Roger Waters diz no Rio uma das frases mais sábias jamais dita

“Há certas culturas que querem nos vender uma noção de vida que não corresponde ao que a vida é de verdade. O muro da desinformação é provavelmente a força mais potente e negativa que existe” – disse Roger Waters

Pena que nenhum jornalista presente captou a profundidade do tema e não aproveitou a oportunidade para perguntar e estender o assunto. Teria feito um grande serviço para a causa da Humanidade. A frase foi lida em:

Globo.com – G1
http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2012/03/muro-da-desinformacao-e-forca-mais-negativa-diz-roger-waters.html

Muro da desinformação é a força mais negativa, diz Roger Waters
29/03/2012 07h00- Atualizado em 29/03/2012 07h28 – Henrique Porto
xxx

Roger Waters e o Muro Cultural da Desinformação

Roger Waters e o Muro Cultural da Desinformação

xxx
A Matrix/DNA não me deixou perder a oportunidade para exercer sua militância, e postei um comentário no artigo ( não sei se vai sair na integra: esta mania de resumir e abafar o pensamento das pessoas com recursos como limite de palavras nos posts é mais uma atividade da cultura do país dos pensamentos curtos sem substância):

Louis Morelli:
“Há certas culturas que querem nos vender uma noção de vida que não corresponde ao que a vida é de verdade. O muro da desinformação é provavelmente a força mais potente e negativa que existe” – disse Roger Waters

Sábias palavras que os brasileiros deveriam prestar atenção. Culturas funcionam como a Matrix. São criadas e alimentadas pelos predadores dominantes para se auto-justificarem (passam a crer na própria mentira) e mais facilmente manterem os dominados como escravos. São religiões, ideologias, tudo baseado no desconhecimento do mundo real que geram as interpretações, visões de mundo, imaginárias. Para dimimuir o poder dessa inimiga da Humanidade que é a cultura/Matrix, é dever de cada pessoa buscar o conhecimento e comprovação de fato pela Ciência de cada fenômeno natural e atacar todo tipo de interpretações humanas, principalmente quando usadas pelo sistema economico/politico vigente. Por isso Pink Floyd já dizia: teacher, leave our kids alone! Deveria completar: deixe cada criança conhecer e se educar com a Natureza.

xxxx
Mas talvez meu post não foi apenas a voz da Matrix/DNA, e mais a minha própria voz, a qual desce aos patamares da sobrevivência humana pensando em coisas como economia, politica, etc. Então escreví isso do meu ponto de vista: nascí órfão e criado na rua mas com a tendência de lutar por uma nova organização social e mentalidade humana. Estava por nascimento condenado a ser bandido ou escravo dócil daquêles que tinham familia e se apoderaram de tôdos os espaços. Tôda vez que batí na porta de uma casa ou emprêsa sentí o riso maligno do predador perante a oportunidade de pegar a prêsa, e o modo de fazerem isso: sempre me foi apenas oferecido o pior trabalho pesado que não querem fazer, a trôco do dinheiro apenas para a comida e o quarto da pensão à noite.

Por isso tambem fugí para viver sózinho no meio da selva amazõnica, escravo jamais seria, e lá fiquei por sete anos sobrevivendo e estudando a Natureza em busca de algum conhecimento que explicasse a razão dessa existência absurda. Cheguei à conclusão que na civilização lá fora os humanos estavam vivendo uma existência artificial sem o menor respaldo nos movimentos e fatos do mundo real com sua Natureza. Como podem existir seres que se sujeitam a serem encarcerados em fábricas, construções, durante tôda a luz do dia, por 30 anos, às vêzes a vida tôda, e entorpecer totalmente sua curiosidade e vontade de evoluir sua mente?! Pois isto é o que fazia a maioria que nascera deserdado como eu. Resposta encontrada? Entorpecimento mental logo na infancia pela cultura e sua produção urbana aprisionando a mente de maneira que esta não busque na Natureza, no mundo externo real, uma livre e autônoma razão para as existências. Condicionamento psicológico sob o poder de armas, policia, exército, patrulhas de quadrilhas familiares predadoras, e através da mídia, a propaganda cultural fundamentada numa total equivocada interpretação do mundo. Estas a causas dos 6 bilhões de escravos modernos ( dentre uma população de 7 bilhões).

Mas isto pode ser que tenha outra implicação muito importante se minha cosmovisão não estiver muito errada: a História Natural está sugerindo que está em curso uma “evolução natural”, e que o tôpo dessa evolução aqui e agora nêste planeta é o evento em que o cérebro humano está parindo um novo tipo de sistema natural, denominado “auto-consciência”. E que dentro da própria Humanidade está em atividade uma fôrça atrapalhando êsse desígnio da evolução, o que vai requerer ou provocar reações das fôrças naturais para extirpa-la, mesmo que a Natureza repita ocorrencias semelhantes anteriores, como foi o caso quando a evolução estava transformando o réptil em mamifero. Naquela época o réptil se esquivou da evolução para mamifero e procurou um modo super-especialista acomodado de existência, crescendo e engordando apenas o corpo fisico, chegando ao tamanho dos dinossauros. A Natureza respondeu com a escassez, os limites naturais para tal consumidor não previsto e varreu-os da face da Terra, retornando a evolução no tempo, ao se fixar num pequeno réptil, o cianodonte, e daí retornar os desígnios da evolução transformando-o em mamífero. A Humanidade através de seus “patrões”, donos das terras e terrenos e meios de produção, que tendenciosamente deturpam a história inventando mitos culturais de quedas de meteóritos como acidentes ao acaso. Mas se a minha interpretação for o que realmente aconteceu, sinto muito, essa casta será varrida da face do planeta, ao menos que procure ser honesta e moral consigo mesma a tempo. A Natureza não se defende mas se vinga, ela não tem pressa, tem todo o tempo cósmico ao seu dispor o qual se conta em bilhões de anos, ela não titubeia em descartar uma espécie que saiu fora de sua sintonia para retornar e investir numa nova espécie que ficou lá atrás. Ou mesmo como no caso dos répteis, buscar aqui os nativos que continuam selvagens como na Amazônia, os quais podem sobreviver à uma terceira guerra mundial ou catástrofes planetárias. Parece que a Natureza tem um meio de avisar antes através da camada mental terrestre conhecida como inconsciente coletivo a êstes culpados, mas deturpam êstes avisos para encaixa-los no seu amplo leque cultural, cuja uma das suas fôrças é a religião. Então se preocupam criando profecias de fim do mundo, mas tomando o cuidado para criar subterfugios psiscológicos como a fábula de que os “bons”, ou seja, êles próprios, serão escolhidos e libertados das atribulações. É hipocrisia demasiada para meu gôsto!

Porem de nada adianta criticar sem fazer. Então o que deveria fazer quem pensa como eu? Primeiro se conscientizar que os predadores humanos não vão e não querem serem curados. Jamais vão devolver aos sem casa os terrenos extras às suas necessidades básicas que saquearam. Jamais vão sair do ar condicionado de suas casas e escritórios para arregaçar as mangas e produzir manualmente no pesado ao menos o que consomem. Estão perdidamente viciados em vampirizar as energias do trabalho dos fracos. Fazem guerras, assassinam, se preciso fôr, a qualquer um que ameace fazê-los trabalhar de fato o que a existência humana tem moralmente que trabalhar. Sempre vão repetir o que disse Luís XV resumindo o que se passava na côrte perdulária da França: “Sabemos que estamos agindo errado. Sabemos que essa vida de festas orgíacas e sedentária não se sustenta na Natureza. Sabemos que um dia o povo vai conseguir nos derrotar e nos cortar os pescoços na guilhotina. Mas o que podemos fazer? Não conseguimos deter e controlar nosso vício.” Ao menos a côrte francesa não era tão inconsciente para inventar mentiras e acreditar nelas, como a da burguesia atual, com sua justificativa de que o mundo para êles vai acabar sim, porem inevitável por que virá por ordem de Deus… Não, isso vai ser corrigido pelas leis naturais – se minha interpretação do mundo tiver algum fundamento real.

Porem assim temos a pista de que de nada adianta discutir com êles, muito menos tentar recuperar pela fôrça o que tambem a nós pertence e ainda lutar pela eliminação definitiva da escratura. Isto sugere que só temos uma alternativa, e muito remota de nos salvar quando a Natureza de fato reagir: nos separar dêles, indo para lugares ainda virgens como a selva, as ilhas, etc.. e lá erigir um novo sistema social, edificar um novo tipo de habitat. Claro, teríamos que correr na busca de conhecimento natural, desenvolvimento das ciências e uma tecnologia principalmente para nossa defesa, porque vão nos atacar para saquear nossas posses. Enquanto isso não é possível, enquanto temos que ficar no meio urbano dêles, teríamos que nos aproximar para praticar em conjunto mas separados dêles a nossa atividades de trabalho, financeiras, politicas, tudo na surdina. Até poder-mos ir para a selva. Atacar nunca, a não ser como auto-defesa e mesmo como vingança se ferirem um dos nossos. Não podemos tentar impor nossa visão de mundo a outros porque não sabemos se nossa interpretação do mundo é mais correta, e sabemos que forçosamente nossa interpretação do mundo tem muits êrros, devido nossa pequinez perante a natureza universal.

Tags: , , ,