Sensacional a explicação do porque temos um ôlho menor que outro!

A formula universal da Matriz continua nos surpreendendo a cada hora, agora por exemplo nos explicando como funcionou a mente de Deus ao desenhar cada detalhe de nossa face! É dito geral, desde os tempos de minha avó, que todo mundo tem um ôlho menor que o outro, e inclusive um tem menas eficiência visional que o outro (ainda não tive tempo de pesquisar o que a Ciência diz a respeito). Mas se o povo notou isto, também surgiu uma questão que intriga os pensadores: porquê? Desde que nossa face apresenta a universal bi-lateral simetria, isto não faz sentido. As orelhas são iguais (penso eu, e acho que ninguém ainda pegou uma fita métrica para sair por aí medindo as duas orelhas das pessoas. Taí: quer ficar famoso (a) e por seu nome nos imortais anais das Ciências ou no Guiness? Faça a medida em 50 amostras e se for constatado que existe diferença no tamhanho das duas orelhas de uma mesma face, você será o primeiro no mundo a descobri-lo).Esta questão me surgiu hoje quando lia as perguntas no Yahoo Respostas e deparei-me com uma questão do usuário denomionado “Super Intrigante”, que é a seguinte: “POR QUE TODO MUNDO TEM UM OLHO BAIXO E O OUTRO NORMAL?”

E então ali tem a brilhante resposta de uma menina, cognominada “Desejo Dôce”, que transcrevo a seguir:

“Achei que era só eu que tinha… Uma coisa eu sei, tem um lado da pessoa que é mais expressivo e verdadeiro. Você descobre qual lado seu é mais importante, muitas vezes com mais caracteristicas faciais, como linhas mais expressivas, talvez até mais rugas, a boca puxa mais para esse lado quando você sorri etc. Você descobre qual é esse seu lado quando você une as mão à sua frente bem no meio do seu rosto, com o braço esticado, deixa um espaço entre as mãos, e olha para um ponto, dai você fecha um olho, tem um dos olhos que vai continuar com o foco igualzinho de quando estava olhando com os dois olhos. O outro quando você fecha vai mudar o ponto que você estava olhando com os dois olhos.”Menina esperta essa, hein?

Os dois buracos do nariz são perfeitamente simétricos, não? As bochechas estão na mesma altura e proporções. Porque os olhos foram feitos diferentes? Acho que se os evolucionistas buscarem a resposta nos primitivos animais, procurar em qual deles houve uma mutação para pior e a partir dêle esta mutação teria sido permanente em tôdas suas descendências, inclusive no homem, não vão descobrir nada, porém, devem tentar. Por nosso lado, estamos em paz com êsse fenômeno. A fórmula da Matriz não tem falhado nunca e também aqui fornece uma explicação, fantástica é certo, mas de uma beleza lógica e racional que nos causa alegria admirando a engenharia oculta na Natrureza.

A construção da cabeça dos seres do reino animal é uma longa e lenta obra que começa lá com a célula, passa pelos pequenos organismos e desabrocha na sua plenitude na forma do Tom Cruise masculino e da Marylin Monroe feminina. Mas quando os primeiros seres multicelulares começaram a alongar sua membrana externa e projetar um protótipo da cabeça, estava na verdade sendo desenvolvido uma nova forma derivada de sistema natural, portanto, mais uma vez a Natureza sacou de seus bolsos a fôrma do diagram de software do sistema matriz, com a qual ela produz tôda a materia deste Universo e organiza esta material em peças, partes, corpos, e finalmente, sistemas. Portanto, temos que entender que a cabeça humana deve ser o ápice, o produto final possível de mais uma operação da formula da matriz, que a cabeça é um sistema “de per se”.

Ora, se é assim, vamos correndo examiner a fórmula-software buscando entender as origens, o desenvolvimento e os significados de cada detalhe do nosso rosto. Não vamos agora desvendar o nariz (o que já foi entendido, pois basta ver o cone da Função Número 1 para ver de onde veio a forma do nariz e basta observer como o cone na formula funciona par aver que existem dois buracos que fazem algo como a respiração), assim como não vamos estudar orelhas (pois já o fiz, e basta ver a forma espiralada da orelha para já ir entendendo a cópia exata da matriz em sua forma de espiral galactica). Baixemos a fórmula software da Matriz no seu estado de sistema fechado perfeito, portanto:

DIAGRAMA DO PROTO-SISTEMA “LUCA” - The Last Universal Common Ancestral

Não vou mencionar os inumeros detalhes complexos que tenho estudado comparando a nossa cabeça com a fórmula da Matriz ao longo destes 25 anos, pois a coisa é tão complexa que envolve aquele principio transformador do DNA quando uma metade de face direita contrói a esquerda, envlove o fenômeno da Chiro… (esquecí o nome agora), presente na formação das moléculas, o fenômeno do circuito que sai do lado esquerdo do cérebro se torcer e adminastrar o lado direito do corpo, o fenômeno de um lado da face ser “up” e o outro “down” obedecendo o aspecto entrópico dos circuitos sistêmicos, etc. Estes estudos revelam um monte que os especialistas deveriam fazer se conhecessem a cosmovisão da matriz e muito poderia ser feito no desenvolvimento da medicina, mas devido a falta de tempo, por ora fica em aberto esta tese e retorno a ela sempre que possível. Vamos nos voltar ao nosso tema de hoje: as causas das diferenças entre os olhos.

Nesta formula acima primerio de tudo lembremo-nos o que significa aqules F1, F2, etc.: são as Funções sistêmicas universais, os obreiros da material desde o Big Bang, que ali apareceram como sete conceitos ideais, sete forcas brutas constantes de um vórtice quântico – spin right ou left, tendência ao movimento retilineo uniforme ou ao movimento curvelíneo circular, etc. (vide a tese sôbre Funções Universais). Sabendo-se que a F1 produziu a bôca e o nariz, somos imediatamente levados a procurer a função que produziu os olhos considerando as posições dos olhos na face. Ora, salta aos olhos imediatyamente que estas funções foram a F2 e a F6 (e/ou F7). A F2 é a função de elevação do circuito e a F6, a função da estabilização do circuito e mais tarde o inicio da entropia, enquanto a F7 tem estabelece definitivamente a entropia. Agora vamos à contraparte material dêste estado evolucionario da Matriz como sistema fechado, o qual é a forma de proto-sistema astronomico, ou mais exatamente, nosso ultimo ancestral não-terrestre, denominado LUCA.

LUCA - The Last Common Ancestral

Observamos que neste estado do sistema universal, a F2 construiu como ferramente para poder operar sua obra, o astro-baby, ou, como podemos chamar também, a semente de uma nova estrêla. O astro-baby recém-saído fda fornalha nuclear é uma esfera de energia incandescente, portanto deve ser muito luminoso. Agora procuremos a F6, e vamos ver que aqui a função universal construiu como seu corpo material para operar na matéria, a forma da estrêla, mais exatamente a de supernova recém-transformada desde um pulsar. O primeiro detalhe óbvio é que este corpo também é luminoso. Ora, então a diferença fundamental que une F2 a F6, em confront com as outras formas de Astros, é que seus corpos brilham, enquanto ops demais são opacos. Começa a delinear-se o segrêdo do mistério: visão é um fenômeno facial relacionado à luz, e Astros-babies e estrêlas são fenômenos astronomicos ancestrais relacionados à luz. Mas observe em LUCA que o astro-baby é a forma do corpo astral mais pequena que existe, parece estar num nivel mais baixo que F6 se consideramos a formula num plano horizontal, enquanto a supernova é a forma do corpo astral mais grande que existe, e parece estar num nivel mais alto que o astro-baby se considerado o mesmo plano horizontal…Está matada a charade? Sim. Sabemos que a história da evolução biológica na Terra nestes 3.5 bilões de anos tem sido a história do processo embrionãrio da reprodução de LUCA, o que implica dizer… reprodução da face da LUCA.Temos um olho menor e mais fraco que outro. Qual o problema? A vida é assim, todos os babies são menores e mais fracos que os adultos. Nosso olho esquerdo foi produzido pelo mesmo artista que faz os babies astronomicos no céu, e nosso olho direito foi feito pelo mesmo obreiro universal que faz estrêlas gigantes no céu. ë assim que dada função sistêmica universal precisa fazer seus corpos e neles encarnar para operar com maior plenitude e eficiência. A questão da menor eficiencia de um olho não é causada por um péssimo design da Natureza, pois se nossa fasce fosse simplesmente uma obra obediente e fiel á formula de sistema perfeito, o conjunto dos dois olhos resultariam na maxima eficiência da visão. Mas acontece que LUCA se meteu a Bêsta dominado pelo selfish gene, quis ser eterno e egoisticamente isolado em seu paraizinho privado, forçou uma mutação da perfeição, a qual se revelou como uma mutação para pior, e nós, como seus herdeiros genéticos, pagamos o pato. Mas com o conhecimento agotra dessa histótria tôda, e como somos homens e não sacos de batata, vamos sim desenvolver uma tecnologia e consertar isso: nossas futuras gerações terão os dois olhos na sua maxima capacidade operative, sem diferenças entre si, numa perfeita bilateral simetria, ou se descobrir-mos que o sistema facial trabalha melhor nos moldes do software, onde estas duas diferenças existem porque se complementam num circuito por onde fluem os sinais luminosos ( o que está a requerer uma nova abordagem tecnológica), manteremos assim o que foi feito de melhor.

Pois bem, hoje você aprendeu que seu olho esquerdo é como um bebê engatinhando e seu olho direito é como um adulto a todo vapor. Mas não vá fazer como eu: estou lavando o olho esquerdo com leite e o direito com uisque, par aver se satisfazem e se comportam melhor.

Tags: , , , ,

  • Denise

    Meu olho direito sempre foi menor, e a sombrancelha mais baixa também. Principalmente nas fotos a diferença é notável. O olho esquerdo sai arregalado. Tenho astigmatismo em um olho, e miopia em ambos. Muito interssante, no teste mencionado o meu olho direito vê o mesmo que ambos, mas o esquerdo sozinho vê mais a direita!