Quando uma disforme nebulosa de poeira estelar é um sistema perfeito e cria a Vida

É possível a alguem mostrar um punhado de terra em suas mãos e dizer: “Aqui tens um sistema, e perfeito. Mais ainda: isto aqui pode se tornar num homem vivo.” E êle poderá estar certo. Vamos explicar com uma analogia.

Suponha-se que os Estados Unidos fôsse um país com um sistema perfeito, em que todos os cidadãos seriam felizes. De repente aparecem milhares de discos-voadores gigantes e dizem: “Vocês terão que desocupar a Terra imediatamente, ela vai explodir. Temos um outro planeta onde as condições de vida são idênticas às daqui, mas apesar de existirem as mesmas vegetações, os mesmos animais, ainda não existe a espécie humana. Vamos transporta-los para lá.”

Quando os discos voadores fôssem embora o que teríamos no novo planeta? Uma multidão de pessoas com malas na mão, sem casa, ruas, hotéis. Como aquele punhado de grãos de terra nas mãos do homem.

Mas todos sabiam o que iriam fazer a seguir: reconstruir os Estados Unidos igual ao da Terra. Pois se o sistema era perfeito, nada deverá ser mudado. Ora, cada humano iria procurar se estabelecer como estava e fazer o trabalho da sua profissão. Assim o velho sistema destruído seria reproduzido.

Pois com uma nebulosa de poeira resultante da morte de uma estrêla e seu sistema acontece o mesmo. Cada particula vai se ajeitar nos compostos com os mesmos vizinhos de outrora e saber o que fazer. Assim se reciclam os sistemas astronomicos.

Mas agora imagine que a população americana tivesse sido levada a um planeta em condições bem diferentes da Terra, apesar de permitir a sobrevivencia. Material diferente, temperatura diferente, estações do ano diferentes. O resultado seria um sistema diferente dos Estados Unidos de hoje.

Assim foi como surgiu a Vida na Terra. As particulas emitidas como fragmentos de uma estrêla que se decompõe lentamente descem na superficie da Terra, entram nos seus átomos, tentam reproduzir o sistema astronomico a que pertenciam, e se saem com um sistema celular vivo. Basta ver o modêlo astronomico da Matrix/DNA para compreender isto.

Tags: , ,