Mais uma Imagem do Mundo Distante a favor do Modelo da Matrix/DNA, Contra o modelo Acadêmico Oficial: O Aglomerado Globular IC4499

Esta noticia vinda da NASA causa-nos desconforto devido pressentir que os cientistas astrônomos estão cometendo erros perigosos para nossos jovens.

IC 4499: A globular cluster’s age revisited

http://www.spacetelescope.org/images/potw1431a/

As interpretações do pessoal da NASA sobre esta ofuscada imagem do distante mundo estão erradas, ou incompletas, segundo os modelos astronomicos da Matrix/DNA Theory. Mas antes de descer aos níveis técnicos, vamos pensar no seguinte:

IC 4499: A globular cluster’s age revisited

This new NASA/ESA Hubble Space Telescope image shows the globular cluster IC 4499.

Qual é a importância justo agora de criticar e corrigir as interpretações erradas que os cientistas/astrônomos estão fornecendo aos estudantes e publico em geral sobre as imagens obtidas do distante Cosmos? Isto é mais importante do que criticar e corrigir as visões politicas e sociais de políticos e bilionários, porque o homem errado é uma consequência, um produto, de uma visão errada do mundo. Todos os desmandos do homem na Idade Média sob as ditaduras religiosas, inclusive as guerras santas e a Inquisição, tinham como causa psicológica primeira a cosmovisão totalmente errada que acreditava na Terra como centro do Sistema Solar e do mundo.

Tambem o sistema econômico que resultou da industrialização sobre a agricultura, passando do feudalismo para o capitalismo selvagem, só foi desmascarado quando Karl Max apontou detalhadamente seus erros crassos. A verdadeira e eficiente revolução não é aquela feita com armas, mas sim aquela feita com lápis e papel, que estremece as falsas raízes das crenças, desmascarando-as. 

As crianças modernas estão apanhadas numa armadilha terrível ameaçando conduzi-las a um inferno antes do planeta expulsar a vida humana daqui. E mesmo que intuem a verdade, deixam-se levar passivamente ao matadouro porque foram viciadas num doutrinamento escolar, transmitindo uma visão de mundo baseada em teorias como o Big Bang, abiogêneses, evolução mental vinda do macaco, etc. Enquanto este sistema social com essa absurda condição de vida desumana continua sendo alimentada pelos que estão no poder crendo numa visão mistica e animalesca ao mesmo tempo.

Que tipo de humano será este quando acreditar fanaticamente que o Universo surgiu por acaso na explosão de um minusculo átomo, que do nada surge tudo, que a Vida na Terra  é resultado de mera misturas de materiais ao longo do tempo, que o ser humano tenha vindo direto da linhagem dos macacos, répteis, bactéria? Seja qual for, estará dessintonizado com o ritmo e caminho natural, e nestes casos, a Natureza sempre determina a  extinção do dissonante. Porem, se por um lado existem informações reais e evidencias apontando para a possibilidade destas teorias, se pegar-mos as mesmas informações reais e conecta-las entre si de outra maneira lógica, surgem novas igualmente possíveis interpretações existenciais. Por exemplo podemos ser do tamanho de uma partícula localizada dentro do Universo e interpretando um evento inicial como uma grande explosão ao acaso, como podem reais partículas localizadas dentro de um óvulo interpretando o súbito rompimento da “casca” de um espermatozoide nas origens de um novo corpo humano. Mas – baseadas nas mesmas poucas conhecidas reais informações, nas mesma vistas imagens, no mesmo processo –  quão erradas estarão estas partículas vendo o Big Bang diferente do ato de fecundação! Tudo depende da maneira como se conecta os dados, que fornece uma visão ofuscada da figura que aparecerá no final do quebra-cabeças, mas são estas figuras visionarias que estão na base das crenças e comportamentos humanos, na base de como são erigidos os sistemas sociais e civilizações. Não é racional negar que o corpo humano tenha vindo do corpo de algo parecido com o macaco, mas tambem não é racional ignorar os teoremas matemáticos e muitas outras evidencias sugerindo que a matéria física não pode por si só dar o milagroso salto para sua auto-consciência. E existem muitos indícios de que as informações que desceram sobre o cérebro do macaco e o transformou, já estavam programadas nas primeiras ondas de luz emitidas com o Big Bang. Homens tem selecionado alguns dados e descartado outros de acordo com suas conveniências pessoais, reunidas em grupos, mafias, e com isso construído as civilizações que ruíram por terra por que sua base, sua visão de mundo, não era a visão de mundo da natureza… e esta civilização moderna está repetindo o mesmo roteiro.  Porque não atuar-mos agora enquanto ainda há alguma saúde mental, antes que a Natureza seja obrigada a aplicar novamente as dolorosas cirurgias?

Vamos agora à interpretação do time da NASA sobre a imagem acima:

Talvez um microscópio mais poderoso poderia nos mostrar uma mais profunda imagem de um átomo, onde, alem dos elétrons girando em torno do núcleo, aparecessem partículas fundamentais, como quarks, femions, tambem girando em torno do núcleo. É justamente esta imagem que estamos captando com os atuais telescópios das galaxias. O núcleo da galaxia é orbitado por aglomerados globulares ( globular clusters), fazendo o papel dos elétrons, e por sistemas solares, fazendo o papel das partículas menores.  Portanto, como diz o texto da NASA, as esferas luminosas vistas na imagem acima, de dentro de uma galaxia, são chamadas de aglomerados globulares e definidas atualmente como “grandes bolas ou esferas de velhas estrelas girando em volta de suas galaxias hospedeiras” ( Globular clusters are big balls of old stars that orbit around their host galaxy).

Mas como está acontecendo quase todos os dias que o magnifico e eficiente ôlho do Hubble nos manda uma nova imagem, o modelo teórico astronômico existente ( ou seja, a tual visão do mundo acreditada)  não se “encaixa” com a imagem. Por isso mais uma vez o texto da NASA diz: ” IC 4499 is a somewhat special case – IC 4499 é. de alguma maneira, um caso especial, uma excessão”). Ao invés de consertarem a teoria, vão agora tentar ver na imagem um significado que a faça se ajustar à teoria. Se não encontrarem, a imagem será relegada ao rol das “excessões”. Até quando?

A base da controvérsia está no possivel fato de que a teoria acadêmica tem acreditado  que todas as estrelas dentro de um aglomerado globular se formam ao mesmo tempo, uma propriedade teórica que tem sido usada para determinar as idades destes aglomerados. Para aglomerados que apresentam maior massa, porem, detalhadas observações tem indicado que isto não é completamente verdadeiro – existem evidencias de que eles consistem de multiplas populações de estrelas nascidas em diferentes tempos. Calculou-se que uma das forças dirigentes por trás deste comportamento seja a gravitacional; glóbulos mais massivos atuam para obter mais gas e poeira, os quais podem serem transformados em novas estrelas, fazendo então variar as idades das estrelas dentro dos glóbulos.  Mas agora se detecta que o aglomerado denominado IC4499 tem uma massa menor que o situa dentre  os góbulos de baixo nivel massivo – os quais sugerem uma unica geração de estrelas nascidas ao mesmo tempo, e uma idade geral do glóbulo menor que a idade da galaxia. Mas os novos dados vindos com esta imagem sugerem que a IC4499 tem a mesma idade da sua galaxia, a Milk Way: aproximadamente 12 bilhões de anos…

Qual seria a verdade sobre IC4499? Como resolver este conflito entre teoria e informação real?  Para a Matrix/DNA visão de mundo, tal conflito não existe, pois a nova informação se encaixa no modelo teórico.  O problema na base do pensamento cientifico/astronômico moderno está na crença de que a evolução é cega, sem nenhum propósito pré-determinado, e os seus produtos são efeitos de meras forças ao sabor das infinitas possibilidades. Com isso, quando o estado do mundo astronômico a 4 bilhões de anos atras começou a mover os átomos na superfície terrestre a se combinarem de uma nova maneira e com isso gerando o mundo orgânico e biológico, não haveria nenhuma essência vinda da evolução cosmológica para dirigir estes movimentos ( como existe a essência denominada DNA que vem das espécies ancestrais), tudo teria ocorrido pelos acasos dos encontros e intensidades das fôrças naturais. Não existiriam elos evolutivos entre as coisas no céu e as coisas que surgiram na superfície da Terra. Estes elos invisíveis já foram as causas produtoras das mitologias antigas, da necessidade de se inventarem deuses e atos mágicos, e a cosmovisão moderna cai no mesmo erro criando a moderna mitologia.

Observamos aqui que a evolução do sistema biológico celular obedeceu a dois diferentes processos. o primeiro foi por simbiose, quando micro-organismos conhecidos depois como organelas, vivendo separados, se juntaram dentro de um novo sistema, e passaram a serem “peças” deste novo sistema: a primeira célula viva, original. Mas em seguida a célula aprendeu a se reproduzir, e desde então a formação de todas as células tem sido por este segundo processo, auto-reprodução por divisão celular. A cosmovisão moderna não presta atenção neste importante detalhe e por isso não se pergunta como eu me perguntei a 30 anos atrás quando vivia isolado na selva:  “Porque a Natureza aplicou aqui um evento evolutivo dividido em dois diferentes processos?! De onde Ela tirou esta idéia, que deu certo?!”

Mesmo que tenha ocorrido a algumas mentes doutrinadas por esta cosmovisão a se fazerem esta pergunta, a resposta dirigida por tal cosmovisão teria sido: “foi por acaso.  e… não se fala mais nisto”.  Ou seja, a matéria bruta e estupida deste pequeno e perdido planeta no Cosmos teria tido a extraordinária capacidade de “criar” um novo mecanismo ou processo evolutivo. Uma resposta ilógica, naturalisticamente irracional, para um filósofo naturalista. Este comumente ajoelhado discípulo da Natureza à beira de pantanos observando o microcosmos, se levanta do chão e ergue seus olhos para o macrocosmos, pois a resposta, os mesmos mecanismos, têm que estarem lá!

O estado do mundo há 4 bilhões de anos atrás aplicou aqui nas células um método evolutivo dividido em duas fases porque o estado do mundo daquela época continha em si, ele mesmo foi formado, por um método evolutivo dividido em duas fases, isto é racional. O Universo não é mágico, nada aqui é criado sem que ele tenha prévias informações para fazê-lo.  Então ao se estudar e calcular idades de galaxias e estrelas, tipos de galaxias e sistemas estelares, etc., é preciso ter os dois processos em mente, e tentar discernir quais são ainda galaxias primordiais e quais são as galaxias mais novas geradas pelo segundo processo. Sem isso em mente vão ficar eternamente lutando para encaixar os novos dados conflitantes com sua teoria num leito de Procusto. Galaxias mais antigas de primeira geração deveriam ser maiores ou menores? Mais massivas ou menos massivas? As suas estrelas teriam sido formadas todas ao mesmo tempo ou em tempos diferentes? Sejam quais forem as respostas, não serão as mesmas para a grande maioria das galaxias novas de segunda geração. não adianta tentar encaixar tudo no velho e ineficiente modelo. Voltem seus olhos para quem tem acertado todos os dias, dando boas vindas a cada nova informação do Hubble, pois elas tem sido ótimas arroladas como evidencias para os modelos da Matrix/DNA Theory. Claro… considerando-se que esta também é uma teoria, portanto tem seus erros e não é a completa, a Verdade Ultima. Assim caminham as mentes abertas à Evolução Natural, seja qual for seu desconhecido propósito.

Temos que estar vigilantes e não permitir que nossas crianças entrem de pescoço nesta armadilha, da qual não tem possibilidade de retorno, e tem destruído dolorosamente todas as civilizações. ( Faça sua parte, cumpra sua missão, demonstre que amas nossos jovens, e espalhe, defenda, ou mesmo critique duramente este artigo, pois eu não sou o dono da verdade, mas a História é…).

xxxxx

Entrada do post no Facebook: 

Eu estou neste momento cometendo um erro grave que a Vida sempre cobra.Estou pagando a cada minuto uma mini-limousine, Lincoln Town Car, que está parada lá fora, enquanto fico nas teclas de um computador, ao invés de fazer as corridas como taxista. iIto significa apêrto no pagamento das contas de final de mês, pior moradia por aluguel mais barato, pior comida, menos dinheiro para comprar melhores roupas, sapatos, equipamentos, etc. E um futuro temível. O sistema nos captura na sua engrenagem , nos cobra a cada minuto, e insaciável, nos suga a ultima gota de energia… se nós permitir-mos. Mas isto porque tenho um vicio, nasciturno, incorrigível. não consigo viver pensando apenas em mim, individualmente, e esquecendo o social, sem participar das decisões do social. Acho que seria mais inteligente a busca por cada individuo na construção de um patrimônio social que na construção de um patrimônio individual. Seja como for, que venha o futuro que tiver de ser, eu o enfrentarei de cabeça erguida, crendo que cumpro minha missão maior, algo que ultrapassa minha suposta condição de mero macaco melhorado. Como me envolver na briga competitiva lá fora tentando abocanhar o maximo para mim ao mesmo tempo me esquecendo que neste exato momento existem bilhões de crianças enfrentando o mundo como enfrentei na infância, quando sonhava um dia em comer uma maçã igual aquela que as crianças de familia, dentro do muro que eu via estavam comendo? Eu tenho que fazer alguma coisa, elas tem que ter uma vida melhor. E a maneira que posso atuar agora é essa, como na escrita deste artigo. Isto não é mera choradeira nem auto-endeusamento: a realidade está a exigir que você, de uma maneira ou outra, se estimule a fazer algo tambem. Veja neste artigo um exemplo do que se tem a fazer, e agora!

xxxx

E meu post publicado no artigo da NASA, em: 

 https://plus.google.com/u/0/102371865054310418159/posts/jADv3HMkTvj?pid=6045291212030467170&oid=102371865054310418159

Louis Charles Morelli

6:04 PM – Monday, August 11 – 2014

There are no conflicts between this new data from Hubble and the astronomic model from Matrix/DNA Theory. It is not the level of mass that determines if a cluster or even a galaxy shows stars of single generation or stars of multiple generations. It is due the formation of astronomical systems obeyed two different process, like the formation of cells system here. One, the oldest, original systems, were formed by “symbiosis” and the new ones has been formed by “self-recycling”… or self-reproduction. Instead putting IC4499 as “a special case” it should be better re-thinking the currently academic astronomical model. See aticle explaining it at http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=7849

Tambem publicado em:

http://www.esa.int/spaceinimages/Images/2014/08/IC_4499_A_globular_cluster_s_age_revisited

Tags: