Religiões: Suas Origens, segundo a Matriz/DNA

Leio este texto de autor desconhecido: 

“Os livros que estão na Bíblia foram inspirados pelo Espírito Santo, mas isso não quer dizer que foi o Paráclito que ditou palavra por palavra. Se, quando redigia suas epístolas, tivesse aparecido uma pomba cochichando no ouvido de São Paulo seus companheiros cristãos certamente teriam registrado esse fato raro. O vocabulário e o estilo de cada texto bíblico revelam claramente seus diferentes autores humanos, ainda que todos tenham estado sob inspiração divina. A Bíblia é considerada dogmaticamente como de inspiração divina, mas isso não significa que ela seja a única obra humana de inspiração divina. Todos os Papas também são permanentementes assistidos pelo Espírito Santo, mas isso não significa que os papas sejam robozinhos Pneumáticos. Há sempre espaço para o livre-arbítrio. Algo análogo acontece com os documentos pontifícios. Eles todos são inspirados pelo Espírito Santo, o que não significa que as palavras em que eles são expressos sejam ditadas por uma pombinha pousada no ombro do Papa”.

Comentário da Matriz/DNA:

Certo, os textos de tôdas as escrituras sagradas de tôdas as religiões foram produzidos sob inspiração que não advem da experência de vida empírica dos seus autores. Eu suponho fortemente esta tese por experiência pessoal, sentado ao lado de curandeiros e xamãs da selva, individuos analfabetos que em estado alterado da mente por outros motivos que os dos autores biblicos, pela ingestão de beberagens que penso ser o Santo Daime ou seja lá o que for, divagavam descrevendo cenas jamais vistas, mas que inclusive depois encontrei correspondencia nos modernos diagramas da Fisica das particulas e no DNA. Minha explicação? Simples expressão de memória recalcada, possivelmente registradas nos trechos do junk DNA. Não ví nada de paranormal assistindo um individuo cujas “revelações” são muito parecidas com as cenas descritas a 3 ou 5 mil anos atras, por fundadores de tôdas as religiões, cenas de paraiso, de chakras, às cenas de dragões emergindo das águas do I Ching, como supernovas emergindo num oceano de dark matter. Em suas mentes recebiam flashes de imagens e eventos ocorridos em outros lugares que não a superficie da Terra. Porem estes flashes eram produzidos – suponho eu – por subitas expressões de genes constituintes do DNA no nucleo dos neuronios, expressões relativas a existências anteriores dos ancestrais que carregavam esta carga genética, sejam eles atomos ou building blocks de sistemas astronomicos. Por desconherem esse passado, e pelo fantastico das imagens, os homens os interpretam como vindo do sobrenatural. Mas realmente, se minha redução do fantástico ao meramente material, poderia ser decepcionante para os misticos, não deveria sê-lo, pois quando se monta o quebra-cabeças do mundo com esta nova visão, são arremessados às fronteiras do Universo e para antes do Big Bang, e este mundo aponta para um ponto onde está fortemente sugerido a existência de uma fonte criadora e munida de inteligência, apesar de, ao invés de ser uma inteligência mágica, onipotente e onipresente, é uma inteligência superior porem natural. ( Em outro texto explico a simbologia de cada religião tendo como base o software matricial) 

Tags: