Matematica:Evidencia para o grafico matematico da Matriz

Os ultimos sucessos da Ciencia tem promovido a Matematica e os matematicos sao admirados. Mas qual a verdadeira utilidade de todas estas complexas construcoes desenvolvidas desde que inventaram os numeros? Sera que a matematica e’ – como dizem – a linguagem da natureza, a Linguagem de Deus – e sera que a matematica realmente traduz a natureza para um conjinto de simbolos compreensiveis pelo ser humano? Ou nao?

No grafico denominado ” Do Big Bang ao Big Birth” a Matriz sugere uma interessante hipotese. A evolucao do universo desde o Big bang projetada num grafico cartesiano tendo como coordenadas o tempo e o espaco sugere as pegadas do sistema natural que vem evoluindo desenba uma curva e parece que vai terminar num circulo, indicando, entre outras interessantes id’eias, que esta macro-evolucao ‘e curva. Sugere AINDA que a macro-evolucao se da por ciclos (o ciclo das particulas, o ciclo dos atomos, dos sistemas biologicos,etc.) e cada ciclo ‘e dividido em sete micro-ciclos. Ora, se a evolucao universal natural e curva, a matematica nao seria a linguagem da natureza porque a maatematica e linear. Entao tracei a linha reta representando a matemayica sobre a curva da Historia e surgiu um resultado intweressante: a matematica realmente se aplica a todos os ciclos da macro-evolucao, ela realmente e a linguagem em todos os ciclos,mas nao dos ciclos em tsua totalidade. Desde que cada ciclo ‘e dividido em 7 micro-ciclos, a linha reta pega em cada macro-ciclo um unico e mesmo macro-ciclo de todos os ciclos. Em outras palavras: cada micro-ciclo e constituido de uma maneira da natureza organizar a materia, entao temos o ciclo biologico, o mecanico astronomico, o magnetico, o da fisica pura, o quantico, etc. E a matematica pega sempre o ciclo da fisica pura. aqui ela realmente traduz a natureza, ela e a dominante enquanto as seis outras linguagens sao recessivas. mas apenas nesta regiao, a qual compreende apenas um setimo (1/7) da historia.

Bem, eu sempre achei estranho essa crenca na matematica como a chave que abre todos os segredos, eu nao consigo ver muito bem como por exemplo a matematica seria a linguagem da biologia ou da psisque humana. Mas o artigo abaixo veio a dar uma forca nessa ideia que obtivemos atraves da Matriz. Um matematico parece ter captado no ar, brilhantemente, o espirito da Matriz quando diz no artigo abaixo: ” E como se houvesse uma equipe trabalhando no outro lado de um rio sem uma ponte para o nosso lado de ca, e portanto, o trabalho deles nunca teria uma utilidade para nos. A utilidade so seria possivel se construisse uma ponte para que alcansassemos os produtos deste trabalho, o que quer dizer, se encontrassemos as provas que comprovassem a teoria. e finalmente as provas foram encontradas, quer dizer, a ponte foi construida.”

Esta imagem descreve muito bem o que o grafico da historia sugere. A matematica sempre se relata a um micro-ciclo que fica siruado nas bases de cada novo ciclo evolucionario, portanto, por exemplo, no tocante a ao macro-ciclo evolucionario dos sistemas bilogicos a matematica pode ser a forca que moce as reacoes quimicas ou outros aspectos da quimica quando se deixa os sistemas biologico e se entra nos sistemas astronomicos por exemplo a matmatica pega outra faixa daquela realidade. Por isso, muitas vezes uma teoria matematica ou dela derivada, como a teoria quantica, ou a teoria da relatividade, nao encontra muita utilidade na epoca e que e descoberta ou intuida. Por que ela esta muito a frente do tempo, ou muito distante no espaco, e para que ela se aplique no dia a dia da humanidade e precido que as outras seis faixas sejam percorridas antes. Veja-se o artigo ( as palavras que inspiraram este tema estao em vermelho)  

  

7. The Fundamental Lemma, Solved

 

In 1979 the Canadian-American mathematician Robert Langlands developed an ambitious and revolutionary theory that connected two branches of mathematics called number theory and group theory. In a dazzling set of conjectures and insights, the theory captured deep symmetries associated with equations that involve whole numbers, laying out what is now known as the Langlands program. Langlands knew that the task of proving the assumptions that underlie his theory would be the work of generations. But he was convinced that one stepping stone that needed confirmation — dubbed the “fundamental lemma” — would be reasonably straightforward. He, his collaborators and his students were able to prove special cases of this fundamental theorem. But proving the general case proved more difficult than Langlands anticipated — so difficult, in fact, that it took 30 years to finally achieve. Over the past few years, Ngo Bao Chau, a Vietnamese mathematician working at Université Paris-Sud and the Institute for Advanced Study (IAS) in Princeton, formulated an ingenious proof of the fundamental lemma. When it was checked this year and confirmed to be correct, mathematicians around the globe breathed a sigh of relief. Mathematicians’ work in this area in the last three decades was predicated on the principle that the fundamental lemma was indeed accurate and would one day be proved. “It’s as if people were working on the far side of the river waiting for someone to throw this bridge across,” says Peter Sarnak, a number theorist at IAS. “And now all of sudden everyone’s work on the other side of the river has been proven.”

Read more: http://www.time.com/time/specials/packages/article/0,28804,1945379_1944416_1944435,00.html#ixzz0anTnTBuL

Tags: