Proteína Implicada na Formação de Células Cancerosas e Analise da Matrix/DNA

xxxx

Protein That Kills Cells in Neurodegenerative Diseases Implicated in Cancer Cell Metabolism

http://neurosciencenews.com/hsp90-cancer-cell-metabolism-2391/

Pesquisadores observaram uma proteína que corta o fornecimento de oxigênio as mitocôndrias que fornecem energia para as células neuroniais, com isso conduzindo estas células a um processo degenerativo e até canceroso. Mas ficou muito interessante este caso quando o analisei sob a luz da Matrix/DNA. Vejamos:

( Tradução e analise do artigo pela perspectiva da Matrix/DNA que abre mais este campo de pesquisa.)

Vamos iniciar com uma breve comparação entre o gráfico do ciclo desta proteína e o gráfico da formula da Matrix/DNA, especificamente o gráfico relacionado aos cromossomas:

This image shows the Hsp90 chaperone cycle.

Hsp90 is one of the most studied proteins in terms of potential cancer-fighting drugs, but progress has been slow. This image is for illustrative purpopses only and the diagram shows the Hsp90 chaperone cycle.

E o gráfico com a formula da Matrix/DNA:

Circuíto Sistêmico ou "Software" extraído da fórmula da Matrix/DNA, Revelando o aspecto Hermafrodita

Circuíto Sistêmico ou “Software” extraído da fórmula da Matrix/DNA, Revelando o aspecto Hermafrodita

Minha interpretação pode ser errada portanto é temporária. Proteínas são os ingredientes biológicos que correspondem ao circuito esférico da formula. Cada proteína representa um pequeno trecho numa determina locação do circuito, todas as milhares de especies de proteínas somadas representam o circuito inteiro.

Por sua vez, cada proteína tem um ciclo vital o qual é tambem uma copia da formula inteira. Então essa proteína Hsp90 apresenta esse “chaperone cycle” – como não sei o que é chaperone, abaixo registrarei a pesquisa a respeito. Imediatamente a intuição me indica que o “early complex” `a esquerda representa F1, na formula da Matrix/DNA. A partir dai o fluxo de energia/massa/informação que corre dentro do circuito esférico do sistema como vemos na formula,  deveria andar para a esquerda, mas no gráfico se diz que se move para a direita, porem isso pode ser apenas questão de como colocar o desenho num papel bidimensional. Ainda não li o scientific paper e por isso não sei o que representa o X e Y, mas a posição destas letras no gráfico logo mostra uma semelhança com a formula no seu aspecto especifico como a funcionalidade dos cromossomas. Obviamente a proteína nada tem a ver com cromossoma, mas tambem do gráfico da formula aqui arrolado não estamos focando a questão dos cromossomas. O fato é  que nos dois gráficos, coincidem que X e Y estão em F1. Tambem os ingredientes em roxo e rosa do ” early complex” coincidem com os dois ingredientes em F1, que são massa e energia.

A seguir o fluxo de informação/energia se dirige ao ” Intermediate complex”, o que na formula seria F2 e F3. Mais uma vez os graficos coincidem: na formula, F2 representa quando o germe que nasce em F1 penetra na sopa de ingredientes do ambiente os quais se agregam no germe fazendo-o crescer. Então os varios elementos ali como o Hsp40, o HOP, etc., serão os nutrientes agregados ao germe. Se no grafico da proteina a segunda parte do intermediate complex desapareceu o Hso40, tambem quando observamos a formula no seu aspecto astronomico vemos que em F3 – que corresponde a planetas –  o gelo da poeira congelada desaparece dando lugar a água, a qual se mistura no meio dos outros ingredientes.

A partir de F2+F3 o circuito se abre numa relacao com o exterior permitindo a vazão de um elemento, o que significa que o ciclo chaperone é um sistema aberto. Quando o fluxo chega no que se diz ” final complex” na formula significaria que o fluxo chegou em F4 ( porem aqui retorna o problema da direção do fluxo, se para a esquerda ou direita. Se a direção for a inversa, ou seja, para a direita, então F1 sera o ” final complex” e F4 seria o ” early complex”. Então mudaria tudo: as duas fases do intermediate complex seriam F6 e F7, e ao invés de ser energia em crescente, seria um processo entropico, decrescente. Pode ser mas existem mais indícios para o contrario, como lemos o grafico inicialmente.

Porem aqui no ” final complex” temos outro problema: é possivel que a sequencia a seguir seja na formula da Matrix/DNA a sequencia normal esferica, onde o fluxo vai para F6 e F7. Mas tambem a liberacao dos dois X a seguir sugere que em F4 o fluxo tomou o caminho do ramo lateral interno, ou seja, F5. O que tambem seria possivel, indicando que o ciclo vital da proteina é apenas meia-lua, ou apenas metade da face da Matrix, E a intuição me sugere ser este o caso, mas posso estar errado.

Aceitando que o ciclo da proteina seja meio-ciclo, surgiriam alguns indícios: a) esta proteina expressa apenas e fortemente a função masculina da Matrix,  O fato de X acompanhar o fluxo de F1 a F4 é porque na formula isso acontece e Y ontem tambem X, apenas não o expressa nos sistemas biológicos. Não sei ainda qual a implicação de uma proteina ser “macho”, pois isto seria uma novidade para mim. Seriam as proteinas tambem divididas em machos e fêmeas?! E isto seria logico, racional. Todos os elementos que entraram no tronco da arvore da evolução tinham essa característica dicotômica e a proteina deveria ser inserida na arvore de Darwin se estendermos a arvore para alem dos sistemas vivos completos, entrando no passado da evolução no tempo das moléculas. b) estou aqui sentindo a presença da quiralidade. Pois se um elemento tem apenas meio ciclo vital, representa apenas uma metade da face da Matrix,  seria o que em Inglês se chama left-handed ou right-handed. E isto significa o spin ou seja a direção de giro do elemento.

A Natureza foi muito sabia ao determinar que o emergente fenômeno da vida selecionasse dentre todas as moléculas organicas, apenas aquelas com spin a esquerda, ou seja left-handed. Basta dar uma olhada rapida na formula da Matrix para entender isto. A face esquerda da Matrix é quando a energia esta em sua fase de crescente, que vai do baby ao jovem-adulto. A partir daqui a energia entra em estado entropico, decrescente, que vai do adulto ao cadaver. Então se um elemento possuir apenas a metade esquerda e dai o Fluxo cai de repente de F4 para F1, ele se livra do fenômeno ” morte”, pois em F1 ele se recicla retornando a forma de baby. Ora, se naquela árdua luta nas origens da vida, para tentar formar e manter as primeiras moléculas organicas em ambiente hostil com todos os fatores ameaçando sua existência, estas moléculas tivessem em si as duas meia-faces, o projeto da Vida teria ficado patinando no principio eternamente sem sair do lugar. Pois antes de crescer e se duplicar os aminoacidos morreriam, nunca conseguindo formar as primeiras cadeias de polipeptidos, e as proteínas. Nem RNA e DNA. O fato constatado cientificamente e que a Vida foi montada apenas com moléculas left-handed. As moleculas right-handed são venenosas, toxicas. Mas se esta proteina, Hsp90 tem realmente sua direção para a direita, se corresponde a meia-face direita, não da’  para entender como ela se inseriu no meio vital. Se isto for o fato, ela seria um veneno no organismo, seria toxica e surpreendentemente é justamente isto que a pesquisadora autora do artigo diz: ” “We have found a protein that is modified only in pathological conditions,” said Franco, an assistant scientist at the Burnett School who led the research team. “In the nervous system, it is toxic to the cells that are affected by neurodegenerative diseases, while in tumor cells it may actually be acting as a pro-survival agent. In both cases, targeting this oxidized protein may be a potential therapeutic alternative.”

traduzindo: Nos descobrimos uma proteina que e` modificada somente em condições patológicas. No sistema nervoso ela é toxica para células que foram afetadas por doenças neuro-degenerativas, enquanto em células de tumores ela pode realmente estar atuando como uma agente pro-sobreviventes. Em ambos os casos, objetivando sta proteina oxidante pode ser uma potencial alternativa terapêutica”

Bem, parece ser o tal caso comum: Um individuo pode ser bom para um sistema social capitalista, mas se o sistema mudar para comunista, ele se tornara mal para o sistema, porque ele continuara a ser capitalista. Mas se a a doutora estiver certa, ela diz que a proteina é quem é modificada. Isto significaria que um individuo era bom para o sistema que era capitalista, mas o individuo se modificou, tornou-se comunista, e assim passa a ser mal para o sistema. Mas parece-me que a doutora esta’ se contradizendo sem o perceber. Ela diz que a condição do sistema se tornou patológica, ou seja, o sistema foi mudado antes. Isto só tem uma maneira de resolver: sera’  ela mostrar a configuração dos compostos da proteina, antes e depois da patologia. Talvez ela faça isso no artigo cientifico, o qual ainda não li.

Então depois de F4 ( ou F1 se o sentido de giro for inverso), e depois de liberar ois X, vem aquelas duas formas de lagosta que não sei ainda o que é, sendo que a ultima fase apresenta um elemento acrescentado, o HOP. Elas podem serem apenas a representação de F5 no seu caminho a F1, se o ciclo for meia-lua, ou se a representação de F6 e F7, se o ciclo for completo. Mas o jeito que o grafico da proteina mostra a seta a seguir, indica uma reafirmação de que o ciclo seja realmente meia-lua. Pois a seta não vai de HOP direto para ” early complex”. Ela passa direto sem tocar nele e vai para F2. Das duas uma: ou o early complex só entra no circuito no primeiro ciclo e depois nunca mais retorna, ou o ” early complex”  é uma estrutura `a parte e sempre fixa, que torna a entrar no circuito toda vez que o fluxo passa perto dele.  O que seria muito esquisito. Se realmente o fluxo passa longe do “early complex” e entra novamente numa zona de ingredientes, isto sgnifica que o corpo esta continuamente alimentando aquela zona com ingredientes. Mas ai faltaria umas setas vindas de elementos de fora entrando no circuito.

A zona dos ingredientes ( o que em astronomia e denominado de “horizonte de eventos em volta do nucleo galáctico, ou buraco negro”, e em embriologia é denominado simplesmente de placenta nutritiva), quando um sistema é fechado, é produzida pelo decaimento do circuito, ou seja, pelos fragmentos degenerados do ultimo ciclo ( no caso astronomico os ingredientes são a poeira interestelar). Novamente retorna nosso problema: se o ciclo for meia lua e esquerda, não poderia ele mesmo formar essa zona, mas como o sistema é aberto, significaria que ele passa por uma zona sempre retroalimentada pelo organismo; se o circuito for meia lua e left-handed e ainda, sistema fechado… não existe essa possibilidade, nunca poderia existir essa zona. Se o circuito for meia-lua, right handed e sistema fechado, esta zona seria produzida por ele próprio, num processo de auto-reciclagem, o que não é normal em sistemas biológicos. Se o sistema for right-handed, meia-lua e aberto,  a zona seria fornada pelo proprio circuito e mais ingredientes fornecidos pelo organismo.

So teria uma maneira de resolver este problema. Saber se cada vez que o ciclo chega a ” intermediate complex” trata-se da mesma velha proteina ou se é sempre uma nova proteina. O unico jeito seria marcar os atomos de uma proteina e ver se eles continua na proteina depos do intermediate complex. Se sim, cada ciclo seria uma nova proteina, formada inteiramente com nutrientes fornecidos pelo organismo.

Enfim, estamos constatando aqui como são árduos os caminhos numa nova ciência quando ela esta’ engatinhando. Tudo depende de mais dados. Mas vale a pena este esforço, pois o câncer  é um poderoso e antigo terrorista inimigo da Humanidade numero 1, e nunca foi vencido, eliminado de uma vez por todas em suas causas, e esta nova abordagem da Matrix/DNA pode ser o grande golpe que estamos precisando.

xxxx

Ensaio de um comentário a ser postado no artigo:

Would be very useful for researchers if they look to the analyses of this issue from Matrix/DNA Theory perspective. All natural cycles and systemic circuits are based on a unique natural formula, perfect and complete. Bring on the table the two graphics: one, the cycle of the element being studied, and other, the graphic of Matrix’s formula. Comparative anatomy will reveal the errors or imperfections of the element’s cycle, if it is a pathogen. And with some lucky, will suggest the cause and the treatment for the disease.

I tried doing it, but for a conclusion I would need lots of more data, like the atomic compositions of these molecules.  In a first observation, it seems that Hsp90 is a normal left-handed molecule for an organism in healthy conditions, but, if it becomes a pathological condition, the protein becomes right-handed, and so, a toxic agent. The Hsp90 cycle is suggesting lots of novelties, like suggesting that it is a half-cycle, which means a strong expression of the Y counterpart of natural systems. It could be true when we see at the graphic that it expels two X from the circuit. Other problem is the “early complex” : the arrows that arrives to it, does not penetrate it again? Is is merely an initial condition for formation of the cycle and after that, it disappears?

Other question: the ingredients entering the circuit at the “intermediate complex” were produced by the prior cycle or are they furnished by the organism at every new cycle?

The answers for these question are dependable of more data, like the atomic composition of each molecule. But, since that cancer is our millennial and mortal enemy, and since that all applied approaches have not eliminated it, I think that new approaches never experimented before, like this one suggested by Matrix/DNA’s formula, deserves all effort.  So, if someone is interested i have written an detailed analyses ( sorry, it is in Portuguese, but, I could translate it), at http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/

Tags: , ,