Bacterias Formam Caravanas e Constroem Cidades, e a Matrix/DNA Descobre no Mundo Quantico de Onde vem estas Habilidades Bacterianas!

Baseado no artigo:

Should I Stay Or Should I Go

http://biologicalexceptions.blogspot.com/2014/09/should-i-stay-or-should-i-go.html

( Nota ao autor da Matrix/DNA, ou seja, de mim para mim: voltar a ler este artigo por completo esmiuçando cada detalhe)

Um grande problema que cedo ou tarde ataca a maioria dos humanos e teremos que resolver é a chamada “virulência pathogeneses”. Um dos mais grosseiros exemplos é o “pus” que se forma nas feridas e pode se alastrar por todo o corpo. Um brilhante estudo publicado no artigo com link abaixo revela como as bactérias usam seus flagelos para moverem-se nadando nos líquidos dos corpos ou para se conectarem em grupos formando “cidades bacterianas”, de onde resulta a virulência. Mas como sempre, os humanos teimam em continuar se espraiando nas superfícies dos problemas, sem realizarem o sacrifício de mergulhar mais fundo para resolvê-los de uma vez por todas.  Apenas eu com a minha Matrix/DNA estamos realizando estes mergulhos onde humano algum jamais foi, porem, o fantástico do que estamos vendo torna nossas narrativas sem efeito, pois ninguem as entende. Veja este assunto como um exemplo.

Bactérias nada mais são que um amontoado de átomos organizados de uma peculiar maneira. Elas não possuem quaisquer dos nossos sensores cerebrais, nem mesmo um sistema nervoso difuso, portanto elas nada sabem dos objetos do mundo ao redor. No entanto elas fazem coisas que parecem vir da inteligencia. Suas “cidades”, conhecidas como biofilmes, possuem canais, viadutos, tuneis, existe divisão do trabalho, etc. Como isto foi possivel?!

Bactérias surgiram com flagelos, e eles os usam para nadar, individualmente, claro. Porem, em certo momento, elas se aproximam umas das outras, abraçam-se ou dão-se as mãos – com seus flagelos – e passam a nadarem juntas! Assim vão mais rapido porque cada uma colabora com uma parcela de força e a força total obtida pelo grupo retorna sobre cada uma acelerando-a, empurrando-a, e protegendo-a contra ataque de predadores. É como aquelas caravanas do velho oeste americano: se um individuo tentasse atravessar o deserto sózinho demoraria meses, tendo que parar todas as noites para dormir, etc., mas provavelmente não o faria porque indios ou ursos o matariam. Unidos em caravanas a viagem tornava-se muito mais rapida e seu numero os defendia dos ataques. Mas humanos o fazem porque tem inteligencia e bactérias nem sequer possuem olhos para ver suas semelhantes. Então de onde veio as habilidades exibidas pelas bactérias?!

Os cientistas de hoje não se fazem sequer estas perguntas, mas se não as fizermos e obtermos respostas, nunca vamos conhecer e entender o grande quadro, e com isso vamos continuar botando remendos em roupa velha, continuaremos buscando como combater os efeitos da virulencia sem buscar eliminar as causas da virulencia. Apenas eu ( e desafio alguem que a me mostrar quem mais fez isto alguma vez na História da Humanidade ou que esteja fazendo esta investigação hoje, pois eu nunca vi e não conheço) estou descendo o mais profundo no solo até as pontas das raizes para tentar enxergar a doença de uma arvore enquanto a maioria fica acima do solo podando os galhos doentes, eternamente.

Há bilhões de anos atrás, desde as origens do Universo, havia elementos que se moviam, ora individualmente na forma de ondas, ora unindo-se em suas formas de ondas numa só onda que imediatamente se tornava uma partícula materializada. Bacterias movendo-se individualmente na corrente sanguínea são praticamente invisíveis, mas quando se unem num grupo coeso e entrelaçado de repente são vistar como “pus” ou um caroço. Tudo igual a bilhões de anos atras quando a vida bacteriana nem sonhava existir. Mera coincidência? Ora, bactérias são o estado evolutivo atual daqueles elementos de outrora. Ninguem se surpreende quando um bebê recém-nascido chora revelando que está com fome se “parece” com quando seus pais adultos reclamavam quando estavam com fome, mas ninguem quer aceitar que bactérias já nascem com as tendencias e comportamentos iguais de seus ancestrais.

Aconselho a lerem o artigo que é muito instrutivo e interessante e necessário para ampliar nossa inteligencia saudavelmente ( a qual depende do maior conhecimento real dos fenômenos naturais e transformação destes fenômenos externos em imagens e informações mentais),  e ver os meus comentários ali postados nessa causa perdida e longa batalha de tentar fazer com que estes indivíduos se despertem e resolvam eliminar nossos problemas de uma vez por todas.

Should I Stay Or Should I Go

http://biologicalexceptions.blogspot.com/2014/09/should-i-stay-or-should-i-go.html

This is a false color image showing the branching of a bacteria colony in a swarm. Dr. Eshel Ben-Jacob from Tel Aviv University produces these images as science and art. See many of his images at this site.

 

E meus comentarios postados no artigo:

Louis Charles Morelli

You have not mentioned that bacteria behaviors are inheritance from the atoms’ behaviors that composes their bodies. Inside bacterias there is a tribe of atoms composing an “atomic city”. Swarming and settling is an evolved phenomena from quantum principles where any “signal” can moves as individual wave or a group of signals can settling as one particle. If we does not study further the past state of every detail observed in bacterias, going further to its elementary particles and forces, we never will understand the whole picture, and, by my knowledge, The Matrix/DNA Theory is the unique doing this investigation. For instance, Matrix/DNA has discovered that the social systems of ants and bees mimics exactly the arrangement and functions of astronomical bodies composing the building block of astronomical systems! And this astronomical building blocks are copied into a lateral pair of nucleotides – the fundamental building block of DNA! So, the bacterial bias and constructions are not driven by bacterias, which are merely bunches of atoms without any knowledge about what they are doing. In a bees social system, the queen is also a slave, the real ruler transcend the group.  The driver is out and beyond the individuals and the group, it is the identity of systems – and if we does not understand this deep secret, which needs an understanding of this natural universe at larger space/time horizons – we never will know how to avoid pathogenesis virulence. 
xxxxx
Thanks! This information is useful for developing my researches and theories.Why single celled organisms had the bias to act together and composing a new “social system”? Of course: single cells has the unique bias for eating, sleeping (?), nothing else. They are driven to these new behaviors by something more complex and bigger. What’s it? The natural universal formula for building natural systems, which is encrypted into each nucleotide inside these organisms and is the template for this external environment. You can see the formula and explanations for each detail in this article ( don’t forget: the Matrix/DNA formula is theoretical, yet) here:http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=8082

Tags: , , , , , , ,