Pesquisa para usar Vírus na produção de Energia de Plantas

(Pesquisa em andamento)

How synthetic viruses can boost green energy production

By Tom McKeag
Published July 02, 2013
http://www.greenbiz.com/blog/2013/07/02/how-synthetic-viruses-boost-green-energy
– – – – – – –
Destaques do artigo:
– They are, especially, survivors, but they need a host in order to pass on their DNA. One key to their success, therefore, is the ability to selectively bind to this host. A science team at theMassachusetts Institute of Technology (MIT) is studying this capability to improve the performance of green energy technologies.
Matrix/DNA: O mecanismo do virus para captar e agarrar um hospedeiro deve estar baseado na sequencia de pontos do circuito sistemico, observavel na formula da Matrix:
E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Mas a origem universal desta formula, ou seja, a forma como ela surge e se manifesta neste universo material, ev qualquer onda de luz natural, representada neste grafico:

Light - The Electric-Magnetic Spectrum by Matrix/DNAEnquanto as duas gravuras acima sao simbolicas representacoes humanas de fenomenos naturais invisiveis, a gravura a seguir mostra como eles influem nos meios materiais. A formula da Matrix esta acima representada na forma de um diagrama simples de software computacional, e o desenho a seguir representa tipos de reais hardwares materiais criados pela formula:

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Entendo que virus sao resultantes de uns poucos bit-informacao vindos de algum pequeno trecho do circuito sistemico – em relacao ao aspecto diagrama – que seria um trecho da onda de luz. Devido suas propriedades, principalmente a fundamental atividade de apenas auto-reproduzir-se quando inserido num hospedeiro, deduzo que o virus ev um emissor de bits-informacao buscando outro receptor de bits-informacao, o ual seria os pontos seguintes a sua localizacao no circuito. Devido a conexao disparar um mecnismo de reproducao, deduzo que estes bits estejam relacionados a funcao sexual na formula, entao me dirijo ao trecho do circuito entre funcoes 4 e 1, para encontrar a forte hipotese de que virus sejam constituidos por informacoes da Funcao 5. E a partir desta hipotese, tenho estudado muitas caracteristicas dos virus e ate agora todas indicam que esta hipotese ev forte e faz sentido. Uma evidencia ev de que a F5 se representa na celula vital na forma do RNA, ela construiu o RNA, os primeiros virus eram puro RNA e proteina, dentro da celula ev o RNA que viaja e transporta entre o citoplasma e o nucleo onde se encontra com o DNA, portanto, as primeiras manifestacoes da vida biologica foram viruses. Outra indicacao importante ev notar que nos sistemas astronomicos a F5 produz os cometas, o que parce sugerir que cometas ou pedacos de cometas tem a possibilidade de produzirem e trazerem viruses a Terra. A segunda gravura, do espectro da luz, indica que virus encontram seu ponto geografico ideal onde impere materia sob vibracao produzida pelas frequencias infra-vermelho e micro-ondas. E bom lmbrar tambem que estas conexoes podem se darem ao nivel de fotons.

O receptor no hospedeiro para viruses deve ser informacoes sobre a F1 e/ou F6, sendo que prefiro por hora suspeitar que sao apenas relativas a F1, a qual representa a funcao feminina reprodutora nos sistemas. Nas celulas, a regiao mais provavel para conter estas informacoes receptoras seria o nucleo, que representa a F1, mas dentro deste, o DNA. A F6 na celula vegetal ev representada pelos cloroplastos, e na celula animal, pelas mitocondrias. Talvez haja alguma relacao entre uma possivel atividade feminina da eva mitocondrial e os virus, mas ev uma possibilidade meio incomoda, que nao oferece muito sentido racional.

Se tiver-mos uma tecnologia que consiga identificar e observar uma celula separada entre suas sete diferentes regioes vibracionais, devemos focalizar-nos nas regioes de coloracao infra-vermelha e miro-ondas, na busca do receptor ideal para virus.

– – – – –  —  –

Angela Belcher leads the team and is an all-star of bio-inspired design.

Research by Angela Belcher and her team (relacionada a biomimicry) :

About 500 million years ago organisms started growing hard materials like calcium carbonate and silica, bone and glass.  For billions of years before the Cambrian geological period, organisms in the ocean were just soft bodied.  Then, over the course of about 50 million years, there was an explosion of hard bodied creatures due to increased ions in the ocean.  These organisms evolved to make exquisite nanostructures like shells and glassy diatoms. Organisms were limited in the types of elements they could use to build hard materials.  In the Biomolecular Materials Group, we are evolving simple organisms using directed evolution to work with the elements in the rest of the periodic table.  We encourage these organisms to grow and assemble technologically important materials and devices for energy, the environment, and medicine.  These hybrid organic-inorganic electronic and magnetic materials have been used in applications as varied as solar cells, batteries, medical diagnostics and basic single molecule interactions related to disease.  In doing so, we have capitalized on many of the wonderful properties of biology–using only non-toxic materials, employing self-repair mechanisms, self-assembling precisely and over longer ranges, and adapting and evolving to become better over time.

– Belcher is continually asking two questions: How can we impart (transmitir) genetic information coding for materials? Can we get living organisms to work with more of the periodic table?

– The viruses’ ability to recognize and bind to specific inorganic substances allows carbon nanowires to be connected to the carbon nanotube network, thus boosting the electrical conductance of the device.

 

( Pesquisa temporariamente interrompida aqui. Primeiro proximo passo urgente é elaborar um post para publicar no artigo. Corrigir o portugues, traduzir para ingles e deixar o artigo como primeiro na parte inglesa, pois ev bastante tecnico, util e divulga as imagens da Matrix) 

 

Tags: , , , , , , , , , ,