Física: “O Problema da Medição” Explicado pela Matrix/DNA

Se você quiser ver um Físico incomodado, pergunte-lhe sua explicação do “problema da medição”. Primeiro se descobriu que eletrons não tem espaço, tamanho definido, parece uma onda se expandindo ao infinito. Mas no ato da tentativa de medir o tamanho de um átomo, de repente o eletron se encolhe como particula, um atomo se forma e pode ser medido. Isto significa que a vontade de medir faz com que o atomo exista e numa forma que nossa percepção pode entender. Enquanto não estamos medindo, não sabemos como o mundo está sendo composto.

Estudando os mapas, os modêlos da Matrix/DNA, encontrei uma explicação tão lógica e tão simples que é desconcertante. Vou descrevê-la rapidamente e a seguir registrar as informações/definições que vierem surgindo no mundo acadêmico sôbre êsse assunto e desenvolver nossa pesquisa:

EXPLICAÇÃO DA MATRIX/DNA.

Átomo é um sistema natural. Como sistema é uma das formas evolucionarias do sistema universal que apareceu com o Big Bang e vem evoluindo, se transformando em novas mais complexas formas. Mas sendo um sistema natural significa que atomos são algo “vivo” desde que estão tambem sujeitos a um roteiro de existencia: nascimento, crescimento, maturidade, fdegeração, morte, fragmentação… Pode se dizer que isto é uma história existencial comum a todos os sistemas naturais. Existe outra maneira de ver êste roteiro, à qual se tem chamado de “ciclo vital”.

Ora, sistemas estão mudando de forma a cada segundo. Nosso corpo como sistema, por exemplo, a cada segundo tem uma célula morrendo e a maioria sendo substituida por uma cópia, porem nem sempre, ou nunca, a cópia é exatamente igual ao original. Portanto, mesmo que mude apenas o mais insignificante detalhe na mais oculta célula de um corpo, o sistema mudou sua forma, já não é mais o estado da forma a um segundo atrás. Guarde na memória essa idéia de estado da forma porque na Ciência acadêmica muito  se fala nela com outro nome: estado quantico do sistema. E ã mudança de uma forma à outra chama-se “colapso de função de onda”.

Como filósofo atrapalhado que sou, muitas vêzes sentado numa pedra ou no alto de uma arvore na selva amazônica eu olhava ao redor e me perguntava:

“Antes êste planeta era totalmente diferente. Só se via as águas de rios e oceanos,o solo era limpo, àrido, desertico, formado de rocha, terra e muita areia. Alem de terra e água, apenas o vento. Basta lembrar da imagem da superficie da Lua, de Marte. Os corpos existentes, pedras,eram imóveis e não mudavam de forma. iriam atravessar uma quase eternidade na mesma forma que surgiram. Mas de repente tudo mudou. Hoje os corpos mudam de forma, se movem… Porque esse mundo fêz essa mudança, para que isto? Qual ou quais as forças estavam aqui naquele planeta deserto que fizeram essa mudança?!”

Bem, 30 anos quebrando os miolos com estas questôes, a elaboração da teoria da Matrix/DNA, e ultimamente a teoria tem levado a modêlos tais que estas forças são explicadas, ao menos teóricamente.

Um dêstes mais importantes modêlos – relacionado com esta questão –  é o da figura abaixo:

Light - The Electric-Magnetic Spectrum by Matrix/DNAObserve que a Matrix/DNA está sugerindo que uma onda de luz apresenta o mesmo fenômeno do ciclo vital.A partir da direita, quando a viração mis intensa significa que a energia é mais forte, acontece a fecundação, depois a viração ultravioleta é a forma de bebê da onda, depois entre infra-vermelho e microondas está a forma de adulto, etc. Sugerindo que o Big Bang emitiu uma onda de luz que não parou de avançar, e todas as estrelas continuam a repetir essa emissão ininterruptamente, a matrix/DNA está sugerindo que a luz é o código que imprime vida à matéria, ao sujeitar a matéria a se modelar segundo suas vibrações, e por isso corpos materiais mudam de forma. Isto significa ( se a teoria estiver correta, nunca me canso de repetir isto) que em cada momento de sua existencia, um sistema natural, ou um corpo material na forma de sistema, está expressando um ponto naquela linha de vibração. Nossos corpos, dependendo da nossa idade, da forma em que estão aqui e agora, está expressando uma intensidade especifica, unica, de vibração. Êste é o estado “quantico” do nosso corpo… segundo a minha teoria.

Mas o átomo tambem. Em qualquer dado momento ele estará expressando o nivel de vibração concernente à sua forma, à sua idade, naquele momento. Como a vida de átomos devem ser medidas em escalas de tempo microscópicas, êle deve viver muito pouco, para nós como observadores. Dizem que o tempo de existencia de uma particula é cerca de 17 milionésimos de segundos. Não consigo imaginar o que significa isso, só sei que durante uma piscadela minha, nasceram e morreram muitas gerações de particulas. Não sei qual o tempo de existencia de átomos. Mas deve ser tão rapido para nós que ao ohar para um atomo jamais poderiamos ver uma forma.  Ele se transforma tão rapido que veremos um vulto parado em alta velocidade interna, como se tivesse rodopiando. Tambem um hipotético gigante habitante de Jupiter não conseguiria ver uma forma humana, pois quando batesse o olho e tivesse a impressão de ter visto um bebê, já estará vendo um velho curvado de muletas.

Essa incrivel velocidade devida às  relativisticas posições de observadores é o que faz aquela estranha e incompreensivel imagem do eletron, se expandindo como nuvem, como onda, sabe-se lá o que…

Bem, se isso for verdade seria impossivel medir um atomo, uma particula. O principio da Incerteza de Heisenberg é assim explicado pela Matrix/DNA: o caso acontece porque particulas estão sujeitas ao ciclo vital. Mas segundo o que os cientistas estão dizendo, uma aproximação humana ou de certos instrumentos, fazem um atomo surgir às suas vistas, com forma e tudo. Segundo a Matrix/DNA, a explicação para isso é que o corpo humano, e tambem a mente humana ( a qual tambem é um sistema natural e apresenta dada vibração em dado momento de sua idade) impõe a sua vibração ao átomo e o resultado é o que o atomo pára, fica como hipnotizado, justamente na forma correspondente à mesma faizxa de vibração que lhe está sendo imposta. Aqui estaria as origens, os principios de todos os fenomenos posteriores na evolução, relacionados à escravagismo, comando, submissão, etc.  O poder de uma fonte de vibração maior é tão forte que anula todas as vibrações de uma fonte menor, o átomo deixaria de ser transformado pelo seu ciclo vital e ficaria ali naquela forma enquanto seu corpo estiver tomado pela vibração do homem que o estiver medindo. Em outras palavras, uma onda de luz maior, ou em estado vibratório mais intenso, pode anular ondas menores, ou com vibrações mais fracas.

Explicação simples que chega a ser decepcionante, e acho que é por isso que os cientistas não aceitariam essa explicação se dela tomassem conhecimento. Eles querem algo mais complexo, à altura da inteligencia dêles, como eu tambem queria que a explicação me levasse a lidar com algum grande novo mistério. Mas infelizmente não sou eu que faço o Universo, não tenho culpa disso.

XXXXXX

Pesquisa da Matrix/DNA sôbre: O Problema da Medição

Wikipedia:

O problema da medição em mecânica quântica, é um problema não resolvido de como acontece o colapso da função de onda. A incapacidade de observar esse processo diretamente deu origem as diversas interpretações da mecânica quântica, e possuiu um conjunto chave de questões que cada interpretação devem responder. A função de onda, na mecânica quântica, envoluem de acordo com a equação de Schrödinger em uma superposição linear de diferentes estados, mas a medida real sempre encontra o sistema físico em um estado definitivo. Qualquer evolução futura é baseada no estado do sistema que foi descoberto ao se realizar a medição, significando que a medição “fez alguma coisa” sobre o processo em questão. ( Colapso da função de onda =  no geral, sistemas quânticos existem como a superposição de estados fundamentais, e evoluem no tempo segundo a equação de Schrödinger, que é um dos dois processos mencionados no começo deste artigo – um processo incluído em todas as interpretações. A contribuição de cada estado fundamental para toda função de onda é chamada de amplitude. Contudo, quando a função de onda colapsa, da perspectiva de um observador o estado parece “pular” para um dos estados fundamentais e unicamente adquirir o valor das propriedades medidas que são associadas com aquele estado fundamental em particular.)…( Em Física, a Equação de Schrödinger, proposta pelo físico austríaco Erwin Schrödinger em 1925, descreve a evolução temporal do estado quântico de um sistema físico. Essa equação tem uma importância capital na teoria da mecânica quântica, e seu papel é similar ao da segunda Lei de Newton na Mecânica Clássica.)

Sistemas quânticos podem ser descritos por uma função de estado que evolui de maneira linear e determinística, segundo a Equação de Schrödinger. Uma outra maneira de o sistema evoluir é passar instantaneamente, durante o processo de medição, de uma superposição de auto-estados para um auto-estado específico. A primeira forma de evolução não traz problema algum, sendo compatível com o eletromagnetismo de Maxwell e também com a física newtoniana. Para a segunda forma, cria-se um problema ainda não resolvido pela teoria quântica (TQ): como acontece o colapso da função de onda, onde a superposição colapsa num auto-estado? Este problema é conhecido como “O Problema da Medição”. “As raízes do problema se encontram nos primórdios da física quântica”, discutido pelos fundadores da teoria, como Niels BohrAlbert EinsteinErwin Schrödinger, entre outros.

Matrix/DNA: Como vimos acima, esta questão está resolvida para a Matrix/DNA. A intensa velocidade de transformações de formas nos parece com uma superposição de formas num unico momento, mas a nossa vibração paraliza essa velocidade e o átomo cai numa forma unica, talvez aquela forma cuja vibração corresponda à nossa vibração naquele momento.

Tags: , , , ,