja la qual o acessório no corpo da auto-consciência que representa a função do nariz. O resto deste corpo universal esta’ sendo construído por bilhões, trilhões de outros genes, uns mais outros menos semi-conscientes, em muitos astros neste Universo-placenta afora.

A evolução do computador foi carregada por um processo de feed-back entre hardware e software. Havia uma maquina rude, manual, ainda com manivela a ser movida pelas mãos. Fora dela uma mente pensante desejando melhorar esta maquina, procurando sofistica-la para produzir mais e melhor as coisas, os resultados, que a mente necessitava. Quando a mente tinha uma ideia para mudar uma peça, acontecia um salto na evolução do hardware, o que resultava em mais e melhor eficiência na produção. Ora, com o hardware calculando melhor, mais rápido e mais capacidade de abranger maiores números, surgia no hardware novas informações, as quais eram absorvidas pela mente. Munida com estas novas informações a mente mudava o seu meio ambiente melhorando suas condições de vida, mais a s novas condições apontavam novas necessidades. Então a mente voltava-se para o hardware buscando realizar novas alterações, para atender a s novas e maiores necessidades. Com isso, a mutação para melhor no hardware produzia por tabela uma mutação para melhor na mente, a qual ia resultar em nova mutação para melhor na maquina. Um processo de retroalimentação, de feed-back que descobrimos agora estar enfronhado no processo da evolução natural.

Mas a mente humana já era em si – antes das origens do computador – o resultado do mesmo processo de feed-back entre o hardware biológico que começou na forma de uma célula viva e forçosamente uma primitiva incipiente forma de mente existente em outro nível da matéria. No desenvolvimento da cosmovisão da Matrix/DNA os cálculos foram indicando que essa mente em outra dimensão é uma especie de software que vem desde a primeira forma de sistema funcional que emergiu dentro deste Universo. Até a pouco tempo atras pensávamos que esta primeira forma de sistema tivesse sido o primeiro átomo. Mas ai fomos descobrindo que mesmo o átomo já é formado por partículas que são sistemas em si mesmas, então a emergência deste software se deu mais atras no tempo. Hoje, por fim, pensamos que localizamos finalmente a primeira forma deste sistema universal que aqui hoje chegou a forma de cérebro humano com seu software como feto de auto-consciência. Pensamos que localizamos essa primeira manifestação neste mundo material quando nos deparamos com a projeção de uma onda de luz natural na tela de um computador, representando esta luz como resultado das radiações de sete elementos materiais. Esta onda de luz resultante a que se chama de espectro eletromagnético se propaga no tempo e no espaço movendo-se, como ondas de uma espiral se olhada de lado ou como ondas concêntricas se olhada de cima ou como uma cobra serpenteante se olhada através dos olhos mecânicos conectados ao cérebro eletromecânico chamado de computador. Ela se move como cobra serpenteante porque ela tem em si sete divisões principais que funcionam como órgãos e no seu conjunto ela apresenta  mesma anatomia de um corpo-sistema biológico como o humano, e ela se move porque ela é movida pela força do ciclo vital. Assim um corpo humano desde o momento que surge neste mundo pela fecundação começa a se propagar no tempo e no especo movido pela força do ciclo vital, propagação que vemos no crescer do corpo em relação ao espaço e no avançar da idade em relação ao tempo.

Então, da radiação de todos os sistemas naturais existentes no Universo se produz uma grande e universal onda de luz. Enquanto da radiação de cada exemplar em miniatura deste sistema universal – como é um corpo humano – se produz uma ainda ofuscada onda de luz, uma especie de aura, não captável pelos nossos sensores. mas e preciso saber que a onda de luz no espectro eletromagnético não e cria da radiação dos elementos. Não. Ela surge como sendo libertada de uma prisão. na verdade, foi a entidade de uma onda de luz primordial que levou a matéria a produzir os elementos materiais, mas como dessa onda de luz se despregam partículas como radicais livres, eles adentram a massa material, e se encarnam nos elétrons, assumindo a maquinaria dos átomos e conduzindo-os a todo tipo de combinações visando finalmente combinar estes átomos na forma de moléculas orgânicas, para com eles continuar conduzindo-as para formar células vivas, os seres vivos. Se pensamos que a luz é produzida pela radiação estávamos enganados, pois ela antes produziu os elementos que agora irradiam. Tudo esta’ indicando que a luz, em relação ao Universo, é a substancia, o corpo material, da consciência do Universo, como os filamentos de energia no hardware do computador são o corpo, a substancia do software que e o representante da mente do homem dentro da maquina.

Se você raciocinar com bastante atenção em cada passo hipotético do corpo desta grande teoria você vera’ que cada passo não é tao hipotético, pois cada passo aqui não foi inventado pela imaginação mas sim baseado num parâmetro natural, um fato existente, comprovado, que podemos captar existindo aqui e agora. Mas pode haver erros nestes cálculos, claro. Enquanto não detectamos erros vamos mantendo esta teoria sob atenção e por ser a mais racional que conhecemos, vamos procurando delinear como deve se comportar um feto dentro da barriga gravida em relação ao corpo e mente de sua mãe que esta alem das membranas e paredes do pequeno universo placentário em que estamos existindo agora. Quando a coisa aperta aqui, quando temos necessidade de algum tipo de recurso natural como uma substancia, uma vitamina, o que devemos fazer no sentido de imitar o feto que esperneia e chuta as barreiras dentro da barriga? Alguns acreditam que nestes rituais nas igrejas dos evangélicos em que fazem um barulho danado se torcendo, gritando, chorando, pedindo a deus em forma de orações escandalosas, estão exatamente tentando chutar a barriga da mãe para ver se são ouvidos e atendidos. Sera este um método que da algum resultado? Eu, pelo meu lado, vou procurando uma maneira de fazer minha mente abstrata dar chutes abstratos dentro da barriga abstrata da consciência universal abstrata. E dai? Alguém tem melhor ideia? Mas o melhor mesmo, penso eu, e o feto procurar saber o que e e como funciona o corpo que contem esta barriga. Em outras palavras isto significa estudar o máximo possível esta natureza universal para saber como ela quer que nos comportemos. Acho que sendo comportado como um bom feto já ajuda muito a gestação. Mas antes temos que ver como deve se comportar um gene no meio social do DNA – a população social dos genes – para que todos produzam um ser perfeito, saudável, poderoso. E isto significa que temos não apenas de desempenhar nossa missão da maneira mais perfeita possível, mas faze-la sem usurpar recursos dos outros genes, faze-la tentando ajudar os outros genes que estão algemados sem poder avançar, e faze-la, no que e pior, combatendo o gene egoísta, o que significa tentar exorcizar o instinto animalesco de predador inclusive de outros humanos que impera no crebro da maioria dos 1% e das classes medias altas.

Tags: , , ,