Nosso Criador: Como Ele é, O que Ele Pensa,Como se Relaciona dom Humanos…pela Matrix/DNA

xxxx

Wikipedia: This embryo is about five weeks old (or from the 7th week of pregnancy).

Grande parte da Humanidade acredita num criador de tudo e resume esse criador a um nome: Deus. Outra parte mais recente que está crescendo pela educação escolar dominada pelo cientificismo e suas grandes teorias,  acredita numa Causa criadora deste Universo, que seria um minusculo átomo contendo a massa e energia de todas as galaxias, e vai mais longe agora, crendo que a causa criadora desta causa, ou seja, o real criador de tudo, é resumido num nome: o Nada. ( O livro de um dos maiores expoentes desta mentalidade e que é um best-seller entre esta parte da Humanidade chama-se ” O Tudo desde o Nada”, ou em Inglês, “Something from Nothing”.

Eu particularmente não via sentido racional nestas duas visões do mundo e por isso arregacei as mangas e retornei à região onde ainda existem testemunhas das origens da Vida – a selva virgem amazônica – e elas deveriam me sugerir uma idéia mais acertada do que é nosso “criador”. Assim descobri que existe uma terceira visão do mundo, a qual faz mais sentido racional ao menos para mim e a qual denominei de “Teoria da Matrix/DNA”. Esta teoria começa e termina neste aglomerado material de galaxias que denominamos “Universo”, sem tocar mais que 3 ou 4 de suas supostas 11 dimensões, ou 11 niveis diferentes de organização desta matéria, portanto é estritamente materialista/naturalista. Mas desde que esta teoria alcançou todo o espaço e o tempo desta parte do mundo material, ela mostra um grande quadro geral que, irresistivelmente nos conduz a imaginar, a projetar esse quadro para alem do espaço e tempo deste universo e obter um quadro ainda maior, do que será que existia antes e alem deste Universo. Tal quadro imaginado será portanto puramente metafisico, uma hipótese aguardando mais informações reais para ser testada, e tentamos na medida do possível esquece-la por enquanto para não prejudicar nossa necessária busca para melhorar nossas condições praticas de vida aqui e agora.

Mas toda vez que tentei falar com pessoas dos dois outros grupos de crenças, elas me pressionam inicialmente, como condição prévia para sequer pensar ou ouvir minha visão do mundo, para eu responder o que eu acredito seja a causa primeira ou criadora deste mundo. Ou seja, me obrigam a ir onde evito ir, à metafisica resultante desta visão do mundo. Então vou tentar explicar muito resumidamente aqui o que foi que obtive como quadro maior imaginário.

Como é a forma, a substancia fisica, o tipo de pensamento, o tipo de relacionamento conosco, deste “Deus” para a maioria ou deste “átomo ex-machine” vindo do “Nada” para a minoria restante? Pela Cosmovisão da Matrix/DNA?

Para uma resposta muito resumida, é preciso que  você tente fazer uma regressão mental ao seus primeiros 3 meses de vida intra-uterina, quando tinhas ainda a forma de um peixinho, ou quase um girino. E imaginar que nesta forma de girino você já se fazia perguntas metafisicas como essa que estás me perguntando. O girino saberia que existe porque foi “criado” por uma espécie biológica, distinta, E saberia que ainda está sendo formado, ou seja, ainda está sob o processo da evolução, que está indo a mudar de formas até alcançar a forma da espécie misteriosa que o criou. Qual a imagem metafisica máxima que o girino poderia montar em sua mente desse seu criador? De uma coisa podemos ter certeza: jamais seria algo próximo da imagem do ser humano, a espécie que o criou. Seria inevitável a ele ficar girando em torno de si mesmo, baseando-se na sua forma de girino para imaginar a forma futura de seu criador. Talvez no máximo ele poderia chegar a imaginar a forma de uma lagartixa, um crocodilo, ou até mesmo, do dinossauro. O cérebro, o tipo de pensamento, e os comportamentos de tal dinossauro seriam parecidos com os do girino. Lição a extrair daqui: por mais que tentemos imaginar o nosso “criador”, a “coisa” que existia antes do Big Bang ou deste Universo, nunca teremos potencialidade cerebral para alcançar algo perto do que ele é na realidade.

Portanto, as três crenças, incluindo o quadro metafisico sugerido pela visão do mundo da Matrix/DNA, estão “totalmente e necessariamente racionalmente”… erradas.  As crenças no criador-lagartixa, no criador-crocodilo, no criador-dinossauro, produzidas pelo estado ainda embrionário da nossa “auto-consciência”, estão muito distantes do real criador do girino, ou seja, da espécie humana.

Porque somos expostos a estas condições de vida absurdas, sujeitas a ser-mos devorados por predadores, torturados até a morte por microscópicos vírus, a sermos repentinamente deformados e mortos por acidentes e tragédias naturais? Porque o nosso “criador” nada faz para evitar isto, se sabemos que qualquer pai e mãe humanos, ou até mesmo cangurus e leoas, fariam o possível para evitar qualquer mal a seus embriões? Ora, a resposta racional imediata seria: não existe criador como são os humanos, e se ele existiu antes e alem do Universo, ele pode não existir mais, ou, ainda, estar lá fora do Universo, ignorando nossa existência aqui.  Mas a cosmovisão da Matrix/DNA tem uma nova resposta: todos os sistemas naturais – e a auto-consciência humana é uma nova forma de sistema natural – passam por duas fases evolutivas. A primeira é a fase dos ovos botados fora quando a prole é abandonada à própria sorte, porem, a fórmula da Matrix mostra que este abandono é apenas “aparente apesar de real”, porque na verdade, todo embrião de sistema natural existe dentro de um sistema natural hierarquicamente superior ou maior, o qual determina que o destino destes ovos seja produzir e libertar o embrião interno, que na verdade, os ovos nunca saíram de um “controle geral”. A segunda fase é quando o sistema anterior se desenvolve e aí revela que ele mantem os ovos dentro até o nascimento do embrião. O sistema natural “corpo humano” está sujeito a todas as tragédias, mas o embrião sistema natural que se desenvolve dentro da cabeça-ovo de cada humano não pode ser destruído por nada e é mantido como ovos dentro de um sistema maior. Ou isto está claro e é um imperativo da Natureza, ou a fórmula da Matrix/DNA nunca existiu de fato, pois ela afirma com certeza que tem de ser assim.

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Observe que nesta fórmula universal de todos os sistemas naturais, os “ovos” são botados fora do vórtice F1, mas seguem o circuito evolucionário sistêmico nunca saindo ou sendo destruído apesar de sendo continuamente transformado, portanto sendo mantido dentro do sistema. Se o sistema for fechado, o “ovo” é reciclado; se o sistema é aberto, o “ovo” se desfaz (em F7) para o sistema, para entrar em outro externo sistema.

Enfim, são muitos detalhes  e todos os levantados no titulo deste artigo são respondidos nesta linha lógica de pensamento pela Matrix/DNA, porem, infelizmente não temos espaço e tempo disponíveis aqui para abordar estes detalhes.       

Tags: , , , , ,