Os Insights que Fizeram a Historia da Matrix/DNA Theory

xxxx

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Matrix/DNA: O template para todos os sistemas naturais, de átomos a nucleotideos a galáxias e células. O circuíto energético padrão.

Este desenho rude e tosco porque foi feito com lápis e papel sentado num tronco de arvore caído a beira de um pântano na selva amazônica em 1983 foi o corolário da minha investigação como filosofo naturalista na selva. Para chegar a esse desenho houve um método com vários passos;
1) A firme intuição de que o primeiro ser vivo completo e funcional ( a primeira célula viva) a aparecer na Terra foi produzido por um sistema natural porque a célula já e’ em si mesma um sistema completo e funcional e com a capacidade de reproduzir-se em copias.
2) O sistema misterioso porque desconhecido que gerou o primeiro sistema celular tinha que ter estado naquela sopa primordial na Terra onde apareceram os primeiros aminoácidos. Mas os sistemas existentes e conhecidos antes da célula eram o átomo, o sistema solar, e as galáxias. Todos não-vivos, não-biológicos, a não ser que ainda não conhecemos totalmente o que são aqueles sistemas. E nenhum preenchia os requisitos necessários para ser o ancestral gerador da célula. Então teria que ter existido um outro sistema que seria evolucionariamente um meio termo entre o vivo e o não-vivo, ou seja, um elo entre o mundo inorgânico e o mundo orgânico. Como procurar este sistema…
3) Colocando sobre uma mesa ( no caso foi um tronco de arvore e algumas pedras da selva) todos os sistemas não-vivos e todos os sistemas vivos na linha evolucionaria que sugere a teoria darwiniana, notei que a Historia Universal da Evolução estava quebrada em dois blocos – a Evolução Cosmológica, desde o Big Bang, as partículas, os átomos, as galáxias, os sistemas estelares – e no segundo bloco  – iniciando com aminoácidos, vírus, células, plantas, animais, homens e auto-consciência – e não havia nenhum elo entre estes dois blocos, então ali devia estar localizado o sistema misterioso que procurava, meio-vivo e meio-não-vivo.
4) Calculando a evolução total na direção certa do tempo ( Do Big Bang aos dias de hoje) e ao mesmo tempo a evolução no sentido inverso ( de hoje regredindo ate o Big Bang; aplicando o método da anatomia comparada entre todos estes sistemas, projetando numa folha as similaridades e noutras as diferenças, a o mesmo tempo ainda aplicando o relativismo onde se enxerta no sistema maior o que vemos na superfície do menor para calcular a superfície não vista do maior, e vice-versa para se calcular o que não vemos no interior dos menores, com tudo isso obtive num quadro a parte a anatomia do sistema elo desaparecido, ou seja, o retrato falado do procurado. Mas muito tempo procurando na biosfera amazônica ou tentando detecta-lo na dimensão astronômica e o resultado parecia impossível.
5) Retornando aos desenhos no tronco da arvore e refazendo tudo para ver se havia errado em algum calculo fui notando que um padrão se repetia em todos os sistemas. Era o circuito interno de energia/informação que conectava todas suas partes. Ele tinha a mesma forma em todos os sistemas – a forma igual o símbolo chinês do I Ching, aquela esfera cortada ao meio por uma linha curva, sendo que a metade esquerda e’ preta com uma bolinha branca num lado, e a outra metade e’ branca com uma bolinha preta no outro lado. Extrai fora este circuito e notei que a medida que o  fluxo de energia/informação avançava, as partes iam se transformando… exatamente igual ao corpo humano quando avança o seu tempo medido em suas idades, seu corpo vai se transformando. Esta peculiaridade dos sistemas vivos ocorre devido a uma forca que denomino de ciclo vital e aquela constatação sugeriu que também os sistemas não-vivos estão sob a ação da mesma forca. Isto significava que não fazia sentido separar os sistemas naturais em vivos e não-vivos pois era apenas um caso de evolução da complexidade da vida desde o Big Bang.
6) Retornando ao retrato falado remexi-o aplicando a forca do ciclo vital no seu circuito e numa destas tentativas os sete tipos de astros conhecidos se encaixaram perfeitamente numa sequencia racional que bateu com o retrato falado. Então o sistema misterioso era uma galáxia completa com todos os seus tipos de astros e funcional, no sentido que ela “vive” e se reproduz. Mas o modelo de galáxia que tinha em mãos não era o modelo oficial acadêmico. Estudando a diferença entre os dois notei que a mesma configuração do retrato falado também se aplicava a um par lateral de nucleotídeos que e’ a unidade fundamental de informação do DNA, ou seja, os seus building blocks. Então o que eu tinha em mãos não era uma galáxia mas sim os seus building blocks, e o DNA não era uma exclusividade dos vivos pois suas formas ancestrais vinha desde o Big Bang estando presente de átomos a galáxias. Já não fazia mais sentido denomina-lo DNA como uma entidade biológica, porque ele era apenas a face biológica de algo universal, uma matriz, por isso denominei a formula de Matrix/DNA.
7) Nos últimos 30 anos tenho estado a testar os modelos desta teoria com os novos dados científicos que vão sendo obtidos no dia a dia e registrados como papers, e como a maioria destes novos dados já estavam previstos na formula ( já são cerca de 1600 previsões corretas) achei que devia vir a publico pedindo ajuda porque estava com uma bomba atômica nas mãos e não sabia o que fazer com ela…
Ainda existe a possibilidade de que talvez seja uma bomba falsa e um dia desapareça no ar num mero “puf”. Mas naquela madrugada e sob a luz da fogueira quando identifiquei o retrato falado neste desenho com algo que pressenti existir no meio daquele céu exuberante estrelado que só da selva se pode ver, eu gritei ” Eureka” e pus-me a chorar como uma criança. Ninguem pode imaginar aquela sensação onde a historia de 13,7 bilhões de anos do universo inteiro se desenrola da frente para trás e de trás para a frente na sua mente a’ velocidade da luz…

xxxxx

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

E o desenho do circuito do fluxo interno de informação da fórmula da Matrix/DNA na sua versão de sistema perfeito fechado, na forma de diagrama de software

Esta e’ a primeira vez na historia da Humanidade que se sugere existir uma formula universal que a Natureza sempre usa quando desenvolve uma nova forma de sistema natural, de qualquer acessório para sistemas existentes, e quando move elementos pelas regras dos ciclos vitais. Ela foi descoberta ao notar-se um padrão repetitivo do circuito interno dos sistemas naturais e seus acessórios – tais como células, cérebros, galáxias, átomos, mãos humanas e ciclos como uma vida humana ou o ciclo do colesterol, etc. –  por onde corre o fluxo de energia/informação que forma as partes do sistema e depois torna-se a entidade do sistema. Trata-se de um diagrama algorítmico de software do tipo mais simples, porem que contem em si os princípios das propriedades mais complexas desenvolvidas na Natureza. Por exemplo, quando esta formula forma o buildingblock dos sistemas astronômicos galácticos, as sete funções tornam-se os sete tipos de astros conhecidos e com um funcionamento mecânico simples executa um sistema reprodutor sexual, onde o astro na F4 torna-se o elemento macho, o astro na F5 torna-se o transportador das informações em F4 levando-as a F1 que executa as funções femininas da procriação, e assim o sistema se auto-recicla perpetuamente. O primeiro estado desta formula detectado no Universo foi como uma onda de luz emitida pelo Big Bang para penetrar a substancia inerte do espaço e nele inserir os  movimentos e o código dos sistemas que e’ o mesmo código da Vida.

xxxxx

( Inserir aqui a figura da onda de luz)

Após as descobertas da formula universal para sistemas naturais e ciclos vitais, e a configuração de cada sistema natural por essa formula, percebi que suas origens remontavam as origens do Universo. Também havia notado que a própria formula esteve sujeita ao processo da evolução, tendo surgida na sua forma mais simples e desde então evoluída para formas cada vez mais complexas, como e’ o caso agora desta nova forma do sistema universal que estamos denominando de auto-consciencia. Procurando dentre todos os elementos e forcas naturais que deviam existir nas origens do Universo, o que poderia ser e como seria o estado desta formula, acabei por descobri-lo numa simples onda de luz natural. Desde a fonte da onda ‘a esquerda do desenho, passando por gamma-ray, X-ray,…ate a onda se fragmentar em fótons depois de radio, a sua intensidade e estado de energia se transforma na mesma sequencia que um corpo humano sofre suas transformações de forma desde a fonte que e’ o útero materno, passando pelas formas de bebe, criança,… ate o cadáver se fragmentando em pó . Ora, já havia antes percebido que a Natureza cria um novo sistema natural apenas aplicando o processo do ciclo vital sobre um corpo inerte existente. O avançar do fluxo de energia/informação no circuito interno do sistema e’ o mesmo avançar do tempo de um corpo biológico,  o que significa que todos os sistemas naturais são construídos pela forca do ciclo vital. Se uma simples onda de luz natural avança pela mesma sequencia, significa que ela também esta sob a forca do principio vital, ou então, ela e’ a criadora e transportadora do ciclo vital. Transportar o ciclo vital e’ transportar o código genético da Vida e ao penetrar a substancia de matéria escura do espaço universal a onda de luz imprime nesta a propriedade dos movimentos e da Vida. Portanto, a luz foi a primeira manifestação da formula da Matrix/DNA no Universo. O Big Bang deve ter emitido uma intensa onda de luz que se expandiu levando a semente dos sistemas naturais e da vida a todo o espaço sideral. Assim como o encontro entre os genomas masculino e feminino deflagra uma rápida multiplicação de células que leva uma nova vida a todo espaço ocupado pelo oceano amniótico dentro do útero materno. E assim, assistindo a cena do momento inicial da origem de um novo corpo humano, estamos assistindo a forma mais complexa que reduzida aos seus princípios e’ a mesma cena da origem do Universo.

 

Tags: , ,