Estratégia Para Transformar a Humanidade: Do Atual Herdado Animalismo para A Transcendência à Pós-Humanos

xxx

Tema inspirado na busca da Construtora THA chegando ao judeu Samuel Zell 

 

Cada um interpreta o mundo à sua maneira, e cada interpretação gera uma ideologia, ou seja,  uma teoria utópica para consertar o que se acha que está errado em relação ao status de vida que se almeja. Isto significa que nós temos hoje 8 bilhões de modelos de sociedade desejada. Mas pode-se unir  estas 8  bilhões de ideologias em poucos grupos, ao procurar agrupa-las por semelhanças. Assim como  unimos 100 milhões de pessoas e as chamamos de japoneses porque são todas diferentes entre si em um pequeno detalhe mas possuem um grande denominador comum.

Portanto eu tenho uma individual forma de interpretar o mundo, a ideologia daí decorrente, e um imaginado utópico sistema social onde eu gostaria de existir. Para meu azar nunca encontrei nenhum outro ser humano morto que  tenha deixado escrito sua ideologia e nem algum vivo hoje cuja ideologia se aproxime da minha. Isto porque ninguem mais teve as incomuns experiencias de vida que eu tive, principalmente a de ser um filósofo naturalista vivendo isolado na selva amazônica por sete anos de onde eu extraí imaginariamente o que acredito ser o significado e sentido da existência deste mundo. Minha ideologia é baseada na cosmovisão da Matrix/DNA, uma fórmula construída teóricamente do que penso ter visto: a alma de todos os sistemas naturais – de átomos a galaxias a mentes humanas – que consiste na identidade produzida pelo fluxo de energia/informação que produz e conecta todas as partes dos sistemas e corre como um circuito elétrico interno aos sistemas.

Esta fórmula sugere uma completa  História Natural Universal e dessa História se extrai  um significado e um sentido da existência deste Universo, e da nossa existência como humanos dentro dele. Essa História sugere que antes de ser a história dos 13,7 bilhões de anos deste Universo, ela é a história de um sistema natural que  surgiu com i Big Bang e vem evoluindo nestes 13,7 bilhões de anos devido este sistema obedecer o mesmo processo do ciclo vital que  move nosso corpo ao longo do seu tempo de existência, transformando-o em novas formas, amadurecendo-o, levando-o à degeneração e morte do seu aspecto partícula neste universo enquanto complexificando o seu aspecto onda a qual tende a sair fora do universo e retornar à dimensão que existia antes ou ainda existe alem deste Universo… para lá talvez se tornar partícula e continuando esse infinito ciclo.

 

Bem,… essa história conta que esse sistema se desencaminhou do sentido pré-determinado para ele quando estava numa das formas que foram as ancestrais dos humanos, tornando-se um sistema termodinâmico fechado em si mesmo e ameaçando interromper sua evolução, o que resultou numa queda e retorno para consertar o erro antes e reencetar a marcha da evolução. Por essa história nós somos hoje 8 bilhões de frações iguais mas de qualidades diferentes de um grande êrro, assim aqui colocadas para se auto-defrontarem e auto-aprenderem a corrigir esse erro em si. Esse erro tem permeado todas as formas biólogicas deste sistema na Terra e quiça em vários outros mundos onde ele deve tambem existir biologicamente ou não, por meio do que chamamos de gene egoísta. A espécie humana herdou isso dos animais irracionais na forma dos intintos automaticos animalescos e essa genética ainda domina nossos comportamentos. Por isso todos os modelos de sistemas sociais até hoje criados por humanos imita as regras selvagens da divisão entre grandes predadores ( o 1% de parasitas que apenas fazem “negócios”), os médios predadores ( 9% das  classes média e alta) e as presas ( os 90% que constitue a massa).

Esses tipos de sistemas sociais (  como o monarquismo, feudalismo, comunismo burocrático e capitalismo selvagem) são males necessários e inevitáveis onde as frações portadoras de um detalhe particular do grande erro se  defrontam e aprendem a se auto-odiarem, para sim terminarem por odiar o erro inteiro na espécie. Portanto, seria mais  racional  que um observador consciente do estado humano atual se limitasse a deixar o barco rolar porque as águas vão leva-lo a um destino pré-determinado onde o gene egoísta não mais  existirá. Seria não racional se revoltar pelo martírio das presas ou tomar nojo dos sanguinários predadores pois a fórmula da Matrix/DNA está sugerindo existir uma alternância de papéis em cada personalidade incarnada no humano, assim como a alternância entre os aspectos onda e partícula destes sistemas naturais, apesar de que ela não explica como funciona este processo.

Ao humano que conheceu esta forma de interpretar o mundo e nela acredita por ter visto maior lógica e racionalidade nela que em todas as outras, restaria a procura de sobreviver sem pertencer a nenhum dos três grupos e ao mesmo tempo tentando participar da evolução do pensamento humano sempre intervindo quando um comportamento possa ser criticado com fundamentos em algum fato natural comprovado cientificamente. Foi o que tentei fazer ao escapulir para a selva tentando sobreviver como vegetariano isolado  mas tecnológicamente equipado com a Internet para interferir eletronicamente nas ocasiões possíveis ocorrendo na civilização.

Mas a mesma fórmula da Matrix/DNA tem sugerido que este ainda não é o comportamento ideal do observador consciente deste estado. Ela está sugerindo que a genética do gene egoísta da errada ancestral pode se reproduzir na Terra através da biosfera e da espécie humana, e isto pode levar à extinção da espécie humana, como levou ao descartamento  da ancestral. Então o observador consciente tem que atuar com mais energia aqui e agora. Não mais deixando as águas rolarem ao sabor das leis naturais.

É preciso combater o instinto predador dos predadores e o instinto massificante das presas. Um representa o aspecto energia e o outro o aspecto massa da matéria e não se pode deixar nenhum se estabelecer no domínio, pois a forma transcendental surge de um balanço entre as duas formas como uma terceira entidade-filha um grau mais evoluída. E para fazer isso é  preciso antes estudar o caráter, a personalidade destes grupos. Vamos então listar e analizar aqui espécimens de cada grupo.

A) Grupo dos Grandes Predadores:

1) ( investigação iniciada pela atenção atraída pela atividade predatória  das grandes construtoras ( THA e Rossi) em Londrina).

‘I’m the fastest No in the west’

http://www.ft.com/cms/s/0/91895848-c64a-11e1-b57e-00144feabdc0.html#axzz3WvG44cFQ