Proteinas: Mapa Geral, “Peptide Atlas”

O  que, na realidade,  são proteínas? Porque e como a Natureza teve a ideia de pegar alguns átomos da Terra e combina-los de maneira nunca feita antes, na forma de moléculas orgânicas que atuam com tanta importância nas origens da vida e nos corpos dos seres vivos?!

Dentro da Matrix/DNA temos uma explicação para estas perguntas jamais imaginadas antes, e estranhas ao seu modo de pensar, pois estas explicações sobem aos céus e pairam nos sistemas astronômicos. Para nós, proteínas é a reprodução na forma biológica do que é o circuito esférico por onde corre o fluxo de energia/informação na fórmula da Matrix/DNA. Aquele circuito pode ser quebrado em trechos, pedaços cada vez menores, talvez até o infinito. Cada tipo de  proteína representa um destes trechos, ou pedaços. Como todos os compostos do corpo são modelados pela mesma fórmula, as proteínas visam repor, manter, consertar, os fluxos sistêmicos das conexões entre partes.

Muitas doenças são causadas pelas falhas nas proteínas, ou falta delas, e muitos segredos da vida estão acobertados nas proteínas, por isso justifica-se todo o esforço possível na busca de cada vez maior conhecimento sobre este fenômeno natural. Existe já um banco de dados sobre a constituição de milhares de proteínas, e temos – dentro da Matrix/DNA – que pesquisar todos para ver se conseguimos identificar qual molécula corresponde a qual trecho do circuito. Por isso registramos aqui o endereço deste site:

xxx

http://www.peptideatlas.org/#

PeptideAtlas is a multi-organism, publicly accessible compendium of peptides identified in a large set of tandem mass spectrometry proteomics experiments…. ( cont. a ler)

Começar este trabalho para especialistas em proteinas não seria nada facil, e para leigos, impossivel, a não ser em séculos. mas se toda a Humanidade sempre acreditasse ser impossivel evitar que um asteróide a caminho da Terra cause tragédias aqui, a NASA nunca estaria tentando desenvolver meios para bombardear meteóritos no espaço. E este esforço “impossivel” pode um dia salvar a Humanidade. Se eu tivesse ouvido uma diretora de uma universidade que disse ser impossivel a missão que eu estava indo tentar na selva, eu nunca teria descoberto a Matrix/DNA. E como a Matrix/DNA pode ser uma falsa descoberta, muitas vezes um esforço sobre-humano em busca de um objetivo realmente se revela impossivel. Proteinas continuam torturando e matando milhões de humanos, não me venham dizer que se especialistas não o querem fazer, que eu leigo estou sendo louco ao tentar. De fato sou louco quando algo ou alguem ataca a minha espécie.

Só para ter uma idéia da dificuldade que será apenas o iniciar deste trabalho, vamos pegar como exemplo apenas um dos dados neste database:


PAe000002
Jurkat T-cell lipid rafts stim & unstim ICAT labeled Replicate 1
Human
LCQ Classic
Von et al. (2003), Von et al. (2003)

Bem, para começar o que é Jurkat T-cell? para chegar aos bits de informações relacionados com a fórmula da Matrix/DNA temos que ver quais genes, quais moléculas, etc., tudo relacionado a um tipo de proteína. Então vamos ao Wikipedia, para começar:

Jurkat cells

From Wikipedia, the free encyclopedia

Jurkat cells (pronounced yūr′kat) are an immortalized line of human T lymphocyte cells that are used to study acute T cell leukemiaT cell signaling, and the expression of various chemokine receptors susceptible to viral entry, particularly HIV. Jurkat cells are also useful in science because of their ability to produceinterleukin 2. Their primary use, however, is to determine the mechanism of differential susceptibility of cancers to drugs and radiation.

The Jurkat cell line (originally called JM) was established in the late 1970s from the peripheral blood of a 14 year old boy with T cell leukemia.[1] Different derivatives of the Jurkat cell line can now be obtained from cell culture banks[2] that have been mutated to lack certain genes.

Examples of derivatives

  • The JCaM1.6 cell line is deficient in Lck kinase activity due to the deletion of part of the lck gene (exon 7) from the Lck transcript.
  • J.RT3-T3.5 cells have a mutation in the T cell receptor beta chain locus precluding expression of this chain. This affects the cells in several ways. They do not express surface CD3 or produce the T cell receptor alpha/beta heterodimer. Since they are deficient in the TCR complex, these cells are a useful tool for transfection studies using T cell receptor alpha and beta chain genes and are widely used in labs in which T cell receptor gene transfer technologies are studied.
  • The I 9.2 and I 2.1 cell lines. The I 2.1 cell line is functionally defective for FADD and the I 9.2 cell line is functionally defective for caspase-8, both defective molecules being essential to apoptosis or necroptosis of cells.
  • J-Lat contains integrated but transcriptionally latent HIV proviruses, in which GFP replaces nef coding sequence, and a frameshift mutation in env.

Cell line contamination

Jurkat J6 cells have been found to produce a xenotropic murine leukemia virus (X-MLV) that could potentially affect experimental outcomes and infect lab technicians. This infection may also change the virulence and tropism of the virus by way of phenotypic mixing and/or recombination.

xxxx

Está certo… Entendí tudo aí. Ora, não entendí uma palavra. Terei que aplicar o mesmo método que usei na infância para aprender o português acadêmico, o inglês e como sempre, estudar ciências sozinho: pegar palavra por palavra, cada termo cientifico técnico, ir nos dicionários de biologia, física, petrologia, etc., até aprender o que cada uma significa.


Tags: ,