A era do cerebro obcecado pelas aparencias das imagens visuais e seus processamentos hermeticos

xxxx

Faltou aqui uma das mazelas mais importantes: ”  O corpo nu mais que o efeito social deste corpo”

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Até uma pedra engana o observador pela sua aparência. Vendo-a por fora temos aquela imagem que logo lembra extrema simplicidade, dureza devido alta densidade da materia, frio, vulgaridade porque ela existe em todo lugar e pouca ou nenhuma serventia nos tem, etc. Mas se o observador se munir de um telescópio e for quebrando-a em pedaços cada vez menores, vai se deparar com uma outra aparência totalmente diferente: ele vai ver um enxame de particulas vibrando e zumbindo dentro de um espaco fechado. E descendo mais ainda na profundidade da realidade existencial da pedra ele vai acabar vendo-a formada por atomos interligados. A imagem de um atomo e igual a imagem de um sistema solar visto de fora. Uma imensidao de espaco praticamente vazio, os astros são meros grãos de poeira, rodando no vazio. Entao uma pedra, contra toda nossa interpretacao baseada na aparência externa, é praticamente uma coisa vazia! A rigidez que a materia dos nossos dedos sentem quando tocam uma pedra não é devido materia se chocando com materia e sim a força invisível magnética da pedra contra a força invisível magnética dos dedos. E depois, continuando, separando estes grãos de areia que são astros no céu ou particulas nas pedras, vamos entrar dentro destas particulas e nos deparar no final que são tambem… vazias!

Resultado: o cérebro humano não tem a menor capacidade para processar a informacao real, verdadeira, de que pedras são na verdade, espacos vazios. Entao – na realidade – o que é a nossa “realidade”?! Dos cerebros que tentam responder dando uma definicao, uma interpretacao, eu sinto pena, são ridículos. Qualquer definicao é mais uma profissao de fé irracional que de um pensamento logico, real, sustentado na realidade. Nos não temos capacidade para saber, conhecer, a realidade, ponto final! Vamos morrer sem saber isto. Conforme-se. Não existe outra alternativa para nos agora. Quando o observador chegou no final da observação e disse… ” é tudo espaco vazio”, ele tambem fez uma confissão de fé, mais que um testamento cientifico, racional. Pois ele não sabe definir o que é espaco vazio. Se ele disser que é onde não tem nada, ele estará se referindo a algo, o nada, e ele não pode saber o que é o nada, pois nunca viu, nunca tocou e ninguem mais viu. Mais provavelmente – pelas experiencias de vida que temos acumulado ate agora – quando o humano se depara com um espaco vazio significa que acabou a capacidade de seus sensores cerebrais em captar o mundo externo. Talvez aquela zona do que ele chama de “vazio”, ou “nada” nada mais seja que a região de uma membrana que circunda a dimensao do espaco onde nos localizamos como objetos materiais e a região de outra membrana onde se inicia outra dimensao de coisas em outras intensidades de vibracoes, comprimentos de ondas da luz, etc. Talvez seja a linha fronteiriça entre a nossa ilusória realidade e outro tipo de mundo com outro tipo de realidade. Talvez ilusória tambem.

Os cientistas se aprofundando no mais intimo da materia acreditam que construíram num container uma espaco de vazio total, a ultima fronteira do nosso mundo. E acreditam que ali viram algo… uma especie de espuma borbulhante, de onde, eles teorizam que surjam as particulas que começam o nosso mundo. E’ o que chamam de “quantum foam”, ou espuma quântica. O que é isso? Em sana consciencia nenhum cerebro racional tenta sequer dar uma explicacao, muito menos uma definicao, seria produto de fé, não da razao. Materialistas mais afoitos correram a escrever livros dizendo com veemência que na espuma quântica descobriram que.. “o tudo, veio do nada”. Ao menos é o titulo do livro “Something from Nothing” de um dos considerados astrofísicos e papa atual dos materialistas, Lawrence Krauss, que se tornou best-seller e esta sendo vendido a rodo para os deslumbrados ingênuos estudantes modernos. Mas talvez ( eu não acredito nisso, eu não acredito em nada que não veja e não tocar ou que alguem em quem confio plenamente diz que viu e tocou) esta espuma quântica nada mais seja que a substancia de uma membrana, assim como a membrana das celulas as separam de outras celulas em nosso corpo, e por enquanto, vou apostar nesta hipotese.

Conclusão final e meu conselho para mim mesmo, não para voce, pois não tenho capacidade para aconselhar ninguem: “De tudo que consumimos para sobrevivência ou luxuria, nada cai do ceu pronto e de graca. Entao tudo o que consumimos exige a tortura humana no trabalho braçal, duro, rotineiro, involuntário de pelo menos um humano igual a nos. Entao fomos condenados – pela Natureza real ou algo alem dela que desconhecemos –  no momento do nosso nascimento, a “comer o nosso pao obtido com suor dos nossos rostos e calejar de nossas maos”. Isto significa que se consumimos qualquer produto que não trabalhamos nele de fato, com nossas maos ( não atraves de trabalho mental ou burocrático, pois a mente nada produz por si propria de concreto), ou ele nos foi doado pessoalmente de graca por sua livre e espontanea vontade,  por um protetor, ou estamos tirando, saqueando pela força bruta, de quem calejou suas maos produzindo-o. Mesmo que essa força bruta esteja mascarada em armas nas maos de mercenários pagos por uma gang que se apossou do domínio social e que nos enganamos dizendo que não enxergamos isso para justificar-nos pelo assalto que cometemos em humanos que foram escravizados pela gang, da qual, portanto, somos os alimentadores e cumplices. Escapar com estes subterfúgios do trabalho a que fomos condenados, ‘as custas de outros humanos, é irresistível quando se nos aparece oportunidades ( eu mesmo ja pequei e tenho sido fraco na luta contra este vicio, apesar que tenho a consciencia tranquila porque, pelos meus cálculos, calejei minhas maos produzindo tudo o que posso consumir no meu simples estilo de vida),  pode parecer esperteza e inteligencia a nivel de individuos, porem é extrema burrice a nivel de Humanidade, esta cava seu tumulo e caminha para sua extincao. Pois a mesma Natureza – ou seja la’ quem estiver por traz dela – tem outra lei sobriamente comprovada: quem não se evolui do estado simples de agora para um estado transcendental mais complexo constitui um ramo que dai do tronco da arvore da evolucao para se secar e extinguir-se apontando para o espaco vazio, para o nada. E a razao disso me parece obvia. No corpo humano, esta’ sendo gestado uma nova forma de sistema natural muito complexa a qual denominamos de auto-consciencia. Tudo indica que esta consciencia esteja no estado fetal pois tambem se deduz que a consciencia deve ter uma grandeza universal, cosmica, ou mais que universal. Ou seja, ela não apenas pode captar e processar o mundo ao redor, porque ela esta cada vez mais avançando, obtendo mais conhecimento da Natureza, e isso parece não ter limite, ela pode estender-se de maneira a um certo ponto poder ver, absorver e captar todo o Universo. Se assim for, cada humano esta funcionando como um gene construindo esse feto. Ou seja, cada humano tem em si uma informacao única, especifica, pessoal, intransferível e que precisa ser expressada para que o feto se torne num baby completo, saudável e não sofra aborto prematuro ou nasce com algum aleijao. E quando estamos onerando outro humano a produzir o que consumimos, estamos impedindo a liberdade deste humano em usar seu tempo, sua energia, seu corpo e sua mente em cumprir sua missão, em expressar concretizando sua informacao. Por isso, o que parece esperteza e inteligencia a curto prazo, pode ser extrema burrice a longo prazo. Principalmente porque, a forma como esta autoconsciência esta’ se apresentando, constituída de uma substancia que nossos sensores não podem ver, tocar, captar, e se confirmada que se trata de um feto planetario ou universal em gestação, este feto não pode ser interrompido com a morte do corpo carnal de um individuo. Esta informacao que este corpo carnal carrega, de alguma maneira deve sobreviver e continuar seu desenvolvimento. Entao a punição pelo erro cometido agora vai acontecer e pesar para o individuo mais a frente. São hipóteses, fundamentadas nas aparencias e sensibilidades que temos agora, não confiáveis, mas tambem sem nenhum fato concreto conhecido que nos autorize a descarta-las. Porem são mais logicas e racionais, por isso, aposto nelas. Entao, a sugestao final é que, reflita na sua existencia, monte sua propria visao e interpretacao deste mundo, procure nele o significado da sua existencia, extraia deste significado um elenco de valores morais, diria mesmo, espirituais a nivel da substancia abstrata da consciencia… Conforme-se com a condenacao (a única outra alternativa moral seria rejeita-la suicidando-se, mas na verdade, essa condenacao tem muito de seu desprazer na forma errada do nosso sistema social, entao temos que consertar o sistema social e não suicidar-se),  mas esforce-se para vencer esta condenacao com a criatividade de sua consciencia para substituir e salvar o humano pelos robots e tecnologia possivel na producao dos produtos de consumo basico, e procure aplicar sua informacao, coisa que so voce pode fazer neste mundo, e tente ajudar os outros que estao sendo algemados, impedidos de desenvolver sua missão, ou que por forca ainda da dominância genetica herdada do corpo animal irracional, esta totalmente desviado das atividades que seriam evidentemente corretas para a funcao de gene. Fazendo isso, conduza a vida com a maior energia que puder, e trate os obstáculos, as derrotas temporárias, como lições necessárias para sua evolucao transcendental, para a forma do grande baby que um dia a de nascer acima das dimensoes de realidades ilusórias, assim como o interior da bolsa germinante onde o feto se desenvolve e uma realidade temporária provisória na crença do embrião. R sempre tente refletir na aparência do que vez, esforçando a mente para adentrar o intimo dos objetos, munindo-se da ciencia e tecnologia quando possivel, e não se desanime com aquilo que não podes conhecer agora, sua mente esta crescendo e um dia vai ser capaz de ver e entender tudo.

Tags: , ,