Video Perturbador Conduz Humanos a uma Pausa para Pensar No que Ele Esta Fazendo de sua Vida

xxxxx

Tente assistir o vídeo clicando aqui e depois click em full screen e depois retorne aqui para falar-mos disso:

https://video-lga1-1.xx.fbcdn.net/hvideo-xaf1/v/t42.1790-2/10551216_810825958957060_452362591_n.mp4?efg=eyJybHIiOjY1OCwicmxhIjoyNTcwfQ%3D%3D&rl=658&vabr=366&oh=11f3598e8ea1836f7613033f1dcf007b&oe=55B146DD

Comentario que emerge da visão de mundo da Matrix/DNA:

Quando um conselheiro do Rei Louis XV lhe avisou que o comportamento da corte envolvida em festas orgíacas com banquetes intermináveis enquanto o povo lá fora com dificuldades econômicas estava se revoltando e tornando-se perigoso, o rei respondeu:

– ” Eu estou consciente que existe o risco do povo entrar no palácio e vai cortar os pescoços de todos que estão aqui, inclusive o meu e da minha família. Mas… o que podemos fazer… Nos caímos subjugados pelo vicio e isso não tem mais volta, sozinhos não conseguimos nos corrigir.”

Os cérebros de todos os animais e tambem dos humanos tem essa falha real, de se deixar cair e deixar se levar numa espiral decadente cujo final é o fundo mortal do poço. Depois que entrou no torvelinho, perde as forças que lhe conferiam vontade própria. E’ o caso dos humanos drogados, dos jovens e idosos que estão viciados em jogos de computador e vídeo game, dos viciados em comida e dos comedores de carne. Tambem é  cair no vicio se empregar num trabalho maquinal rotineiro e a noite nas horas de folga não procurar desesperadamente uma maneira de sair deste trabalho, acomodando-se ai as vezes até a aposentadoria.  Isto vem da Natureza que produziu o humano, é a natureza do humano.

E’ quase impossível nos imaginar-mos não comendo a carne de outros seres vivos. Por isso quando se diz a um carnívoro que isso tem que mudar ele da’ de ombros e responde que o mundo e’ assim, não vai mudar. – ” Eu… comendo só’ frutas, cereais, vegetais,… vou ficar doente, o corpo não vai aguentar, tenho que malhar no pesado, preciso de muita energia, que só existe na carne…”

Primeiro é preciso questionar se o mundo é assim mesmo, e a resposta é : não, nunca foi nos 13 bilhões de anos do Universo, esta sendo agora durante uns meros milhões de anos e no planeta Terra, e isso é  temporário porque vai acabar, logo o planeta não mais suportara seres vivos aqui. Isso é um passageiro e temporário aspecto do mundo que esta acontecendo aqui neste planeta-pontinho perdido na imensidão sideral. Portanto, aconteça ou não aconteça isto, o Universo não dará a minima para o que esta acontecendo aqui e agora, e isso sera apagado da memoria na noite dos tempos. Em outras palavras ainda isto é um temporário desvio do fluxo natural das coisas e certamente sera eliminado, corrigido, pois depois da vida animal na Terra, a natureza voltara ao seu normal cósmico roteiro.

O importante que sobra deste palavreado todo e’ saber que a natureza eliminara estas cenas do corpo dela, da historia dela, e isso implica que eliminara os agentes destas cenas. A NÃO SER QUE OS AGENTES SE AUTO-CORRIJAM, SE AUTO-CUREM ANTES DA NATUREZA FAZE-LO, COM OS AGENTES RETORNANDO A SEGUIREM EM SINCRONICIDADE COM AS LEIS DA NATUREZA.

Mas como vimos no episodio do rei, não temos em nos a força para ativar esta auto-cura. Por outro lado sabemos tambem que a natureza contem em si o principio da auto-cura. Genes se auto-corrigem, existe um mecanismo corretor nos erros de transcrição do DNA, organismos possuem um sistema de auto-cura denominado sistema de defesa imunológico, de células a organismos superiores existe o fenômeno de regenerar algumas partes do corpo perdidas, até os astros de um sistema são corrigidos se saírem fora de orbita normal, o que significa que ate sistemas astronômicos se auto-curam.

Se as duas forças – a positiva e a negativa – estão presentes na nossa natureza humana, e portanto devem ou deviam estarem presentes em potencial latente no cérebro humano, porque a negativa conseguiu a dominância e se impôs… é na resposta a esta questão que talvez levantemos do fundo do cérebro a força dormente dominada que por si só entraria em combate com a força dominante. Portanto o assunto é questão de vida ou morte, de tortura certa ou livramento da tortura, e por isso merece que nos sacrifiquemos neste raciocínio incomodo e exigente de sacrifício mental neste momento. O gordo do vídeo esta tendo a barriga marcada para ser cortada, e mesmo o simples fato de carregar aquela barriga, não se livra da tortura ainda em vida. As rápidas mudanças da natureza do planeta ameaçando nossa existência e jogando milhares na miséria é  outro tipo de consequente tortura. Os canceres, diabetes, e o sistema economico que nos empurra para trabalhos estúpidos, são outras formas dessa tortura causadas pelo aspecto negativo dessa força. Se não nos molesta a ideia de que podemos ser torturados e que resistiremos a dor da tortura, ao menos, sera mais difícil de continuar nessa negligencia quando nos lembramos que podemos presenciar a cena de nossos entes queridos, como os filhos, que serão torturados.

 

Tenos que buscar mentalmente na Natureza real as origens e significado existencial destas forças em seus dois aspectos opositores, e se encontrar-mos as explicações, estaremos injetando nas profundezas do nosso cérebro os estímulos que possam ressuscitar a parte dormente dela, e a partir dai, a auto-cura pode se tornar automática. Mesmo que não consigamos imaginar a nos mesmos sem comer carne, ou sem trabalhar neste sistema absurdo produtivo, e por isso, não desejamos que a força dominada ressuscite. Depois que ela executar sua tarefa, perceberemos que nunca precisamos de fato comer carne ou trabalhar no indesejado e podemos viver mais felizes sem estes vícios.

E’ preciso lembar que a dualidade dos opostos é uma condição insuperável para a existência dessa natureza que nos produziu. Essa dualidade foi manifestada já no primeiro momento da origem deste Universo, quando as partículas fundamentais, como quarks, leptons, bosons, ja surgiram divididas em positivas e negativas. Essa dualidade fluiu e permeou toda a historia da natureza universal e chegou a nos estando presente em todos os fenômenos naturais. Se existe o quente é porque existe o frio, se existe o macho tem que existir a fêmea, se existe o vicio é porque existe o seu não-vicio ou fluxo saudável natural, etc. E é preciso lembrar que as coisas se movem neste mundo como resultado do conflito ou acasalamento destes dois opositores, e enquanto perdura um conflito, uma parte  é dominante e outra dominada. Então aqui começa a explicação que estamos procurando: nossos cérebros, e dos outros animais na Terra,  estão sendo o palco ou os alimentadores da fase de conflito no aspecto sintonia ou não-sintonia com o ritmo natural. Deste conflito emerge o aspecto negativo em relação a nos, de uma força. Mas segundo as regras naturais, este conflito não pode ser eterno, então de alguma maneira a forca positiva terá que se levantar, se impor na sua metade do cérebro, e continuar a batalha tornando-se a dominante, ou ao se equiparar com a opositora, ambas concordarem no acasalamento. De todo acasalamento sempre resulta um filho, uma terceira alternativa, que sempre supera em evolução o estagio de seus pais, que sempre significa a transformação da forma onde ocorreu o conflito numa forma superior transcendente. Lembre-se que acima do negativo e do positivo esta o equilíbrio, acima do bem e do mal, esta a sabedoria, ou seja, a forma transcendida.

Então, se agora urge-nos levantar o aspecto dormente desta força em nossos cérebros, depois que o conseguir-mos a tarefa não estará terminada. Teremos que segurar o avanço da força positiva ao chegar no equilíbrio, e impedir que ela se torne a dominante. Ninguem mais comendo carne e ninguem mais aceitando trabalho sacrificante e estupidificante como nas fabricas do vídeo significaria vitoria e dominação do aspecto positivo da força, que é positiva em relação a nos aqui e agora mas não significa que é a eleita pela natureza. O domínio da outra meia face da mesma força certamente tambem nos traria outros tipos de vícios e problemas, os quais nem vou agora tentar identificar. Mas isto é para depois, por ora temos que tentar o primeiro passo, que é  conduzir nosso cérebro inconscientemente a ressuscitar ele mesmo a força potencial que esta dormente dentro dele. E isto se faz se ativar-mos o local da memoria no cérebro onde esta registrada esta força dormente, o principio da auto-cura.

Na historia da natureza universal de 13,7 bilhões de anos devem ter ocorridas muitas batalhas entre estes dois aspectos desta força, com muitas fases de dominância de uma, outras de dominância da outra, e outras fases de acasalamento, quando os sistemas naturais se transcenderam em forma, como por exemplo, os sistemas atômicos leves das nuvens de gás primordial se transformaram em sistemas astronômicos sólidos. Nos temos que identificar nesta historia agora qual foi o momento em que começou a dominância do aspecto negativo, pois a relembrança deste momento é que tocara na parte certa da memoria cerebral estimulando-a ao que queremos ela faça.

Sabemos que essa carnificina e este estado de sistema social dividido entre presas e predadores não começou com os seres humanos, mas vem de longo tempo na historia dos animais. Mesmo que o cérebro humano tenha realizado um salto evolutivo e iniciado a desenvolver uma nova forma transcendental do sistema natural universal a que chamamos de auto-consciência, não foi suficiente para eliminar esta rançosa herança psicológica que veio do nosso passado animal. Isto é compreensível porque o aspecto de predador e presa foi um mal necessário para a sobrevivência do homo sapiens nos seus primórdios, e que o aspecto predador voltando-se contra a própria especie, ao sofisticar e mudar o auto-canibalismo procurou métodos mais sutis para continuar este canibalismo na forma de dominação cultural. Então os humanos de hoje nascem já doutrinados por essa cultura que foi trabalhada por predadores em 15.000 anos, ela interpretou os fenômenos e eventos naturais e impôs esta interpretação aos humanos mais fracos, mas ao mesmo tempo os predadores tambem passaram a acreditar fielmente na mentira que eles próprio criaram. Então a causa de hoje o aspecto negativo dessa força estar no domínio é a visão de mundo do homem moderno produzida pela cultura dominante. Por aqui já percebemos que o antidoto para a dominância do aspecto negativo seria mudar esta visão do mundo, corrigindo-a, re-interpretando cada fenômeno e evento natural com uma nova explicação. Como tento fazer com a visão do mundo pela Matrix/DNA Theory.

Porem, ainda suspeito que este antidoto apenas surtiria o mesmo efeito dos atuais coquetéis receitados nos casos de AIDS, os quais remediam, mas não extirpam a AIDS. Assim este antidoto continua a permitir a causa fundamental, a expressão forte do aspecto negativo da força. Limpar a cultura e seu registro na memoria do cérebro não é um ato que mexa na configuração anatômica do DNA nesta memoria, pois apenas se espraia no aspecto psicológico que é um produto evasivo do cérebro. Temos então que descer mais fundo na Historia Natural, perguntar onde e como e porque o aspecto negativo conseguiu a dominância no reino animal.

Quando vejo um vídeo do aspecto microscópico de uma célula em movimento, de sua interação com vírus  e outras substancias, e quando vejo tais videos de reações químicas entre as moléculas que precederam células e vírus, tenho a impressão que este aspecto negativo da força não se originou tambem nos animais, e nem mesmo nas primeiras manifestações da vida no planeta.

Então é quando levanto os olhos para lembrar o ancestral sistema astronomico, e ali, guiado pela cosmovisão e modelos da Matrix/DNA, chego ao momento em que nitidamente esta força se assenta no poder. Foi quando pela primeira vez no Universo o sistema universal que vinha evoluindo dese o Big Bang porque sempre  adotou a forma de sistema aberto ao relacionamento com o mundo exterior, de repente se tornou um forma de sistema fechado tentando interromper sua própria evolução. Foi quando conseguiu um ovo estado de equilíbrio interno termo-dinâmico entre  dualidade dos opostos e segurou esta forma de equilíbrio sem dar o passo imediato seguinte que seria sua transformação e transcendência para uma nova forma superior. Foi o momento em que se formou, se completou o primeiro building block dos sistemas galácticos, ou seja, de galaxias como esta que criou dentro de si a vida que somos hoje.

Esta fase da Historia Natural Universal deve estar registrada no DNA no centro da memoria cerebral. Se estivermos acertado com o nosso raciocínio a realidade desta história, descobrimos o elemento que pode acordar, despertar, essa parte da memoria, e dai para a frente tudo acontecera normalmente com o retorno do principio da auto-cura. Sem o perceber-mos e sem entender o porque, de forma inconsciente mesmo, começaremos a rejeitar a carne, a sentir náuseas na frente dela, e aos poucos vamos substituindo-a, por frutas, vegetais. Sem saber-mos o porque os jovens começarão a evitarem a assumir os compromissos que depois os conduzem inexoravelmente a escravidão voluntaria nestes trabalhos estupidificantes. Compromissos tao arraigados e considerados sagrados baluartes da nossa sociedade, como é a instituição do casamento, serão cada vez mais evitados pelos que não possuem patrimônio e renda necessário para sustentar uma família. Conflitos com os predadores  e sua cultura surgirão.

Se alguém ler este texto, ficara entre os extremos de não ter concordado com nada ou concordado com tudo, mas acho que não aconteceria nenhum destes dois extremos. O sensato seria discutir-mos os pontos de desacordo e realçar-mos os pontos de acordo. Por enquanto – enquanto nenhum novo fato real comprovado ou argumento logico que eu sinta ser mais logico que meus argumentos – minha atuação sera justamente esta: tentar divulgar o máximo possível ao maior numero de pessoas a ideia da formula da Matrix/DNA como sistema fechado, como extrema expressão do egoismo, que herdamos na forma do nosso “selfish gene”. Na minha ” zé-ninguem e semi-macaquica opinião, esta estrategia deve funcionar melhor do que ficar criticando os outros por comerem carne e aceitarem tais tipos de trabalho, enquanto eu mesmo continuo comendo carne e as vezes sendo obrigado a aceitar tais tipos de trabalho. Com a diferença que a cada dia mais, quando estou na frente dos balcões do self-service do restaurante, perante dezenas de travessas oferecendo carnes e vegetais, cada vez mais na hora me lembro desta visão e cada vez estou pondo menas carne no prato. E cada vez mais quando minha poupança no banco atinge os limites perigosos, eu resisto mais um pouquinho a aceitar tais trabalhos. Esta funcionando comigo, sei que este é um processo lento, mas isto sugere que pode funcionar com outros humanos tambem. Posso estar todo errado, sei la, ou talvez não… mas estou entrando neste vicio de maneira que continuarei a agir assim porque não mais posso resistir a ele. E não quero resistir porque sinto que este novo vicio é o vicio antidoto do vicio que sei que precisaria ser combatido em mim… e isso é bom.

Se um leitor concordar comigo deve examinar com mais carinho a nova visão do mundo que eu trouxe da selva, os seus modelos teóricos, e se for convencido sem fanatismos, tente ajudar divulgando esta visão, pois esta pratica pode leva-lo, inconscientemente, a fazer o mesmo que estou fazendo perante aquelas tentações.

Sei que toda vez que um aspecto de uma força se torna dominante e a medida que essa dominância caminha para os extremos, começam a acontecer as aberrações. Mas mesmo assim tenho dificuldades em aceitar que um ser racional se submeta a tais aberrações. Então, uma coisa que acho irracional é o fato de sermos feitos de carne e mesmo assim sermos loucos para comer carne. Vai gostar de si mesmo, vai ser narcisista assim nos infernos… Gostar-se tanto a ponto de simular estar comendo a si mesmo…

Tags: , , ,