Imagem de superfície de planta com crateras e polens igual imagem de pulsar com vulcões e cometas!

Esta ev  uma imagem da superficie de uma planta com crateras e polens. Interessante ev que ev uma imagem muito semelhante a ideia sugerida pelos modelos da Matrix/DNA de como deve ser a superficie do pulsar com seus vulcoes emitindo cometas. Como a funcao do polen no sistema vegetal ev a mesma funcao do cometa no sistema astronomico, as coincidencias aumentam, para reforcar a sugestao da Matrix/DNA que as primeiras criacoes biologicas na Terra imitaram ou copiaram o ancestral celeste…! Tenho que pesquisar isso e essa imagem servira de inspiracao para o desenho do pulsar.

Obtido em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0001-37652013000100147&lng=pt&nrm=iso&tlng=en

Anais da Academia Brasileira de Ciências

Relationship between pollen morphology and chromosome numbers in Brazilian species ofLippia L. (Verbenaceae)

http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37652013005000010

XXXXXXXXXX

 

Pollen Formation: Development Of A Pollen Grain Within The Pollen Sac Of An Anther – A cross section of the developing anther displays four chambers. These chambers are called pollen sacs (see upper left illustration). Each pollen sac is filled with cells containing large nuclei. As the anther grows, each of these cells goes through two meiotic divisions, forming a four-celled tetrad. These cells are called microspores. Each one of these microspores eventually becomes a pollen grain. First, each nucleus divides by mitosis to become two nuclei. One is the tube nucleus. The other is a generative nucleus. The wall of the cell thickens to protect the developing pollen grain. As the anther ripens, the wall between the paired pollen sacs disappear. The pollen sacs burst open and the mature pollen grains are ready for dispersal.

 

Ovule Formation: Development Of An Ovule Within The Ovary At The Base Of The Pistil – While pollen grains are forming in the anthers, there are also changes in the ovary. An ovule starts as a tiny knob on the ovary wall. Each knob contains one cell. The ovule grows away from the wall on the end of a short stalk through which it is nourished. It is completely enclosed except for a tiny pore called a micropyle. The single ovule cell now goes through two meiotic divisions, resulting in four megaspores. One of these survives. This megaspore get larger and turns into an oval embryo sac ( see upper right illustration). More cell division occurs and a polar nucleus is formed in a cell in the center of the embryo sac. This sac goes on developing until it is ready for fertilization. In order for fertilization to take place, a pollen grain must get to a stigma pad of the pistil – pollination.

xxxxxxxxxx

REPRODUCAO DAS PLANTAS – WIKIPEDIA

Na maioria das espécies de plantas verdes, os indivíduos podem reproduzir-se tanto assexuada (agâmica) como sexuadamente (reprodução gâmica, ou por meio de gâmetas).23

Assexuadamente, as plantas se reproduzem através da separação de partes do indivíduo que podem dar origem a novos indivíduos. Neste processo, não há recombinação genética, e portanto os descendentes são geneticamente iguais aos “pais”, podendo ser considerados clones de um indivíduo. A reprodução assexuada nas plantas ocorre de várias maneiras: por brotamento (ou gemulação), por fragmentação, pela formação de estolhos, e poresporulação. Na esporulação podem se formar células especiais os esporos que podem ser aplanósporos (normalmente transportados pelo vento ou por animais) ou zoósporos (móveis) com dois ou mais flagelos.

O homem tirou partido desta capacidade de reprodução assexuada nas plantas, desenvolvendo métodos especializados de multiplicação, como aestaquiaalporquia e enxertia.24

reprodução sexuada nas plantas verdes ocorre normalmente com alternância de gerações, em que ocorre um esporófito (o indivíduo “adulto” nasplantas vasculares) e um gametófito – o indivíduo que produz os gâmetas – que pode ser “parasita” do esporófito, como nas espermatófitas ou ter vida independente. Nas plantas verdes aquáticas (por exemplo, as Chlorophyta e Charophyta, ou algas verdes) existe a produção de gâmetas móveis, podendo o processo ser por isogamia (gâmetas iguais) ou oogamia (gâmetas “femininos” grandes e imóveis e masculinos, móveis).

 

Tags: , , , , , ,