Nitrogênio: A Previsão da Matriz se confirma na Lua Titã de Saturno

Os modêlos da Matriz fornecem explicações surpreendentes para os fenômenos da Vida, mas talvez seu maior benefício é que estas explicações pode ser transmitidas num jargão popular inclusive de forma alegórica e irônica que capta a atenção de jovens levando-os a compreender profundamente o sentido da Vida e estimulando-os para o naturalismo científico. Veja por exemplo nesta abordagem que escrevemos sôbre o papel do nitrogênio na Vida inspirados no seguinte artigo, publicado no website http://cienciadiaria.com.br , sob o título…

Atmosfera de Titã pode dar pistas sobre como a vida surgiu na Terra

(obs.: é interessante ler o artigo)

Imagem obtida pela sonda Cassini em 15 de outubro de 2007 mostra Saturno com seus anéis, a pequena lua de Epimeteu e a grande Titã. Crédito: NASA/JPL/Space Science Institute

O artigo diz entre outras que “Ainda é um mistério como complexas moléculas orgânicas se tornaram nitrogenadas.” Ora, para quem está treinado na leitura dos mapas da Matriz, basta uma rápida olhada no modêlo do átomo de nitrogênio e das fórmulas das moléculas orgânicas onde êle está para compreender porque o nitrogênio foi convocado para fazer parte da Vida.

Observe o modêlo do átomo de nitrogênio, contendo 7 protons, 7 neutrons e 7 eletrons.

E agora observe o software-Matriz como sistema fechado, contendo as 7 funções universais. Existe apenas uma maneira no Universo de se construir um sistema fechado em si mesmo, e isto se tôdas as sete funções sistêmicas estiverem ali representadas e na sequência exata. Em cada nível da evolução vai existir sempre uma espécie que melhor se aproxime desta representação, e no nível dos átomos o nitrogênio é por excelência o átomo em que a Natureza mais se aproximou da sua meta suprema de atingir o equilibrio termodinâmico. Mas não seria com os pequenos átomos que ela conseguiria seu paraíso eterno, para tanto el têve que organiza-los em corpos astronômicos. Por isso, o nitrogênio é, dentre os átomos, o que faz brilhar a estrêla quando ele nasce formado na fusão nuclear inter-estelar, por isso ele é o átomo eleito por LUCA.

Para posterior análise vamos precisar lembrar o retrato material de LUCA, ou seja o hardware formado pelo software-Matriz acima:

E agora vamos responder porque o nitrogênio está no nosso meio dos vivos.

O que faz um sistema fechado entre nós,  no meio da Vida?

O nitrogênio é um gás tão inerte que Lavoisier se referia a ele como azote (ázoe), que é uma palavra francesa que significa “impróprio para manter a vida”. Alguns anos depois, em 1790, foi chamado de nitrogénio, por Chatpal. Lavoisier acertou dizendo que um sistema fechado é impróprio para a Vida, sem saber quem era o nitrogênio. Sistemas fechados são inacessíveis para a evolução, esta necessita de sistemas abertos como os vivos. E tornando-se fechado ele torna-se imóvel externamente por isso aparenta ser inerte, apesar de que internamente existe intensa atividade.

O nitrogênio – o átomo que é o embaixador oficial de LUCA, um regime ditatorial fechado – conseguiu instalar uma embaixada no meio de nações inimigas, de  regime democrático aberto! Estamos falando dos aminoácidos do tipo “alfa” (cerca de vinte) que são os constituintes de todas as proteínas e peptídeos, portanto, de toda matéria viva, a qual é um regime aberto à evolução. Mas porque elas permitiram a intrusão desse indesejado? Na cabeça humana existe uma espécie de caroço a que dão o nome de de Complexo R, que vem de Reptiliano. Dizem que é nossa herança dos nossos ancestrais répteis. Ao menos se confirma que dali só sai ato impulsivo, criminoso, aliás, bem próprio de um réptil. Tem gente que quando bebe muito ou ingere drogas entorpece o cortex, quase todo o cérebro evoluído, e então que vem lá do fundo para dominar o comportamento do individuo é seu ancestral réptil. E aí… se torna violenta. Mas se não existisse o réptil, assim como qualquer outro de nossos ancestrais, nós não existiriamos hoje. Certo? Nosso Dna tem 98% do DNA do macaco. Acontece que LUCA é nosso ancestral. Na verdade, LUCA é a Terra, é o Sol, foi quem nos transmitiu o nucleotídeo, não poderia faltar nos aminoácidos. É indesejado, mas inevitável. Veja uma estrutura de um aminoácido:

Repare onde está o Nitrogênio. A esfera azul na ponta esquerda. Para quem é treinado nos mapas da Matriz entende tudo num relance, mas é dificil explicar com palavras. A esfera azul está iniciando um ciclo, Função 1, representa astronomicamente um buraco negro. Em volta dela existem os àtomos de hidrogênio, representando a poeira estelar que constitui o horizonte de eventos, parte da Função 7. O primeiro átomo de carbono a seguir representa a Função 3, o planeta que cria diversas novas formas, por isso ali está pendurado o Radical R. O carbono seguinte é a Função 4. Mitocondria na célula, pulsar no céu… A partir daí o circuito entra em decaída, partindo para as Funções 6 e 7, produzindo o cadaver estelar que será limpado do sistema pelo senhor celeste da limpeza que é o Oxigênio (veja explicação abaixo).  Mas porque o Nitrogênio entra no lugar do buraco negro? Porque a Função 1 é a fôrça dominante dos sistemas fechados, ela representa a parte feminina quando uma organização social qualquer é matriarcal, como no caso da rainha abelha em sua sociedade. O macho tende a abrir o sistema, se dispersar, passa seu semen para qualquer uma estrangeira que pintar na sua frente, sai para a caça, para a guerra e muitas vêzes não volta mais dissolvendo a familia. Mas a fêmea… esta tem como objetivo msupremo a segurança e o conforto doméstico, principalmente se este for um palacio real e ela na posição mde comando. Aí… podem acabar com o mundo lá fora, ela não está nem aí, ela existe para sua familia, sua casa. Isso foi muito bem explicado alegóricamente em Gênese, na Bíblia, pelo autor que conseguiu arrancar de sua memória as imagens do estrago que seu antepassado fêz no céu. Foi Eva quem enganou Adão com seu sonho impossível de ter um lar paradisiaco eterno. E tudo isto está ali, representado nos aminoacidos, os tijolinhos básicos dos seres vivos. O nitrogênio está ali, mas e se não estivesse? Seria o mesmo que na Terra só existirem machos, nenhuma fêmea. Deus as teria enviado ao inferno por causa de seu pecado no paraíso, mas nêsse caso, onde tem mulheres, lá estarei, portanto eu saíria correndo para o inferno. LUCA está no meio da Vida, assim como o homem está, ambos para se corrigirem de um êrro cometido no céu quando eram primitivos, e retornarem como seres puros e evoluídos. Assim espero, ou pelo menos isto é o que sugere os modêlos da Matriz. O nitrogênio está no ácido nucleico, ou DNA, porque êste é formado de nucleotídeos, e nucleotídeo, como bem o sabemos, é a alma de LUCA descida à Terra. Claro que ela traria com destaque o seu corpo predileto no qual encarnar, o qual é o átomo de nitrogênio. Não há mistérios aqui, está tudo muito claro nos mapas da Matriz.

O Nitrogênio como o alimento mais saboroso e nutritivo para as plantas

O nitrogênio é o elemento que as plantas necessitam em maior quantidade. É um macronutriente primário ou nobre. Por isso é o elemento básico dos fertilizantes. Porque? Porque LUCA é o único objeto natural que contém todas – sem nenhuma excessão – partículas- informação que constituem os seres vivos. E seu maior representante no mundo dos átomos é o nitrogênio: são sete as funções sistêmicas suficientes e necessárias para montar um sistema fechado em si mesmo, são sete as partes/orgãos de LUCA, e o unico átomo que tem sete prótons (cada qual é um principio de uma função), é o nitrogênio. Então porque as plantas são famintas por nitrogênio? Ora, como seria delicioso e o mais nutritivo prato que contivesse na dose exata tôdas as vitaminas, proteínas, carbohidratos, (enfim, tudo o que nosso corpo consome) para o ser humano? Mas nitrogênio puro para os animais não serve como alimento. Porque? Eu acho que os mataria. Imobilizaria tôdas suas células, anestesiando-as. Células animais são sistemas abertos porque lhes falta uma organela representante de uma função universal, exatamente lhes falta a Função 6, que no céu é executada pelas estrêlas e nas plantas pelos cloroplastos. Os cloroplastos é que fazem a fotossíntese, o que liga o seu cloroplasto diretamente a uma estrêla, permitindo  à planta facilidade total em se alimentar , por isso ela não é tão filha da necessidade como o animal, ela conseguiu copiar mais fielmente o “paraíso” celeste, mas isso foi sua perdição, imitando o pecado original: tornou-se uma porta fechada à evolução, como é LUCA. A Cézar, suas moedas; ao vegetal, seus egoístas nitrogênios! Que tenha um prato cheio dêles nos fertilizantes que lhes fornecemos.

As origens do átomo de Nitrogênio

Tem-se observado compostos que contém nitrogênio no espaço exterior. Textos acadêmicos de Astronomia sugerem a teoria de que o isótopo  14N se criaria nos processos de fusão nuclear das estrêlas.  Bem… Aqui a Teoria da Matriz acertaria em cheio! Lembra-se da nossa tese sôbre as origens dos cromossomas sexuais? Se nao viu ainda, veja na página “home”do nosso website inclusive o desenho. Observe o fluxo “X”. Êle se separa livre pela primeira vez de “Y” quando forma uma estrêla, uma supernova. O pulsar deve ser formado por átomos  sociaveis, ou seja, dependentes de elétrons na ultima camada e portanto dados a fazerem ligações com outros átomos, por isso constituíam as rochas quando ele era planeta, lua. Portanto, quando o pulsar se transforma, o elemento “Y” que é o abridor de sistemas sai fora do circuíto, a ideologia de sistema fechado domina o ambiente, provocando as reações nucleares que transformam átomos abertos em fechados, e aí… cria-se o representante-mór de LUCA entre as espécies de átomos, que é o Nitrogênio. O isótopo 14N ! Eu ainda acho que a Teoria da Matriz é a melhor professora para nos ensinar como nossas vovós estrêlas – que nada mais são que pulsares na menopausa – se formam. Porém, a entropia ataca as estrêlas, assim como o envelhecimento impiedoso pega nossas vovós. A vitalidade de seus corpos vai diminuindo irradiada para o espaço envolvente, na forma mesma da energia solar. Os átomos derivados de Nitrogênio que não são quebrados na estrêla mas são apanhados pelos ventos estelares ou emissões das reminicências dos vulcões gigantescos são lançados ao espaço exterior na forma de gazes e assim vêm parar na atmosfera da Terra e outros astros ccomo Titã. As plantas – arrotando de barriga cheia – agradecem.

O senhor da limpeza no céu se assenta na Terra como o senhor da limpeza terrestre.

 O nitrogênio, também conhecido como “azoto”,  é o componente essencial dos aminoácidos e dos ácidos nucleicos, vitais para os seres vivos. Porque? Ora, se o DNA do macaco ou seja lá quem foi o ancestral direto do homem não fôsse constituinte do DNA Humano não haveriam seres humanos. Se o DNA de nossos pais não entrassem na constituição de nosso DNA, não existiríamos. Assim, todo ancestral torna-se componente de sua descendência. O nitrogênio é o átomo preferencial de LUCA, assim como o Carbono é o átomo preferencial da matéria orgânica, dos seres vivos. Nitrogênio, com sete prótons representando as sete funcões sistêmicas universais, representa um sistema completo, fechado, enquanto o carbono, com seis protons, siginificando que não obteve o ultimo para se fechar, é o átomo inferior mais próximo da representação de LUCA que representa um sistema aberto, o qual torna-se a base dos sistemas biológicos abertos à evolução. O outro átomo que foi quase fiel na representação de LUCA será óbviamente aquêle que tiver número atômico 8, o qual é o oxigênio. Êste passou dos limites da fechadura, quando o fluxo sustêmico vinha do cadaver estelar ou Função 7, que deveria ir para o buraco negro ou Função 1 e recomeçar novo ciclo, foi direto para fora do sistema  abocanhando mais um próton. Por isso o oxigênio é incendiário. Cabra valente e violento, queria a liberdade na marra, na base do ïndepêndencia ou morte”. Mas como êle saiu da fornalha com a função de limpar o sistema de tudo que ficara do velho ciclo e estava sintetizado no cadaver estelar, que só sabia fazer na vida triturar e decompor cadaveres, surgiu no nosso mundo como o exterminador, entrando por exemplo como o agente da nossa respiração que bota tudo que não presta pra fora do corpo na forma de gaz carbonico. E como seu negócio é limpeza, perguntou aqui na Terra para uma mulher o que seria bom para lavar tudo. Ela respondeu que na sua idëia seria algo, um líquido que penetrasse nas coisas e trouxesse para fora tudo o que ali estivesse solto, pois certamente seria tudo sujeira. Aí ele pensou um pouco, subiu na atmosfera, abocanhou dois atomos de um gaz chamado hidrogênio e inventou a água! H2O ! O senhor da limpeza no céu se assentava na Terra como o senhor da limpeza terrestre. Claro!

O Nitrogênio como o mais egoísta dos átomos

 No entanto, devido à multiplicidade de reações química e biológicas, à dependência das condições ambientais e ao seu efeito no rendimento das culturas, o nitrogênio é também o elemento que apresenta maiores dificuldades de manejo na produção agrícola mesmo em propriedades tecnicamente orientadas. Porque?  Devemos entender o circuíto de um sistema fechado como o mais resistente que existe, principio mesmo da posterior evolução que produziu as cascas duras envolvendo frutas. Êle não admite nenhum intruso e nem permite a nenhuma de suas partículas escaparem. Eu ainda não tive tempo para observar o circuíto buscando uma técnica para rompê-lo, mas isto seria muito bom, baixaria o custo do fertilizante.

Por ser um sistema fechado e portanto dado a poucos amigos, ou melhor, a nenhum (é o sujeito mais anti-social que existe) e apesar de ser o nutriente mais abundante da atmosfera terrestre, o N não figura como constituinte de qualquer rocha terrestre. Talvez, seja por este motivo ele é o elemento mais caro dos fertilizantes, pois, para sua formação são necessárias diversas reações químicas, as quais necessitam de muita energia. Tal afirmação é justificada pelo fato da difícil síntese e alto custo energético da formação do NH3. Por sua índole ele prefere ficar livre e sózinho no espaço que unido fortemente com os outros átomos abertos sociáveis que formam as rochas.

O Principio da Explosão do Nitrogênio e dos Sistemas Fechados

O Ser que só morre explodindo-se alimenta as guerras entre humanos

O fato de um sistema ser super-fechado e manter a unhas e dentes sua energia potencial – aquela quantidade de energia que ele recebeu ou abocanhou quando se formou – significa que êle põe tôda sua fôrça para evitar perder qualquer partícula ao espaço ou ser surrupiada por algum agente externo. O menor bit-informação que por acaso deixasse o sistema seria sua morte, ou ao menos o deixaria aleijado ou muito doente. Para nós se perdessemos genes formadores de um braço ficariamos aleijado ou uma proteína envolvida no metabolismo ficaríamos muito doentes. Só se consegue usurpar energia de um sistema fechado se quebrar-mos sua casca, interromper-mos seu fluxo circuital interno de energia, mas se fizermos isso ele pode tambem nos matar. Porque? Ora, sistema fechado é avarento, abocanhou mais energia potencial do que precisava, o que significa que é super carregado de energia, esta energia que foi feita para ser livre no espaço está ali prisioneira, se o perfurar-mos… ela sai tôda de uma vez, como se de repente abrissemos a porteira de uma fazenda cheia de escravos. Em linguagem usada para fenômenos energéticos, essa “saída abrupta” significa  “explosão”. Porque o tempo no mundo das partículas é muito menor que em nosso mundo, essa saída seria para nós medida em milionésimos de milionésimos de segundos. Explosão. Sómente assim um sistema fechado se entrega… mas sua má índole é tanta que até na hora da morte ele aplica-a tentando matar seu assassino. E o que significa a capacidade ou propriedade dos sistemas fechados como o Nitrogênio de explodirem? TNT ! Sim, os compostos orgânicos de nitrogênio como a nitroglicerina e o Trinitrotolueno, que é o temido TNT,  são muito explosivos, a base da dinamite. Outro composto como a hidrazina e seus derivados são usados como combustível para foguetes. Imagina só! O Nitrogênio que se fêz para existir livre no espaço é quem manda-nos dentro de foguetes para o espaço.

O ser que pretendeu eternizar-se exige muita fôrça para ser morto

O Nitrogênio está presente na composição de substâncias excretadas pelos animais, usualmente na forma de uréia e ácido úrico. Porque? Êle é um sistema fechado que existe na atmosfera, no estado gazozo. Mas é capturado por certas coisas da superfície terrestre, inicialmente pelas bactérias. Daí passam para as plantas, por ser excelente – o melhor – nutriente para elas. Mas as plantas tem recursos para aproveitá-lo como nutriente. Que pode ser dêle em outro composto como a amônia, ou mesmo do átomo intacto para catalizar ou produzir outros processos em seu metabolismo. Às vêzes, penso eu, a planta está fraca dêstes recursos e não consegue quebrar a casca dos átomos mais resistentes, êles permanecem inteiros prisioneiros dentro da planta. Aí vem o animal que se alimenta da planta e êste, coitado, não tem recurso nenhum para quebra-los. Sorte dêles, pois a ideologia de ser um sistema fechado, entrando num sistema aberto, como a célula animal, seria o mesmo que os soldados comunistas de Stalin invadindo uma pequena nação capitalista. Acontece o esperado, ou seja, o Nitrogênio atravessa todo o sistema digestivo e sai intacto em meio às substâncias excretadas. Saindo na forma de uréia vai ser usado pelo homem como adubo para plantas, ou seja, alimento para plantas. Ao perceber que está caindo numa planta, o nitrogênio, que estava no meio dos excrementos, que ao sair do corpo animal sonhava em voltar livre para a atmosfera mas que foi capturado novamente por outra planta deve esbravejar:  “Outra vez? Nãããoooo…!” Mas esperemos que desta vez a planta seja mais forte e consiga quebra-lo para sugar seu valioso alimento. As bactérias conseguem invadir o nitrogênio, quebra-lo ou altera-lo ( não conheço a química dessa transformação), convertendo-o em amônia. Mas só algumas bactérias conseguem converter nitrogênio em amônia. A conversão de nitrogênio a amônia, chamada de fixação de nitrogênio, é feita por um sistema enzimático complexo, denominado nitrogenase, que utiliza NADPH como doador de elétrons e só é processado com um consumo muito grande de ATP, a energia produzida pela mitocondria. Estas bactérias devem ser muito fortes, as gladiadoras das arenas bacteriais. Mas saber o fato de que o  ATP entra no processo me faz sentir pulgas atrás da orelha. Lembro-me que o nitrogênio é produzido na Função 6 do software Matriz, a qual produz as estrêlas, as quais produzem nitrogênio como isótopos. Mas o ATP é produzido na Função 4, representada pelo pulsar no céu e pela mitocondria na célula. Ora, o fluxo sistêmico vai direto de F4 para F6 (pois F5 é o ramo lateral que se desloca para fora do fluxo), e assim fatalmente ele vai produzir nitrogênio em F6 ( estrêla no céu, cloroplasto na Terra). Mas para existir F4 no céu é preciso que F3 (um planeta) receba a energia de uma estrêla. Esta estrêla fica por perto até que o pulsar fique demasiado leve e escape de sua órbita. Ora, a conversão de nitrogênio em amonia necessita que a substância sob reação quimica receba energia – dois elétrons – que vem da molécula de NADPH, a qual está envolvida com o ATP da mitocondria, a qual representa o pulsar, o qual tem uma estrêla lhe fornecendo energia para que opere-se sua transformação e vá produzir nitrogênio na forma de estrêla! Acabamos de descobrir que todo esse processo quimico é uma cópia da Matriz, das coisas ocorrendo no céu! Como se chama? Nitrogenase! Vamos correndo abrir um artigo para não esquecer que temos de estudar nitrogenase, obter toto o quadro destas reações e exibi-la lado a lado com o software da Matriz. Como fizemos com o ciclo do mal colesterol.

 E isto sugere que para certas plantas, fracas em tais recursos, a uréia não deve servir como adubo. Portanto fica com a palavra os agronômos. Existem plantas nutritivas para nós que rejeitam ou não assimilam a uréia? Se sim, outra pergunta: está identificada a substância das plantas que desfaz ou decompõe o nitrogênio e/ou seus derivados? Se sim, a última pergunta: existe uma maneira de implantar os genes de tal substância nas plantas que não a tem? A Humanidade tem fome, tôda iniciativa que aumente nossa produção de alimentos será bem vinda.” 

Para finalisar, estudos em aberto envolvendo o nitrogênio

Todos os aminoácidos são derivados de intermediários da glicólise, do ciclo do ácido cítrico ou das via das pentoses-fosfato. O nitrogênio entra nessas vias através de um aminoácido, o glutamato.  O ácido glutâmico ou glutamato é um dos aminoácidos codificados pelo código genético, sendo portanto um dos componentes das proteínas dos seres vivos.Acontece que o ácido glutâmico, ou glutamato, contendo nitrogênio, é muitíssimo importante, veja só, no nosso cérebro! Vejamos a estrutura de um glutamato.

Aminoácido glutamato

Onde está o nitrogênio? Lá, na mesma posição de iniciador do circuito. Observe a sequência de átomos pendurados no segundo carbono que representa a Função Planeta que é a função geradora da diversidade de novas espécies. Tudo aquilo vai dentro do que se chama Radical R. Não sei porque puseram esse nome, pois isto significa a nivel astronomico que os sistemas biológicos, ou sejam, nós, os seres vivos, somos o Radical R do espaço sideral. Mas… O glutamato é um neurotransmissor excitatório do sistema nervoso, o mais comum em mamíferos. É armazenado em vesículas nas sinapses. O impulso nervoso causa a libertação de glutamato no neurónio pré-sináptico; na célula pós-sináptica, existem receptores que ligam o glutamato e se activam. Pensa-se que o glutamato esteja envolvido em funções cognitivas no cérebro, como a aprendizagem e a memória. O glutamato é precursor na síntese de GABA, um ácido que é o principal  neurotransmissor inibidor no sistema nervoso central dos mamíferos. Ele desempenha um papel importante na regulação da excitabilidade neuronal ao longo de todo o sistema nervoso. Nos seres humanos, o GABA também é diretamente responsável pela regulação do tônus muscular.

O nitrogênio na dieta humana

O glutamato ( acido contendo nitrogênio explicado abaixo) está presente em diversos alimentos. É responsável por um dos sabores sentidos no paladar humano, especialmente quando na forma de sal de sódio. O glutamato monossódico é por esta razão usado como aditivo alimentar para realçar o sabor de alimentos.

Cerca de 95% do glutamato ingerido é absorvido rapidamente no intestino, o qual 50% deste é metabolizado em C02. Provou-se, através de pesquisas, que o glutamato metabolizado aí é o maior contribuidor na produção de energia usada pelo intestino. Mais uma vez confirmamos o poder energético explosivo dos sistemas fechados.

FIM

 

Tags: , ,