Pensando Agora: Deus, Anjos, e Cientistas, Não Podem Intervir nas Violências Que Observam

Um dos maiores motivos que levam humanos ao ateísmo ou a revolta contra Deus são as cenas de horror de predadores devorando vitimas. Ao tomar conhecimento destes eventos inflama-se a nossa indignação, ódio mesmo contra o predador, de maneira que se estiver-mos presente na cena e com poder de força nas mãos, não resistiríamos a intervir eliminando o predador. Mataríamos o leão e sentiriamos conforto ao ver a ovelha sair livre e salva. Mas quando a religião diz que existe um Deus e ate espiritos superiores como anjos, nos assistindo e vendo tudo o que acontece na Terra, e como somos educados, condicionados, desde crianças a crer nisso, nossa indignação volta-se contra estas invisíveis entidades: porque não atuam para salvar as vitimas? Como podem assistir passivamente tais cenas de horror?! A resposta logica é: estas entidades, estes deuses, não existem, ou se existem, estão muito longe daqui, nada nos assiste. Assim se chega ao ateísmo.

Mas estive pensando agora nas milhões ou bilhões de bactérias unicelulares que existem dentro do meu corpo e a mim não pertencem. Ou seja, cada bactéria tem sua existência própria sem que meu cérebro as esteja controlando, dirigindo. Elas são autônomas para se moverem e fazerem o que quiserem dentro do meu corpo , desde que possam faze-lo. Existem as enzimas, que são moléculas maiores, complexas, cuja função é atacar, destroçar, dividir em pedaços, devorar os pedaços, das moleculas menores, como o sódio, a molécula de água, o açúcar, etc. E existem os humanos que são os profissionais químicos, que usam os microscópios, assistindo tais cenas. Estas cenas nas dimensões microscópicas tem o mesmo significado das cenas nas dimensões maiores onde vemos as feras atacando e devorando ovelhas, ou ate mesmo, humanos psicopatas torturando e destroçando corpos humanos. Tem o mesmo significado pela perspectiva da Natureza, não pela nossa perspectiva humana. As enzimas são as feras do mundo químico microscópico, e as pequenas moleculas de açúcar, água, são as ovelhas neste mundo. Então porque os químicos – os quais possuem poder, armas, para de repente aniquilar uma enzima que esta atacando uma molécula indefesa – não atuam? Porque se mantem impassíveis? Porque não possuem sentimentos humanos? Porque não sentem inflamar a indignação, o ódio, que sentimos quando vemos o predador devorando uma vitima? Porque Deus não chegou e atacou o sequestrador que manteve por dez anos três meninas sob tortura no porão de sua casa? Apenas com um mover de dedo Ele poderia ter salvo as meninas desde o inicio, evitando que fossem torturadas por dez anos, e Ele nada fez! Eu, você, certamente teria arrebentado esse monstro facínora. Mas Deus e os químicos assistem passivamente e não apenas nada fazem para salvar as vitimas, ate concordam e deixam acontecer!

Mas o que aconteceria se um quimico resolvesse atacar e eliminar todas as enzimas de um corpo humano? O corpo pararia de funcionar imediatamente, morreria. O corpo humano apenas pode existir se for baseado em eventos em que existam predadores imolando vitimas. Esta é uma ideia estupida, mas verdadeira. Se existe Deus, ele teria que ser um tipo de consciência tão diferente da nossa como é a diferença entre a consciência de um químico e a consciência de uma das bactérias dentro do nosso corpo que ficam esperando nos ingerirmos alimentos na forma de pequenas moleculas para caírem em cima delas devorando-as. Uma consciência tão diferente e tão distante da nossa, a qual, agora, percebo que não consigo entender. E entenderia muito menos se provassem que um Deus foi o “intelligent designer” desse mundo com estas cenas de horror. Qualquer engenheiro humano teria sentimentos para desenhar tudo sem a necessidade de apelar para estas cenas de horror. Se existe Deus, sua mente sera totalmente diferente da mente dos humanos.

O que aconteceria com nosso corpo se eliminássemos todas as predadoras enzimas, para salvar todas as moléculas-ovelhas? O que seria da biosfera – e neste momento me lembro da selvageria que assisti durante sete anos na selva amazônica – se eu tivesse saído com uma metralhadora em punho matando todos os predadores, desde os jaguares aos crocodilos, as aranhas, os escorpiões, amebas e virus? A biosfera definharia imediatamente e a superfície do planeta voltaria a ser o deserto que era antes das origens da vida? Provavelmente sim.

Então – e esta é uma conclusão da qual não tem como escapar-mos – a vida depende da existência do horror. Do chorar, gritar e ranger de dentes de vitimas. A vida depende da existência da dor, do sacrifício. Então a vida é uma entidade maligna. E não tem como escapar disso. Ela só existe onde existe o mal. E nos humanos, somos esta vida, que depende da existência do maligno para continuar a existir.

E agora a pergunta suprema, fatal: porque tem de ser assim? Porque encarnamos, sendo os representantes desta entidade maligna? Porque não podemos existir se exorcisar-mos do nosso corpo esta forca maligna? Não tem como dar meias voltas e acreditar que esta conclusão acima esta errada. Que nos somos uma forca maligna, nosso corpo é uma forca predadora, que causa choro, gritos, e ranger de dentes em outros corpos materiais, como as plantas, os animais inferiores a nos, etc. E ainda bem que Deus não é um químico humano sentimentalista, pois viria aqui nos eliminar a todos.

Mas esta conclusão não me faz pensar apenas em Deus, esta ideia fantasmagórica. Me faz lembrar que pela logica devem existir muitas outras consciências no Universo superiores a inteligencia humana, que elas devem ter a capacidade de assistir o que acontece aqui, e a conclusão que elas não são consciências com sentimentos como a consciência humana. Devem ter outro nível de propriedades as quais não conseguimos sequer imaginar. Mas este é o futuro reservado a nossa consciência atual, ao caminhar-mos os caminhos da evolução.

Com estes pensamentos nesta tarde de domingo, minhas reflexões a partir de agora mudam um pouco seu rumo. Tenho que incluir estas conclusões nas minhas reflexões sempre que pensar e refletir nas existências das coisas. Vai diminuir munha auto-estima por certo. Vou me ver mais culpado ainda de ser o que sou. Talvez seja bom: vou me esforçar em me distanciar do que sou fisicamente, desejando ser apenas uma existência mental, espiritual. Mas certamente isto sera mal para meu corpo carnal, diminuira munha capacidade para sobreviver e conquistar melhorias de acomodação física.

Químicos portando marretas em punho matando com ódio todas as enzimas e bactérias predadoras dentro dos corpos humanos… é isso que os ateus exigem ver um Deus fazendo para que lhes seja provado e se lhes torne aceitável a existência de Deus. Ou seja… os ateus exigem que Deus os mate para depois acreditarem que Ele existe! As vezes sou ateu, penso como ateu, principalmente quando tomo conhecimento de eventos onde acontecem estas cenas de horror. Mas algo tem estado errado nas minhas conclusões, as quais me levaram a este estado de ateu. Não que eu vá aceitar a convivência deste mundo de horrores, com a ideia de  um Deus criador bondoso, segundo o que a perspectiva humana entende por ” sentimentos”. Algo esta errado nessa historia toda.

A cosmovisão da Matrix/DNA tem uma sugestão que serviria como explicação logica. Ela esta sugerindo que somos produto de uma longa linhagem evolucionaria que começou no Big Bang, que passou pelas formas ancestrais de sistemas não vivos, como os átomos, os estelares, as galaxias, passou pelas bactérias, pelos repteis, pelos macacos e chegou agora em nossos corpos. Ela esta sugerindo que este sistema único quando estava ainda na forma de astronômico já tinha livre-arbítrio apesar de não ser consciente, e que escolheu errado ao se tornar um sistema fechado em si mesmo, cortando relações com o resto do mundo. Esta forma de tijolinho, de “building block” dos sistemas atômicos e astronômicos, contem todos os símbolos descritos na Bíblia: a serpente, a arvore, a maçã,  Adao e Eva, o paraíso, e os processos, como a escolha do caminho errado por Eva, a queda, o renascimento na Terra como ser rastejante e escravo da busca do seu alimento pelo suor de seu rosto. Todos estes símbolos podem ser vistos metaforicamente no corpo funcional da galaxia como um sistema em equilíbrio termodinâmico, perfeitamente compreensível cientificamente, o que me causou a grande surpresa e necessidade de explicar como os antigos analfabetos tiveram essa ideia. Se isto for verdade, a Vida não teria sido criada por Deus, e sim por nos mesmos, na forma de nossos ancestrais. Então isto eximiria Deus de culpa no que esta acontecendo, na nossa existência no meio de um mundo de dores e horrores, pois nos desenhamos a nossa existência, nos somos os criadores disso tudo. Mas ainda assim, eu jamais ficaria impassível vendo um filho meu sendo devorado por uma fera. Ainda assim não posso aceitar a ideia de Deus tal como sugerida pelas religiões. Ainda assim fico neste estado inconfortável de ignorância, precisando, necessitando, uma explicação mais logica.

Os químicos humanos não sentem o menor remorso ao permitirem uma enzima devorando uma pequena molécula indefesa, e seria absurdo que o sentissem, mas os quimicos humanos não foram os criadores deste mundo com predadores e vitimas. Eles inclusive são incapazes de empatia para com as moléculas vitimas, não podem ter a menor consciência de suas dores. Talvez seja esta a relação entre nos – no papel destas pequenas moléculas – e nossos deuses – no papel de químicos humanos? Nossos deuses não estão conscientes de nossas dores porque eles nada em a verem com a criação e a existência dos seres vivos, biológicos ?!

Tem mais um detalhe importante a considerar aqui. A Matrix/DNA tem sugerido que toda vez que a Natureza cria uma nova forma do sistema universal, esta forma passa por duas fases, dois estágios na sua evolução. A primeira fase é quando o sistema nasce como ovos botados fora e abandonados a própria sorte, sujeito a predadores, as intempéries, aos horrores do mundo. E a segunda fase é a dos ovos mantido dentro, quando são protegidos e alimentados ate alcançarem sua maturidade. Mas a formula da Matrix/DNA mostra que a primeira fase é ilusória, na realidade existe mas não existe, porque na verdade, os ovos nunca saíram de dentro do sistema. Eles estão sujeitos aos acasos, mas são acasos contido dentro de um sistema muito maior que eles. O sistema maior garante que, aconteça o que acontecer, os ovos abandonados se tornarão indivíduos com garantia de alcançarem a maturidade. Foi assim com as sementes de estrelas produzidas nos núcleos das galaxias, foi assim com os sistemas biológicos quando eram ainda repteis botando ovos fora e depois quando se tornaram mamíferos mantendo os ovos dentro. Todos os indivíduos fizeram parte de um sistema maior, chamado de sistema biológico.  E a mesma formula esta sugerindo que somos compostos de hardware e software, assim como são nossos computadores, com a diferença que nos somos feitos de bits-informação vivos. O nosso aspecto software vem evoluindo desde átomos, galaxias, passando por animais irracionais, e parece estar abortando, nascendo agora, dentro destes ovos biológicos que são as cabeças humanas. Se a auto-consciência é uma nova forma mais evoluída do software do sistema que começou a existir no Big Bang, isto indica que também a auto-consciência deve obedecer a lei das duas fases. Portanto, agora estaríamos na fase dos ovos botados fora, abandonados a nossa própria sorte… e azar. Mas como sugere a formula, na verdade, temos garantido que alcançaremos a maturidade, ou seja, que o nosso aspecto de software, esta coisa que chamamos de nossa mente, ou auto-consciência, ou ainda os misticos chamam de alma, espirito, seja la o que for que quiserem, tem uma existência já contando 13, 7 bilhões de anos e provavelmente muitos bilhões ainda pela frente… independente da existência de hardwares temporários vivos ou não. Só me resta continuar buscando com energia e determinação algum fato real, natural, que prove a existência da formula da Matrix/DNA e ir tentando assimilar a ideia de que nossa existência seja realmente como ela esta sugerindo. Se for assim, o que devo fazer agora, como planejar minha vida?

Tags: , , ,