Sete Bilhões de DNA’s Humanos Retornarão a ser o Unico que Caiu do Céu, Pelo Processo do Condensado de Bose-Einstein

Os modêlos teóricos da Matrix/DNA sugerem uma nova visão do mundo. Ao sugerir que um par lateral de nucleotideos, que é a unidade findamental de informação do DNA, tem a mesma forma e função de um building block das galaxias originais, e ao sugerir que nêste estado evolutivo estas galaxias foram nossos ancestrais e estavam em situação deliberada de êrro em relação às leis naturais, os modêlos sugerem que a passagem do sistema galáctico para o sistema celular vivo foi um mero processo genético com mutações e uma queda de um estado termodinamico equilibrado para outro desequilibrado.

Sugerindo então que o DNA biológico é ima mera forma descendente do “DNA” das galaxias, o qual é sugerido tambem existir num estado menos evolutivo nos sistemas atômicos, em resumo os modêlos estão sugerindo que todas estas fiormas de DNA são meros derivados de algo universal, uma essência, à qual denomino “Matrix/DNA Universal”.

Isto studo sugere que para a Terra veio um unico DNA, um unico cêpo primitivo comum que deflagrou a enorme diversificação de vida na Terra. A evolução que tem ocorrido nestes ultimos 3,5 bilhões de anos sugere, à luz da Matrix/DNA, que existe uma explicação racional para a existência da Matrix na forma de DNA biológico na Terra: ela teria se desviado do caminho da evolução universal ( a qual é apenas um processo da reprodução genética do que existia antes do Universo), quando se fechou egoísticamente como sistema, e depois foi atacada pela entropia, foi fragmentada em seus menores bits, os quais são hoje os 7 bilhões de DNA’s nos seres humanos que desenvolvem o novo sistema chamado “auto-consci6encia”.

Existe uma explicação racional para tôda essa história: para se corrigir um carater defeituoso, porem sem impor a correção, respeitando sua liberdade ou autonomia de livre-arbitrio, a estratégia é fragmentar êste caráter em unidades fundamentais, de maneira que o defeito total do carater tambem seja dividido em seus menores bits. Depois solta-se todos estes bits num novo ambiente e deixa-se conviverem, como se fossem personalidades individuais separadas. Assim todos os aspectos do defeito total irá presenciar o restante do defeito total nos outros bits e terá que enfrentar todos estes bits defeituosos. Assim cada personalidade não se conscientizará que êle mesmo tem um defeito, mas conhecerá os 99% do defeito total nos outros e sofrerá os efeitos destes defeitos. Assim, sendo vitima da injustiça se aprende não só a amar a justiça, mas passa-se a ser a própria justiça incorporada. Assim, sendo-se vitima da imperfeição passa-se a amar e desejar a perfeição. Quando todos os bits estiverem curados, purificados de suas parcelas do defeito total, todos voltam a se fundirem, na forma de uma só auto-consciencia, e a recompor o código genético universal, ou seja, a Matrix, a qual caiu do céu. Recompor para reencetar sua marcha evolucionaria, porem agora sem aquele antigo defeito de personalidade.

Tudo isto seria um mecanismo, um processo, que pode ser repetido cicicamente ao longo da História Universal, um processo de auto-reparação de êrros. Se a sugestão dos modêlos – de que êste Universo é uma reprodução genética – estiver correta, êste mecanismo de correção de êrros seria o mesmo que o mecanismo conhecido de reparação de êrros entre os genes quando constroem um embrião, para que o corpo final seja à imagem e semelhança, e saudavel, do ser gerador.

Mas êste mecanismo teria que estar em todos os niveis, todas as dimensões da evolução. E agora parece-me que estamos encontrando-o no nivel microscópico, num aspecto da matéria universal que foi denominado “Condensado de Bose- Einstein”. O artigo inspirador está copiado abaixo e seguido de um comentário da Matrix/DNA:

Condensado de Bose-Einstein

http://likeaphysicist.wordpress.com/2011/05/23/quais-sao-os-estados-da-materia/

Condensado de Bose-Einstein

Condensado de Bose-Einstein

O estado chamado Condensado de Bose-Einstein é sem dúvida um estado da matéria extremamente exótico com propriedades que desafiam o senso comum. Seu nome foi dado em homenagem a Albert Einstein, que em 1925 realizou estudos sobre o estado de sistemas quânticos submetidos a temperaturas próximas ao zero absoluto (-273.15 °C), e Satyendra Nath Bose cujo trabalho na área foi incorporado ao de Einstein possibilitando assim a criação desse estado da matéria.
Suponhamos, por exemplo, um recipiente com gás. Os átomos e consequentemente as moléculas irão se mover no espaço do recipiente com certa velocidade, determinada principalmente pela temperatura do gás. Com os conhecimentos já adquiridos sobre os demais estados da matéria sabemos que se resfriarmos o gás ele primeiro se tornaria líquido e logo em seguida sólido. Mas, imagine agora um resfriamento que não seja interrompido até que não haja mais como diminuir a temperatura, ou seja, chegar ao zero absoluto nas escalas de temperatura. Nesse ponto, a matéria age de forma estranha. Os átomos alcançam o menor estado possível de energia na natureza e não possuem mais velocidade. O resultado é que os átomos se empilham e ficam em repouso, sem fazer nada.

Devido a uma das principais regras que regem o mundo quântico, o chamado princípio da incerteza, os átomos (assim como outros elementos quânticos) podem ser descritos com uma função de onda. Tal função não possui nenhum valor físico, porém determina a possibilidade (sim, a possibilidade pois é impossível saber com precisão absoluta da posição e da velocidade de um elemento quântico no espaço) de encontrar o átomo em uma certa área. Para uma visualização melhor vamos imaginar os átomos como pequenas ondas. Enquanto estão no estado sólido, por exemplo, essas ondas não se encostam o que faz com que cada átomo tenha uma independência, seja uma entidade diferente dos outros. Conforme a temperatura vai diminuindo as “ondinhas” que imaginamos para representar os átomos vão aumentando de tamanho e ficam mais próximas umas das outras. Eis que finalmente elas se sobrepõem umas as outras. O resultado disso é que os átomos agora podem ser descritos como apenas um grande átomo. Todos os átomos do sistema resfriado compartilham agora das mesmas propriedades quânticas, já não possuem mais identidades diferentes, são apenas um. Como resultado disso os efeitos quânticos podem ser vistos em escala macroscópica. As antes funções de ondas das quais só podíamos retirar possibilidades inconclusivas agora são uma única onda com propriedades bem definidas exatamente como uma onda clássica (por exemplo: onda eletromagnética e sonora).

Matrix/DNA: ” Hummm…então pode estar aqui o principio primeiro e codificado do processo de fusão de muitos ou todos elementos de uma mesma espécie formando um só elemento final. Isto acontece no corpo humano quando todos os genes recebidos dos pais terminam suas missões de construção do corpo e se alojam no cérebro na forma de neuronios, formando uma unica final personalidade. Pode ser tambem – se a Teoria da Matrix/DNA estiver correta – que êste mecanismo lá nas origens da matéria e do Universo seja o código para fazer com que tôdas as agora 7 bilhões de porções de auto-consciências na Terra se juntem no futuro formando uma só consciência coletiva final. Muito interessante, isto sugere ser mais uma evidencia para as previsões captadas nos modêlos da Matrix/DNA a trinta anos atrás. E sugere tambem uma nova pesquisa: ” O fenômeno da superposição de ondas e o mecanismo que ela apresenta deve estar tambem codificado na onda de luz original, e teremos de procurar como. (separado em artigo/nota como evidências para a cosmovisão da Matrix/DNA)

Tags: ,