Noticias s/Origem da Vida: Mais evidências para a Teoria da Matriz

Aminoácidos vindos do espaço: Espetaculares evidências para a Teoria da Matriz/DNA 

A noticia pode ser vista em: 

PhysOrg.com

http://www.physorg.com/news/2010-12-blocks-life-impossible.html 

  

sob o titulo: 

Building blocks of life created in ‘Impossible’ place

December 16, 2010 by Nancy Neal-Jones and Bill Steigerwald 

Planetas são como animais: se reunirem certos requisitos, serão selecionados pela Matriz, convidados a constituirem o tronco da árvore da evolução, contribuindo para gerarem e hospedarem  a prole biológica da Matriz: os seres vivos. É o que estamos confirmando através de meteóritos mostrando que no espaço sideral também existem aminoácidos e as condições em que estes foram formados. 

A cada dia encontra-se mais matéria primordial da Vida em meteóritos que vieram para a Terra do espaço sideral, aumentando a viabilidade da teoria atual acadêmica de que alguns dos ingredientes da vida teriam sido formados no espaço sideral além da Terra. 

Esta possibilidade veio salvar a teoria da abiogênese que estava cambaleando e perdendo crádito porque  muitos experimentos tentando diversas maneiras de calcular como seria  o ambiente na Terra quando a vida surgiu não deram resultado. Parecia que a Terra não poderia ter sózinha gerado a vida que temos aqui, estavam faltando ou ingredientes ou extraordunárias condições ambientais. Os meteóritos reacenderam as esperanças na abiogênese, pois em algum lugar ou varios lugares no espaço sideral poderão ter reunido as necessários condições e ingredientes. 

Portanto falta encontrar esse lugar para provar a toeria acadênica. Me parece que não resolvemos nada assim, apenas adiamos ou transportamos o problema da origem da vida para fora da Terra. 

Mas… a Teoria da Matriz/DNA a 30 anos registrou-se com direitos autorais apresentando modelos que sugeriam que a vida pode e deve se formar em muitos lugares do Universo. Mas para isso ela apresentou um modêlo de uma nova teoria de formação das galáxias, pelo qual os elementos e condições ambientais necessários e suficientes para serem elaborados os sistemas biológicos já se encontram nos próprios astros. Portanto, aminoácidos podem serem formados em todo o Universo, assim como na Terra. A diferença entre as duas teorias é que uma acredita que é necessário um evento extraordinário, quase como um acaso, num local tambem extraordinário, para a vida acontecer, enquanto a outra diz que a vida é mero passo evolutivo de um processo macro-evolutivo no qual os astros estão inseridos. 

Vamos a seguir realçar alguns dos textos do artigo científico e comentá-los pela visão da Matriz. 

NASA:  “Finding amino acids in these objects supports the theory that the origin of life got a boost from space — some of life’s ingredients formed in space and were delivered to Earth long ago by meteorite impacts.” 

Matriz:

“Essa “recarga” vinda do espaço não precisa ser necessáriamente aminoácidos já formados. Se a Terra não tivesse as condições e ingredientes para formar aminoácidos, os que aqui chegassem não teriam florescidom assim como os aminoácidos das experieências como Muller/Urey são incapazes de realizarem o segundo passo evolutivo, que é a formação de proteinas e RNA. Que tenham vindo proteínas e RNA já sintetizados é uma hipótese distante pois nunca foram encontrados em meteóritos. Se aqui na Terra a semente da vida floresceu é porque a Terra e/ou o sistema solar a qual pertence pode produzir as sementes de si mesma.

NASA: “… in both labs detected small amounts of 19 different amino acids in the sample,…” 

Louis Morelli: “Falta saber se não temos o mesmo problema da experiencia de Muller/Urey. Aminoácidos não são apenas os 20 tipos utilizados pela vida, pois existem muitos outros tipos que não aparecem na constituição dos seres vivos. Os aminoacidos produzidos naquela experiência, segundo tenho lido vários cientistas comentarem, não são vitais. Quais foram os aminoacidos encontrados? 

NASA: “The team had to be sure that the amino acids in the meteorite didn’t come from contamination by life on Earth, and they were able to do so because of the way amino acids are made. Amino acid molecules can be built in two ways that are mirror images of each other, like your hands. Life on Earth uses left-handed amino acids, and they are never mixed with right-handed ones, but the amino acids found in the meteorite had equal amounts of the left and right-handed varieties.” 

Matriz: “ Excelente informação para a Teoria da Matriz, e uma grande indicação favorecendo seus modêlos!… 

“Segundo êstes modêlos, os meteóritos e asteóides devem ter uma unica origem possível: cometas desfeitos. Na teoria da Matriz não existem eventos violentos em astronomia que poderiam produzir choques entre astros e quebrando-se em pedaços menores como meteóritos. E nem explosões de supernovas lançando meteóritos ao espaço. E desde que existem aminoacidos nos meteóritos, estes meteóritos não podem ser restos de estrêlas mortas. Porem, como fragmentos de cometas a existência dos aminoacidos torna-se previsivel. Pois cometas são produzidos pelos vulcões de velhos e gigantes planetas que a Matriz denomina de pulsares, os quais estão a caminho de se tornarem estrêlas. Por outro lado, os modêlos indicam que os ingredientes para a vida vem, 50% do nucleo de planetas novos como a Terra ( cujos 50% devem produzir apenas left-handed aninoacidos) e os outros 50% vem da radiação de estrêlas como o Sol ( cujos 50% produzem os right-handed aminoacidos). Mas o pulsar é o unico astro que – por ser justamente a unica forma intermediaria entre planeta novo e estrêla supernova – contem os dois tipos de aminoácidos.” 

Louis Morelli: “Isto foi previsto a 30 anos atrás! Pelos modêlos da Teoria da Matriz/DNA, unicamente. Basta ver o material apresentado para copyright… 

“ É um grande momento para a Teoria da Matriz/DNA. E para embevecimento e regozijo de todo ser humano, pois indica o enorme potencial da nossa racionalidade. Modêlos teóricos racionais, elaborados segundo a racionalidade humana, mostrando-se capazes de tão complexa e certeira previsão: é motivo de festa na Terra porque êste homen que vinha perdendo toda sua dignidade ao perder o centro da criação, o centro do Universo, tendo a paternalidade divina rebaixada para paternidade do macaco, é repentinamente guindado de novo ás alturas recuperando sua dignidade, por possuir uma capacidade que não esperávamos: a nossa Razão está em perfeita sintonia com a razão da Natureza Cosmológica. Nossa razão caminha de mãos dadas com a Razão Universal. Saltamos abismos e vales profundos de escuridão para o nosso conhecimento, mas lá na frente saímos na mesma estrada e na mesma direção por onde vem caminhando o Universo! 

“Previsões como esta indicam que, se nas formas primitivas nos distanciávamos da forma de nosso criador, com nossa evolução e nosso abnegado esforço estamos nos tornando `a imagem e semelhança de nosso criador. Seja êste o Universo, a Natureza, a Evolução, Deus, ou o que mais possa ser. 

Matriz: “E porque a Vida aqui na Terra, quer dizer, os sistemas biológicos, apenas se utilizam dos aninoacidos left-handed? Porque eles são produtos da primeira metade da Matriz, da parte do fluxo do circuito sistêmico que se inicia na Função 1 e termina na Função 4, que  está codificada na primeira metade do DNA, e que representa a metade esquerda da face da Matriz. Que representa o ciclo vital desde a concepção e nascimento do individuo até o ultimo estagio da juventude. A fase do crecimento, da formação, sem a fase do decaimento, da entropia, da degeneração. Sem o instrumento da morte. Pois a Matriz não estava aqui para fazer o aminoacido apenas e parar aí, o que teria acontecido se a left-handed molecula possuisse o prosseguimento do fluxo alem da ultima fronteira da face esquerda, pois  teria avançado para construir sua metade direita. E assim teria fechado o circuito, decretado seu destino perpétuo. Teria decretado a morte da Vida ali mesmo,  a 3,5 bilhões de anos atrás. 

“ A mitocondria na célula animal, assim como o cloroplasto na célula vegetal, são as organelas que abrem o sistema celular para se conectar com a estrêla Sol.  Ambas perfazem as operacões que finalizam na energia quimica, seja a síntese do ATP ou a fotossíntese. E ambas são as ferramentas construídas pela Função 4. E esta função, que representa o elemento masculuno do sistema, é a que pode quebrar um sistema fechado ao atirar seu espermatozóide na direção contraria à que encontra a função feminina, sua companheira, na posição 1. Graças a essa infidelidade conjugal ocorre a miscigenação das proles e não a eterna reprodução estéril de uma só raça, no caso, apenas de sistema fechado em si mesmo, aniquilando o processo da evolução. É isso o que acontece com a molécula  left-handed quando separada da right handed: o fluxo informacional é lançado ao espaço ao invés de misturar-se aos ingredientes envolventes para construir a face direita ligada a ela. Graças a isso, a esse extraordinario e quase imperceptivel detalhe, os aminoacidos passaram a formarem proteinas e RNA. Só depois, quando a fase  da biótica inorganica estava vencida, e a Matriz precisava se recompor completa para carregar as sendas da Vida. e para tanto precisava se compor como sistema, reortnou o velho mecanismo das estrelas que foi a perdição das galaxias: o RNA, contido no nucleo do sistema, e representando a metade esquerda da face, têve a liberdade de reconstruir a parte direita de sua face. E assim nasceu o DNA! 

A Matriz ressuscitada, e aqui na Terra! Agora como sistema aberto. Condenada a se arrastar em busca do seu pão, porem com os caminhos abertos para retornar sua evolução rumo à sua transcendencia, a qual é a forma de auto-consciencia do Universo, que apenas agora começa a se formar ainda fragmentada, com cada parcela de si dentro da cabeça de cada ser humano! 

Louis Morelli: “Ah… pombas… você pode dizer que não acredita nessa teoria, que eu sou im louco, etc. Mas numa coisa tem que concordar: ela é bonita “prá caraio”! É… ou não é?  E o pior: it makes sense… 

E repare na inteligência da Natureza, ou do criador, sei lá… Era preciso recompor um sistema com todos os ingredientes que vieram da evolução dos astros, resumidos em LUCA. Mas não copia ser igual a LUCA, um sistema fechado em si mesmo. Yunha que ser reconstruído um sistema com os mesmos ingredientes porem a forma final tinha que ser diferente: um sistema aberto para a evolução. Como a incrivel inteligência cósmica resolveu isso? Ora… simples! Refez o sistema original, fechado. Na forma de DNA.  Ali, a face esquerda constrói a direita e se completa formosa. Mas a seguir, constrói-se uma muralha em torno dele, aprisionando-o numa cela. Trata-se da membrana nuclear. A seguir recomeça-se a reconstruir o sistema de novo. Quando chega na função 4, tem-se uma mitocondria. Neste momento contrói-se correndo outra muralha agora em volta do segundo sistema que é maior. Trata-se da membrana externa celular. Assim foi interrompido o circuito, que iria começar a construir a face direita pelo cloroplasto. Apenas retira-se a ponte entre uma organela e sua próxima vizinha. Entre Função 4 e 6. O micro-organismo que estava na forma de mitocondria não evolue para a forma de cloroplasto. Então o circuito dêsse sistema só faz a face esquerda e para aí. No problem. O sistema celular necessita das partes que fazem as funções 6 e 7 (estrêla e cadaver estelar no céu, cloroplasto e lisossomo na célula).  Mas a essencia da função 6  que é produzir energia foi desemvolvida a partir da mitocondria que produz os cometas ATP’s. E mais tarde, deixa-se o lisossomo desenvolvido na célula vegetal ser incorporado na celula animal para fazer sua função, que é a de limpeza do sistema. 

“Assim a incrivel inteligencia natural resolveu o problema da vida reabrindo suas portas à  evolução, com a célula animal. O sistema cósmico foi reproduzido na integra como sistema fechado, porem ficou como nucleo, isolado no centro. Na periferia, em torno dele fêz novamente outro sistema, porem aberto…”     

NASA: “The sample had various minerals that only form under high temperatures, indicating it was forged in a violent collision. It’s possible that the amino acids are simply leftovers from one of the original asteroids in the collision.” 

Matriz: “Nope! Sorry, mas aqui vamos descordar. Altas temperaturas em astronomia não existem apenas quando existem violentas colisões. Existe a alta temperatura dos vulcões. Magmas podem ser formadores de metais… porque não?  As amostras não indicam que os aminoacidos foram formados em altas temperaturas, mas apenas que os seus ingredientes o foram. E considerando-se a história a seguir dos aminoacidos que foram usados pela vida, as condicões mais baixas de temperatura que eles precisam para se manterem organizados – como o foram – e para se organizarem em proteínas, seria mais racional pensar que eles nunca estiveram expostos à tal temperatura de 2.000 graus F, como teorizam no artigo. Acho que aqui se repetiu a cena nas origens do Universo quando se formaram as super-partuculas e os sistemas atomicos: enquanto a temperatura era elevada, as particulas agitadas se chocavam, não se firmavam e não se organizavam em compostos maiores. Foi preciso esperar o Universo esfriar para essa organização começar. Justamente isso acontece com os metais expelidos pelos vulcões dos pulsares. Porque os pulsares não produzem a Vida, se possuem 100% dos ingredientes? Faltam as necessárias condições ambientais. A temperatura na superficie é demasiada elevada, pois estão se transformando numa supernova. Mas se os ingredientes são espelidos em cometas para o espaço sideral, e desde que a maioria dos cometas não conseguem seu objetivo que é alcançar o nucleo do sistema e fecundar o buraco negro, e passam a ficar vagando no espaço frio interestelar, a temperatura onde estão estes ingredientes abaixa, torna-se ótima para os processos vitais, e daí… surgiram estes aminoacidos. A cena nas origens do Universo serve de parâmetro lógico para minha teoria.” 

Louis Morelli:  ”Essa mania de imputar tudo o que não se consegue explicar a eventos que inplicariam violência… No céu não há violência como regra… a astronomia está montada encima do estado de ordem da Natureza.” 

NASA: “However, the team thinks it’s unlikely amino acids could have survived the conditions that created the meteorite, which endured higher temperatures – more than 2,000 degrees Fahrenheit (over 1,100 Celsius) – over a much longer period. “It would be hard to transfer amino acids from an impactor to another body simply because of the high-energy conditions associated with the impact,” said Bada. 

Instead, the team believes there’s an alternate method for making amino acids in space. “Previously, we thought the simplest way to make amino acids in an asteroid was at cooler temperatures in the presence of liquid water. This meteorite suggests there’s another way involving reactions in gases as a very hot asteroid cools down,” said Glavin. The team is planning experiments to test various gas-phase chemical reactions to see if they generate amino acids” 

Matriz: “Não… vocês vão perder tempo. A crença de que os meteoritos são produtos de colisões está levando vocês a caminhos errados. Cometas vagando no espaço sideral interestelar e  passando dentro de sistemas estelares mudam de temperatura, pois são cobertos de gêlo numa região e aquecidos em outras pelo calor de estrelas estes derretem formando estados liquidos da matéria. Os aminoacidos não tem problemas para se formarem e se manterem neles, pois nunca suas superficies tem temperaturas elevadas tanto.” 

NASA: “ Fragments of 2008 TC3 are collectively called “Almahata Sitta” or “Station Six” after the train stop in northern Sudan near the location where pieces were recovered. They are prized because they are Ureilites, a rare type of meteorite. “An interesting possibility is that Ureilites are thought by some researchers to have formed in the solar nebula and thus the findings of amino acids in Almahata Sitta might imply that amino acids were in fact synthesized very early in the history of the solar system,” adds Bada. 

Matriz: “Hummm… great! Vocês estão se tornando melhores defensores e propagadores da minha existência que êsse incompetente e burro velho empregado que tenho chamado Louis! Se as tais Ureilites, os fragmentos do meteórito, se formaram na solar nebula – quer dizer, quando ainda a estrêla sol estava se formando – está comprovada a Teoria da Matriz! Corra a dar uma olhada em LUCA, ou no diagrama da Matriz. Veja na Função 4 o pulsar. Veja que ele se transforma na estrela. Quer dizer, o pulsar existe antes e no momento da solar nebula, no ato da criação do Sol. E o modêlo está dizendo que naquele momento o pulsar emitia cometas. E que este meteórito é fragmento daqueles cometas. E que estes cometas carregavam todos os ingredientes e tiveram todas as temperaturas ideais e necessarias para formarem aminoacidos. O que querem mais?!” 

Louis Morelli: “Meu Deus! Que bomba tenho nas mãos!… Mas o pior: tenho que segura-la e sózinho… ninguem acredita que se trata de uma verdadeira… BOMBA!… E ela ainda me chama de burro velho!…” 

Tags: , , ,