Da Queda dos Quatro Personagens do Paraiso se Levanta o Homem ?!

cranfall.jpgEm outra parte deste web-site descrevo a maior surpresa do mais extremista materialista e conhecedor da Matriz quando se depara com o Genese, o I Ching e a Doutrina Secreta: a Matriz estava ali descrita fielmente em tres diferentes formas de metaforas e parabolas!

O passado longinquo registrado como memoria genetica emerge das profundezas do cerebro na forma de intuicoes como flashes esporadicos e ininteligiveis, a Razao desperta tenta interpreta-los e assim surgem os mitos como bases sagradas das religioes. (caramba! hoje estou gastando…) … Mas com isso, este materialista tem recolher o rabo, enfiar a viola no saco, e estudar humildemente aquelas escrituras, pois ali deve ter coisas sobre a Matriz que nos ainda nao vimos. Engracado e’ que estamos fazendo justamente o caminho inverso dos autores sagrados: enquanto eles viram o quadro real e dai extrairam o quadro interpretativo virtual, nos estamos vendo o quadro interpretativo virtual (feito por eles) para dai extrair mais elementos do quadro real. Claro que devemos ficar atentos para nao adicionar elementos inexistentes e mistificar a Matriz. Mas veja onde este exercicio  (irrresistivel) esta’ nos levando!   

Agora me ocorre que o nosso ancestral no Paraiso nao era apenas os fluxos de informacoes masculino e feminino que os sagrados denominaram Adao e Eva; nem era apenas a serpente que simboliza nosso gene egoista; tambem nao era apenas o ambiente total paradisiaco, orgasmico, mecanicista,  que Adao e Eva construiram como suas confortaveis extensoes e que se tornaram seus proprios corpos. Nao… em nosso verdadeiro e total ancestral havia algo mais.

Seja o que for o Universo observavel – ou um ovo cosmico fecundado, ou o simples hardware de um computador hospedando um software vivo, que no final das contas podem ser a mesma coisa – a auto-consciencia e’ mais uma das formas que a criatura sendo gerada adquire enquanto se desenvolve intra-uterinamente. Se a auto-consciencia ‘e a ultima forma dessa criatura, quando for completada ela vai nascer no dia do Big Birth, e o Universo inteiro material sera’ descartado como e’ a placenta no dia do parto. Se a auto-consciencia nao e’ ainda a ultima forma, … nao importa muito agora; o que importa ‘e que com a forma da auto-consciencia j’a vamos tendo uma ideia mais aproximada da forma do ser ou sistema que gerou este Universo, seja se reproduzindo geneticamente ou seja criando e lancando softwares vivos.

Em todas as possibilidade vistas acima, se extrai sempre a mesma e unica conclusao: o ser ou sistema que estava atras do Big Bang e’ nosso ancstral. Se nao for nosso genitor(a) direto, como parece mais indicado.  

Mas foi este ser que apareceu no Paraiso na forma de Deus. Termodinamicamente falando – ou seja, na versao mecanicista ou minha visao naturalista – Ele se transmuta numa simples forca bruta mas poderosa, universal, a forca mortal da entropia. Ele vem com o chicote na mao para tirar dali os tres elementos – os “humanos”, a serpente, e o proprio paraiso ao transformar tudo na terra esteril – ele destroi, limpa tudo. Desta forma ele representa a meia face da Natureza relativa ao sistema aberto, como representa a mae gravida que forca o embriao resistente e chorao a nascer, expulsando-o de onde ele estava acomodado.

Acho que ja’ naquela forma astronomica, a mente que vinha dormindo na pedra, sonhando no atomo, ja’ tinha adquirido alguma nocao auto-consciente, e depois de quase uma eternidade degustando o mesmo parque de diversoes cercado por todos os lados, nao aguentava mais e preferia pagar qualquer preco para sair dali. Ate’ mesmo se suicidando. Acho que a coisa vai por ai’, mas como estamos apenas tentando extrair os conceitos morais e licoes de aprendizagem de apenas mais dos eventos que constituiram nossa historia, de apenas mais um rolar da engrenagem do hardware fisico, nao vou gastar mais tempo nisso agora, o tema vai ficar em aberto para correcoes e acrescimos sempre que algo novo nos fornecer mais elementos para raciocinar.

O que eu quero ja’ deixar assentado aqui, e’ a nova ideia de que nos, humanos podemos ser um conjunto final tipo 4 em 1, ou 4×1. O paraiso representando nosso corpo fisico num extremo esforco narcisista de estetica vaidosa e vazio mental; a serpente representando nosso gene egoista que tenta interromper o proposito supremo da existencia do Universo, assim como o embriao acomodado se agarra na placenta, resiste ao nascimento, tanto que sai par a luz deste mundo frio e vazio, chorando; Adao e Eva representando a personalidade humana com suas emocoes oriundas do desenvolvimento miscigenado entre instintos herdados dos animais e de LUCA mais as intuicoes do divino; e Deus representando a nossa consciencia, ou, quando muito, o software vivo que deflagrou o Big Bang.

Somos 4 em 1? Dentro de nos esta’ todo aquele paraiso, que com todos seus personagens, se colapsaram, foram fragmentados em bits e misturados e tornados poeira da terra da qual se levantou voce, Homem ou Mulher, como a Fenix se levantou das proprias cinzas?

Fantastica ideia! Que Adao, a serpente, mesmo o paraiso, possam estarem encriptados em meus genes, e’ uma possibilidade que ja me ocorreu varias vezes e achei ate’ natural. Mas agora tambem Deus…!       

Tags: , , , , , ,