A Interpretação do que é este Planeta Influi na Interpretação de suas Mudanças

xxxx

20 Things You Didn’t Know About… Inner Earth

http://discovermagazine.com/2013/jan-feb/20-things-you-didnt-know-about-inner-earth

DSC-TT0113_01

Gary Hincks/Science Photo Library

Esta é uma das importâncias das teorias e modelos astronômicos bem calculados. Que as próximas gerações cantem o nosso sucesso ao invés de chorarem amargamente o nosso fracasso, dependerá em muito do erro ou acerto das nossas teorias. Eu jamais me imaginei elaborando uma teoria astronômica mas não houve como não cair nisso ao estudar a biosfera na selva amazônica. Um dos principais princípios aplicados nessa elaboração foi a aposta de que a Vida neste planeta é unicamente produto da evolução deste planeta em seu sistema astronomico, portanto, quando temos perguntas sobre o planeta que não são evidentes, olho para a cria para calcular como deve ser o criador.

Então, o que o seu corpo faz, inconscientemente, e o que você faz, conscientemente, quando vírus te atacam e te fazem ficar doente? A resposta para isso é a mesma para a pergunta: “O que um astro natural faz inconscientemente quando qualquer elemento minusculo invasor começa a tentar alterar seu equilíbrio? As simples fôrças físicas naturais repelem partículas de força desequilibrantes (seres humanos?) pelo simples existir do processo atração/repulsão. Mas se estas minusculas forças invasoras forem seres vivos? Ora, o planeta não quer saber se quando são repelidos, morrem no evento.

É preciso então urgente investir tudo o que puder-mos na busca desesperada de conhecimento sobre o que é na realidade este planeta, se somos nós, com nossas atividades, que estamos causando o aquecimento global. É insano tampar cada vez maior superfície dele com asfalto, cimento, sem saber se isto altera o fluxo de suas linhas de força magnéticas, se ele respira com sua atmosfera e estaríamos cortando esta respiração, etc. e etc. É preciso ter esse conhecimento antes de decidir fazer qualquer obra, é preciso que sintonizemos nossos comportamentos e ritmos com as leis do planeta, que dancemos a musica tocada pela orquestra do planeta, senão ele vai arrebentar e mover todos estes asfaltos e cidades de cimento. Um mesmo tipo de bactéria pode ser benéfica ou ser maléfica ao nosso corpo, tudo depende do comportamento dela. Este planeta tem sua “vida”, ele está se transformando pois o sistema solar em que ele está se transforma, e ele vai permitir nossa existência agarrados em sua pele apenas se não atrapalhar-mos suas transformações.

Você não pode delegar esta extrema responsabilidade para outros humanos que sequer conhece. Você sabe que existem humanos ainda dominados pelo instinto animalesco. Eles não querem saber por exemplo que o subúrbio de uma metrópole já está um caos devido muita gente comprimida num pequeno espaço, eles querem construir ali mais um edifício porque isso lhes trará lucro. Talvez você não saiba que os “especialistas” em planetas, mais conhecidos como “geólogos”, não sabem na verdade nem do que é composto o núcleo deste planeta, e seus raciocínios sobre a história de formação e estado atual deste planeta é mais errada do que a ignorância dos não-especialistas, pois estão baseados numa teoria com modelo astronomico totalmente errada ainda, assim como nossos antigos estavam ao acreditarem na terra plana, no Sol girando em volta da Terra, etc. Portanto, não há para quem delegar esta responsabilidade sobre sua própria vida e a de seus herdeiros, você tem que estudar o problema e tambem tomar atitudes nas discussões e atos insanos como é construir mais residencias e mais shoppings onde não cabe mais gente.

O conhecimento total de qualquer objeto exige que o observador se mova entre duas posições, ao menos: vê-lo de dentro para fora e de fora para dentro. Mas esse “fora” não é se colocar na superfície ou mesmo subir na estação espacial a 10.000 milhas. É preciso vê-lo em que contexto está inserido, o contexto que o formou e o mantem. Isto significa considerar o sistema solar, e quiça, a Via Látea.  Sem ter noção mais segura do que são estes sistemas astronômicos, como são suas origens e fins, nada feito. Então para se introduzir no tema, é preciso começar por se informar do que a Ciência sabe de fato, o que é fato real comprovado, e separar isso do que é teoria. À parte deve-se apenas ler com pensamento critico as teorias existentes feitas por quem obteve os dados, e já pensou muito no assunto. É preciso identificar as “des-teorias”, boatos espalhados pelos predadores humanos para conseguirem aprovação aos seus animalescos projetos de lucro. Exemplo disso agora é esse debate sobre quais seriam as causas da atual observada mudança climática, onde um grupo “jura” que estas causas são provocadas por humanos e outro grupo insiste que as causas são puramente naturais.

Dentre estas teorias e modelos astronômicos englobando este planeta existe uma a mais, que este autor elaborou, e por ser sua obra, ele acredita que ela está mais próxima da verdade que as outras teorias, os outros modelos. Mais correta inclusive que o modelo atual aprovado pela academia dita “cientifica” e ensinado nas escolas. Mas tambem os modelos da Terra como uma chapa plana boiando no espaço, do Sol girando em volta da Terra, da configuração dos astros no céu serem imutáveis, etc., foram os modelos aprovados e ensinados nas escolas em suas épocas. Na realidade ainda não ninguém sabe quase nada, pois ninguém foi no núcleo da Terra e começou a ver de dentro para fora, ninguem foi fora do sistema solar e acima da galaxia para ver o planeta de foras para dentro, e ninguém assistiu as formações de galaxias, sistemas estelares e planetas.  Os modelos e teorias dependem de como está configurado as conexões entre neurônios num cérebro, existem oito bilhões de configurações diferentes entre si, o que torna inevitável que sejam produzidos oito bilhões de modelos diferentes se todos os cérebros se dedicarem ao tema, o seu cérebro é um deles, o ultimo modelo mais próximo da verdade seria aquele resultante da discussão do confronto entre os 8 bilhões de modelos tendo-se na mesa presente os fatos reais comprovados para ajudar cada cérebro a se auto-corrigir em seu modelo porque lhe faltava a informação comprovada tal e qual. Tire seu modelo da discussão e com certeza o modelo final que sairá da discussão global será em algum ponto errado. Claro: todos os cérebros foram feitos pela Terra que os brindara com alguma experiencia unica, especifica, e apenas o conjunto de uma obra revela a verdade do que é o artista. Por isso trago o meu modelo a publico e vou lutar por ele com unhas e dentes, sem ignorar os outros 7,99 bilhões de modelos. Eu posso ser nada, um zé ninguem, um pé rapado, um micróbio se arrastando num planeta, uma inutilidade que amanhã morre e desaparece para sempre, mas eu sou uma crença ambulante, a qual produz um código moral que norteia minhas atitudes enquanto arrasto minha carcaça, e esta crença me faz ter um alvo supremo, o de que as minhas futuras gerações vão cantar o meu sucesso. O resto… é o resto… e vou tirando de letra.

Por isso busco o noticiário e primeiro leio uma noticia como a do link acima antes de ver por exemplo, a sessão de esportes. Tem alguma informação nova na noticia? O que ali dito é fato comprovado e o que é teoria? Se esta figura acima for o modelo real, qual será a causa destas bruscas mudanças do clima? Será mero evento repetitivo nas longas eras de fluxo e refluxo da orbita do planeta, e portanto nada temos a ver com isto, nada podemos fazer a respeito, ou será a fuma;ca das chaminés produzindo mais carros a petróleo do que trens e navios?

As configurações dos cérebros chegam a serem muitos diferentes entre si. Alguns cérebros optaram por buscar ver cada mais o extremamente pequeno e o extremamente grande para então construir seu modelo do Universo, e dentro dele suas interpretações de tudo que ele contem, como galaxias e a Vida. O cérebro deste autor produziu um método diferente: buscou conhecer na selva virgem o estado real do ultimo produto deste planeta e seu sistema astronomico, que é a vida biológica, e aplicando a regressão das leis da evolução foi descendo no tempo passado para construir seu modelo do Universo e interpretar as coisas que ele contem. É claro que os dois modelos tem mais erros que acertos pois todos estão muitos distantes dos fatos e eventos reais, mas é salutar comparar as diferenças entre os resultados dos dois métodos, visando um terceiro e melhor modelo.

Mas e então? O meu modelo concorda com a figura, o modelo acima? O que o meu modelo está sugerindo sobre as mudanças naturais? É natural ou “man-made”?

Em primeiro lugar, o meu método nos leva a lembrar um fato real na História Natural, que todos os outros 7,99 bilhões de cérebros se esquecem de notar. A célula viva tem dois processos para sua formação, e não apenas um, e todo mundo parece se esquecer disto. Primeiro foi a célula original, formada por simbiose entre quase-micro-organismos e moléculas esparsas, como as organelas e filamentos de RNA, proteínas, etc. O segundo processo foi quando a célula se fixou numa forma e a partir daí as outras foram formadas por reprodução da já existente. Mas e a galáxia? São formadas por um único processo – segundo o modelo oficial acadêmico e todos os outros conhecidos fora da academia. O meu cérebro foi configurado de uma maneira a pensar que a matéria burra e estupida deste planeta não pode criar nada que nunca existiu antes. Nem mesmo o Universo pode criar mais novas informações do Nada, por simples mágica, alem daquelas que estiveram presentes no seu primeiro momento. Se um Deus criou o mundo, Ele criou por magica todas as informações e não poderia ter delegado este poder magico para o mundo criar novas informações… pois o mundo sairia de Seu controle. Então, se na terra vemos um novo tipo de sistema natural surgir por dois processos de formação, é porque dois processos de formação é a regra, e não inventado por magica do Nada, e nem resultado do simples acaso.

Bem… o meu método regressivo terminou por sugerir como foi o processo de formação dos primeiros sistemas astronômicos, originais. Em si já é um modelo muito diferente do que o modelo aprovado oficialmente pela academia. Mas os fatos reais comprovados não podem destruir este modelo. Segundo, , eu tomei o cuidado para não sair afirmando que este é o único processo de formação. Tem que haver outro. As galaxias modernas são formadas por reciclagem, ou reprodução, das galaxias antigas e desaparecidas. E assim acontece com seus sistemas internos estelares, seus astros, como o planeta Terra. Para entender o que é este planeta, é preciso primeiro saber se esta ainda é uma galaxia original ou se já é de segunda, ou terceira geração. É preciso calcular como o primeiro processo de formação, por simbiose de astros esparsos existentes nos primórdios ( uma ideia escandalosa para quem foi condicionado a crer no modelo acadêmico, mas o modelo acadêmico acredita que o produto final desta evolução desde o Big bang, que é a Vida na Terra, surgiu por magica fora da lógica desta evolução, portanto é um modelo suspeito, ao menos, para o meu cérebro) se transformou para o segundo processo, de simples reprodução do já existente. E eu ainda não tive tempo para fazer estes cálculos. Portanto não tenho um modelo final para apresentar e nele me apoiar para entrar na briga com a energia necessária.

Faltam mais dados, mais informações. Tanto para mim como para todos os outros modelos. O planeta ainda é um mistério, a ser solucionado unicamente pelo método cientifico.

Podemos por o planeta inteiro dentro de uma caixa plastica, de asfalto, se a superpopulação continuar neste ritmo de crescimento. Ou podemos fazer apenas duas estradas asfaltadas numa nova área, como uma rede deixando espaços para o contato entre a terra e o mundo externo. A decisão depende da crença de cada um: a terra se comunica com o mundo externo, trocando forças invisíveis a nós, como o magnetismo, a gravitação, etc.? Ou nada existe disso? É uma aposta de extrema responsabilidade. Dela dependerá o sucesso ou fracasso da Humanidade. Mas em todo caso, já sabemos de antemão qual a causa da terra estar sendo coberta por asfalto e cimento: é a superpopulação e o estilo consumista individualista. Nós estamos entrando na aposta quando nada fazemos para impedir o crescimento e/ou obrigar a redução da população. Eu acho burrice entrar numa aposta sabendo que se perder vou pagar muito caro, talvez até mesmo vai me custar a vida. Não entro de maneira alguma. Por isso, enquanto brigam os que acreditam em seus modelos, eu não entro em nenhum partido, mas concentro toda minha energia a tacar a superpopulação, exigindo a todo momento medidas que elimine este fenômeno.

Porque temos neste momento 8 bilhões de tesouras, se tenho certeza que neste momento não estão sendo usadas nem 100 milhões delas? Porque temos 1 bilhão de veículos neste momento se as pessoas sendo transportadas neste momento poderiam fazê-lo em 10 milhões? Isto está tudo errado e tem que ser tudo mudado.

Tags: , ,